Whatsapp icon Whatsapp

Estado Novo e a marcha para o oeste

Getúlio Vargas desenvolveu durante a ditadura do Estado Novo um projeto (a marcha para o oeste) com o objetivo de promover a integração econômica do interior brasileiro.
A marcha para o oeste foi idealizada pelo ditador Getúlio Vargas *
A marcha para o oeste foi idealizada pelo ditador Getúlio Vargas *

A Marcha para o Oeste foi um projeto criado durante a ditadura varguista do Estado Novo com o objetivo de promover a integração econômica e incentivar a povoação de vastas áreas no Centro-Oeste e Norte brasileiros, que eram pouco povoadas e estavam à margem na economia brasileira. Esse projeto contou com o auxílio do poeta Cassiano Ricardo e levou à criação de colônias de habitação em alguns estados do Brasil, além de incentivar a criação de estradas para interligar essas regiões com o litoral brasileiro.

Marcha para o Oeste como propaganda nacionalista

Desde novembro de 1937, Vargas havia instaurado a ditadura do Estado Novo, na qual ocorreu a concentração do poder brasileiro apenas em Getúlio Vargas. O Estado Novo estipulava a censura da opinião pública e a manipulação das informações por meio do jornal veiculado pelo governo. Essa função foi encarregada ao Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP).

Além disso, Vargas utilizou-se do Estado Novo para promover um intenso projeto de industrialização e desenvolvimento econômico do Brasil sob um discurso nacionalista. A marcha para o oeste estava inserida nesse projeto de desenvolvimento econômico e buscava fomentar o desenvolvimento das regiões pouco povoadas do interior do Brasil. A propaganda varguista afirmava ser fundamental:

a incorporação de novas áreas semi despovoadas visando a construção de uma grande nação; uma nação não contaminada com os “vícios do litoral”; uma nação pautada na “originalidade da nossa conformação racial” formada no interior do país nos tempos coloniais|1|.

A função de promover a propaganda da marcha para o oeste foi atribuída a Cassiano Ricardo, poeta que trabalhava como censor no Estado Novo, era o diretor responsável pelo Jornal A Manhã e era chefe do Departamento Político Cultural da Rádio Nacional. Além disso, Cassiano Ricardo produziu um livro chamado “Marcha para o Oeste: a influência da bandeira na formação social e política do Brasil”, que fazia a defesa do projeto do governo ditatorial de Getúlio Vargas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O livro de Cassiano Ricardo também possuía um forte caráter nacionalista, que, assim como Vargas, demonstrava preocupação com a defesa dos interesses internos a partir da exploração dos recursos nacionais e combatia ideologias que o governo varguista perseguia, como o comunismo.

Características da Marcha para o Oeste

A marcha para o oeste possuía as seguintes propostas:

  • integração do interior brasileiro a fim de promover o desenvolvimento nacional;

  • estabelecer uma espécie de reforma agrária ao proporcionar o desenvolvimento de pequenos núcleos agrícolas, que enfraqueceriam os latifúndios existentes no interior do Brasil;

  • dar incentivos econômicos ao Norte e Centro-Oeste do Brasil para desenvolver as economias dessas regiões, principalmente a partir do crescimento da produção agrícola;

  • promover o desenvolvimento populacional das regiões a partir do deslocamento de brasileiros pobres. O governo varguista não via com bons olhos o desenvolvimento da marcha para o oeste a partir de mão de obra estrangeira;

  • integração dos grupos indígenas com a economia brasileira;

  • desenvolvimento da malha rodoviária para integrar o interior do Brasil, principalmente no estado de Goiás, que estava localizado em uma posição mais central.

A marcha para o oeste atingiu seu objetivo em relação ao desenvolvimento populacional das regiões que foram promovidas. Além disso, registrou o crescimento da malha rodoviária existente e gerou crescimento econômico nos estados das regiões Norte e Centro-Oeste. Entretanto, o governo não conseguiu desarticular os grandes latifúndios conforme desejava. Além disso, a falta de incentivo do governo fez com que os colonos vivessem em condições muito precárias nas regiões onde foram desenvolvidas as colônias.

|1| CASSIANO, Luiz de Carcalho. Marcha para o Oeste: um itinerário para o Estado Novo (1937-1945). 2002. Dissertação (Mestrado em História). Universidade de Brasília, 2002, p.69.

*Crédito da imagem: Commons

Publicado por Daniel Neves Silva
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Dalva de Oliveira e Oscarito: proeminentes artistas da música e do cinema brasileiro na época.
Cultura no Estado Novo
O cenário artístico em um período marcado pela repressão varguista.
A intervenção do governo na economia foi um dos grandes marcos do Estado Novo.
Era Vargas - Estado Novo (1937 - 1945)
A ditadura empreendida pelo presidente Getúlio Vargas.
Militares e outras lideranças políticas foram acionadas para a deflagração do Estado Novo.
O golpe do Estado Novo
As articulações e medidas que empreenderam a ditadura varguista.
Filinto Müller, primeiro da esquerda para direita, foi o chefe de polícia de Vargas
Tortura no Estado Novo
Saiba como e por que ocorria a tortura no Estado Novo e que participação teve o militar e político Filinto Müller nesse processo.
video icon
Português
Pré-Enem | Vocabulário da proposta de intervenção
O Pré-Enem é o intensivo preparatório do Brasil Escola para o Enem. Nele nós separamos os principais temas que devem ser estudados a menos de três meses do exame. Nesta transmissão você assistirá à aula sobre o vocabulário da proposta de intervenção como elemento para fazer boas conclusões com o professor Guga Valente!

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas.