Whatsapp icon Whatsapp

Eletrização por atrito

Quando dois materiais de composição diferente são atritados, um irá perder elétrons para o outro. A esse processo dá-se o nome de eletrização por atrito.
O atrito entre dois corpos de materiais diferentes pode gerar um desequilíbrio no número de prótons e elétrons
O atrito entre dois corpos de materiais diferentes pode gerar um desequilíbrio no número de prótons e elétrons

Os processos de eletrização consistem em gerar um desequilíbrio no número de prótons e elétrons de um corpo qualquer. Naturalmente os corpos são neutros, ou seja, possuem a mesma quantidade de prótons e elétrons, quando esse número se torna diferente dizemos que o corpo está eletrizado.

O desequilíbrio é gerado pela perda ou ganho de elétrons, essas partículas são mais leves e estão distantes do núcleo atômico, por isso seu deslocamento ocorre de forma mais simples. Os prótons são partículas pesadas que ocupam o núcleo atômico, na eletrização um corpo nunca perde ou ganha prótons.

Um corpo estará positivamente eletrizado quando perder elétrons e o número de prótons se tornará maior. Ao receber elétrons um corpo estará eletrizado negativamente.

Eletrização por atrito

A forma mais simples de eletrizar um corpo é atritá-lo com um material de composição diferente. Gerada a fricção, elétrons irão abandonar um dos corpos, aquele que perder elétrons ficará carregado positivamente, já aquele que ganhar as cargas negativas ficará carregado negativamente.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Série triboelétrica

A série triboelétrica é uma tabela que indica se os corpos ficarão positivos ou negativos após o atrito. Cada material irá perder elétrons se for atritado com qualquer outro material que possuir posição inferior na tabela.

Segundo a reduzida tabela acima, se o vidro for atritado com papel, ele irá adquirir carga de sinal positivo, enquanto o papel irá receber elétrons, ficando carregado negativamente.

Quanto maior for a distância entre os elementos na série triboelétrica, maior será a eletrização, ou seja, atritar pele humana seca com teflon irá gerar muito mais eletricidade estática do que o atrito de pele humana seca com vidro.

Publicado por Joab Silas da Silva Júnior
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

A História da Eletricidade
Houve vários estudos e processos para que a eletricidade se tornasse o que é hoje. Confira aqui a história da eletricidade!
Blindagem eletrostática
Entenda a definição de blindagem eletrostática e saiba por que os aparelhos eletrônicos são envolvidos por materiais metálicos.
Carga elétrica
Você sabe o que é carga elétrica? Confira aqui seus tipos e saiba como calculá-la. Entenda também os processos de eletrização.
Condutores e isolantes
Saiba mais sobre os condutores e isolantes, materiais que, a partir da quantidade de elétrons livres, possuem facilidade ou dificuldade para conduzir eletricidade.
Dicas sobre Eletricidade para o Enem
Clique aqui e veja algumas dicas sobre Eletricidade para o Enem, uma das áreas da Física mais exploradas em questões do Exame Nacional do Ensino Médio.
Eletricidade
A eletricidade estuda os fenômenos da carga elétrica. Clique e entenda!
Eletrização por contato
Clique aqui e saiba o que é a eletrização por contato. Veja exemplos desse tipo de eletrização no dia a dia e entenda como ela funciona.
Eletrização por indução
Veja aqui como ocorre o processo de eletrização por indução passo a passo.
Manifestações da Eletricidade Estática
Conheça alguns locais onde a eletricidade estática se manifesta.
Processos de eletrização
Clique aqui para entender como ocorrem os processos de eletrização. Veja exemplos de processos de eletrização por contato, atrito e indução no dia a dia.