Boto-cor-de-rosa

O folclore brasileiro conta com a lenda do boto-cor-de-rosa, ser presente nos rios amazônicos que, segundo essa lenda, é capaz de se transformar em um homem galanteador, com o propósito de conquistar mulheres nas festas para, em seguida, engravidá-las e abandoná-las. A crença no boto como símbolo de luxúria pode se remeter a uma crença dos gregos antigos.

Acesse também: O folclore brasileiro na obra de Luís da Câmara Cascudo

Quem é o boto-cor-de-rosa?

O boto-cor-de-rosa é um ser que faz parte do folclore brasileiro, sendo protagonista de uma das lendas mais conhecidas na Região Norte do Brasil. Trata-se de um cetáceo encontrado nos rios amazônicos que, na lenda, assumiu uma conotação muito negativa, pois é responsável por seduzir mulheres, engravidá-las e abandoná-las.

Na lenda, o boto-cor-de-rosa transforma-se em um homem muito bonito e charmoso que vai às festas para seduzir mulheres.
Na lenda, o boto-cor-de-rosa transforma-se em um homem muito bonito e charmoso que vai às festas para seduzir mulheres.

É importante mencionar que a lenda do boto, como acontece com muitas lendas do folclore brasileiro, possui características regionalizadas que podem ter algumas diferenças dependendo do local do Brasil. De toda forma, entende-se que o boto-cor-de-rosa se transforma em um homem muito bonito, que dança bem e possui boa conversa.

Essas habilidades são usadas pelo boto para conquistar mulheres que ele encontra em festas. As diferentes versões da lenda falam que o boto vai atrás das mulheres em um período específico do ano: no período da Lua cheia, em junho, quando acontece as festas de Santo Antônio, São Pedro e São João. Entretanto, outras versões da lenda falam que o boto pode ser atraído por qualquer festa que é realizada nas cidades à beira do rio.

Nessas festas o boto se apresenta com roupas e sapatos brancos, além de um chapéu que faz parte de seu disfarce. O chapéu serve para tampar as narinas do boto, que ficam no topo da cabeça. Durante essas festas, o boto usa de suas qualidades para conquistar mulheres solteiras. Algumas versões falam que o boto busca mulheres virgens; outras, que ele vai atrás da mulher mais bonita da festa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Uma vez que o boto seduz uma mulher, ele a leva para o fundo do rio ou para a beira do rio, detalhe que muda conforme a versão da lenda, e deita-se com ela. Dessa relação, a mulher acaba engravidando, mas é abandonada pelo boto, que, no fim da noite, retorna para o rio e a mulher nunca mais o vê.

Essa lenda ajudou a popularizar a crendice de que, quando uma mulher engravida e não sabe quem é o pai da criança ou então se vê abandonada pelo parceiro, é porque ela foi engravidada pelo boto, sendo a criança conhecida como filho(a) do boto.

Acesse também: Iara — outra lenda muito conhecida do folclore brasileiro

De onde veio a lenda do boto?

Muitos acreditam que a lenda do boto se baseou na cultura indígena, mas os estudiosos sabem que, até o século XVII, não havia registro de nenhuma lenda semelhante a essa na cultura indígena. Os primeiros registros sobre lendas e crendices envolvendo o boto-cor-de-rosa como símbolo amoroso datam do século XIX.

Sendo assim, acredita-se que de alguma forma as lendas tenham sido resultado de influências externas e que podem ter sido trazidas para a região pela influência da cultura europeia e, até mesmo, da cultura africana.. O que sabemos hoje sobre lendas relacionadas ao boto é que existe uma forte conexão com a forma como os gregos enxergavam os golfinhos. Tanto o boto quanto o golfinho são cetáceos, portanto pode haver uma continuidade na forma como esses animais são enxergados na tradição popular.

Para os gregos, o golfinho era um símbolo de luxúria que estava diretamente relacionado com o culto de Afrodite (conhecida como Vênus pelos romanos), a deusa do amor e beleza no mundo da Antiguidade clássica. Existem também relatos que apontam a existência de uma visão fetichizada do golfinho na cultura grega que o relacionava com falos e com os movimentos do ato sexual.

De alguma maneira que desconhecemos, essa visão de um cetáceo como símbolo de luxúria permaneceu e se manifestou na cultura popular. Os viajantes que passavam pelas regiões amazônicas chegaram a associar erroneamente lendas indígenas com o boto, conforme relatou o antropólogo Luís da Câmara Cascudo|1|.

A popularização de lendas que relacionavam o golfinho com a luxúria fez com que muitas crendices se espalhassem, como uma relatada por Luís da Câmara Cascudo que menciona que o olho seco do boto-cor-de-rosa servia como um amuleto amoroso |2|.

Notas

|1| CÂMARA CASCUDO, Luís da. Geografia dos mitos brasileiros. São Paulo: Global, 2012.

|2| CÂMARA CASCUDO, Luís da. Dicionário do folclore brasileiro. São Paulo: Ediouro, s/d, p. 183.

Publicado por Daniel Neves Silva

Artigos Relacionados

Na versão de Monteiro Lobato, Cuca tinha forma de jacaré e cabelos loiros.
Cuca
Acesse o site e conheça mais sobre a personagem Cuca. Veja qual é a sua origem, como ela se tornou popular no Brasil e sua importância no folclore.
O curupira é personagem de uma lenda do folclore brasileiro que surgiu nos povos indígenas e que foi relatada, pela primeira vez, no século XVI.
Curupira
Clique para saber mais sobre a lenda do curupira! Aprenda sobre a origem dessa lenda e qual é o significado do nome desse ser do folclore brasileiro.
Dama da meia noite
Dama da meia noite, a lenda da Dama da meia noite, características da Dama da meia noite.
Fauna e flora da Floresta Amazônica
Conheça mais sobre a fauna e flora da Floresta Amazônica clicando aqui! Neste texto abordaremos uma série de espécies encontradas nessa importante floresta tropical.
Luís da Câmara Cascudo foi um dos maiores pesquisadores da cultura popular brasileira
Folclore brasileiro na obra de Câmara Cascudo
Entenda a importância do folclore brasileiro para a obra de Câmara Cascudo e as contribuições desse autor para essa área.
Iara
Conheça a história de Iara, lenda presente no folclore brasileiro. Veja o que caracteriza esse ser e como essa história surgiu.
Lobisomem
Clique aqui e conheça detalhes sobre a lenda do lobisomem. Veja onde essa narrativa surgiu, conheça diferentes versões dela, e saiba como ela chegou ao Brasil.
Mula sem cabeça
Clique e acesse este texto para conhecer mais sobre a mula sem cabeça, uma tradicional figura do folclore brasileiro. Conheça a origem dessa lenda.
O saci-pererê é um ser do folclore brasileiro conhecido por fazer inúmeras travessuras.
Saci-pererê
Clique e acesse para conhecer detalhes sobre a lenda do saci-pererê, uma das mais famosas do nosso folclore. Veja a origem e a influência de Monteiro Lobato nela.
Tutu
Acesse o texto para conhecer a lenda do Tutu. Conheça as características desse monstro presente em canções de ninar e que é associado ao bicho-papão.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Guia de Profissões
Publicidade e Propaganda
Que tal conhecer um pouco mais sobre as funções de um publicitário?
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Português
Preposições
Vamos aprender mais sobre essa classe conectiva de termos?