Whatsapp icon Whatsapp

Os vírus são seres vivos?

Você com certeza já deve ter ouvido dizer que os vírus não são seres vivos, não é mesmo? Essa é uma ideia bem difundida nos livros didáticos, mas será que ela é realmente correta? O que os pesquisadores dizem a respeito do assunto?

A seguir falaremos a respeito da difícil classificação dos vírus e os argumentos que sustentam as duas vertentes: a de que os vírus são seres vivos e a de que os vírus são organismos sem vida.

Leia também: Coronavírus — a família do vírus que causou a pandemia de covid-19

Por que os vírus não são considerados seres vivos para alguns pesquisadores?

Alguns pesquisadores afirmam que os vírus são organismos que não devem ser considerados seres vivos. Para sustentar essa ideia, as principais afirmações feitas são as apresentadas a seguir.

  • Os vírus não possuem células (acelulares): a unidade estrutural e funcional dos seres vivos. Essa característica contraria a teoria celular, que diz que todos os seres vivos são formados por células. Assim sendo, por não possuírem células, muitos afirmam que os vírus não são seres vivos.
  • Os vírus não apresentam potencial bioquímico que possibilita a produção de energia metabólica. Assim sendo, os vírus não são capazes de respirar e alimentar-se, por exemplo.
  • Os vírus só são capazes de se reproduzir no interior de outra célula. Por essa razão, dizemos que eles são parasitas intracelulares obrigatórios.

Leia também: Origem da vida — as teorias que tentam explicar como a vida surgiu

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por que alguns pesquisadores afirmam que os vírus são seres vivos?

Os vírus realizam algumas atividades consideravelmente complexas. Eles são capazes, por exemplo, de “enganar” nosso sistema imunológico e causar doenças, atividade complexa para um ser sem vida, não é mesmo?

Muitos pesquisadores afirmam que os vírus devem ser, sim, considerados seres vivos. Para isso, eles utilizam algumas características desses seres para sustentar essa afirmação.

  • Presença de material genético: RNA e/ou DNA. A presença desse material indica que esses organismos são capazes de transmitir suas características aos seus descendentes.
  • Os vírus apresentam capacidade de evolução, ou seja, sofrem alterações ao longo do tempo, uma característica importante, uma vez que admitimos que os seres vivos mais bem adaptados sobrevivem no meio.

Diante dessas afirmações, fica fácil perceber que os vírus podem ser considerados seres vivos ou não, pois os argumentos das duas linhas são bastante convincentes. É por isso que, ao questionarmos se vírus são ou não seres vivos, devemos refletir sobre o que realmente é vida. Será que nossa definição de seres vivos como organismos portadores de células já não está ultrapassada? Será que a vida não é algo mais complexo do que imaginamos?

Publicado por Vanessa Sardinha dos Santos
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Citomegalovírus
Compreenda como ocorre a infecção por citomegalovírus e como ela se manifesta.
Infecção por rotavírus
Saiba mais sobre a infecção por rotavírus, um vírus causador de diarreia grave.
Vírus de plantas
Principais responsáveis pela incidência de doenças no Reino Vegetal.
video icon
"Matemática do Zero | Classificação de triângulos" escrito sobre fundo azul
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Classificação de triângulos
Nessa aula veremos que um triângulo pode ser classificado quanto às medidas dos lados (isósceles, equilátero e escaleno) e quanto às medidas dos ângulos (acutângulo, retângulo e obtusângulo).