Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Ecologia
  4. Sucessão primária e secundária

Sucessão primária e secundária

As sucessões ecológicas podem ser caracterizadas a partir do potencial de adaptação de comunidades pioneiras em ambientes anteriormente inabitados, ou pela substituição destas por outras, com melhor tendência ao equilíbrio, estabelecendo comunidade clímax de acordo com os fatores abióticos: temperatura, umidade, insolação, pluviosidade e outros, perdurando por várias décadas, alguns séculos ou milhares de anos.

Normalmente, as espécies colonizadoras são as gramíneas ou demais plantas de pequeno porte, com esporos ou sementes transportados pelos ventos, se instalando em locais inóspitos, suportando as adversidades climáticas (solo pouco estável, escassez de água e calor intenso), abrindo caminho para a povoação de outros organismos.

Dessa forma, entende-se por sucessão primária, aquela que ocorre em regiões estéreis (sem vida), por exemplo, terrenos cobertos pelo extravasamento e escoamento de lava, rochas expostas por recuo de geleiras, ilhas vulcânicas ou dunas de areias.

E secundária nos locais já habitados cujo equilíbrio foi rompido devido alterações ambientais drásticas, causadas ou não pelo ser humano.

Essa condição configura o cenário observado em plantações abandonadas, matas destruídas por incêndios e lagos que secaram, sendo a vegetação parcialmente ou completamente destruída.

No bioma cerrado, as sucessões ecológicas se alternam em conseqüência dos eventos naturais de queimadas, recompondo sazonalmente essa fitofisionomia.
O cerrado em chamas: um processo natural de sucessão ecológica.
O cerrado em chamas: um processo natural de sucessão ecológica.
Publicado por: Krukemberghe Divino Kirk da Fonseca Ribeiro
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Orquídeas (plantas epífitas), um exemplo de inquilinismo vegetal.
Inquilinismo
Relação ecológica harmônica, onde uma espécie obtém benefício sem interferência sobre a outra.
Forma independente de mutualismo entre diferentes espécies.
Protocooperação
Forma independente de mutualismo entre diferentes espécies.
Relações ecológicas
Você sabe o que são as relações ecológicas? Descubra o que são e os tipos existentes, além de conferir uma lista com exemplos e exercícios resolvidos sobre o tema.
Zoofilia: animais polinizadores (insetos, aves e mamíferos).
Adaptações para a polinização
A estrutura da pétala e os recursos de atratividade aos agentes polinizadores.
A organização dos níveis tróficos e a biomassa convertida em energia transferida de um nível ao outro.
Biomassa e pirâmides de energia
A transferência de matéria e energia nos ecossistemas.
Banhado gaúcho
Terras do sul do Brasil: o banhado
Saiba mais sobre esta formação comum dos pampas gaúchos caracterizada por solo não drenado, ambiente úmido e presença de macrófitas aquáticas.
A maré vermelha é um exemplo de amensalismo
Amensalismo
Você sabia que a maré vermelha é um exemplo de amensalismo? Confira aqui!
Na imagem, podemos observar uma relação de comensalismo entre as rêmoras e o tubarão
Comensalismo, uma relação ecológica interespecífica
Veja qual é a relação ecológica que ocorre entre tubarões e rêmoras.