Funding loan

No começo do governo republicano, a economia brasileira foi alvo de um violento processo inflacionário gerado pelo Encilhamento. Ainda sob o comando do Marechal Deodoro da Fonseca, o governo facilitou o acesso ao crédito e permitiu que os bancos produzissem papel-moeda. Dessa forma, vários especuladores buscaram o uso desses recursos financeiros disponíveis sem oferecer uma garantia de retorno aos bancos credores.

A emissão facilitada de crédito e a falta de investimentos causaram uma enorme crise marcada pelo disparo dos índices inflacionários e a elevação do custo de vida. Dessa forma, o país viveu uma grave recessão e não tinha recursos suficientes para investir nos setores mais significativos da economia nacional. Os efeitos dessa grave crise econômica foram sentidos de maneira diversa pela população. Nesse quadro, o presidente Campos Salles recebeu uma proposta de “funding loan” dos bancos londrinos.

Essa alternativa econômica já era experimentada na Argentina, que remanejou a sua dívida externa por meio de um funding loan no valor de quinze milhões de libras, com juros de 6%. Em troca, os argentinos ofereceram como garantia o repasse de todo o lucro gerado pelos impostos alfandegários e serviços ferroviários. Além disso, o país se comprometia a não contrair outros compromissos financeiros e realizar um projeto de saneamento das finanças.

No caso brasileiro, o nosso funding loan seria de dez milhões de libras e seria bancado pelo repasse das divisas geradas pelo serviço de abastecimento de água da cidade do Rio de Janeiro, da Estrada de Ferro Central do Brasil e todos os impostos recolhidos na alfândega brasileira. Paralelamente, o governo brasileiro deveria se comprometer a combater a inflação e retirar a grande quantidade de papel-moeda que sustentava a desvalorização da moeda nacional.

O pagamento das dívidas só aconteceria após o cumprimento de um prazo de folga inicial. Por três anos o Brasil usufruiria dos recursos sem ter que pagar nenhuma parte da dívida contraída. A partir do terceiro ano, o país começava a pagar os valores referentes somente aos juros da dívida. Dez anos depois, esperando uma recuperação da economia, o governo brasileiro começaria a pagar as parcelas que representavam o pagamento do empréstimo.

Apesar de ser uma alternativa viável, o funding loan contraído em 1898 foi mais uma vez utilizado pelo governo brasileiro nos anos de 1914 e 1931. Dessa forma, observamos que, mesmo com o visível processo de dinamização e crescimento do mercado, a busca por outros empréstimos se repetiu. Ao invés de funcionar como uma oportunidade de ajuste fiscal e financeiro, o funding loan acabava somente deixando para depois a resolução dos urgentes problemas que afligiam a economia nacional.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Rainer Sousa
Mestre em História

O Funding loan serviu como medida paliativa aos problemas da economia nacional.
O Funding loan serviu como medida paliativa aos problemas da economia nacional.
Publicado por: Rainer Gonçalves Sousa
Assuntos relacionados
O governo de Hermes da Fonseca marcou a crise das oligarquias.
Governo Hermes da Fonseca
República Oligárquica, regime oligárquico, República Velha, Hermes da Fonseca, hermistas, Rui Barbosa, Campanha Civilista, política de salvações, Revolução Cearense de 1914.
Fotografia com uma parte dos integrantes da Coluna Prestes.
Tenentismo
República Oligárquica, Movimentos Militares, Movimento Tenentista, Tenentismo, Arthur Bernardes, Clube Militar, Rebelião do Forte de Copacabana, Os Dezoito do Forte, Isidoro Dias Lopes, Luis Carlos Prestes, Coluna Prestes.
O governo de Epitácio Pessoa enfrentou diversas insurreições contrárias aos ditames da ordem oligárquica.
Governo Epitácio Pessoa
As revoltas e movimentos de um governo que sinalizou a crise das oligarquias.
Coronel: o grande proprietário que tinha uma população subordinada a seus interesses políticos.
Coronelismo
A manifestação do autoritarismo nas primeiras décadas da República.
Imitar a Europa ou valorizar o Brasil? – um dos grandes dilemas que marcaram a Semana de Arte Moderna de 1922.
Semana de Arte Moderna de 1922
O movimento que “revirou” os padrões estéticos e intelectuais do Brasil.
A obrigatoriedade da vacinação contra a varíola provocou a Revolta da Vacina, no Rio de Janeiro, no ano de 1904. À esquerda, o médico e sanitarista Os
Revolta da Vacina
Saiba mais sobre a Revolta da Vacina na cidade do Rio de Janeiro, no ano de 1904, a campanha de Oswaldo Cruz, a obrigatoriedade da vacinação e a insatisfação popular.
Ricardo Kirk, patrono da aviação brasileira. Na Guerra do Contestado, pela primeira vez no Brasil, foram utilizados aviões em combate
Guerra do Contestado e messianismo
Conheça a Guerra do Contestado, um dos movimentos sociais messiânicos do início do século XX no Brasil.