Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. História Geral
  3. Idade Média
  4. Expansão Islâmica

Expansão Islâmica

O processo de expansão islâmica tornou-se intenso com os sucessores de Maomé, isto é, os califas, a partir de 634, quando o profeta faleceu.

A civilização islâmica floresceu no século VII d.C., na Península Arábica, e expandiu-se, inicialmente, por toda a região do Oriente Médio e, em seguida, em direção ao norte da África, ao sul da Europa e ao centro do Império Bizantino, na Anatólia (atual Turquia). Esse processo inicial da expansão islâmica, entretanto, só se tornou possível com a unidade e a disciplina proporcionadas pela doutrina elaborada pelo profeta Maomé. Com a morte de Maomé em 634, seus sucessores ficaram encarregados de continuar a propagação da fé islâmica. Foi nesse contexto que apareceram as dinastias Omíadas e Abássidas.

O título para “sucessor do profeta” era khalifat rasul Allah, literalmente “sucessor do profeta de Deus”. O khalifat (Califa), portanto, estava investido da legitimidade política e religiosa para governar o povo muçulmano. Os primeiros quatro califas foram Abu-Béquer, Omar, Otman e Ali. No início do processo de sucessão dos califas, sobretudo com Abu-Béquer e Omar, houve uma nítida aceitação da autoridade deles pelas tribos árabes – sobretudo pelo reconhecimento da força militar e da capacidade de domínio.

Contudo, com o assassinato de Omar por um escravo em 644, quem ascendeu ao poder foi Otman, da família Omíada, uma das mais poderosas de Meca. Todavia, nem todos reconheceram a legitimidade de Otman. Várias tribos de beduínos e muitos habitantes de Medina passaram a opor-se a Otman, que acabou sendo assassinado em 656. Ali, primo de Maomé e sucessor de Otman como califa, acabou sendo acusado de envolvimento no crime.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A tensão entre omíadas e os partidários de Ali, bem como entre esses últimos e os kharidjitas, provocou a primeira grande guerra civil entre muçulmanos. Ali foi então derrubado pelos omíadas e kharidjitas, que buscavam a vingança de Otman. Como relatou o historiado Robert Mantran:

“Enquanto Ali se voltava contra os kharidjitas, que ele exterminou de forma sangrenta em Nahrawan, à beira do Tigre, Moawiya vencia o governador do Egito nomeado por Ali, confiava a província a Amr e atacava o Iraque controlando o Hedjaz. Em maio de 660, era solenemente proclamado califa por seus fiés, em Jerusalém. Ali, vendo seu domínio diminuir gradativamente, preparava-se talvez para lançar um ataque desesperado à Síria, quando, em janeiro de 661, foi assassinado em Kufa por um jovem Kharidjita, que vingava de uma só vez o massacre de Nahrawan e o assassínio de Otman.” (MANTRAN, Robert. Expansão Muçulmana (Séculos VII-XI). Pioneira Editora. São Paulo, 1977. p. 94)

Foi essa disputa que deu origem às divergências entre sunitas e xiitas. Os xiitas (ligados aos laços de sangue de Maomé) passaram a considerar, por exemplo, o califa Ali o primeiro imã, isto é, aquele que veio para salvar os fiéis das eventuais falhas dos muçulmanos.

Mesquita Umayyad, ou a “Grande Mesquita”, construída pelos Omíadas
Mesquita Umayyad, ou a “Grande Mesquita”, construída pelos Omíadas
Publicado por: Cláudio Fernandes
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios

Questão 1

(Puccamp) Para compreender a unificação religiosa e política por Maomé, é necessário conhecer:

a) a atuação das seitas religiosas sunita e xiita, que contribuíram para a consolidação do Estado teocrático islâmico.

b) os princípios legitimistas obedecidos pela tribo coraixita, da qual fazia parte.

c) os fundamentos do sincretismo religioso que marcou a doutrina islâmica.

d) as particularidades da vida dos árabes nos séculos anteriores ao surgimento do islamismo.

e) a atuação da dinastia dos Omíadas que, misturando-se com os habitantes da região do Maghreb, converteram-se à religião muçulmana e passaram a ser chamados de mouros.

Questão 2

(FGV) Para explicar a rápida expansão muçulmana, ou do Islã, há vários fatores. Qual dos tópicos a seguir não é explicativo disso:

a) o crescimento demográfico da população árabe, que pressionava o povo a procurar terras favoráveis à agricultura;

b) à fraqueza defensiva do Ocidente, devida à política de paz e tolerância da Igreja Católica;

c) o império Bizantino e o Império Persa guerrearam durante séculos, enfraquecendo-se mutuamente;

d) no Ocidente a expansão árabe soube aproveitar as fraquezas dos Estados bárbaros descentralizados, que sucederam o Império Romano;

e) o estímulo muçulmano à Guerra Santa (Jihad), coordenado pelos califas, em nome da expansão da fé islâmica.

Mais Questões
Assuntos relacionados
Entre as ramificações do islamismo, encontra-se a ala radical do wahhabismo
Wahhabismo
Conheça a origem do wahhabismo e sua conexão com a formação da Arábia Saudita e o fundamentalismo islâmico.
A Batalha de Poitiers ocorreu em 732
Batalha de Poitiers
Fique sabendo o que foi a Batalha de Poitiers e que importância teve para o contexto da Idade Média.
A peregrinação à Meca ao menos uma vez na vida é um dos pilares do islamismo. O fiel deve realizá-la desde que tenha condições financeiras para isso.
Islamismo
Clique e acesse para saber mais sobre o islamismo, a segunda maior religião do planeta. Conheça a origem e os princípios que regem essa religião.
Islamismo, uma fé que unificou o mundo árabe.
Mundo Árabe
Islamismo, História Árabe, muçulmanos, Maomé, expansão do Mundo Árabe, Hégira, Meca, politeísmo, beduínos, comerciantes, Alcorão, comércio árabe, Jihad, Guerra Santa, califado, dinastia omíada, xiitas, sunitas.
Sunitas e Xiitas observam a crença e a organização política muçulmana de formas distintas.
Sunitas x Xiitas
As diferenças políticas e religiosas desses grupos políticos do mundo muçulmano.
O Alcorão reúne os elementos fundamentais da religião muçulmana.
Os princípios islâmicos
O desenvolvimento das crenças fundamentais da religião muçulmana.