Isômeros opticamente ativos

Isômeros opticamente ativos são substâncias orgânicas capazes de polarizar e desviar o plano da luz para a direita e para a esquerda.
O ácido lático apresenta isômeros opticamente ativos
O ácido lático apresenta isômeros opticamente ativos

Isômeros opticamente ativos são moléculas de uma determinada substância orgânica que possuem a capacidade de polarizar e desviar o plano da luz polarizada para a direita ou para a esquerda.

Representação da luz despolarizada

Representação da luz despolarizada

Na imagem acima, temos a representação da múltipla incidência dos feixes de luz a partir de uma fonte luminosa.

Ao polarizar a luz, um isômero opticamente ativo faz com que as ondas eletromagnéticas passem a incidir em uma única direção, já que naturalmente a luz é despolarizada, ou seja, incide para várias direções.

Representação da luz polarizada
Representação da luz polarizada

A imagem acima representa a única incidência dos feixes de luz, a partir de uma fonte luminosa, polarizada ao passar por uma substância que apresenta isômeros opticamente ativos.

Como foi dito, além de polarizar, existem isômeros que desviam a luz para a direita e outros que desviam a luz para a esquerda, conforme a representação abaixo:

Desvios realizados por moléculas de isômeros opticamente ativos
Desvios realizados por moléculas de isômeros opticamente ativos

Dextrogiros: é o nome dado à molécula da substância capaz de polarizar e desviar a luz para a direita;

Levogiros: é o nome dado à molécula da substância capaz de polarizar e desviar a luz para a esquerda.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como saber se estamos diante de uma substância cujas moléculas são isômeras ópticas?

A resposta para essa pergunta é muito simples. Quando o composto orgânico tem um carbono quiral (que possui obrigatoriamente quatro ligantes diferentes), automaticamente ele apresenta molécula dextrogira e levogira.

Observe que cada grupo R ligado ao carbono é diferente entre si:

Representação geral de um carbono quiral
Representação geral de um carbono quiral

Assim, se existe um carbono quiral na estrutura de um composto orgânico, este apresenta obrigatoriamente moléculas dextrogiras e levogiras, as quais são determinadas pela fórmula proposta por Van’t Hoff:

IOA = 2n

Nessa fórmula:

IOA: quantidade de isômeros opticamente ativos;

n: número de carbonos quirais.

É importante ressaltar que, ao determinar a quantidade de IOA, 50% serão de dextrogiros, e os outros 50% serão de levogiros. Para um melhor entendimento, acompanhe o seguinte exemplo:

Exemplo: Número de isômeros opticamente ativos no pentan-2-ol

Fórmula estrutural do pentan-2-ol
Fórmula estrutural do pentan-2-ol

O carbono de número 2 dessa estrutura apresenta os seguintes ligantes:

⇒ Metil (CH3);

⇒ Hidrogênio (H);

⇒ Hidroxila (OH);

⇒ Propil (H3C-CH2-CH2);

Dessa forma, a estrutura apresenta dois carbonos quirais, logo:

IOA = 2n

IOA = 21

IOA = 2

Como o resultado é 2, sabemos que, a cada duas moléculas do composto pentan-2-ol, uma é dextrogira e outra é levogira.

Publicado por Diogo Lopes Dias

Artigos Relacionados

O propanal é um exemplo de substância em que não identificamos um carbono quiral
Como identificar um carbono quiral
Clique aqui e aprenda macetes e regras importantes para identificar um carbono quiral tanto em cadeias fechadas quanto em cadeias abertas. Os exemplos que selecionamos para você vão auxiliá-lo na maneira correta de identificar os quatro ligantes de um carbono quiral, os quais são obrigatoriamente diferentes.
História da Isomeria
Os primeiros experimentos que definiram esse fenômeno.
O 1,2-dicloropropano é um exemplo de composto cíclico que realiza isomeria geométrica cis-trans e isomeria óptica
Isomeria em compostos cíclicos
Veja quais são os casos de isomeria em compostos cíclicos tanto na isomeria constitucional (plana) quanto na estereoisomeria (espacial).
Isomeria espacial
Clique aqui e saiba mais sobre o que é isomeria espacial e seus subtipos, além das moléculas que apresentam esse tipo de isomeria. Confira também nossos exercícios.
Isomeria óptica
Clique e saiba mais sobre o fenômeno da isomeria óptica. Conheça os tipos, confira exemplos e resolva exercícios sobre o tema.
O butan-2-ol é capaz de gerar apenas uma mistura racêmica
Mistura racêmica
Aprenda o que é uma mistura racêmica e descubra como determinar a quantidade desses isômeros opticamente inativos.
O carbono quiral possui todos os ligantes diferentes e seu isômero é exatamente a sua imagem especular
O que é um carbono assimétrico ou quiral?
Entenda o que é um carbono quiral ou assimétrico e o que é um enantiômero.
Modelos moleculares dos dois isômeros ópticos do aminoácido alanina
Tipos de isomeria
Conheça todos os tipos de isomeria e as suas ocorrências.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Guia de Profissões
Publicidade e Propaganda
Que tal conhecer um pouco mais sobre as funções de um publicitário?
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Português
Preposições
Vamos aprender mais sobre essa classe conectiva de termos?