Whatsapp icon Whatsapp

Casimiro de Abreu

Casimiro de Abreu foi um dos poetas mais importantes do romantismo brasileiro. Filiado à segunda geração desse movimento artístico-literário, o autor, apesar de ter morrido muito jovem, aos 21 anos de idade, deixou uma obra extremamente representativa do que foi o movimento romântico no país, sendo um de seus principais poemas o famoso “Meus oito anos”.

Leia também: Álvares de Azevedo – outro grande nome da segunda geração romântica no Brasil

Biografia de Casimiro de Abreu

O poeta Casimiro José Marques de Abreu, mais conhecido como Casimiro de Abreu, nasceu em Barra de São João (distrito da cidade que leva seu nome), estado do Rio de Janeiro, em 4 de janeiro de 1839.

Era filho do rico comerciante e fazendeiro português José Joaquim Marques Abreu e de Luísa Joaquina das Neves. Seu pai não residia com a mãe, o que fez com que sua família fosse vítima de preconceitos. Passou a maior parte da infância morando na fazenda materna, no município de Correntezas. Ele teve acesso somente à instrução primária, estudando dos 11 aos 13 anos no Instituto Freeze, em Nova Friburgo.

Em 1852 foi para a capital praticar o comércio, influenciado pelo pai, apesar de não gostar dessa atividade. Em 1853 viajou para a Portugal, ocasião em que iniciou, em Lisboa, a carreira literária, publicando um conto e escrevendo a maior parte de seus poemas, os quais homenageavam, em tom saudosista, as belezas do Brasil.

Casimiro de Abreu, apesar de ter morrido muito jovem, marcou o romantismo brasileiro.
Casimiro de Abreu, apesar de ter morrido muito jovem, marcou o romantismo brasileiro.

Em Portugal também compôs o drama Camões e o Jau, texto que foi representado no teatro D. Fernando, em 1856, com grande sucesso de público. Ainda na Europa, colaborou na imprensa portuguesa ao lado do escritor português Alexandre Herculano. Sua participação no meio jornalístico possibilitou, em 1856, que o jornal O Progresso imprimisse o folhetim “Carolina”, e que a revista Ilustração Luso-Brasileira publicasse os primeiros capítulos de “Camila”.

Em 1857, voltou ao Rio de Janeiro, onde colaborou em alguns jornais, como A Marmota, O Espelho, Revista Popular e Correio Mercantil. Nesse último jornal, tinha como colegas de trabalho os escritores Manuel Antônio de Almeida e Machado de Assis. Publicou As primaveras em 1859.

Em 1860, seu pai faleceu. Casimiro de Abreu, doente de tuberculose, saiu da capital em busca de um clima mais ameno em Nova Friburgo. Sem obter melhora, recolheu-se em uma fazendo no município que hoje leva seu nome, onde veio a falecer aos 21 anos, em 18 de outubro de 1860. O poeta é o patrono da cadeira número 6 da Academia Brasileira de Letras.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características literárias da obra de Casimiro de Abreu

Casimiro de Abreu é um escritor ligado à segunda geração do romantismo brasileiro, também conhecida como ultrarromantismo. Suas obras apresentam as seguintes características:

  • Nostalgia da infância
  • Saudade da terra natal
  • Apreço pela natureza
  • Religiosidade
  • Patriotismo
  • Idealização da mulher amada
  • Preferência pela estrofe regular
  • Externalização de emoções ingênuas e juvenis

Veja também: Gonçalves Dias – o grande nome da primeira geração romântica no Brasil

Obras de Casimiro de Abreu

  • Poesia

  • As primaveras (1859)
  • Prosa 

  • Carolina (1856)
  • Camila: memórias de uma virgem (1856)
  • Teatro

  • Camões e o Jau (1856)

Poemas de Casimiro de Abreu

Meus oito anos

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d'amor!

Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!

Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minhã irmã!

(Fragmento)

Em “Meus oito anos”, o mais famoso poema de Casimiro de Abreu, observa-se traços que marcaram toda sua produção literária. A voz poética, em primeira pessoa, rememora, com muita nostalgia, passagens de sua infância em meio à natureza. Esse momento de sua vida, revisitado de forma idealizada, contrasta-se com o momento presente, em que o eu lírico vê-se envolto em “mágoas”.

Assim, a idealização da natureza que constitui seu quintal na infância, além da idealização desse período de sua vida, constitui um dos pilares do romantismo brasileiro, movimento do qual Casimiro de Abreu faz parte como um de seus mais importantes nomes.

Deus

Eu me lembro! Eu me lembro! — Era pequeno
E brincava na praia; o mar bramia,
E, erguendo o dorso altivo, sacudia,
A branca espuma para o céu sereno.

E eu disse a minha mãe nesse momento:
"Que dura orquestra! Que furor insano!
Que pode haver de maior do que o oceano
Ou que seja mais forte do que o vento?"

Minha mãe a sorrir, olhou pros céus
E respondeu: — Um ser que nós não vemos,
É maior do que o mar que nós tememos,
Mais forte que o tufão, meu filho, é Deus.

Em “Deus”, a natureza também é destacada por uma voz poética em primeira pessoa, a qual, assim como em “Meus oito anos”, rememora passagens da infância. Com um tom muito nostálgico, o eu lírico relembra um momento em que, estando à beira do mar com sua mãe, espanta-se com a força das ondas, imaginando, inicialmente, que não haveria elemento mais forte que aquele no mundo, ao que sua mãe responde que Deus seria esse elemento.

Há, portanto, no poema, além do saudosismo e da exaltação da natureza, uma outra vertente romântica também cultivada por Casimiro de Abreu: a religiosidade cristã.

Publicado por Leandro Guimarães

Artigos Relacionados

Castro Alves
Saiba quem foi Castro Alves e entenda o contexto histórico em que esse poeta viveu. Conheça também a sua obra-prima, “O navio negreiro”, além de outros poemas.
Fagundes Varela
Fagundes Varela
Conheça o escritor romântico Fagundes Varela. Saiba quais são as características de suas obras e veja uma análise de seu poema “Cântico do calvário”.
Família de Botocudos em viagem, de Maximilian, 1815-1817. Aquarela do livro Reise nach Brasilien in der Jahren
Gerações do Romantismo no Brasil
Saiba tudo sobre a primeira, segunda e terceira geração do Romantismo!
Gonçalves Dias
Saiba quem foi Gonçalves Dias e de quais livros ele é autor. Entenda as características de suas obras e como elas influenciaram o romantismo brasileiro.
Jane Austen
Saiba quem é Jane Austen e veja quais são as suas características literárias e quais são as obras de sua autoria. Leia também o resumo de Orgulho e preconceito.
Jorge de Lima
Veja quem é Jorge de Lima, conheça as características de suas obras literárias e leia algumas frases do autor.
Lord Byron
Saiba quem foi o poeta inglês Lord Byron. Conheça as características de suas principais obras literárias. E leia algumas frases desse autor.
Murilo Mendes
Clique aqui e veja quem foi Murilo Mendes. Conheça o estilo literário de suas obras, assim como as fases de suas poesias. Leia algumas frases do autor.
Parnasianismo
Entenda o contexto histórico em que surgiu o parnasianismo. Saiba quais são as características desse estilo, e conheça seus principais autores.
Romantismo em Portugal
Saiba em que contexto histórico surgiu o romantismo em Portugal. Conheça as gerações do romantismo português, e entenda suas características.
A segunda geração do Romantismo no Basil, ou Ultrarromantismo, caracterizou-se pela temática pessimista
Segunda geração do Romantismo no Brasil
Conheça a segunda geração do Romantismo no Brasil e aprenda mais sobre os principais autores e sobre as características das obras desse período.
Álvares de Azevedo
Saiba quem foi Álvares de Azevedo e conheça as características de suas obras. Leia poemas e frases desse poeta a fim de compreender melhor sua literatura.
video icon
Filosofia
Filosofia Pós-Moderna
Já ouviu falar de Filosofia Pós-Moderna? E de pensamento pós-moderno? Alguns pensadores do século XX declararam-se pós-modernos, outros recusaram o termo, gerando um mal-estar que colocou a palavra como uma espécie de insulto. Assista a esta aula para entender o que é a Filosofia Pós-Moderna.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Sociologia
Democracia racial
Você sabe o que significa democracia racial? Clique e nós te ensinamos!
video icon
Tigres Asiáticos
Geografia
Tigres Asiáticos
Assista à nossa videoaula sobre os Tigres Asiáticos, e conheça as razões do desenvolvimento rápido desses territórios.