Tsar Bomb – a bomba mais potente já feita

A Tsar Bomb foi uma bomba de Hidrogênio, testada em 1961. Até hoje, é considerada a arma mais poderosa já feita na história da humanidade.
Réplica da “Tsar Bomb”, em exposição no museu de Moscou*
Réplica da “Tsar Bomb”, em exposição no museu de Moscou*

O que é Tsar Bomb?

Tsar Bomb é o nome comumente dado à bomba de Hidrogênio, ou bomba termonuclear RDS 220 (também chamada de AN602), de fabricação soviética, detonada em caráter de teste em outubro de 1961. A Tsar Bomb gerou uma potência de 57 megatons, isto é, 57 milhões de toneladas de TNT (trinitrotolueno), dinamite convencional, ultrapassando o maior experimento com bomba de energia termonuclear de então, que foi o de Castle Bravo, realizado em 1954, no atol de Bikini, pelos Estados Unidos. A bomba do teste de Castle Bravo chegou “apenas” a 15 megatons.


A “corrida armamentista” e a busca pela “bomba do fim do mundo”

É sabido que a criação da primeira bomba atômica (batizada de Trinity) pelo Projeto Manhattan, em julho de 1945 (bem como das segunda e terceira bombas (Little Boy e Fat Man), que foram lançadas pelos Estados Unidos sobre o Japão em agosto do mesmo ano), trouxe à humanidade a possibilidade real de sua autodestruição. Após a Segunda Guerra, cujo fim em grande parte deveu-se à tragédia de Hiroshima e Nagasaki, as duas superpotências, EUA e URSS, deram início à chamada “corrida armamentista”, que se caracterizou pela busca do desenvolvimento tecnológico aplicado à construção de armas nucleares. A construção de ogivas atômicas e a sua instalação em mísseis balísticos de médio e longo alcance deram a tônica da Guerra Fria e da disputa por zonas de influência geopolíticas.

Nesse contexto, a produção da arma nuclear mais poderosa – o que alguns jornalistas da época chamavam de “a bomba do fim do mundo” – foi o objetivo principal perseguido pelas duas superpotências. Ter uma arma com essa característica representava a garantia de não ser atacado pelos países rivais, sob o risco de desencadear um “holocausto nuclear” generalizado. Sendo mais poderosa que as bombas de fissão nuclear (como as de Hiroshima e Nagasaki), a bomba termonuclear de Hidrogênio tornou-se a opção viável de manter esse equilíbrio funesto. 


Bombas de Hidrogênio

Em 1º de novembro de 1952, os EUA fizeram o primeiro teste com uma bomba de Hidrogênio. O fato se deu no atol de Enewetak, nas ilhas Marshall, e foi apelidado de Mike. A potência de Mike chegou a 10 megatons – 700 vezes mais forte que a explosão de Little Boy, em Hiroshima. Mas a bomba de hidrogênio mais poderosa construída pelos EUA foi a Castle Bravo, detonada em 1º de março de 1954, no atol Bikini, com poder de 15 megatons. Em 22 de novembro de 1955, foi a vez dos soviéticos explodirem sua primeira bomba termonuclear, a RDS-37. Foi do “sucesso” desse teste que nasceu a ideia de bombas cada vez mais potentes, com a possibilidade, almejada pelo líder soviético da época, Nikita Krushev, de atingir 100 megatons de potência.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A liderança do projeto soviético coube ao físico Andrei Sakharov. Entretanto, o peso, a forma de transporte e a capacidade de destruição de uma bomba de 100 megatons era de tal forma inviável, que a meta do projeto foi reduzida para 50 megatons. 


Explosão da Tsar Bomb

Em 30 de outubro de 1961, um avião bombardeiro soviético, modelo Tu-95-202, especialmente equipado para transportar a Tsar Bomb, que pesava 27 toneladas, voou até o arquipélago de Nova Zembla, no Oceano Ártico. A bomba foi lançada com o anteparo de um paraquedas, para que houvesse tempo hábil para a disparada do avião, antes da detonação. A explosão gerou um diâmetro de 70 quilômetros de destruição, com um núcleo incandescente de 4 quilômetros. Seria o suficiente para devastar instantaneamente uma metrópole como Paris ou São Paulo. A nuvem em forma de cogumelo chegou a mais de 60 quilômetros de altura. Além de Tsar Bomb, esse artefato era também chamado de “Ivan”, em referência ao tsar (ou czar) russo Ivan IV, o Terrível, que viveu no século XVI.

A demonstração do poder da Tsar Bomb, detonada apenas dois dias após a resolução da “Crise dos mísseis”, impôs ao mundo um novo impasse com relação a esse tipo de arma. O próprio líder do projeto, Andrei Sakharov, anos depois se tornou um dos principais ativistas contra o armamento nuclear.

*Crédito da imagem: wws001 / Shutterstock

Publicado por Cláudio Fernandes

Artigos Relacionados

Bomba atômica
Entenda como funcionam as bombas atômicas, descubra a diferença entre as bombas de fissão e fusão nuclear e conheça os efeitos causados por elas.
Qual a potência da bomba de hidrogênio?
Bomba de hidrogênio
Você sabe o que é uma bomba de hidrogênio? Clique aqui e entenda!
Por que devemos nos proteger da radiação?
Bombas radioativas: proteja-se!
Conheça quais são os processos químicos que ocorrem dentro das bombas radioativas e quais efeitos elas podem causar.
Origem da bomba atômica
Desenvolvimento de bombas nucleares
Como surgiram as diferentes armas atômicas.
A Guerra Fria teve os Estados Unidos e a União Soviética como seus grandes protagonistas.
Guerra Fria
Veja mais detalhes sobre a Guerra Fria, conflito político-ideológico de grande relevância que ocorreu ao longo da segunda metade do século XX.
Tsar Bomba (réplica) no Museu de Bombas Atômicas de Sarov
Variantes da bomba atômica
Conheça os tipos de reação nuclear
video icon
Química
Por que o álcool em gel ficou pegajoso?
Você reparou que o álcool em gel tornou-se mais viscoso ou pegajoso? Com a pandemia de Covid-19, houve um aumento na demanda da produção de álcool em gel, e isso fez com que alguns reagentes ficassem em falta, tendo que ser substituídos, o que acabou ocasionando a mudança na textura de alguns desses antissépticos.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Guia de Profissões
Publicidade e Propaganda
Que tal conhecer um pouco mais sobre as funções de um publicitário?
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Português
Preposições
Vamos aprender mais sobre essa classe conectiva de termos?