Whatsapp icon Whatsapp

Mínimo Múltiplo Comum de Polinômio

O mínimo múltiplo comum de números naturais ou de polinômios será encontrado através da comparação dos fatores de cada fatoração, ou seja, o mmc de um número natural ou de um polinômio é a multiplicação dos fatores sem repetir os comuns, levando em consideração os de maior expoente.


Exemplo: Ao calcularmos o mmc de 8 e 18 é preciso fatorar o 8 e o 18 em fatores primos, ficando da seguinte forma:

8 = 2 * 2 * 2 = 23. Sendo 23 o único fator dessa fatoração.

18 = 2 * 3 * 3 = 2 * 32. Sendo 2 e 32 os fatores dessa fatoração.

Os fatores comum são 23 e 2, dessa forma consideramos o 23. Assim, o mmc de 8 e 18 será igual a 23 * 32 = 72.

Exemplo: mmc de 9xy e 12 xy2. Fatoramos separadamente cada monômio.

9xy = 32 * x * y. Sendo 32 e x e y os fatores dessa fatoração.

12xy2 = 22 * 3 * x * y2. Sendo 22 e 3 e x e y2 os fatores dessa fatoração.

Os fatores comum são 32 e 3, x e x, y e y2, seguindo a regra iremos considerar 32, x, y2.
Dessa forma, podemos dizer que o mmc de 9xy e 12xy2 é igual a 32 * 22 * x * y2 = 36xy2.

Exemplo: mmc de x2 + 1 e x2 – 2x + 1. Fatoramos separadamente cada polinômio.

x2 – 1 = (x + 1) * (x – 1)

x2 – 2x + 1 = (x – 1)2

Os fatores comum são (x – 1)2 e (x – 1), seguindo a regra iremos considerar (x – 1)2. Dessa forma, podemos dizer que o mmc de x2 + 1 e x2 – 2x + 1 é igual a (x + 1) * (x –1)2.

A utilização do MMC de polinômios está diretamente ligada às resoluções de equações fracionárias algébricas, pois esse tipo de equação traz em seu denominador monômios, binômios, trinômios ou polinômios. Dessa forma, se uma equação fracionária algébrica apresentar denominadores diferentes, utilizaremos o MMC de polinômios. Observe uma aplicação do mmc de polinômios na resolução de uma equação.

Exemplo 1

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

   3     =    2   
2x – 1   x – 1

mmc = (2x – 1)(x – 1)

   3(x – 1)      =    2(2x – 1)   
(2x – 1)(x – 1)   (2x – 1)(x – 1)

3x – 3 = 4x – 4

4x – 3x = – 4 + 3

x = – 1

Exemplo 2

   2    =   1    –    3   
x2 – 1   x + 1   x – 1

        2         =     1    –    3   
(x + 1)(x – 1)    x + 1    x – 1

        2        =       x – 1      –      3(x – 1)   
(x + 1)(x – 1)    (x + 1)(x – 1)    (x + 1)(x – 1)

2 = x – 1 – 3x – 3

3x – x = – 1 – 3 – 2

2x = – 6

x = – 6
         2

x = – 3

 

Publicado por Marcos Noé Pedro da Silva
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Binômio de Newton
Entenda o que é um binômio de Newton e como calculá-lo. Veja também como usar o triângulo de Pascal nessa técnica de cálculo.
Multiplicação e divisão de monômios
Conceitos das operações de multiplicação e divisão de monômios. Compreensão da multiplicação e divisão monomial para o cálculo de expressões algébricas.
Teorema de D’Alembert
binômio, polinômio, divisão de polinômio por binômio, divisão, teorema do resto, teorema D’Alembert, definição do teorema do resto, definição do teorema de D’Alembert, resto de uma divisão, resto igual à zero.
Valor Numérico de um Polinômio
Efetuando cálculos em polinômios na determinação de seu valor numérico.
video icon
Professora ao lado do texto"Aposto".
Português
Aposto
Aposto é o nome que se dá ao elemento sintático que se junta a outro a título de explicação ou de apreciação. Assista a esta videoaula e aprenda um pouco mais sobre o emprego e a classificação desse termo acessório da oração.