Whatsapp icon Whatsapp

Boitatá

Boitatá é um personagem do folclore brasileiro de origem tupi e em formato de cobra que expele fogo para proteger as florestas daqueles que querem destruí-las.
O boitatá é um personagem do folclore que tem formato de uma cobra de fogo que expele suas chamas contra quem quer destruir as florestas e os campos.
O boitatá é um personagem do folclore que tem formato de uma cobra de fogo que expele suas chamas contra quem quer destruir as florestas e os campos.

O boitatá é um personagem do folclore brasileiro com formato de cobra que expele fogo contra aqueles que querem destruir as florestas e os campos. Sua origem é indígena, e o primeiro relato a seu respeito foi feito pelo padre jesuíta José de Anchieta. A lenda costuma variar de região para a região. Hoje em dia, o boitatá é um dos personagens mais conhecidos do folclore brasileiro.

Leia também: 22 de agosto - Dia do Folclore

Resumo sobre boitatá

  • É um personagem do folclore brasileiro e possui formato de cobra que expele fogo contra aqueles que desejam destruir os campos e as florestas.

  • Sua origem é indígena e seu primeiro relato foi registrado pelo padre José de Anchieta.

  • Em cada região do Brasil, a lenda sofre algumas variações.

  • O personagem é um dos mais conhecidos do folclore brasileiro.

Lenda do boitatá

O boitatá é um personagem que se identifica como uma cobra de fogo que expele suas chamas contra as pessoas que desejam destruir as florestas e os campos. Essa cobra possui vários olhos, dos quais saem suas chamas. Isso por ela ter ingerido a pupila de muitos animais, o que justifica a sua luminosidade.

É um personagem folclórico que defende a natureza contra o ataque dos seus predadores. A origem dessa lenda é indígena, da tradição tupi-guarani. O padre jesuíta José de Anchieta foi o primeiro a fazer o relato sobre a lenda do boitatá. O religioso teve contato direto com os índios que habitavam o Brasil na época da colonização, e, para facilitar o trabalho de catequização, ele buscou conhecer a cultura deles.

Em seu relato, datado em 31 de maio de 1560, Anchieta descreveu que os indígenas lhe relataram sobre um fantasma chamado baetatá, que significa “coisa de fogo”. É a junção de duas palavras da língua tupi: mbai, que quer dizer “coisa”, e tatá, que significa “fogo”.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Luís Câmara Cascudo, estudioso do folclore brasileiro, trouxe em seu livro, Dicionário do folclore brasileiro, um trecho do relato do religioso sobre a lenda do boitatá:

“Há também outros (fantasmas), máxime nas praias, que vivem a maior parte do tempo junto do mar e dos rios, e são chamados baetatá, que quer dizer coisa de fogo, o que é o mesmo como se se dissesse o que é todo de fogo. Não se vê outra coisa senão um facho cintilante correndo para ali; acomete rapidamente os índios e mata-os, como os curupiras; o que seja isto, ainda não se sabe com certeza.”

A lenda do boitatá pode ser usada para explicar o fogo-fátuo, uma pequena chama que surge durante a decomposição de matéria orgânica. Cascudo segue essa linha de pensamento ao afirmar que o fogo-fátuo era interpretado como o movimento de uma cobra e, por isso, o boitatá teria esse formato.

Desenho do boitatá.
A lenda do boitatá sofreu algumas variações em diversas regiões brasileiras, além do seu nome ter algumas mudanças com acréscimo de letras.

Boitatá no Brasil

Ao longo do tempo, a lenda do boitatá se disseminou pelo Brasil e sofreu várias adaptações nas várias regiões. Apesar de a forma comum do personagem ser identificado ser a cobra, em outras regiões, ele sofreu variações:

  • no Rio Grande do Sul, o boitatá matava animais que cruzassem seu caminho;

  • em Santa Catarina, o personagem era identificado não com uma cobra, mas um touro que possuía um olho enorme na testa;

  • em outros locais do Brasil, acreditava-se que o boitatá seria a manifestação dos espíritos que não foram batizados.

Além das variações na forma de se contar a lenda, o nome do personagem folclórico variou de região para região. Em alguns lugares do Norte e do Nordeste, ele é conhecido como batatão, e no Sul, como boitátá, batatá e baitatá.

Veja também: Curupira – outro personagem do folclore brasileiro que protege a natureza

Características do boitatá

Algumas das principais características do boitatá são:

  • É um dos personagens do folclore brasileiro mais conhecidos;

  • Tem origem indígena;

  • Sua lenda varia de região para região;

  • É um ser assustador que serve para amedrontar quem quer destruir as florestas ou quem cruzar o seu caminho.

Publicado por Carlos César Higa

Artigos Relacionados

O Dia do Folclore é celebrado, no Brasil, em 22 de agosto
22 de Agosto - Dia do Folclore
Saiba por que o Dia do Folclore é comemorado em 22 de agosto e o que isso tem a ver com a origem da própria palavra folclore.
Bumba meu boi
Conheça a origem do bumba meu boi. Saiba os nomes que seus festejos recebem pelo país e quais são os personagens que fazem parte dessa dança.
Corpo-seco
Clique aqui para saber mais sobre o corpo-seco, lenda que faz parte do folclore brasileiro. Veja em quais regiões essa lenda é mais conhecida e qual o seu sentido.
Na versão de Monteiro Lobato, Cuca tinha forma de jacaré e cabelos loiros.
Cuca
Acesse o site e conheça mais sobre a personagem Cuca. Veja qual é a sua origem, como ela se tornou popular no Brasil e sua importância no folclore.
Dama da meia noite
Dama da meia noite, a lenda da Dama da meia noite, características da Dama da meia noite.
Luís da Câmara Cascudo foi um dos maiores pesquisadores da cultura popular brasileira
Folclore brasileiro na obra de Câmara Cascudo
Entenda a importância do folclore brasileiro para a obra de Câmara Cascudo e as contribuições desse autor para essa área.
Iara
Conheça a história de Iara, lenda presente no folclore brasileiro. Veja o que caracteriza esse ser e como essa história surgiu.
Lobisomem
Clique aqui e conheça detalhes sobre a lenda do lobisomem. Veja onde essa narrativa surgiu, conheça diferentes versões dela, e saiba como ela chegou ao Brasil.
Mula sem cabeça
Clique e acesse este texto para conhecer mais sobre a mula sem cabeça, uma tradicional figura do folclore brasileiro. Conheça a origem dessa lenda.
O saci-pererê é um ser do folclore brasileiro conhecido por fazer inúmeras travessuras.
Saci-pererê
Clique e acesse para conhecer detalhes sobre a lenda do saci-pererê, uma das mais famosas do nosso folclore. Veja a origem e a influência de Monteiro Lobato nela.
Tutu
Acesse o texto para conhecer a lenda do Tutu. Conheça as características desse monstro presente em canções de ninar e que é associado ao bicho-papão.
video icon
Português
“Tinha chego” ou “tinha chegado”?
“Tinha chego” ou “tinha chegado”? Para resolvermos essa questão, precisamos nos atentar à apresentação do particípio na formação das locuções verbais. Já que “chegar” é um verbo não abundante, a forma “tinha chegado” é a única correta. Nesta videoaula, entenderemos por quê.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Sociologia
Democracia racial
Você sabe o que significa democracia racial? Clique e nós te ensinamos!
video icon
Tigres Asiáticos
Geografia
Tigres Asiáticos
Assista à nossa videoaula sobre os Tigres Asiáticos, e conheça as razões do desenvolvimento rápido desses territórios.