Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Botânica
  4. Pupunheira

Pupunheira

A pupunheira (Bactris gasipae) é uma espécie de planta da família das Arecáceas. É encontrada na América Central e, no Brasil, é típica da bacia amazônica, mas é cultivada na Bahia, Espírito Santo e São Paulo.

O interesse econômico por este vegetal se dá, principalmente, em razão de seus frutos e palmito, estes de sabor agradável e alto valor nutritivo. O primeiro, rico em vitamina A, é produzido em cachos e não pode ser ingerido antes do cozimento, por apresentar substâncias irritantes da mucosa bucal. O segundo, em relação aos outros palmitos, possui sabor mais adocicado e não escurece após ser cortado.

Sua raiz pode ser utilizada como vermicida. As flores masculinas, como tempero. Seu tronco pode ser matéria-prima de móveis, construções e artesanatos e as folhas, coberturas para habitações. O fruto, ainda, é utilizado na fabricação de bolos e pães.

A B. gasipae pode atingir 20m de altura, 25cm de diâmetro e seu tronco tem regiões sem espinho intercaladas com as com espinho. Possui folhas grandes, de até 4m de comprimento, com diversos folíolos com ou sem espinhos. Os frutos jovens são verdes e, maduros, amarelados ou avermelhados. Podem ou não apresentar sementes, estas de cor negra, endocarpo duro e oleaginosas.

Suas flores, masculinas e femininas, possuem odor agradável, atraindo polinizadores. Esta planta pode se propagar por brotações, que ocorrem espontaneamente na base do caule da planta-mãe. É comum encontrar até cinco árvores unidas pela mesma base.

Esta arecácea possui o sistema radicular bastante superficial e, por tal motivo, para cultivo devem ser evitadas áreas de ventos fortes. Apesar de adaptar-se bem em diversas regiões, clima quente e úmido são mais indicados para cultivo. Solos bem drenados e de terreno plano são, também, indicados.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

Cada cacho da pupunheira possui até cem frutos
Cada cacho da pupunheira possui até cem frutos
Publicado por: Mariana Araguaia de Castro Sá Lima
Assuntos relacionados
As raízes garantem a absorção de água e nutrientes para a planta
Absorção de água e nutrientes
Entenda como ocorre a absorção de água e nutrientes pela planta e conheça o caminho que essas substâncias percorrem até o xilema.
As briófitas são plantas pequenas e delicadas que vivem em ambientes úmidos e sombreados
Briófitas
Clique aqui e saiba mais sobre a estrutura e o ciclo reprodutivo das briófitas.
A samambaia pertence as pteridófitas
Pteridófitas
Pteridófitas, classificação das Pteridófitas, características das Pteridófitas, a reprodução das Pteridófitas, a estrutura das Pteridófitas, a importância das Pteridófitas.
Os tecidos vegetais de sustentação garantem suporte mecânico à planta.
Tecidos de sustentação vegetal
Clique aqui e amplie seus conhecimentos sobre os tecidos de sustentação vegetal. Neste texto, abordaremos o que são tecidos de sustentação e falaremos as principais características do colênquima e do esclerênquima. Além disso, apresentaremos um quadro comparativo com as principais diferenças entre eles.
Flor
Saiba mais sobre a estrutura da flor e conheça seus aparelhos reprodutores masculino e feminino.
A ação do fotoperiodismo sobre a floração e frutificação dos vegetais (pequi).
Fotoperiodismo e a floração dos vegetais
De acordo com a fotoperiodismo, as plantas podem ser classificadas em plantas de dias longos, plantas de dias curtos e plantas indiferentes.
Fotossíntese
Que tal aprender sobre fotossíntese, o processo que ocorre em plantas, principalmente nas folhas, e em outros organismos? Entenda seu funcionamento e sua importância!
A semente garante nutrientes para o embrião
Semente
Conheça as principais características da semente e sua importância para os vegetais.
Tecido meristemático vegetal.
Tecido meristemático
Tecido meristemático, Células vegetais, Parede celular, Vacúolos, Meristema apical, Ramos e raízes, Meristema intercalar, Meristema lateral, Meristema Primário, Crescimento vegetal, Parênquima, Colênquima, Esclerênquima, Meristema Secundário, Câmbio, Xilema e floema.