Whatsapp icon Whatsapp

Derivação parassintética

 Derivação parassintética é um tipo específico de derivação, sendo caracterizada pelo acréscimo simultâneo de um prefixo e um sufixo a uma palavra primitiva. Por exemplo, o vocábulo “envelhecer” é formado pelo prefixo “en-”, mais a palavra primitiva “velho” e o sufixo “-ecer”.

Porém, é preciso que, nesse processo de formação de palavras, o acréscimo de prefixo e sufixo seja simultâneo. Se houver acréscimo apenas de prefixo (“pré-história”), temos uma derivação prefixal. Já no caso de acréscimo apenas de sufixo (“historiador”), temos uma derivação sufixal.

Leia também: Derivação regressiva – supressão de parte da palavra primitiva

Definição de derivação parassintética

A derivação parassintética é mais um processo de formação de palavras.
A derivação parassintética é mais um processo de formação de palavras.

Uma palavra derivada é aquela que é formada a partir de uma palavra já existente, isto é, de uma palavra primitiva. Por exemplo, se acrescentamos um prefixo ou sufixo a uma palavra primitiva, nova palavra surge. A esse processo linguístico de formação de palavras damos o nome de “derivação”.

A derivação parassintética é um tipo específico de derivação, caracterizado pelo acréscimo de um prefixo e um sufixo, ao mesmo tempo, a uma palavra primitiva. É o que ocorre, por exemplo, com o vocábulo “desalmado”, pois ele é formado pelo acréscimo do prefixo “des-” e do sufixo “-ado” à palavra primitiva “alma”.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplos de derivação parassintética

  • Amaciar → a + macio + ar

  • Amadurecer → a + maduro + ecer

  • Apodrecer → a + podre + cer

  • Descampado → des + campo + ado

  • Esquentar → es + quente + ar

  • Envergonhar → en + vergonha + ar

  • Enfileirar → en + fileira + ar

  • Submarino → sub + mar + ino

Atenção! Vocábulos como “deslealdade” e “infelizmente” são resultantes de derivação prefixal e sufixal, portanto não são exemplos de derivação parassintética. Isso porque “desleal” e “lealdade” têm sentido próprio, o que indica que a palavra “deslealdade” não foi formada a partir do acréscimo de prefixo e sufixo ao mesmo tempo.

O mesmo acontece com “infelizmente”, já que existe o termo “felizmente”, de forma a indicar que o vocábulo não se formou pelo acréscimo, ao mesmo tempo, de prefixo e sufixo. Assim, uma palavra originária de derivação parassintética, como “apodrecer”, é formada pela adição de um prefixo e de um sufixo, ao mesmo tempo, à palavra primitiva “podre”, pois não existem os termos “apodre” nem “podrecer”.

Derivação parassintética e as derivações sufixal e prefixal

Derivação

Tipo

Conceito

Exemplos

Prefixal

A palavra primitiva recebe um prefixo.

Desamor, ultravioleta etc.

Sufixal

A palavra primitiva recebe um sufixo.

Amoroso, bebedouro etc.

Parassintética

A palavra primitiva recebe um prefixo e um sufixo, ao mesmo tempo.

Ajoelhar, esfriar etc.

Veja também: Derivação imprópria – tipo de derivação que consiste na troca de classe gramatical

Exercícios resolvidos

Questão 1 – Analise os termos destacados, nos enunciados a seguir, e marque a alternativa em que se verifica uma derivação parassintética.

a) Não podíamos mais ficar ali e, então, caminhamos rumo àquele triste descampado.

b) São ingênuas as pessoas que não acreditam na maldade, pois ela está em todo lugar.

c) Eu disse ao meu irmão que ele não era um super-homem e devia se cuidar mais.

d) Na primeira segunda-feira de abril, a prisão da juíza causou o maior rebu na cidade.

e) Meu irmão é um porco-espinho, anda sempre mal-humorado e não fala com ninguém.

Resolução

Alternativa A. Os termos destacados são, respectivamente, resultado de derivação parassintética (descampado), sufixal (maldade), prefixal (super-homem) e regressiva (rebu, do substantivo “rebuliço”), além de composição por justaposição (porco-espinho).

Questão 2 – (Unimontes) Leia a seguinte informação sobre derivação parassintética, para responder à questão.

“Quando, na criação de uma palavra, se agregam simultaneamente um prefixo e um sufixo a um radical, de tal forma que a palavra não existe só com o prefixo ou só com o sufixo, o processo recebe o nome de derivação parassintética.”

PASCHOALIN & SPADOTO, 1989, p. 142.

Qual das palavras abaixo NÃO é uma derivada parassintética?

A) Esfriar.

B) Desinteressar.

C) Empobrecer.

D) Envergonhar.

Resolução

Alternativa B. A palavra “desinteressar” é uma derivada prefixal, já que é composta pelo prefixo “des-” mais a palavra primitiva “interessar”. Já as outras são derivadas parassintéticas: “esfriar” (es + frio + ar), “empobrecer” (em + pobre + cer) e “envergonhar” (en + vergonha + ar). 

Publicado por Warley Souza
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Composição
Aprenda as composições por justaposição e aglutinação e amplie seus conhecimentos sobre os processos de formação das palavras.
Derivação
Neste artigo você vai estudar sobre os processos de derivação para a formação de novas palavras na Língua Portuguesa.
Derivação imprópria
Saiba qual é a definição de derivação imprópria. Veja alguns exemplos desse fenômeno linguístico e, além disso, faça exercícios para fixar o conteúdo.
Derivação regressiva
Saiba qual é a definição de derivação regressiva. Veja também alguns exemplos desse fenômeno linguístico e faça exercícios para fixar o conteúdo.
Morfemas
Leia este artigo para saber mais sobre os morfemas, as menores unidades de significação que formam as palavras.
Tipos de desinências
Conheça as desinências que marcam o gênero e número nos nomes, e número e pessoa nos verbos.
video icon
"Matemática do Zero | Relações métricas no triângulo retângulo" escrito sobre fundo azul
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Relações métricas no triângulo retângulo
Nessa aula veremos que a partir de um triângulo retângulo podemos determinar a altura relativa à hipotenusa e as projeções dos catetos. Para calcular essas medidas, deduziremos fórmulas através de semelhança de triângulos. Essas fórmulas possuem como nome RELAÇÕES MÉTRICAS NO TRIÂNGULO RETÂNGULO.