Whatsapp icon Whatsapp

Anarcocapitalismo

O anarcocapitalismo é uma doutrina política e econômica que prevê a adoção da ética libertária, as teorias de livre mercado e a ausência completa da centralização administrativa do Estado e da cobrança de impostos.

A perspectiva libertária do anarcocapitalismo considera a taxação de impostos como um roubo injustificável, defendendo um sistema de tributação zerado, a não ser que a tributação seja amplamente acordada por todas as partes pagantes, deixando de ser imposto e tornando-se contribuição.

Os serviços básicos, como educação, saúde e segurança, devem ser prestados apenas pela iniciativa privada, o que gera a maioria das críticas ao sistema, considerando que não há modo eficiente para as classes mais baixas, que acabam dependendo da beneficência dos mais ricos.

Veja também: Neoliberalismo – visão econômica que visa diminuir ao máximo a participação estatal na economia

Diferença entre anarcocapitalismo e libertarianismo

Essencialmente, os dois termos são diferentes. O libertarianismo é uma postura ética e moral que pressupõe que qualquer violação da propriedade privada e da liberdade individual é uma violação grave de direitos. Segundo o libertarianismo, não deve haver regulação pública da vida, a não ser a regulação das leis de mercado.

A bandeira anarcocapitalista é composta pela cor amarela, que representa a riqueza do capital, e pela cor preta, que representa o anarquismo.
A bandeira anarcocapitalista é composta pela cor amarela, que representa a riqueza do capital, e pela cor preta, que representa o anarquismo.

Já o anarcocapitalismo é uma doutrina política e econômica que adota o libertarianismo como princípio ético, aplicando a exclusão do Estado como modo de aplicar a ética libertária. A regulação do livre mercado é a livre economia absoluta, e todas as ações devem ser ações voluntárias. Todo e qualquer acordo e negociação deve ser voluntariamente acordado pelas partes, e qualquer tipo de administração estatal centralizada vai contra a ação voluntária do mercado.

Os fundamentos do anarcocapitalismo apontam que o Estado é uma instituição ilegítima. As forças policiais, que, na teoria tradicional do Estado, possuem o legítimo uso da força, devem ser privatizadas e de trabalho fornecido por polícias privadas, que são verdadeiras milícias organizadas pela livre iniciativa.

Anarcocapitalista é de direita ou de esquerda?

Há um intenso debate entre os próprios libertários e anarcocapitalistas sobre se esse modelo é de direita ou de esquerda. No entanto, é necessário esclarecer, para encerrar a dúvida, que, economicamente, o anarcocapitalismo é de direita.

Os movimentos de esquerda, como o socialismo, o anarquismo e a social-democracia, são movimentos anticapitalistas (no caso do socialismo e do anarquismo) e a favor de um Estado de bem-estar social (como no caso da social-democracia). Todos eles são contra o liberalismo econômico ou qualquer doutrina econômica liberal.

Uma das representações do anarcocapitalismo, que mostra uma cascavel, com a legenda “Não pise em mim”.
Uma das representações do anarcocapitalismo, que mostra uma cascavel, com a legenda “Não pise em mim”.

O anarcocapitalista é a favor do capitalismo e do livre mercado. Economicamente, está posicionado a favor de um sistema de manutenção da ordem econômica capitalista, defendendo a liberdade econômica irrestrita. A diferença entre um anarcocapitalista e um liberal é que a doutrina liberal necessita do Estado para a manutenção do plano econômico, enquanto o anarcocapitalismo é contra a imposição de qualquer força estatal.

Leia também: Regime de governo - modo como um governo estabelece suas formas de poder

Anarcocapitalismo e anarquismo

O anarquismo é um movimento político socialista que defende a deposição e exclusão total do Estado e a queda do capitalismo. A gestão dos recursos deve ser, segundo os anarquistas, feita pela autogestão democrática, que ocorre por meio de assembleias e grupos organizados. No anarquismo não há governo, não há Estado e não há centralização administrativa. Para o anarquismo, não pode haver hierarquia social, não havendo, portanto, distinção de classes sociais.

O anarcocapitalismo parte de uma razão parecida com a lógica anarquista em relação ao Estado. Os anarcocapitalistas defendem o fim do Estado e a ausência de qualquer centralização adminstrativa, no entanto, eles são a favor do capitalismo. As forças policiais devem existir, mas são grupos organizados e concorrentes da iniciativa privada, e há a hierarquia de classes sociais legitimada pela lógica de acúmulo de capital e da iniciativa privada. Para saber mais sobre o movimento político que inspirou o anarcocapitalismo, leia: Anarquismo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A propriedade privada no anarcocapitalismo

Os anarcocapitalistas defendem a propriedade privada estabelecida de duas maneiras:

  • Autopropriedade: cada indivíduo é proprietário do seu corpo e pode usufruir dele da maneira que bem entender, desde que não infrinja a propriedade alheia. Com isso, cada indivíduo é dono de sua própria sorte, podendo trabalhar livremente, adquirir capital e comprar as propriedades alheias, desde que por livre consentimento de comprador e vendedor.

  • Propriedade original: um bem natural sem donos (uma terra, por exemplo) pode ser adquirido por alguém que chegue ao local primeiro e aproprie-se dele. O proprietário original tem o pleno direito de apossar-se de um bem que não tenha proprietário, tornando-se ele mesmo proprietário daquele bem.

Anarcocapitalismo utilitarista

O utilitarismo é uma teoria moral fundamentada, pela primeira vez, pelos filósofos ingleses Jeremy Bentham e John Stuart Mill. Para os utilitaristas, o princípio da utilidade deve reger as ações morais, sendo que a ação moral é aquela que gera maior benefício ao maior número de pessoas e menor prejuízo ao menor número de pessoas. No século XX, passou-se a associar o utilitarismo às relações econômicas e políticas.

O teórico libertário David Friedman é um defensor do anarcocapitalista utilitarista. Para ele, o Estado deve ser extinto dando lugar à livre economia por uma questão utilitária prática: o sistema anarcocapitalista é mais vantajoso. Isso gera questionamentos, inclusive, entre os anarcocapitalistas, que, em geral, são contra o Estado por considerá-lo essencialmente ilegítimo e violento.

Murray Rothbard, um economista da Escola Austríaca e um dos principais teóricos do libertarianismo e do anarcocapitalismo.
Murray Rothbard, um economista da Escola Austríaca e um dos principais teóricos do libertarianismo e do anarcocapitalismo.

O anarcocapitalismo funciona?

Essa questão controversa é mantida desde o século XX. Os anarcocapitalistas defendem a superioridade dessa doutrina econômica e dizem que as experiências liberais não deram tão certo por tratarem-se de estruturas com Estado centralizado. No entanto, não existem grandes exemplos contemporâneos de sistemas anarcocapitalistas exitosos.

O anarcocapitalismo é criticado pelos anarquistas (anarquistas socialistas), que são contra o capitalismo, pelos liberais, que são a favor do Estado, e por algumas vertentes do libertarianismo favoráveis a um Estado limitado.

Um exemplo de implantação de um sistema anarquista ocorreu na Somália, entre 1991 e 2006, onde não houve um governo centralizado que mantivesse o domínio sobre todo o território. Nesse tempo, pôde-se constatar um crescimento econômico com base em empresas que funcionaram sem qualquer tipo de regulação estatal.

No entanto, a miséria e a violência cresceram substancialmente. Alguns defensores do anarcocapitalismo defendem que a Somália não é um exemplo de país anarcocapitalista, considerando que ela foi dominada por milícias e facções que cresceram a ponto de dominar e implantar sistemas de dominação análogos as estatais, e que a violência teria crescido justamente por essa dominação.

Outros defendem que a ausência de governo e, consequentemente, de Estado promoveram um anarquismo na Somália. Esse anarquismo, somado à livre iniciativa de mercado, promoveu a breve formação de um país anarcocapitalista.

Outro exemplo é o da microrregião de Liberland, um território de sete quilômetros quadrados situado entre a Croácia e a Sérvia. O território deveria ser dividido, historicamente, entre croatas e sérvios, porém nenhuma das duas nações reivindicou efetivamente a posse da terra. Em 2015, a independência da microrregião foi proclamada pelo atual presidente Vit Jedlička, que estabeleceu as bases de uma nação anarcocapitalista no local.

É difícil dizer se o anarcocapitalismo realmente funciona, pois é uma teoria política ainda muito recente. Assim como o anarquismo e o comunismo, o anarcocapitalismo não foi, de fato e em suas raízes, implantado em nenhuma grande nação. Muitos consideram o anarcocapitalismo tão utópico quanto o anarquismo e o comunismo, e, ao que parece, por um olhar histórico consciente, essa é uma visão bem realista.

Publicado por Francisco Porfírio
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Segundo Bakunin, a ideia de que o Estado representa os interesses gerais é uma mentira.
Anarquismo
Acesse este link para saber o que foi o anarquismo, como quando e onde surgiu e o que defendem os teóricos anarquistas.
As bandeiras são símbolos da autoridade dos Estados sobre os seus territórios
Conceito de Estado
Conheça a definição de Estado e as diferenças existentes em relação aos conceitos de governo, nação e país.
Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF)
Saiba o que é o Imposto de Renda Pessoa Física. Aprenda como fazer a declaração anual, e descubra quem tem que pagar e quem está isento do pagamento.
Liberalismo
Clique aqui para entender o conceito de liberalismo, a sua história e as aplicações do liberalismo nos campos político e econômico.
Neoliberalismo
Clique aqui para entender o que é neoliberalismo, como surgiu, quais são as suas aplicações e quais as críticas possíveis sobre essa doutrina econômica.
video icon
Química
Concentração molar, concentração em mol/L ou molaridade
Concentração e quantidade de matéria ou concentração em mol/L, antigamente conhecida por molaridade ou concentração molar, é a unidade de concentração mais usada. Expressa a razão entre a quantidade de matéria do soluto (em mol) e o volume da solução (em litros).

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas.