Whatsapp icon Whatsapp

Notas e escalas musicais

O som é formado por melodias e acordes, constituídos por notas e escalas musicais.
Mãos tocam notas musicais.
As notas e escalas musicais são transmitidas por ondas sonoras.

Notas e escalas musicais são uma sequência de sons dispostos de forma ascendente ou descendente, conforme a frequência musical.

As notas musicais são sete e são representadas por monossílabos utilizados na composição de músicas, sendo eles:

  • Dó;

  • Ré;

  • Mi;

  • Fá;

  • Sol;

  • Lá;

  • Si.

São chamadas de escalas musicais as sequências de sons, dispostas de forma ascendente ou descendente, de acordo com a frequência na qual se fundamenta a música. As escalas musicais são obtidas por meio de uma relação matemática bem definida entre as frequências de cada nota musical.

Podemos dizer que a música é um perfeito exemplo da integração da Arte com a Matemática e a tecnologia, já que as notas musicais são sons com frequências determinadas, de tal forma que existe uma relação matemática exata entre elas.

Leia também: Cinco coisas que você precisa saber sobre o som

Origem das notas musicais

Flauta sobre partituras.
As notas musicais podem ser representadas por meio de partituras ou cifras.

As notas musicais foram criadas pelo monge beneditino francês chamado Guido de Arezzo, que nasceu no fim do século X. Ele organizou esse sistema de notação musical, que é conhecido até hoje.

Ele percebeu, em seus estudos, que a construção de uma escala musical simplificada poderia auxiliar e facilitar o aprendizado dos alunos, diminuindo assim os erros de interpretação de uma peça musical.

O monge aproveitou-se de um hino cantado em louvor a São João Batista e, notando as iniciais de cada um dos versos dispostos na versão em latim, desenvolveu a maioria das notas musicais.

No primeiro momento, as notas musicais ficaram convencionadas como Ut, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si.

O Si foi obtido da junção das iniciais de Sancte Iohannes, o homenageado da canção que inspirou Guido de Arezzo. O Do foi adotado mais tarde, no século XVII, quando uma revisão do sistema original acabou sendo convencionada.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

De onde vem o termo escala musical?

O termo “escala” tem origem do latim scala e significa “escada”. Assim, é fácil entender essa analogia, pois a escala musical é uma sequência de notas determinadas que, em sua organização original, parte do som mais grave ao mais agudo.

Por meio dessas notas, é possível estruturar os acordes e a melodia presentes em uma música. Como, por exemplo, quando seguimos a escala e iniciamos no Dó e damos continuidade a uma sequência ordenada de notas até chegarmos ao próximo Dó e então reiniciarmos esse ciclo.

Leia também: Afinal, o que são ondas sonoras?

Tipos de escalas musicais

Não é de hoje que as mais variadas culturas organizam suas sequências de notas e, assim, criam diferentes escalas musicais. Há uma infinidade delas, cada uma dando as características necessárias para aquela sensação na música em que será utilizada.

Ao ouvirmos uma escala, é possível perceber que os diferentes intervalos ocasionados entre uma nota e outra criam diferentes tipos de sonoridades. Veja abaixo alguns tipos de escalas comuns:

  • Escalas pentatônicas: são aquelas formadas por cinco notas por oitava e que, em sua origem, não possuem semitons, sendo que podem derivar da escala maior ou menor. Esse tipo de escala é comumente encontrado em repertórios de blues, soul, R&B e pop.

  • Escalas diatônicas: são as encontradas mais facilmente na cultura ocidental, estando muito presentes no repertório moderno. Elas são uma sequência de intervalos e proporções organizadas matematicamente por Pitágoras, ainda na Grécia Antiga. Uma escala diatônica é formada por sete notas, com cinco intervalos de tons e dois semitons. Tal tipo de organização forma um sistema chamado de tonal, em que cada uma das notas produz uma sensação de tensão ou resolução.

  • Escalas cromáticas: ao contrário das escalas diatônicas, a escala cromática não transmite sensações de tensão e resolução, já que é inteira formada por semitons. Ela é formada por 12 notas, sendo as sete notas da escala diatônica somadas de cinco tons intermediários. Vários estilos musicais, do erudito aos gêneros modernos, usam o efeito da escala cromática como elemento expressivo, fazendo transições de frases ou até adiando a resolução melódica de determinado trecho musical.

Escalas musicais pelo mundo

Os gregos possuíam uma escala de cinco notas. A mesma também foi utilizada por chineses e, mais tarde, pelos escoceses. A música árabe usa uma escala com 16 notas, e a música indiana, 22 notas.

no Ocidente, usamos uma escala com 12 notas. As escalas usadas atualmente possuem uma frequência básica (440 Hz), e, a partir dela, as demais notas são obtidas pela multiplicação ou divisão da nota anterior por um fator constante, como em uma progressão geométrica.

Publicado por Érica Caetano

Artigos Relacionados

5 curiosidades sobre as ondas sonoras
Clique aqui e veja cinco curiosidades sobre as ondas sonoras que se opõem totalmente às percepções do senso comum!
Cinco coisas que você precisa saber sobre o som
Clique aqui e veja quais são as cinco coisas a respeito do som que você precisa saber. Será que você conhece tudo a respeito das ondas sonoras?
Intensidade, altura e timbre
Clique aqui para conhecer mais sobre intensidade, altura e timbre, as três qualidades fisiológicas das ondas sonoras.
Ondas sonoras
Clique aqui para para conhecer as principais características das ondas sonoras, tipo de onda mecânica que apresenta maior velocidade em meios sólidos.
Por que o som não se propaga no espaço?
Você sabe por que o som não se propaga no espaço? Clique aqui e entenda por que as ondas sonoras não se difundem no vácuo.
video icon
Professora ao lado do texto"Verbos dicendi".
Português
Verbos dicendi
Dizer, falar, gritar, responder são verbos dicendi, ou seja, palavras que apresentam a maneira pela qual uma pessoa se expressa. Assista a esta videoaula para aprender um pouco mais sobre essa classificação!