Whatsapp icon Whatsapp

Látex

Devido às suas propriedades versáteis, o látex é amplamente utilizado na medicina, nas indústrias farmacêutica e cosmética e em produtos de borracha.
Extração do látex por incisão no tronco de uma árvore seringueira.
Extração do látex por incisão no tronco de uma árvore seringueira.

O látex é um material viscoso e leitoso produzido por algumas plantas e árvores, tanto de forma natural quanto de forma sintética. Geralmente armazenado em canais laticíferos, ele é liberado instantaneamente após incisões nas plantas. É composto por diversas substâncias insolúveis em água, como terpenoides, alcaloides, borracha e cardenólides, além de proteínas e enzimas. Esse material possui importantes aplicações na indústria da borracha, na área da saúde, na indústria têxtil e na indústria de pintura e revestimento.

Leia também: Poliéster — um polímero muito usado na produção de fibras têxteis

Resumo sobre o látex

  • O látex é um material viscoso e leitoso produzido por algumas plantas e árvores.
  • A seringueira (Hevea brasiliensis) é a principal fonte de látex natural e é originária da bacia Amazônica.
  • Os povos indígenas da América do Sul utilizavam o látex há milhares de anos para fazer bolas e para impermeabilizar tecidos e calçados.
  • No século XIX, a seringueira foi contrabandeada para a Ásia, impulsionando o cultivo em grande escala e tornando esse continente o principal produtor de látex natural.
  • O látex natural é usado na indústria da borracha para a fabricação de pneus, mangueiras, produtos médicos etc.
  • Durante a Segunda Guerra Mundial, a demanda por látex natural levou ao desenvolvimento de látex sintético como alternativa.
  • O látex sintético é produzido pela síntese química em laboratório e tem ampla aplicação em indústrias, como automotiva, têxtil e de construção.
  • É utilizado em produtos como luvas cirúrgicas, preservativos, espumas para colchões, tintas, adesivos etc.
  • Algumas pessoas podem desenvolver alergia ao látex, exigindo precauções e o uso de produtos sem látex.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é o látex?

O látex é um material viscoso e leitoso produzido por algumas plantas e árvores. Quimicamente, é uma espécie de suspensão coloidal natural constituída por micropartículas orgânicas dispersas em meio aquoso, apresentando um aspecto de fluido leitoso, usado principalmente na produção de borracha.

Esse líquido contém de 30% a 40% de borracha, além de água, proteínas, resinas e pequenas quantidades de minerais. Vale ressaltar que a borracha natural não é uma substância, mas sim um material de composição heterogênea que tem como principal componente um polímero do isopreno denominado cis-1,4-poli-isopreno, cuja fórmula mínima é (C5H8)n.

Estrutura química do cis-1,4-poli-isopreno, isômero extraído do látex que é utilizado na produção da borracha.
Extraído do látex, o isômero cis-1,4-poli-isopreno apresenta propriedades elásticas favoráveis à produção da borracha. [1]

Quais são os tipos de látex?

O látex pode variar de acordo com sua origem e método de produção. Sendo assim, temos:

  • Látex natural: obtido diretamente de plantas, principalmente da seringueira (Hevea brasiliensis). É composto principalmente por polímeros de borracha natural, como isopreno, proteínas, lipídios, açúcares e água. É utilizado na fabricação de diversos produtos, como luvas cirúrgicas, preservativos, peças de borracha, entre outros.
  • Látex sintético: é produzido em laboratórios a partir de derivados petroquímicos. Os polímeros sintéticos mais comuns encontrados no látex sintético são o poliuretano, o policloropreno, o polibutadieno e o estireno-butadieno. O látex sintético é utilizado em muitas aplicações semelhantes ao látex natural, incluindo a fabricação de luvas, elásticos, espumas e adesivos.

Características do látex

A princípio, é importante saber que, de acordo com sua origem, o látex pode ser classificado em natural ou sintético. Sendo assim, cada tipo apresentará algumas características específicas.

  • Características do látex natural: tem cor branca e textura viscosa, essencial para a sua extração e transformação em produtos. Esse material é extremamente elástico e flexível, permitindo sua utilização em uma ampla gama de aplicações industriais. Em sua identidade química, ele é caracterizado pela borracha que é constituída por longas cadeias poliméricas do monômero isopreno. Além disso, apresenta a capacidade de coagulação quando submetido a coagulantes ou condições específicas.
  • Características do látex sintético: é produzido em laboratório e pode se apresentar tanto na forma líquida quanto na sólida a depender do tipo de polímero utilizado e do processo de fabricação. Seus aspectos físicos são semelhantes ao do látex natural, pois exibe elasticidade e flexibilidade, tornando-se uma alternativa valiosa em muitas aplicações industriais. Já a composição química é determinada pelo tipo de polímero empregado. Entre os mais comuns, estão: estireno-butadieno (SBR), poliuretano, acrílico e policloropreno. Esses polímeros são obtidos pela polimerização de monômeros, formando cadeias longas e complexas que conferem as propriedades desejadas ao látex sintético.

Para o que serve o látex?

Médico cirurgião colocando um par de luvas de látex em um centro cirúrgico.
As luvas de látex são EPI indispensáveis para a realização de procedimentos médicos e hospitalares.

Devido às suas propriedades físicas e químicas, o látex possui ampla aplicação em várias indústrias e áreas. Entre elas:

  • Indústria da borracha: tanto o látex natural quanto o sintético são utilizados na fabricação de borracha, com aplicação na produção de pneus para veículos automotivos, de mangueiras, de selos, entre outros.
  • Área da saúde: o látex é aplicado na fabricação de luvas cirúrgicas, luvas descartáveis, preservativos e outros produtos de proteção individual devido à sua elasticidade e capacidade de proteção contra fluidos.
  • Indústria têxtil: o látex é usado na produção de tecidos elásticos, como spandex e elastano, usados em roupas esportivas, íntimas, de banho e meias, proporcionando conforto e flexibilidade. Além disso, é utilizado na produção de solas de calçados e palmilhas devido à sua durabilidade e resistência. Não poderia ficar de fora desse rol o setor de colchões e estofados, que, além desses produtos, produz espumas flexíveis para travesseiros de látex natural.
  • Indústria de pinturas e revestimentos: na construção civil, o látex acrílico é um componente-chave em tintas látex, amplamente utilizadas em pinturas de interiores e exteriores devido à sua secagem rápida e ao baixo odor.

Importante: Vale ressaltar que a composição química do látex varia de acordo com a espécie de planta, apresentando outras aplicações, como propriedades medicinais e cosméticas.

Veja também: Teflon — material muito utilizado no revestimento das panelas antiaderentes

Obtenção do látex

A produção de látex é observada em cerca de 8,9% das plantas angiospermas, sendo mais frequente em espécies tropicais. O processo de obtenção depende da fonte específica, sendo a seringueira (Hevea brasiliensis) a fonte mais comum para a obtenção de látex natural. Abaixo está uma descrição geral desse processo, a partir da seringueira, para a produção de borracha:

  1. Preparação do local: primeiramente, é feita a preparação do local onde serão realizadas as incisões nas árvores. Isso pode incluir a remoção de ervas daninhas, a limpeza ao redor das árvores e a marcação dos pontos de extração.
  2. Incisão: em seguida, um cortador especial faz incisões em espiral no tronco da seringueira, geralmente com uma ferramenta chamada “ganho”. As incisões são feitas na casca externa da árvore, mas sem danificar o lenho interior.
  3. Coleta: o látex começa a fluir através das incisões e é coletado em pequenos recipientes ou canaletas colocados na base da árvore. A seringueira produz uma substância leitosa para proteger a ferida, e é esse líquido que é coletado. As árvores são “sangradas” regularmente, com intervalos, para não prejudicar seu crescimento e a produção futura.
  4. Coagulação: o látex coletado é levado para um local onde é coagulado. Tradicionalmente, coagulantes naturais, como ácido acético (vinagre) ou suco de limão, são adicionados ao látex para induzir a coagulação. Isso leva à formação de aglomerados sólidos de borracha conhecidos como coágulos.
Aglomerado de borracha, obtida do látex, após passar pelo processo de coagulação.
Aglomerado de borracha após passar pelo processo de coagulação.
  1. Preparação da borracha: os coágulos de borracha são lavados para remover impurezas e, em seguida, prensados para eliminar o excesso de água. O material resultante é conhecido como borracha crua ou borracha coagulada.
  2. Processamento adicional: a borracha crua pode ser submetida a mais processamentos, como rolagem em lençóis ou moldagem em diferentes formas, dependendo das necessidades da indústria.

Importante: É pertinente considerar que o processo de obtenção do látex pode variar ligeiramente dependendo da região e das práticas específicas de cultivo e coleta.

Qual a importância do látex?

O látex é um material que possui grande importância em várias indústrias e áreas de nossa sociedade devido à sua enorme quantidade de formas de aplicação. Além disso, o látex de algumas plantas possui propriedades medicinais importantes. Por exemplo, a seringueira também é utilizada na produção de látex natural medicinal, que contém compostos com propriedades analgésicas e anti-inflamatórias.

O látex também é importante quanto aos aspectos econômicos. No século XIX, o boom da borracha natural, conhecido como ciclo da borracha, teve um impacto significativo na economia de algumas regiões, como a Amazônia brasileira. A extração de látex gerou riqueza para muitos mas também levou a conflitos e problemas socioambientais.

Ademais, o látex é uma fonte renovável de matéria-prima, o que o torna uma opção atraente para uma variedade de produtos, em comparação com materiais sintéticos à base de petróleo. Isso promove uma maior sustentabilidade e reduz a dependência de recursos não renováveis.

Por fim, o estudo do látex e sua composição química levou a avanços no conhecimento científico, como a compreensão de compostos orgânicos, proteínas e polímeros, tornando-se extremamente importante em vários setores da economia.

Precauções com o látex

O látex é uma suspensão coloidal, ou seja, possui uma parte sólida orgânica e outra aquosa, em que algumas substâncias presentes, como proteínas, podem provocar reações alérgicas em alguns indivíduos. Por isso é importante que pessoas que apresentem qualquer tipo de reação adversa ao látex procurem atendimento médico.

História do látex

A história do látex remonta a milhares de anos e está intimamente ligada à América do Sul. A seringueira, árvore da qual se obtém o látex natural, é originária da bacia Amazônica e já era conhecida e usada por povos indígenas muito antes da chegada dos europeus.

Os índios nativos da região usavam o látex coagulado da seringueira de várias formas, como na produção de bolas para jogos e na impermeabilização de tecidos e de calçados. A extração e o uso do látex eram conhecimentos tradicionais transmitidos de geração em geração.

No século XIX, o látex natural ganhou destaque mundialmente quando o explorador inglês Henry Wickham contrabandeou sementes de seringueira para a Inglaterra. Essas sementes foram plantadas em diversas colônias britânicas, principalmente no Sudeste Asiático, onde o cultivo em grande escala de seringueiras foi estabelecido. Isso levou a uma mudança significativa na produção mundial de látex natural, tornando a Ásia o principal produtor.

O látex natural tornou-se um recurso econômico valioso para a indústria da borracha, impulsionando a produção de pneus, correias transportadoras, mangueiras, produtos médicos e muitos outros itens.

No início do século XX, a demanda por látex natural cresceu exponencialmente com a expansão da indústria automotiva e outras indústrias de manufatura. Com o aumento da demanda, surgiram desafios no cultivo, como doenças que afetavam as seringueiras.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os países aliados enfrentaram dificuldades de abastecimento de látex natural devido à ocupação japonesa nas áreas de produção do Sudeste Asiático. Isso estimulou pesquisas e levou ao desenvolvimento de látex sintético como uma alternativa ao látex natural. A partir da década de 1940, a produção de látex sintético cresceu rapidamente, e novos polímeros e técnicas de fabricação foram desenvolvidos, proporcionando uma alternativa valiosa ao látex natural em muitas aplicações.

Desde então, a produção e o uso de látex, tanto natural quanto sintético, continuaram a crescer e a se diversificar, com aplicações em diversos setores industriais e melhorias contínuas nas técnicas de cultivo e processamento. O látex continua a ser um material importante e essencial para a economia global e uma parte integrante de muitos produtos que usamos no dia a dia.

Crédito de imagem

[1] Mister Pommeroy / Wikimedia Commons (Imagem editada: os textos da imagem foram traduzidos.)

Fontes

BRITO, R. R. DE; VIEIRA, T. A. Exploração econômica do látex da hevea brasiliensis no desenvolvimento da região norte do Brasil. Nature and Conservation, v. 11, n. 1, p. 9–25, 2018.

FARRELL, B. D.; DUSSOURD, D. E.; MITTER, C. Escalation of plant defense: do latex and resin canals spur plant diversification? American Naturalist, v. 138, n. 4, p. 881–900, 1991.

GUERRA, N. B. et al. Biomedical applications of natural rubber latex from the rubber tree Hevea brasiliensis. Materials Science and Engineering C, v. 126, n. April, p. 112126, 2021.

MEDEIROS, T. K. A. DE; WADT, L. H. DE O. Exsudatos de espécies arbóreas amazônicas: diversidade e potencialidades. Research, Society and Development, v. 11, n. 6, p. e43811629318, 2022.

PINHEIRO, E. et al. O Látex e a Borracja da Mangabeira. Embrapa, v. 202, n. Dezembro, p. 1089–1096, 2004.

ROCHA, T. C. J.; SOARES, B. G.; COUTINHO, F. M. B. Principais copolímeros elastoméricos à base de butadieno utilizados na indústria automobilística. Polímeros, v. 17, n. 4, p. 299–307, 2007.

SALOMÉ ABARCA, L. F.; KLINKHAMER, P. G. L.; CHOI, Y. H. Plant Latex, from Ecological Interests to Bioactive Chemical Resources. Planta Medica, v. 85, n. 11–12, p. 856–868, 2019.

Publicado por Jhonilson Pereira Gonçalves

Artigos Relacionados

Borracha Natural
Conheça a constituição química e as fontes de obtenção da borracha, um polímero natural de adição.
Composites
Materiais usados para melhorar a resistência de objetos.
Método de obtenção do silicone
Clique aqui e compreenda como ocorre o método de obtenção do silicone!
Poliestireno
Descubra a constituição, as aplicações, os problemas ambientais e os produtos feitos do poliestireno, cuja forma mais conhecida é o isopor.
Polímeros
Leia aqui vários artigos com detalhes sobre a constituição, propriedades e aplicações dos polímeros naturais e sintéticos.
video icon
Texto"Matemática do Zero | Número de diagonais de um polígono convexo" em fundo azul.
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Número de diagonais de um polígono convexo
Nessa aula demonstrarei a fórmula do número de diagonais de um polígono convexo e resolveremos questões modelo.