Poliomielite

A poliomielite é uma doença altamente contagiosa que pode causar paralisia, sendo, por esse motivo, conhecida também como paralisia infantil. O termo “infantil” é utilizado, pois a doença acomete, principalmente, crianças com idade inferior a cinco anos. Vale salientar, no entanto, que a poliomielite pode atingir pessoas de qualquer idade.

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde, “os casos de poliomielite diminuíram mais de 99% nos últimos anos: dos 350 mil casos estimados em 1988 para 29 casos notificados em 2018”. A poliomielite está erradicada no Brasil, sendo isso resultado de intensas campanhas de vacinação.

Apesar de a doença estar erradicada, ela ainda está presente em outros locais do planeta, portanto, falhas na imunização da população podem fazer com que a doença retorne ao nosso país. Sendo assim, a vacina continua necessária.

O Brasil recebeu o certificado de erradicação do pólio em 1994. No ano de 2020, a África também recebeu o certificado. Em todo o mundo, a doença só é encontrada no Afeganistão e Paquistão. A expectativa é que esses países possam também conseguir o certificado e que, em breve, todo o mundo esteja livre dessa doença.

O que é a poliomielite?

Poliomielite ou paralisia infantil é uma doença viral contagiosa. É provocada por um vírus conhecido por poliovírus, vírus de RNA pertencente ao gênero Enterovírus e à família Picornaviridae. O poliovírus apresenta três sorotipos, I, II e II, sendo o tipo I o grande responsável pelas formas paralíticas dessa doença. O vírus apresenta alta infectividade, porém baixa patogenicidade, por isso, poucos indivíduos adquirem as formas mais graves da doença.

A paralisia ocorre quando o vírus atinge o sistema nervoso, provocando a destruição dos neurônios motores e, consequentemente, a paralisia. A paralisia depende dos neurônios acometidos, entretanto, a forma mais comum acomete os membros inferiores. É importante destacar que a poliomielite pode não atingir o sistema nervoso, permanecendo limitada ao sistema gastrointestinal e à região nasofaríngea. Esses últimos casos representam 90% dos indivíduos que se infectam pelo vírus.

Leia mais: Sistema locomotor – responsável pela locomoção do corpo

Como a poliomielite é transmitida?

A poliomielite é uma doença que apresenta transmissão, principalmente, pela via oral-fecal, por meio de água, alimentos e objetos contaminados com as fezes do indivíduo doente. A doença pode, ainda, ser transmitida de uma pessoa para outra por meio de secreções nasofaríngeas, as quais são eliminadas pelo doente quando fala, espirra ou tosse.

Pela principal forma de transmissão ser via oral-fecal, fica claro que em locais onde o saneamento básico é precário e as pessoas não apresentam hábitos de higiene pessoal adequados, a transmissão ocorre de maneira mais acentuada.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quais são os sintomas da poliomielite?

 A poliomielite é uma doença que pode deixar sequelas irreversíveis.
A poliomielite é uma doença que pode deixar sequelas irreversíveis.

Como mencionado, a doença pode atingir o sistema nervoso ou não, sendo assim, muitos indivíduos não apresentam a forma grave, sendo muitos, inclusive, assintomáticos. Entretanto, em algumas pessoas, a doença pode ser até mesmo fatal. Dentre os sintomas mais comuns da poliomielite, podemos citar: febre, dores no corpo, dor de cabeça, dor de garganta, vômitos, prisão de ventre, diarreia, espasmos, e rigidez na nuca. Nas formas que o sistema nervoso é acometido, o indivíduo pode apresentar fraqueza muscular e paralisia flácida aguda.

As sequelas motoras da doença, muitas vezes, não podem ser revertidas, sendo estimado que uma em cada 200 infecções causa paralisia irreversível, geralmente nas pernas. Uma dessas sequelas é o entortamento de um dos pés, com o paciente sendo incapaz de encostar o pé no chão. A morte pela doença ocorre quando há a paralisia dos músculos respiratórios.

Como é feito o diagnóstico da poliomielite?

A poliomielite pode ser diagnosticada por meio da identificação do vírus nas fezes do indivíduo. Podem ser realizados também os exames de liquor e eletromiografia para confirmar-se a doença.

Poliomielite tem tratamento?

A poliomielite é uma doença que não apresenta tratamento específico. Alguns medicamentos podem ser usados, no entanto, para evitar complicações. Quando a doença atinge o sistema nervoso, o indivíduo pode conviver com sequelas durante toda a vida, sendo recomendada fisioterapia, por exemplo.

 Por não possuir tratamento, a vacinação é essencial para a prevenção da poliomielite.
Por não possuir tratamento, a vacinação é essencial para a prevenção da poliomielite.

É possível prevenir-se da poliomielite?

A doença pode ser prevenida com a administração da vacina. No nosso país, a vacina é distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O esquema vacinal é composto por duas vacinas, uma injetável e uma oral. A injetável consiste em três doses, com cada uma sendo aplicada aos dois, quatro e seis meses de vida da criança. A vacina oral, por sua vez, é aplicada aos 15 meses e aos quatro anos de idade.

Leia também: A importância da vacina BCG

Por que vacinar se a doença está erradicada?

Apesar de não existirem casos no Brasil desde 1989, é importante que todos recebam a vacina contra poliomielite. A vacinação é essencial, pois, atualmente, vivemos em mundo amplamente conectado, onde pessoas conseguem ir facilmente de um continente a outro. Se a doença ainda existe em algum lugar do mundo, o vírus pode ser reintroduzido em nosso país a qualquer momento. A vacina garante que estejamos protegidos caso isso aconteça.

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos
Assuntos relacionados
Dengue
Que tal aprender mais sobre a dengue? Clique aqui e descubra os sintomas dessa doença, como ela é transmitida e como é feito seu tratamento.
Manifestação do Sarampo
Sarampo
Clique aqui e aprenda um pouco mais a respeito do sarampo conhecendo suas formas de transmissão, seus principais sintomas, sua prevenção e seu tratamento.
Vacinas
Você sabe o que são vacinas? Clique aqui e descubra o que são esses produtos, como agem em nosso corpo e sua importância.
A gripe geralmente apresenta quadro febril e dor de cabeça.
Gripe, hepatite, herpes, poliomielite e raiva: doenças virais
Confira algumas características de doenças virais, como são transmitidas, seus sintomas e como evitar.
A caxumba é uma infecção viral que apresenta inflamação das glândulas salivares
Infecção, infestação e inflamação
Saiba no que consiste e as diferenças entre infecção, infestação e inflamação.
A vacina contra a gripe é bastante eficaz.
Vacina contra a gripe
Que tal aprender mais sobre a vacina contra a gripe? Clique aqui, tire suas dúvidas e conheça alguns mitos e verdades sobre essa vacina.
A vacina contra HPV será oferecida pelo SUS inicialmente para meninas de 11 a 13 anos de idade
Vacinação contra HPV
Compreenda o que é o HPV e a importância da vacinação em meninas que ainda não tiveram a primeira relação sexual.
HPV é um vírus capaz de infectar pele e mucosas.
HPV
Você já ouviu falar em HPV? Clique aqui e saiba mais sobre esse vírus. Neste texto, abordaremos os diferentes tipos de HPV, os sintomas da infecção por esse grupo de vírus, como é o HPV em homens, as formas de transmissão, de tratamento e de prevenção desse vírus. Falaremos também sobre a vacina contra HPV.
As lesões da varíola, na maioria das vezes, deixam cicatrizes.
Resfriado, rubéola, sarampo e varíola: doenças virais.
Conheça como ocorre a transmissão de algumas doenças virais e quais são os tratamentos adequados.
A vacina é importante para a prevenção contra doenças virais e bacterianas
17 de outubro – Dia Nacional da Vacinação
Entenda a importância do Dia Nacional da Vacinação e aprenda um pouco mais sobre essa forma de imunização.