Whatsapp icon Whatsapp

10 maiores religiões do mundo

As 10 maiores religiões do mundo são o cristianismo, o islamismo, o hinduísmo, o budismo, o sikhismo, o judaísmo, o espiritismo, o bahaísmo, o xintoísmo e o zoroastrismo.
Imagem listando as 10 maiores religiões do mundo.
As 10 maiores religiões do mundo de acordo com o número de praticantes.

As 10 maiores religiões do mundo são as seguintes:

  1. Cristianismo:
    • Número de praticantes: cerca de 2,3 bilhões.
    • Países principais: Estados Unidos, Brasil, México, Rússia, Filipinas.
  2. Islamismo:
    • Número de praticantes: cerca de 1,9 bilhão.
    • Países principais: Indonésia, Paquistão, Índia, Bangladesh, Nigéria.
  3. Hinduísmo:
    • Número de praticantes: cerca de 1,2 bilhão.
    • Países principais: Índia, Nepal, Bangladesh, Indonésia, Paquistão.
  4. Budismo:
    • Número de praticantes: cerca de 520 milhões.
    • Países principais: China, Tailândia, Japão, Mianmar, Sri Lanka.
  5. Sikhismo:
    • Número de praticantes: cerca de 30 milhões.
    • Países principais: Índia, Reino Unido, Canadá, Estados Unidos, Austrália.
  6. Judaísmo:
    • Número de praticantes: cerca de 14 milhões.
    • Países principais: Israel, Estados Unidos, Canadá, França, Reino Unido.
  7. Espiritismo:
    • Número de praticantes: cerca de 13,8 milhões.
    • Países principais: Índia, Nepal, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido.
  8. Bahaísmo:
    • Número de praticantes: cerca de 7 milhões.
    • Países principais: Índia, Irã, Estados Unidos, Vietnã, Alemanha.
  9. Xintoísmo:
    • Número de praticantes: cerca de 4 milhões.
    • Países principais: Japão.
  10. Zoroastrismo:
    • Número de praticantes: cerca de 200 mil.
    • Países principais: Irã, Índia, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido.

As grandes religiões do mundo abrangem uma diversidade de crenças e práticas, cada uma com sua própria identidade. Cada uma dessas tradições contribui para a diversidade espiritual e cultural global, refletindo a riqueza da experiência humana.

Leia também: Afinal, o que é religião?

Resumo sobre as 10 maiores religiões do mundo

  • As 10 maiores religiões do mundo são o cristianismo, o islamismo, o hinduísmo, o budismo, o sikhismo, o judaísmo, o espiritismo, o bahaísmo, o xintoísmo e o zoroastrismo.
  • O cristianismo é uma religião abraâmica monoteísta que se baseia nos ensinamentos de Jesus Cristo, centrados na Bíblia, e tem diversas denominações, como catolicismo e protestantismo.
  • O islamismo é uma fé monoteísta fundada nos ensinamentos do profeta Maomé, conforme revelados no Alcorão, e os muçulmanos seguem os Cinco Pilares do Islã como base de sua prática religiosa.
  • O hinduísmo é uma tradição religiosa diversificada, sem um fundador específico, caracterizada por crenças em karma, dharma e moksha, e a adoração a diversas divindades, como Brahma, Vishnu e Shiva.
  • O budismo, originado dos ensinamentos de Siddhartha Gautama (Buda), propõe o Nobre Caminho Óctuplo para alcançar a iluminação e superar o sofrimento, destacando a compaixão e o desapego.
  • O sikhismo é uma religião monoteísta que surgiu na Índia, promovendo a igualdade, a honestidade e a devoção a um Deus único, e os sikhs seguem os ensinamentos dos gurus sikhs.
  • O judaísmo é uma fé abraâmica centrada nos ensinamentos da Torá, abrangendo a história do povo judeu e suas tradições culturais, éticas e religiosas.
  • O espiritismo, originado no século XIX, envolve a comunicação com espíritos, reencarnação e a busca pela evolução espiritual, sendo notável por médiuns e práticas de caridade.
  • Também chamado de Fé Bahá’í, o bahaísmo é uma religião monoteísta que enfatiza a unidade da humanidade, promovendo paz, justiça social e a revelação de mensageiros divinos, como Bahá’u’lláh.
  • O xintoísmo é a religião nativa do Japão, envolvendo a adoração de kami (espíritos) e rituais xintoístas que celebram a natureza e a ancestralidade.
  • O zoroastrismo, uma das mais antigas religiões monoteístas, foi fundado por Zaratustra, com ênfase no dualismo entre Ahura Mazda e Angra Mainyu.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quais são as 10 maiores religiões do mundo?

No mundo contemporâneo, as 10 religiões mais praticadas são o cristianismo, o islamismo, o hinduísmo, o budismo, o sikhismo, o judaísmo, o espiritismo, o bahaísmo, o xintoísmo e o zoroastrismo. A seguir, você conhecerá as características de cada uma dessas religiões.

1. Cristianismo

Quadro mostrando Jesus Cristo, a base do cristianismo, uma das 10 maiores religiões do mundo.
Quadro O sermão da montanha, de Carl Bloch, mostrando um dos diversos ensinamentos de Jesus Cristo.

O cristianismo é a maior religião do mundo, com cerca de 2,3 bilhões de praticantes, e fundamenta-se nas raízes históricas de Jesus Cristo e em eventos cruciais ocorridos há mais de dois mil anos. Surgido no Oriente Médio, esse fenômeno religioso é intrinsecamente ligado a uma matriz cultural e religiosa complexa. Os principais países praticantes são: Estados Unidos, Brasil, México, Rússia, Filipinas. Suas principais características são as seguintes:

  • A vida e os ensinamentos de Jesus Cristo: o cerne do cristianismo reside na vida e nos ensinamentos de Jesus Cristo, uma figura central que viveu na Judeia durante o século I. Reconhecido como o filho de Deus, Jesus propagou valores de amor, compaixão e o reino divino. Seu ministério, repleto de milagres e parábolas, culminou na crucificação e ressurreição, eventos fundamentais na teologia cristã que simbolizam a salvação e a vida eterna.
  • Expansão e consolidação: após a ascensão de Jesus, seus seguidores, os apóstolos, disseminaram suas mensagens. O Novo Testamento, uma compilação de escritos sobre a vida de Jesus e os ensinamentos apostólicos, forma a base da fé cristã. O Concílio de Niceia, em 325 d.C., foi crucial para estabelecer doutrinas fundamentais, como a divindade de Jesus e a Santíssima Trindade.
  • Princípios centrais do cristianismo: as crenças cristãs compartilham princípios centrais, incluindo a fé na Trindade, a salvação por meio de Jesus, sacramentos como batismo e comunhão, e a prática do amor ao próximo. A Bíblia, dividida entre o Antigo e o Novo Testamento, é reverenciada como a palavra de Deus.
  • Diversidade e denominações: a diversidade no cristianismo é evidente em tradições litúrgicas, práticas sacramentais e interpretações teológicas. Principais denominações (como catolicismo romano, ortodoxia oriental e protestantismo) apresentam variações significativas, subdividindo-se em diferentes correntes.
  • Lideranças e estruturas hierárquicas: líderes cristãos contemporâneos desempenham papéis cruciais em várias tradições. O papa, chefe da Igreja Católica, lidera globalmente, enquanto líderes ortodoxos, como o patriarca ecumênico, exercem influência nas tradições orientais. No protestantismo, líderes locais, pastores e figuras globais moldam as perspectivas da fé cristã.
  • Diversidade de líderes contemporâneos: o cristianismo moderno é caracterizado por uma rica diversidade de líderes influentes. O papa Francisco, com sua abordagem progressista, destaca-se na liderança católica. Nas tradições ortodoxas, vários patriarcas têm influência; enquanto, no protestantismo, pastores locais e figuras globais, como Billy Graham, moldam a visão no século XXI.
  • Globalização e mídias modernas: além das lideranças tradicionais, o cristianismo contemporâneo se destaca pela diversidade de pregadores, autores e teólogos que alcançam audiências globais por meio de mídias modernas, como a internet e as redes sociais. Esse fenômeno reflete a adaptação da fé cristã ao contexto globalizado e às mudanças tecnológicas.

Acesse também: Jesus Cristo — detalhes sobre a divindade central do cristianismo

2. Islamismo

A Caaba, na Arábia Saudita, é um local sagrado do islamismo, uma das 10 maiores religiões do mundo.
A Caaba, na Arábia Saudita, é um local sagrado do islamismo.[1]

O islamismo é uma das maiores religiões globais, com cerca de 1,9 bilhão de praticantes, e tem origens profundas que remontam ao século VII na Península Arábica, com a vida de Maomé, o mensageiro de Deus para os muçulmanos, sendo, portanto, uma religião monoteísta. A revelação divina por meio do Alcorão marcou o início de sua missão profética. Os principais países praticantes são: Indonésia, Paquistão, Índia, Bangladesh, Nigéria. Suas principais características são as seguintes:

  • Os Cinco Pilares do Islã: representam as crenças fundamentais do islamismo, que incluem a declaração de fé, a oração regular, a caridade, o jejum durante o Ramadã e a peregrinação a Meca. São um guia ético e espiritual, moldando a vida diária dos muçulmanos e promovendo a comunidade e igualdade.
  • Expansão e idade de ouro islâmica: após a morte de Maomé, o islamismo expandiu-se rapidamente, conquistando vastos territórios da Espanha até a Índia. O Império Islâmico floresceu cultural, científica e artisticamente durante a idade de ouro islâmica, contribuindo significativamente para a herança global.
  • Diversificação e seitas: ao longo dos séculos, o islamismo diversificou-se em várias correntes, com as seitas xiitas e sunitas sendo as principais. A divergência originou-se na disputa pela liderança após a morte de Maomé, resultando em diferentes tradições e interpretações.
  • Lideranças no mundo contemporâneo: no mundo muçulmano contemporâneo, as lideranças são diversas, incluindo chefes de Estado como Recep Tayyip Erdogan e o rei Salman bin Abdulaziz Al Saud. Líderes religiosos notáveis, como o Grand Imame de Al-Azhar, Ahmed el-Tayeb, e o aiatolá Ali Khamenei, exercem influência no mundo sunita e xiita respectivamente.
  • Organizações islâmicas globais: exemplos como a Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) e o Conselho Islâmico para Assuntos Jurídicos e Pesquisa desempenham papéis cruciais na promoção da unidade e cooperação entre nações muçulmanas.
  • Diversidade no islamismo: é crucial destacar a diversidade dentro do islamismo, abrangendo culturas, tradições e perspectivas distintas. A interpretação do islã varia entre as comunidades e indivíduos, resultando em uma riqueza de práticas e entendimentos dentro da fé.
  • Desafios contemporâneos: em tempos contemporâneos, o islamismo enfrenta desafios, incluindo questões geopolíticas, sociais e culturais. No entanto, sua influência global persiste, moldando a vida de bilhões de seguidores em todo o mundo e contribuindo para a riqueza da tapeçaria religiosa da humanidade.

Para saber mais detalhes sobre o islamismo, clique aqui.

3. Hinduísmo

Cidade de Varanasi, na Índia, o local mais sagrado para o hinduísmo, uma das 10 maiores religiões do mundo.
A cidade de Varanasi, na Índia, é o local mais sagrado para o hinduísmo.

O hinduísmo, uma das tradições religiosas mais antigas, floresceu ao longo de milênios na Índia e tem cerca de 1,2 bilhão de praticantes na atualidade. Diferentemente de religiões monoteístas, é uma tapeçaria complexa de crenças, rituais e filosofias que molda a espiritualidade na região. Os principais países praticantes são: Índia, Nepal, Bangladesh, Indonésia, Paquistão. Suas principais características são as seguintes:

  • Raízes nos Vedas: no cerne do hinduísmo estão os Vedas, textos sagrados que remontam de 1500 a.C. a 500 a.C. Esses escritos fundamentam a compreensão da natureza divina, rituais e deveres sociais, destacando a crença em Samsara e Karma.
    • Os Quatro Vedas: os Vedas são divididos em quatro coleções principais, cada uma com propósitos distintos. Rigveda, o mais antigo, é dedicado a hinos divinos, enquanto Samaveda se concentra em cânticos rituais. Yajurveda oferece fórmulas para sacerdotes, e Atharvaveda abrange hinos variados, incluindo aspectos da vida cotidiana.
    • Estrutura dos Vedas: cada Veda possui quatro partes principais: Samhitas (hinos), Brahmanas (rituais), Aranyakas (meditação) e Upanishads (diálogos filosóficos explorando a realidade última).
  • Reverência e autoridade: os Vedas são altamente reverenciados no hinduísmo, sendo considerados fonte autoritária da sabedoria espiritual. Desempenham papel crucial em rituais religiosos, estudos filosóficos e na compreensão da natureza do divino.
  • Politeísmo e panteão hindu: o hinduísmo tem um vasto panteão diversificado. Brahma, Vishnu e Shiva formam a tríade principal, responsável pela criação, preservação e destruição do Universo. O panteão personifica diferentes aspectos do divino.
  • Liderança e práticas espirituais: ao contrário de religiões com liderança centralizada, o hinduísmo possui uma liderança espiritual descentralizada. Gurus e swamis desempenham papéis significativos na orientação espiritual, enquanto organizações como o Conselho Mundial Hindu promovem e preservam valores hindus.
  • Influência contínua: o hinduísmo desempenha um papel vital na cultura indiana e além, influenciando arte, filosofia e ética. Sua natureza inclusiva e adaptável permite a evolução contínua, incorporando novas interpretações e práticas ao longo do tempo.

4. Budismo

Templo budista na China, local de prática religiosa do budismo, uma das 10 maiores religiões do mundo.
Templo budista na China.[2]

O budismo, uma tradição espiritual que teve origem na Índia, no século VI a.C., e que tem cerca de 520 milhões de praticantes na atualidade, encontra suas raízes nos ensinamentos de Siddhartha Gautama, também conhecido como Buda. Esse sábio príncipe, após uma jornada espiritual, alcançou a iluminação debaixo de uma árvore Bodhi, tornando-se o Buda histórico. Os principais países praticantes são: China, Tailândia, Japão, Mianmar, Sri Lanka. Suas principais características são as seguintes:

  • Princípios centrais do budismo: o budismo enfatiza a compreensão da natureza da existência e o caminho para a liberação do sofrimento. Suas crenças fundamentais incluem a impermanência (Anicca), o sofrimento (Dukkha) e a ausência do eu (Anatta). A filosofia budista é guiada pelas Quatro Nobres Verdades e pelo Nobre Caminho Óctuplo.
  • Práticas e textos sagrados: os adeptos do budismo buscam a iluminação por meio de práticas como meditação, reflexão e conduta ética. Seus textos sagrados incluem os Sutras, que contêm os discursos do Buda, e o Tripitaka, uma coleção de escrituras canônicas.
  • Natureza não teísta do budismo: o budismo é uma tradição não teísta, diferenciando-se pela ausência de adoração a um Deus criador; em vez disso, concentra-se na compreensão da mente e da realidade. A diversidade de práticas inclui desde o Theravada, centrado nos ensinamentos originais, até o Mahayana, que destaca a compaixão universal. O Vajrayana, uma tradição tântrica, é praticado principalmente no Tibete.
  • Importância dos monges: monges e monjas desempenham um papel crucial na propagação e preservação da tradição, seguindo os preceitos monásticos.
  • Líderes espirituais proeminentes: Dalai Lama, líder espiritual do budismo tibetano, é uma figura proeminente, enquanto monges respeitados, como Thich Nhat Hanh, influenciam a prática global. Suas lideranças desempenham um papel vital na disseminação dos ensinamentos budistas.
  • Influência global e impacto contemporâneo: atualmente, o budismo transcende fronteiras geográficas, exercendo influência sobre pessoas de diversas culturas em sua busca por compreensão, paz e iluminação. Suas práticas meditativas e ensinamentos sobre compaixão continuam a moldar vidas e contribuir para um mundo mais consciente. O budismo se destaca como uma filosofia que ressoa além das fronteiras culturais e geográficas, promovendo valores espirituais e éticos.

5. Sikhismo

Guru Granth Sahib, o livro sagrado do sikhismo, uma das 10 maiores religiões do mundo.
Guru Granth Sahib é o livro sagrado do sikhismo.[3]

O sikhismo, uma religião originada no século XV, na região do Punjab, Índia, e que tem cerca de 30 milhões de praticantes na atualidade, teve como fundador Guru Nanak Dev Ji. Sua missão era transcender as divisões religiosas da época, marcando o início de uma fé que perdura até hoje. Os principais países praticantes são: Índia, notadamente no estado do Punjab, Reino Unido, Canadá, Estados Unidos, Austrália. A dispersão geográfica reflete a diáspora sikh e a globalização dessa tradição religiosa. Suas principais características são as seguintes:

  • Princípios fundamentais e livro sagrado: o Guru Granth Sahib, o livro sagrado dos sikhs, compreende as escrituras reveladas por Guru Nanak e outros líderes espirituais que o sucederam, consolidando as bases do sikhismo.
  • Natureza monoteísta e Deus sem forma: o sikhismo é firmemente monoteísta, reconhecendo um Deus único e sem forma, referido como Waheguru. Essa compreensão de uma divindade transcendental é central para a fé sikh.
  • Código de conduta moral: Os Cinco Ks são um código de conduta moral e ética: kesh (cabelo não cortado), kara (pulseira de aço), kanga (pente de madeira), kaccha (calças curtas) e kirpan (espada). Esses elementos não apenas representam a identidade sikh como também orientam a vida cotidiana dos seguidores.
  • Compromisso com valores: a comunidade sikh destaca-se pelo seu compromisso com valores fundamentais, incluindo igualdade, justiça social e serviço à comunidade. Esses princípios moldam a maneira como os sikhs vivem suas vidas e interagem com o mundo ao seu redor.
  • Lideranças e orientação espiritual: as principais lideranças do sikhismo são os gurus, líderes espirituais que desempenham papéis centrais na comunidade. O Guru Granth Sahib serve como a principal orientação espiritual para os seguidores, consolidando os ensinamentos da fé.
  • A singularidade do sikhismo: o sikhismo é uma tradição única que valoriza a simplicidade, a devoção e a busca espiritual. Essa singularidade se reflete na maneira como os sikhs abordam a vida e procuram realizar sua fé no cotidiano.

O sikhismo, enraizado na história do Punjab e nos ensinamentos de Guru Nanak, representa uma tradição religiosa distintiva, destacando-se por seus princípios monoteístas, código de conduta moral e compromisso com valores fundamentais. A disseminação global da fé e a liderança espiritual contínua reforçam a relevância duradoura do sikhismo como uma tradição espiritual significativa.

     6. Judaísmo

Muro das Lamentações, em Israel, local sagrado para o judaísmo, uma das 10 maiores religiões do mundo
O Muro das Lamentações, em Israel, é um local sagrado para o judaísmo.

O judaísmo, uma das religiões mais antigas do mundo e que tem cerca de 14 milhões de praticantes na atualidade, tem uma rica história que remonta a milênios. Suas origens são profundamente entrelaçadas com a narrativa do povo judeu, começando com os relatos bíblicos, que datam de tempos antigos. O judaísmo é caracterizado por uma forte ênfase na relação entre Deus e o povo escolhido, bem como na observância das leis e tradições religiosas. Os principais países praticantes são: Israel, o epicentro da vida judaica, Estados Unidos, Canadá, França, Reino Unido. Suas principais características são as seguintes:

  • Origens: o judaísmo surgiu há mais de 5700 anos, conforme narrado na história do Antigo Testamento da Bíblia, especificamente pelos patriarcas Abraão, Isaac e Jacó, os fundadores do povo judeu. O êxodo do Egito liderado por Moisés foi outro evento crucial, marcando a libertação dos israelitas da escravidão e estabelecendo a aliança entre Deus e seu povo no Monte Sinai.
  • Crenças: a crença central do judaísmo é a adoração de um Deus único e transcendente. Esse Deus é descrito como o criador do Universo e aquele que estabeleceu uma aliança especial com os judeus. A Torá, composta pelos Cinco Livros de Moisés, é a fonte principal das leis e ensinamentos judaicos, delineando a ética, rituais e mandamentos que guiam a vida dos seguidores.
  • Livros e escritos sagrados: os textos sagrados do judaísmo incluem a Torá, que consiste nos livros de Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Além disso, há os Profetas (Nevi’im) e os Escritos (Ketuvim), que juntos formam a Tanakh, a Bíblia hebraica. Para os judeus, o Talmude, uma compilação de ensinamentos rabínicos, também desempenha um papel crucial na interpretação e aplicação das leis da Torá.
  • Orientação monoteísta: o judaísmo é uma religião estritamente monoteísta, acreditando em um único Deus, incorpóreo e incriado, que está além da compreensão humana. A ideia da Trindade, presente em algumas religiões derivadas do judaísmo, como o cristianismo, é estranha à crença judaica. A relação íntima entre Deus e seu povo é enfatizada nas práticas diárias e nas festividades judaicas. O judaísmo foi a primeira religião monoteísta da história.
  • Principais lideranças atuais: o judaísmo não tem uma liderança centralizada como algumas outras religiões. A autoridade é descentralizada, com rabinos desempenhando um papel vital nas comunidades locais. Dentre as diversas correntes judaicas, destacam-se o judaísmo ortodoxo, o conservador e o reformista, cada um com suas próprias interpretações e práticas. As principais lideranças contemporâneas incluem rabinos proeminentes, estudiosos e líderes comunitários. O Estado de Israel também tem figuras políticas que desempenham papéis influentes na interseção entre política e religião.

Acesse também: Jerusalém — história do local sagrado para o cristianismo, para o islamismo e para o judaísmo

7. Espiritismo

Ilustração de Allan Kardec, o precursor do espiritismo.
Allan Kardec é o precursor do espiritismo.

O espiritismo é uma doutrina filosófica e religiosa do século XIX que tem como precursor Allan Kardec, educador e escritor francês, e que tem cerca de 13,8 milhões de praticantes na atualidade. Sua formação ocorreu em um contexto histórico marcado por questionamentos sobre a relação entre ciência e espiritualidade, refletindo os avanços científicos da época. Os principais países praticantes são: Índia, Nepal, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido. Suas principais características são as seguintes:

  • Principais escritos: Allan Kardec estabeleceu as bases do espiritismo por meio de obras fundamentais, sendo O Livro dos Espíritos a mais notável. Publicada em 1857, a obra compilou perguntas e respostas obtidas por meio de comunicações mediúnicas, delineando os princípios essenciais da doutrina. Outros escritos sagrados incluem O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno, e A Gênese.
  • Crenças fundamentais: o espiritismo fundamenta-se na crença da existência de um mundo espiritual habitado por seres desencarnados. Destaca a reencarnação como processo de evolução espiritual e a lei de causa e efeito, promovendo a responsabilidade individual diante das ações.
  • Aspectos teológicos: a doutrina espírita é monoteísta, reconhecendo um Deus supremo que se manifesta por meio de leis naturais e da consciência humana. Diferentemente de rituais complexos, com templos suntuosos e clero formal, as reuniões espíritas são centradas na leitura das obras fundamentais, na prática da mediunidade e na reflexão ética.
  • Disseminação global: embora tenha surgido na França, o espiritismo expandiu-se globalmente. Brasil, Argentina e México são países onde a doutrina ganhou expressiva adesão, refletindo a abertura à pluralidade de crenças e a ênfase na busca individual pela compreensão espiritual. Comunidades espíritas também são encontradas em diversos países europeus e nas Américas.
  • Liderança e organização: não há uma liderança centralizada no espiritismo, valorizando-se a autonomia individual na busca espiritual. Entretanto, federativas e organizações espíritas, como a Federação Espírita Brasileira (FEB), desempenham papéis importantes na promoção, organização e divulgação dos princípios espíritas.

O espiritismo, ao conciliar ciência, filosofia e religião, oferece uma visão singular sobre a natureza da vida, da morte e do propósito humano. Seus fundamentos, disseminados por Allan Kardec, refletem uma abordagem monoteísta, destacando-se pela ênfase na moralidade, na reencarnação e na comunicação com o mundo espiritual. Sua influência transcende fronteiras, consolidando-se como uma das correntes espirituais mais difundidas globalmente.

     8. Bahaísmo

Capa do Kitáb-i-Aqdas, o principal texto sagrado do bahaísmo, uma das 10 maiores religiões do mundo.
Kitáb-i-Aqdas, de Bahá’u’lláh, é o principal texto sagrado do bahaísmo.[4]

Também chamado de Fé Bahá’í, o bahaísmo é uma religião monoteísta que nasceu no século XIX no Irã, tem cerca de 7 milhões de praticantes na atualidade, e foi fundada por Bahá’u’lláh, que significa “Glória de Deus”. Essa fé proclama a unidade da humanidade e a igualdade de todas as religiões. Seus princípios incluem a busca da verdade, a promoção da justiça e a eliminação de preconceitos. A Fé Bahá’í acredita em líderes espirituais sucessivos, conhecidos como manifestações de Deus, incluindo Moisés, Jesus Cristo, Maomé e outros.

Com uma orientação monoteísta, os praticantes da Fé Bahá’í acreditam na unidade de Deus e na fraternidade universal. Embora tenha adeptos em todo o mundo, concentra-se especialmente em países como Índia, Irã, Estados Unidos, Vietnã e Alemanha. A Fé Bahá’í continua a promover a paz, a unidade e a justiça em um contexto global diversificado. Veja, a seguir, alguns dos seus principais aspectos:

  • História: a Fé Bahá’í, originada no século XIX, no Irã, teve Baha’u’llah como seu fundador, que proclamou sua missão em 1863. Sua mensagem de unidade e justiça enfrentou perseguições de autoridades religiosas e políticas, moldando a história da religião.
  • Doutrinas e crenças: as crenças bahá’ís enfatizam a unidade de todas as religiões e a igualdade entre as pessoas. A busca da unidade espiritual da humanidade é a essência de sua doutrina. Valores como educação, justiça social e promoção da paz mundial são fundamentais para os bahá’ís.
  • Escritos sagrados: seus escritos sagrados incluem as obras de Bahá’u’lláh, como o Kitáb-i-Aqdas e o Livro da Certeza. O primeiro é o principal texto sagrado e oferece leis e ensinamentos fundamentais. Além disso, os bahá’ís consideram as escrituras de profetas anteriores, como Moisés, Jesus e Maomé, reconhecendo uma continuidade espiritual.
  • Liderança e administração: a comunidade Bahá’í não tem sacerdotes, mas é administrada por instituições eleitas, sendo a Casa Universal de Justiça o órgão supremo. As principais lideranças atuais incluem a própria Casa enquanto órgão internacional eleito a cada cinco anos, e os auxiliares administrativos, designados para diversas regiões. A participação ativa dos membros na promoção dos princípios bahá’ís é enfatizada, refletindo uma abordagem democrática.
  • Práticas e rituais: os bahá’ís incorporam práticas diárias de oração, seguem leis morais e éticas e celebram dias sagrados, como Ridván, que marca a proclamação de Baha’u’llah. A religião valoriza a unidade na diversidade, promovendo uma visão global de coexistência pacífica.

9. Xintoísmo

Kirishima Jingu, um dos santuários mais antigos do xintoísmo, uma das 10 maiores religiões do mundo.
Kirishima Jingu é um dos santuários xintoístas mais antigos do Japão.

O xintoísmo é uma antiga tradição espiritual japonesa, com cerca de 4 milhões de praticantes na atualidade, que tem raízes profundas na história e na cultura do país. Suas origens remontam a tempos pré-históricos, conectando-se às crenças indígenas do arquipélago japonês. Embora não tenha uma fundação formal ou um fundador específico, o xintoísmo floresceu organicamente ao longo dos séculos, incorporando elementos do folclore, da mitologia e de rituais locais.

O xintoísmo é essencialmente politeísta, venerando uma multiplicidade de kami, entidades espirituais que podem ser deidades naturais, ancestrais ou até mesmos objetos. Não se trata de uma fé exclusiva, e muitos japoneses praticam o xintoísmo em conjunto com o budismo.

O Japão é o principal país onde o xintoísmo é praticado, com seus santuários desempenhando um papel vital na vida espiritual e cultural da nação. Atualmente, o xintoísmo continua a ser uma parte integrante da identidade japonesa, coexistindo harmoniosamente com outras práticas religiosas no país. Veja, a seguir, alguns dos seus principais aspectos:

  • História: o xintoísmo, originário do Japão, remonta a tempos antigos, influenciando as práticas culturais e espirituais. Não possui um fundador específico e evoluiu ao longo dos séculos, incorporando tradições e a mitologia japonesa.
  • Doutrinas e crenças: as crenças xintoístas giram em torno da adoração dos kami, entidades espirituais que podem ser divindades espirituais que habitam os elementos da natureza, como árvores, montanhas e rios, ancestrais ou até mesmo objetos. A pureza ritual, a reverência à natureza e a ênfase na harmonia são fundamentais para a doutrina xintoísta. Os santuários xintoístas são locais sagrados onde os devotos buscam a proximidade espiritual com os kami por meio de rituais, orações e festivais.
  • Livro sagrado: diferentemente de muitas religiões organizadas, o xintoísmo não possui um corpo doutrinário extenso ou escrituras sagradas definidas. Em vez disso, suas práticas são transmitidas oralmente e por meio de rituais. No entanto, textos como o Kojiki e o Nihon Shoki, conhecidos como Crônicas do Japão, oferecem relatos mitológicos e históricos que contribuem para a compreensão das origens e da cosmovisão xintoísta.
  • Líderes e sacerdotes: o xintoísmo não possui uma estrutura clerical hierárquica. Sacerdotes, conhecidos como kannushi, desempenham papéis cruciais nos santuários, conduzindo cerimônias e orientando os fiéis, mas não têm autoridade centralizada. O imperador do Japão é tradicionalmente considerado um símbolo religioso.
  • Práticas e rituais: os rituais xintoístas incluem purificação, oferendas e festivais sazonais, como o Hatsumode, que celebra o Ano-Novo. O respeito pelos antepassados e a manutenção de santuários xintoístas, chamados jinja, são aspectos cruciais da prática religiosa.

10. Zoroastrismo

Faravarhar, o símbolo da alma humana no zoroastrismo, uma das 10 maiores religiões do mundo.
Faravarhar é o símbolo da alma humana no zoroastrismo.[5]

O zoroastrismo é uma das mais antigas religiões conhecidas, com cerca de 200 mil praticantes na atualidade, e tem raízes que remontam ao profeta Zaratustra, também conhecido como Zoroastro, que viveu por volta do século VI a.C. Seu nascimento é situado na antiga Pérsia, atual Irã. Zaratustra é considerado o fundador dessa fé, tendo recebido revelações divinas que formaram a base das crenças zoroastrianas.

O zoroastrismo é uma religião monoteísta com um foco intenso na adoração do único Deus supremo, Ahura Mazda. Os rituais zoroastrianos envolvem cerimônias de purificação e veneração, muitas vezes realizadas em templos de fogo.

Historicamente, o zoroastrismo era amplamente praticado no Império Persa, mas, ao longo dos séculos, a comunidade zoroastriana diminuiu significativamente. Atualmente, a prática do zoroastrismo é uma realidade para uma comunidade relativamente pequena, mas dedicada, concentrando-se principalmente no Irã e na Índia, com diásporas em várias partes do mundo, como Estados Unidos, Canadá e Reino Unido.

Apesar dos desafios enfrentados pela comunidade zoroastriana ao longo da história, ela continua a manter suas tradições e seus valores, adaptando-se às mudanças contemporâneas enquanto preserva a rica herança de Zaratustra. Veja, a seguir, alguns dos seus principais aspectos:

  • História: o zoroastrismo é uma das religiões mais antigas do mundo, fundado por Zaratustra (ou Zoroastro) no século VI a.C., na antiga Pérsia. Sua filosofia ética e dualística influenciou diversas tradições religiosas subsequentes.
    • Influência histórica: o zoroastrismo desempenhou um papel significativo na formação das tradições religiosas posteriores, como o judaísmo, cristianismo e islamismo, contribuindo para o desenvolvimento de ideias sobre o dualismo e a escatologia.
  • Doutrinas e crenças: a centralidade no dualismo entre Ahura Mazda (Deus supremo associado à sabedoria e à bondade) e Angra Mainyu (espírito destruidor) é uma característica marcante. A ênfase na escolha entre o bem e o mal, a prática da boa conduta e o papel do fogo como símbolo sagrado são pilares fundamentais.
  • Livros sagrados: os textos sagrados zoroastristas são conhecidos como Avesta. O Yasna, parte principal do Avesta, contém os Gathas, hinos atribuídos a Zaratustra. Esses textos oferecem orientações éticas e rituais para os seguidores.
  • Líderes e sacerdotes: chamados mobed, desempenham papéis importantes nas cerimônias religiosas. Não há uma hierarquia clerical global, e os líderes comunitários desempenham um papel crucial na administração local.
  • Comunidade e práticas: a comunidade zoroastrista é conhecida por valores como verdade, boa conduta e caridade. Práticas religiosas incluem a adoração regular nos templos, conhecidos como Atash Behrams, e o ritual do fogo, simbolizando a presença divina.
  • Templos e locais de adoração: o zoroastrismo é notável por sua veneração ao fogo como símbolo de pureza e divindade. Os templos de fogo são locais sagrados onde o fogo é mantido continuamente aceso.
  • Rituais e práticas religiosas:
    • Cerimônias de purificação: os zoroastrianos praticam rituais de purificação, como o Jashan, uma cerimônia de celebração que envolve orações e oferendas.
    • Adoração diária: a oração e a adoração diárias são fundamentais, com muitos zoroastrianos recitando as Gathas ou outras preces sagradas.
    • Festivais religiosos: celebrações como Nowruz são marcadas por festividades, orações e reuniões familiares.
  • Ética e valores:
    • Ética zoroastriana: desempenha um papel crucial na vida zoroastriana, enfatizando princípios como a verdade, a justiça e a benevolência.
    • Vida familiar: a preservação da identidade cultural e religiosa, muitas vezes, é fortemente vinculada à vida familiar, com a transmissão de tradições de geração em geração.
  • Desafios e mudanças:
    • Diáspora zoroastriana: ao longo dos anos, comunidades zoroastrianas passaram a existir em países como Canadá, Estados Unidos, Reino Unido e Austrália.
    • Desafios demográficos: a comunidade zoroastriana tem um número relativamente pequeno de praticantes em comparação com outras religiões.
  • Atividades filantrópicas e sociais: alguns zoroastrianos estão envolvidos em iniciativas filantrópicas e sociais, contribuindo para a comunidade em larga escala.
  • Liderança e organização: apesar da ausência de uma hierarquia sacerdotal estruturada, líderes comunitários desempenham papéis essenciais na organização e manutenção das práticas religiosas.

Embora o zoroastrismo seja uma religião antiga, sua prática continua a evoluir, adaptando-se aos desafios modernos enquanto busca preservar as tradições e valores fundamentais transmitidos ao longo dos milênios.

Créditos de imagem

[1]Adli Wahid / Wikimedia Commons (reprodução)

[2]Zhangzhugang / Wikimedia Commons (reprodução)

[3]Sumit Sarasvat / Shutterstock

[4]Caspiax / Wikimedia Commons (reprodução)

[5]Furfur / Wikimedia Commons (reprodução)

Fontes

ALEXANDER, Bruno. O Livro das Religiões. Rio de Janeiro: Globo Livros, 2016.

BEKHRAD, Joobin. A obscura religião antiga que influencia o mundo até hoje. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/articles/cjeg123w0q2o.

MIRANDA, Marcos Luiz Cavalcanti; CABAN, Fernanda de Moura.  Proposta de expansão da classe espiritismo na classificação decimal de dewey. Disponível em: https://revista.ibict.br/fiinf/article/view/5413/5007.

VILAVERDE, Carolina. As 8 maiores religiões do mundo. Disponível em: https://super.abril.com.br/coluna/superlistas/as-8-maiores-religioes-do-mundo.

Publicado por Tiago Soares Campos

Artigos Relacionados

As Empresas Globais
As Empresas Globais, O que são as Empresas Globais, Qual a origem da maioria das Empresas Globais, Como atuam as Empresas Globais, Quando surgiu as Empresas Globais, Quais são os interesses das Empresas Globais.
Cidades Mundiais
Cidades Mundiais, O que são Cidades Mundiais, Onde estão localizadas as Cidades Mundiais, Quais as características das Cidades Mundiais, Quais as funções das Cidades Mundiais.
Cristianismo Primitivo
Cristianismo, Cristianismo Primitivo, Idade Antiga, Jesus, Judaísmo, universalismo, escravismo, crise do império romano, profetas cristãos, discípulos cristãos, oficialização do cristianismo, criação da Igreja.
Dalai Lama
Clique no link para saber quem é o atual Dalai Lama e entender o que esse título representa para o budismo no Tibete. Veja como é escolhido um Dalai Lama.
Espaço urbano brasileiro
Conheça as principais características do espaço urbano brasileiro, marcado pela desigualdade em termos populacionais, econômicos e estruturais.
História de Jerusalém
Acesse este texto e conheça informações a respeito da história de Jerusalém, cidade que é considerada sagrada por três grandes religiões: cristianismo, judaísmo e islamismo. Entenda parte da trajetória histórica dessa cidade, desde sua origem, em Canaã, até os dias de hoje.
Islamismo
Clique e acesse para saber mais sobre o islamismo, a segunda maior religião do planeta. Conheça a origem e os princípios que regem essa religião.
Jesus Cristo
Saiba mais sobre a biografia de Jesus Cristo, figura central do cristianismo. Saiba o que a História diz sobre a sua existência.
Maomé
Acesse o texto para conhecer detalhes da vida de Maomé, também conhecido como Muhammad. Entenda suas origens e como ele se tornou profeta do islamismo.
O que é religião?
Neste texto trazemos uma análise acerca do que deve ou não ser considerado ao definirmos o que é uma religião. Saiba mais!
Umbanda
Clique aqui para saber o que é umbanda, qual a origem e as principais crenças dessa religião. Conheça alguns dos orixás da umbanda e seus significados.
video icon
Escrito"Educação e Cultura" sobre a imagem de um quadro-negro e livros.
Filosofia
Educação e Cultura
O que é educação? O que é cultura? Qual é a relação entre educação e cultura? Como a filosofia pensa a educação e a cultura? Assista a este vídeo e entenda!