Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Química Orgânica
  4. Isomeria
  5. Isômeros opticamente ativos

Isômeros opticamente ativos

Isômeros opticamente ativos são substâncias orgânicas capazes de polarizar e desviar o plano da luz para a direita e para a esquerda.

Isômeros opticamente ativos são moléculas de uma determinada substância orgânica que possuem a capacidade de polarizar e desviar o plano da luz polarizada para a direita ou para a esquerda.

Representação da luz despolarizada

Representação da luz despolarizada

Na imagem acima, temos a representação da múltipla incidência dos feixes de luz a partir de uma fonte luminosa.

Ao polarizar a luz, um isômero opticamente ativo faz com que as ondas eletromagnéticas passem a incidir em uma única direção, já que naturalmente a luz é despolarizada, ou seja, incide para várias direções.

Representação da luz polarizada
Representação da luz polarizada

A imagem acima representa a única incidência dos feixes de luz, a partir de uma fonte luminosa, polarizada ao passar por uma substância que apresenta isômeros opticamente ativos.

Como foi dito, além de polarizar, existem isômeros que desviam a luz para a direita e outros que desviam a luz para a esquerda, conforme a representação abaixo:

Desvios realizados por moléculas de isômeros opticamente ativos
Desvios realizados por moléculas de isômeros opticamente ativos

Dextrogiros: é o nome dado à molécula da substância capaz de polarizar e desviar a luz para a direita;

Levogiros: é o nome dado à molécula da substância capaz de polarizar e desviar a luz para a esquerda.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como saber se estamos diante de uma substância cujas moléculas são isômeras ópticas?

A resposta para essa pergunta é muito simples. Quando o composto orgânico tem um carbono quiral (que possui obrigatoriamente quatro ligantes diferentes), automaticamente ele apresenta molécula dextrogira e levogira.

Observe que cada grupo R ligado ao carbono é diferente entre si:

Representação geral de um carbono quiral
Representação geral de um carbono quiral

Assim, se existe um carbono quiral na estrutura de um composto orgânico, este apresenta obrigatoriamente moléculas dextrogiras e levogiras, as quais são determinadas pela fórmula proposta por Van’t Hoff:

IOA = 2n

Nessa fórmula:

IOA: quantidade de isômeros opticamente ativos;

n: número de carbonos quirais.

É importante ressaltar que, ao determinar a quantidade de IOA, 50% serão de dextrogiros, e os outros 50% serão de levogiros. Para um melhor entendimento, acompanhe o seguinte exemplo:

Exemplo: Número de isômeros opticamente ativos no pentan-2-ol

Fórmula estrutural do pentan-2-ol
Fórmula estrutural do pentan-2-ol

O carbono de número 2 dessa estrutura apresenta os seguintes ligantes:

⇒ Metil (CH3);

⇒ Hidrogênio (H);

⇒ Hidroxila (OH);

⇒ Propil (H3C-CH2-CH2);

Dessa forma, a estrutura apresenta dois carbonos quirais, logo:

IOA = 2n

IOA = 21

IOA = 2

Como o resultado é 2, sabemos que, a cada duas moléculas do composto pentan-2-ol, uma é dextrogira e outra é levogira.

O ácido lático apresenta isômeros opticamente ativos
O ácido lático apresenta isômeros opticamente ativos
Publicado por: Diogo Lopes Dias
Assuntos relacionados
O propanal é um exemplo de substância em que não identificamos um carbono quiral
Como identificar um carbono quiral
Clique aqui e aprenda macetes e regras importantes para identificar um carbono quiral tanto em cadeias fechadas quanto em cadeias abertas. Os exemplos que selecionamos para você vão auxiliá-lo na maneira correta de identificar os quatro ligantes de um carbono quiral, os quais são obrigatoriamente diferentes.
Isomeria Espacial
Entenda o que é e quais são os tipos de isomeria espacial. Clique aqui!
Isomeria Óptica: conceito de simetria
Clique aqui e entenda qual é o conceito de isomeria óptica!
O 1,2-dicloropropano é um exemplo de composto cíclico que realiza isomeria geométrica cis-trans e isomeria óptica
Isomeria em compostos cíclicos
Veja quais são os casos de isomeria em compostos cíclicos tanto na isomeria constitucional (plana) quanto na estereoisomeria (espacial).
História da Isomeria
Os primeiros experimentos que definiram esse fenômeno.
Modelos moleculares dos dois isômeros ópticos do aminoácido alanina
Tipos de isomeria
Conheça todos os tipos de isomeria e as suas ocorrências.
O carbono quiral possui todos os ligantes diferentes e seu isômero é exatamente a sua imagem especular
O que é um carbono assimétrico ou quiral?
Entenda o que é um carbono quiral ou assimétrico e o que é um enantiômero.
O butan-2-ol é capaz de gerar apenas uma mistura racêmica
Mistura racêmica
Aprenda o que é uma mistura racêmica e descubra como determinar a quantidade desses isômeros opticamente inativos.