Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Folclore
  3. Bumba meu boi

Bumba meu boi

O bumba meu boi é uma manifestação artística e popular do folclore brasileiro. É reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), e como Patrimônio Cultural do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Devido à festa ter origem negra, o bumba meu boi já passou por perseguições das elites nordestinas e da polícia, sendo, inclusive, proibido de 1861 a 1868.

Leia também: Boto-cor-de-rosa – lenda que conta a história de um boto capaz de transformar-se em homem

Origem do bumba meu boi

As músicas da festividade bumba meu boi estão ligadas à lenda de Francisco e Catirina. [1]
As músicas da festividade bumba meu boi estão ligadas à lenda de Francisco e Catirina. [1]

Historiadores estimam que a dança do bumba meu boi surgiu no século XVIII, na região Nordeste. Nesse período, o boi tinha uma importância significativa, fosse pela sua simbologia, de força e resistência, fosse por fatores econômicos, já que havia grandes criadores de gado e colonizadores que faziam uso de mão de obra escravizada.

A história que envolve a dança do bumba meu boi está ligada à lenda de um casal de escravizados, chamados Pai Francisco e Mãe Catirina (ou Catarina).

Catirina estava grávida e começou a ter desejos por língua de boi. Seu marido, para atender o desejo da esposa gestante, matou o boi mais bonito de seu senhor. Quando o dono da fazenda notou a morte do animal, convocou curandeiros e pajés para ressuscitá-lo. O boi voltou à vida, e toda comunidade o celebrou com uma grande festa. Francisco e Catirina receberam o perdão do dono do boi.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Nomes pelo país

O bumba meu boi é um importante símbolo da cultura do estado do Maranhão, estando ligado diretamente à identidade de seu povo. Além disso, a dança possui uma variedade de nomes e diversas formas de ser apresentada.

Confira os nomes que ela recebe em outros estados:

Leia também: Corpo-seco – ser amaldiçoado presente no folclore brasileiro

O boi

A dança do bumba meu boi, chamada também de folguedo, mistura personagens humanos e animais fantásticos em torno da morte e ressurreição de um boi. A brincadeira do boi é contada por meio de músicas e vestimentas.

Apesar de o bumba meu boi ser uma manifestação típica do folclore brasileiro, suas danças lembram um pouco os autos medievais, que são encenações simples, com linguagem popular, e que relatam, grande parte das vezes, a luta entre o bem e o mal.

Uma curiosidade é que o termo “bumba” seria uma onomatopeia — figura de linguagem na qual se reproduz um som por meio de fonemas —, em referência ao suposto barulho de uma batida do chifre do boi em algo.

O bumba meu boi encontrado no Maranhão pode ser de zabumba, considerado o mais antigo; de orquestra, que tem origem no encontro do boi de zabumba com uma procissão, mesclando tambores com instrumentos de sopro; da ilha (criado em São Luís); da baixada; de cururupu; ou de costa de mão. Essa divisão é realizada por sotaques, que são os ritmos tocados no bumba meu boi.

Quando é celebrado?

O festejo do bumba meu boi na região Nordeste costuma acontecer nos meses de junho e julho, durante o período de Festas Juninas.

As músicas da festividade estão ligadas à lenda de Francisco e Catirina. Vários estilos brasileiros estão presentes na celebração, como aboios, toadas, repentes, canções pastoris e cantigas.

O chamado ciclo festivo e de apresentações pode ser dividido em quatro etapas, sendo elas: ensaio, batismo, brincadeiras em arraiais e morte do boi.

1ª etapa: ensaios

2ª etapa: batismo — quando o boi recebe todas as bênçãos do padroeiro da festa.

3ª etapa: brincadeiras em arraiais — acontecem durante as festividades juninas.

4ª etapa: a morte do boi — geralmente acontece no final do mês de julho.

O artesanato, os instrumentos musicais e o bordado do couro do boi e da indumentária dos participantes representam a devoção a São João, São Pedro e São Marçal.

Embora esteja muito ligado à religiosidade católica, o bumba meu boi traz em suas coreografias muitos elementos de cultos afro-brasileiros.

Os personagens do bumba meu boi

  • O boi

O boi é uma figura mitológica para muitos, e era visto por escravizados e indígenas como símbolo de força e resistência, companheiro de trabalho. A encenação do bumba meu boi gira em torno dele. Quem se veste com a fantasia de boi, recebe o nome de miolo.

  • O vaqueiro

O vaqueiro é um dos parceiros do boi na dança. Possui um chapéu enfeitado com fitas longas. Pelo enredo da dança folclórica, ele representa a pessoa que avisa o dono da fazenda sobre a morte do boi.

  • Dono da fazenda

O dono da fazenda é o senhor de engenho e dono do boi que morreu. Ele deseja que o animal seja ressuscitado e jura vingança ao casal Nego Chico e Catirina.

  • Nego Chico e Catirina

Nego Chico e Catirina são os principais personagens depois do boi, já que foi o casal de escravizados/trabalhadores rurais que acabou matando o boi precioso por um desejo da então grávida. Com receio de o filho nascer com cara de língua de boi, Nego Chico/Pai Francisco matou o animal. A personagem de Catirina costuma ser interpretada por um homem vestido de mulher.

  • Músicos

A apresentação do bumba meu boi é acompanhada de uma banda com inúmeros instrumentos musicais. Os instrumentos mais comuns são os de percussão, como tambores, pandeirões, matracas, maracás e tambores-onça.

Festival de Parintins

No Amazonas, o bumba meu boi foi trazido pelos imigrantes do Maranhão, que se mudaram para a região a fim de extrair borracha. No Norte do país, a lenda do bumba meu boi recebeu o nome de boi-bumbá.

O boi-bumbá foi incorporado à cultura amazonense no início do século XX, quando a população começou a confeccionar bois de panos enfeitados para brincar e desfilar na cidade. Foi nessa época, mais especificamente em 1913, que teriam surgido os bois Garantido e Caprichoso, atrações principais do Festival de Parintins.

A cidade de Parintins, segunda maior do Amazonas, foi a que mais incorporou o boi-bumbá a sua cultura. O primeiro festival oficial na cidade aconteceu em 1966. Nas primeiras edições, o festival era chamado de Toada Amazônica, por conta da influência indígena, que deu novas características ao boi.

O boi-bumbá de Parintins tem forte influência indígena, sendo uma tradição muito respeitada pela população amazonense. [2]
O boi-bumbá de Parintins tem forte influência indígena, sendo uma tradição muito respeitada pela população amazonense. [2]

Na região, a tradição acontece sempre no último final de semana de junho, em um espaço a céu aberto com o formato da cabeça de um boi, chamado de bumbódromo.

A festa em Parintins é representada por duas agremiações:

  • a do boi Garantido, com o coração vermelho;

  • e a do boi Caprichoso, com a estrela azul.

Durante a apresentação, que acontece como um duelo entre os dois bois, os personagens dançam ao som de letras baseadas em mitos da Floresta Amazônica.

Créditos das imagens

[1] Erica Catarina Pontes / Shutterstock

[2] T photography / Shutterstock

Publicado por: Érica Caetano
Assuntos relacionados
O Dia do Folclore é celebrado, no Brasil, em 22 de agosto
22 de Agosto - Dia do Folclore
Saiba por que o Dia do Folclore é comemorado em 22 de agosto e o que isso tem a ver com a origem da própria palavra folclore.
Até mesmo a nossa forma de vestir está ligada à nossa cultura
Cultura
O conceito de cultura é amplo e complexo. Entenda mais sobre o assunto aqui!
A dança é um dos elementos que compõem o folclore de um povo. Na imagem, uma dançarina de uma dança típica do México. [1]
Folclore
Acesse este link para saber mais sobre o folclore. Confira aqui a definição e origem do termo, a história dos estudos realizados na área, e suas características básicas.
Luís da Câmara Cascudo foi um dos maiores pesquisadores da cultura popular brasileira
Folclore brasileiro na obra de Câmara Cascudo
Entenda a importância do folclore brasileiro para a obra de Câmara Cascudo e as contribuições desse autor para essa área.
Lobisomem
Clique aqui e conheça detalhes sobre a lenda do lobisomem. Veja onde essa narrativa surgiu, conheça diferentes versões dela, e saiba como ela chegou ao Brasil.
Mula sem cabeça
Clique e acesse este texto para conhecer mais sobre a mula sem cabeça, uma tradicional figura do folclore brasileiro. Conheça a origem dessa lenda.
Tutu
Acesse o texto para conhecer a lenda do Tutu. Conheça as características desse monstro presente em canções de ninar e que é associado ao bicho-papão.