Whatsapp icon Whatsapp

Movimento negro

O movimento negro é como definimos o conjunto de movimentos sociais que atuam no combate ao racismo e na defesa da igualdade racial, buscando melhorias para a população negra.
Menino negro falando algo em alto-falante; ao seu lado, outras crianças negras.
O movimento negro é o conjunto de movimentos sociais que lutam contra o racismo e a segregação racial.

O movimento negro é o conjunto de movimentos sociais que atuam na luta contra o racismo, a discriminação e segregação racial, defendendo a igualdade social e a melhoria das condições de vida do povo negro. Esse movimento não existe apenas no Brasil, sendo encontrado também em diversos outros países, como os Estados Unidos e a África do Sul.

A história do movimento negro no Brasil é relacionada diretamente com a luta dos negros contra o racismo e teve início, em nosso país, já no período da colonização, na resistência contra a escravidão. Após a abolição, o movimento negro foi fundamental no combate ao racismo e em diversas conquistas, como na transformação do racismo em crime.

Leia também: Consciência negra — a tomada de consciência histórica e cultural da pessoa enquanto afrodescendente

Resumo sobre o movimento negro

  • O movimento negro é o conjunto de movimentos sociais que lutam contra o racismo.

  • Está presente no Brasil e em diversos outros países, como os Estados Unidos.

  • Entre seus objetivos, destacam-se: combate ao racismo, combate à desigualdade social, fim da violência policial, entre outros.

  • A história do movimento negro no Brasil se iniciou ainda no período colonial, passando por diversas fases durante a monarquia e a república.

  • Entre as muitas conquistas do movimento negro brasileiro, destacam-se a Lei de Cotas, garantindo o acesso da população negra às vagas das universidades públicas; e a transformação do racismo em crime, entre outras conquistas.

O que é o movimento negro?

O movimento negro é como definimos o conjunto de movimentos sociais que lutam contra o racismo e a segregação racial, defendendo os direitos da população negra e a equiparação das condições entre negros e brancos na sociedade. Além disso, o movimento negro brasileiro procura resgatar o legado cultural dos afro-brasileiros, lutando pela valorização dessa cultura aqui.

O movimento negro não é um movimento social presente unicamente no Brasil, podendo ser encontrado em todos os locais onde a população de origem africana é significativa. Países como Brasil e os Estados Unidos têm grandes e importantes movimentos negros, por conta do grande número de pessoas negras nesses países e por possuírem um extenso histórico de discriminação racial.

Como demonstração de que o movimento negro está presente em outros países, podemos destacar que nos Estados Unidos existiu o movimento pelos direitos civis dos negros na década de 1960, além dos Panteras Negras, e, mais recentemente o Black Lives Matter (Vidas Negras Importam). Outro país que teve um movimento negro destacado foi a África do Sul, que possui um movimento de resistência contra o regime de segregação racial conhecido como Apartheid.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Objetivos do movimento negro

O movimento negro no Brasil não é homogêneo, mas sim um conjunto de diferentes movimentos sociais que lutam por diversas pautas e que são influenciados por diversas correntes ideológicas. Em geral, o movimento negro no Brasil luta por:

  • combate ao racismo estrutural;

  • combate à desigualdade social, que afeta mais fortemente as populações negras;

  • ampliação do acesso à educação de qualidade para as populações negras;

  • acesso à saúde;

  • igualdade nas oportunidades de trabalho;

  • igualdade na remuneração recebida;

  • fim da violência policial contra as populações negras;

  • valorização da história e cultura afro-brasileiras;

  • reconhecimento das grandes personalidades negras;

  • combate à intolerância contra as religiões de matriz africana etc.

História do movimento negro no Brasil

A história do movimento negro brasileiro se iniciou já no período colonial, com a resistência dos africanos escravizados aqui. Revoltas, fugas, formação de quilombos, recusa a trabalhar e até o suicídio são vistos como formas de resistência. A luta dos escravizados contra a escravidão foi fundamental para que o movimento abolicionista tivesse sucesso em 1888.

Com a abolição, a luta negra entrou em uma nova fase, uma vez que os negros continuavam marginalizados, pois não receberam nenhum tipo de auxílio para se integrarem no pós-abolição. Na verdade, a condição dos negros continuou precária, pois não receberam terras nem educação, e eram obrigados a aceitar as piores condições de trabalho possíveis.

Essa situação contribuiu para perpetuar a exclusão dos negros, condenando-os a permanecerem em condições de vida degradantes. Além da exclusão social, os negros viam suas manifestações culturais, como o samba, e suas práticas religiosas sofrendo intensa discriminação no Brasil. Por conta disso, surgiram diversos clubes negros que procuravam combater o racismo.

Esses clubes atuavam como locais de recreação e assistencialismo aos negros, mas, aos poucos, neles foram formados jornais e revistas voltados para a população afro-brasileira. Esses impressos acabaram se tornando meios de denúncia do racismo no Brasil, e, como se concentravam em São Paulo, ficaram conhecidos pelos historiadores como Imprensa Negra Paulista.

  • Frente Negra Brasileira (FNB)

A popularização da imprensa negra em São Paulo contribuiu para a formação da Força Negra Brasileira, em 1931, considerada o primeiro grupo de ativismo negro da história brasileira após a abolição. A FNB denunciou o racismo e defendeu melhores condições para a população negra. Chegou a ter milhares de filiados.

Ideologicamente, a direção da FNB se alinhava com o integralismo, portanto, com a extrema-direita. Possuía uma ideologia política conservadora, embora se posicionasse fortemente contra o preconceito racial. Defendia a valorização do catolicismo e era favorável à formação de um governo centralizador e autoritário, aos moldes do fascismo italiano.

A FNB deixou de existir em 1937, quando, após o golpe do Estado Novo, Getúlio Vargas aboliu todos os partidos políticos e organizações sociais do Brasil.

  • O movimento negro após a década de 1970

Entre as décadas de 1940 e 1960, o movimento negro brasileiro ganhou bastante força, sendo impulsionado pela democratização do Brasil no período da República de 1946. Essa força de atuação, no entanto, se enfraqueceu com a Ditadura Militar, a partir de 1964. As manifestações do movimento negro tornaram-se alvo da repressão dos militares, que também passaram a difundir o mito da democracia racial no Brasil.

O movimento negro foi conquistando força junto do movimento de resistência à ditadura, e uma série de ações foram promovidas a partir da década de 1970. Importantes debates envolvendo intelectuais brasileiros foram realizados, no objetivo de discutir a problemática do racismo e a necessidade de resgatar personalidades da história afro-brasileira.

O fim da ditadura, na década de 1980, trouxe à tona a necessidade de o Estado estabelecer políticas públicas para integrar a população negra, dando-lhe acesso à educação, saúde e demais oportunidades para poder se desenvolver.

  • Movimento Negro Unificado (MNU)

No contexto de fortalecimento do movimento negro na década de 1970 é que surgiu o Movimento Unificado Negro. O surgimento desse grupo, em 1978, teve relação com alguns acontecimentos que escancaravam o racismo presente na sociedade brasileira. Os acontecimentos foram:

  • discriminação sofrida por quatro jogadores de vôlei por parte do Clube Regatas do Tietê;

  • assassinato do operário Nilton Lourenço;

  • prisão e assassinato do feirante Robson Silveira da Luz em uma delegacia.

Esses eventos deram força para a criação do Movimento Negro Unificado Contra a Discriminação Racial, em 7 de julho de 1978. No ano seguinte, o movimento alterou o seu nome para Movimento Negro Unificado (MNU). Esse grupo se colocou como uma frente em defesa dos negros no Brasil em questões políticas, sociais, culturais, econômicas, entre outras.

O ato de fundação do MNU aconteceu nas escadarias do Theatro Municipal, em São Paulo, mobilizando milhares de pessoas. A partir daí, o grupo se estabeleceu como um importante ator na luta antirracista no Brasil. Entre as pautas defendidas pelo MNU, destaca-se: o combate à violência policial, o desemprego e a informalidade, que afetam em grande escala a população negra, e a valorização da cultura negra no Brasil.

Leia também: A questão da segregação racial nos Estados Unidos

Luta pela igualdade racial no Brasil e conquistas do movimento negro

Todo o histórico do movimento negro brasileiro tem como foco a luta pela igualdade racial aqui e a construção de uma sociedade onde os negros tenham acesso às mesmas oportunidades que a população branca. A mobilização do movimento negro e sua atuação política no Brasil fez com que uma série de avanços acontecessem, tais como:

  • Demarcação de terras quilombolas por meio da Constituição Federal de 1888.

  • Lei de Cotas, que estabeleceu a reserva de vagas para o ingresso de pessoas negras.

  • Lei nº 10.639, que estabeleceu a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira na educação básica.

  • Lei nº 7.716, que tornou o racismo crime no Brasil.

  • Lei nº 14.352, que tornou injúria racial como crime de racismo, aumentando a punição para crimes raciais no Brasil.

Esses avanços, no entanto, não significam que a luta contra o racismo acabou, uma vez que o Brasil ainda tem inúmeros problemas motivados pelo preconceito racial. Portanto, há muito a se avançar, uma vez que luta pela igualdade racial está longe de acabar em nosso país.

Importância do movimento negro

Como se pode perceber ao longo deste texto, o movimento negro cumpre um papel fundamental em nossa sociedade. É ele que denuncia o racismo e mobiliza o nosso sistema político para estabelecer políticas públicas que demandem que mudanças aconteçam em nosso país na questão racial.

Foi a mobilização do movimento negro que permitiu que todas as mudanças que aconteceram nos últimos anos fossem possíveis. É a continuidade dessa mobilização que fará com que a luta prossiga e novos avanços aconteçam em nosso país. Lembrando que ainda há muito a se avançar no Brasil na questão racial, pois a violência e a desigualdade social direcionadas aos negros ainda são muito evidentes.

20 de novembro — Dia Nacional da Consciência Negra

Um dos dias mais importantes para a história do movimento negro no Brasil é o dia 20 de novembro, data no calendário que celebra uma importante data comemorativa — o Dia da Consciência Negra. Essa data comemorativa joga luz sobre o problema do racismo no Brasil ao mesmo tempo que evidencia e celebra a luta dos negros contra o racismo.

A data comemorativa foi estabelecida no dia 20 de novembro como uma homenagem a Zumbi dos Palmares, um dos líderes do Quilombo dos Palmares, que resistiu à escravidão no Brasil por um século. Zumbi liderou o quilombo até sua destruição, sendo assassinado pelos portugueses em 20 de novembro de 1695.

A data foi escolhida pelos movimentos negros da década de 1970 porque foi entendida como a mais apropriada para a luta dos negros contra o racismo. Além disso, a data se colocou como uma contraposição ao 13 de maio, enxergado pelo movimento como uma data sem grande representatividade, pois a abolição não veio acompanhada de ações para integrar os ex-escravizados na sociedade brasileira, mantendo-os marginalizados.

A celebração do 20 de novembro se oficializou por meio da lei nº 12.519, sancionada no dia 10 de novembro de 2011, durante o governo de Dilma Rousseff. Ela não é considerada um feriado nacional, embora uma série de locais no país tenham a transformado em feriado. Para saber mais sobre o 20 de novembro, clique aqui.

Fontes

GOMES, Laurentino. Escravidão: do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares – Volume 1. Rio de Janeiro: Globo Livros, 2019.

SCHWARCZ, Lilia Moritz e GOMES, Flávio (orgs.). Dicionário da escravidão e liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento Negro Brasileiro: alguns apontamentos históricos. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tem/a/yCLBRQ5s6VTN6ngRXQy4Hqn/?format=pdf&lang=pt.

SOUZA, Ludmilla. Movimento Negro Unificado completa 45 anos de luta contra o racismo. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2023-07/movimento-negro-unificado-completa-45-anos-de-luta-contra-o-racismo.

MACHADO, Leandro. Frente Negra: a história do movimento que apoiava o integralismo e foi pioneiro do ativismo negro no país. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-53000662

USP. Imprensa Negra Paulista. Disponível em: http://biton.uspnet.usp.br/imprensanegra/.

Publicado por Daniel Neves Silva

Artigos Relacionados

13 de maio – Dia da Abolição da Escravatura
Conheça detalhes sobre o processo que culminou na abolição da escravatura no Brasil, oficializado por lei, em 13 de maio de 1888, após muita luta dos abolicionistas.
Abolição da escravatura
Clique aqui para saber mais como ocorreu o processo de abolição da escravatura, que aconteceu em 1888. Entenda como se mobilizou o movimento abolicionista.
Abolição e luta escrava por liberdade
Saiba mais como os próprios escravos lutaram pela abolição da escravatura no país, principalmente com as fugas e as rebeliões.
Intolerância religiosa
Acesse este link para entender o que é a intolerância religiosa e como ela se manifesta. Confira dados sobre esse problema no Brasil.
Leis abolicionistas
Acesse e entenda quais foram as leis abolicionistas e o que elas decretaram. Entenda também o contexto da aprovação de cada uma delas.
Movimento abolicionista dos Caifazes
Conheça o movimento abolicionista dos Caifazes e como eles contribuíram para o enfraquecimento da escravidão no Brasil.
Racismo no Brasil
Saiba um pouco mais sobre o racismo no Brasil e seus aspectos históricos e estruturais, bem como sobre a legislação e políticas antirracistas criadas para combatê-lo.
Três grandes abolicionistas negros brasileiros
Conheça os três grandes abolicionistas negros brasileiros que atuaram na segunda metade do século XIX e tiveram grande prestígio entre os seus pares!
video icon
Texto "Processo de socialização" em um fundo roxo e uma faixa de pedestre com diversas pessoas atravessando.
Sociologia
Processo de socialização
Socialização é um processo contínuo que se inicia na infância e não tem data para terminar. Ficou curioso? Não perca esta videoaula.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Pessoa com as pernas na água
Saúde e bem-estar
Leptospirose
Foco de enchentes pode causar a doença. Assista à videoaula e entenda!
video icon
fone de ouvido, bandeira do reino unido e caderno escrito "ingles"
Gramática
Inglês
Que tal conhecer os três verbos mais usados na língua inglesa?
video icon
três dedos levantados
Matemática
Regra de três
Com essa aula você revisará tudo sobre a regra de três simples.