Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Química Inorgânica
  4. Pólvora Clássica

Pólvora Clássica

A pólvora foi descoberta na China no Século IX e depois ganhou repercussão pelo mundo. A descoberta foi feita por alquimistas e foi acidental, a prova disso foi as primeiras referências à pólvora, elas aparecem como avisos em textos de alquimia: Não misturem certos materiais uns com os outros. Ao pesquisar um elixir da imortalidade, os alquimistas produziram vários incêndios ao fazer testes com os ingredientes enxofre e salitre (nitrato de potássio), daí o porquê do aviso.

Por volta do século X, a pólvora começou a ser usada na China, seu uso com propósitos militares era na forma de foguetes e bombas explosivas lançadas de catapultas. O canhão surgiu em seguida, a pólvora era usada para a propulsão das pesadas bolas de canhão. Depois da China, o uso militar da pólvora se espalhou para o Japão e a Europa.

A pólvora clássica (explosiva) é constituída por 75% de Salitre, 15% de carvão e 10% de enxofre. O principal componente - o salitre ou Nitrato de Sódio, cuja composição química é NaNO3, possui alto poder de combustão e explosão. A pólvora pode ser classificada de duas formas:

- Propelente: é a pólvora usada nas munições, se queima mais lentamente e constante.

- Explosiva: é usada basicamente para fogos de artifício (pólvora negra). Possui queima média a alta velocidade, é por isso que gera grande volume de gás e explode se estiver confinada.

A pólvora era usada como munição em canhões
A pólvora era usada como munição em canhões
Publicado por: Líria Alves de Souza
Assuntos relacionados
A ilustração retrata fórmulas químicas de substâncias estudadas na Química Inorgânica
Definição de Química Inorgânica
Veja a definição antiga e a atual de Química Inorgânica, saiba diferenciá-la da Química Orgânica e entenda quais são as funções inorgânicas.
Metal ouro antes de ser extraído.
Solução Água Régia
Processo de obtenção da água régia, mistura de ácido clorídrico e ácido nítrico, líquido altamente corrosivo, procedimentos analíticos, alquimistas na Antigüidade, extração de metais de uma mistura.
Classificação das Bases
Como a solubilidade se relaciona com o grau de dissociação de bases.
Arrhenius realizou experimentos sobre ionização e dissociação iônica
Conceito de ácido, base e sal pela teoria de Arrhenius
Segundo o conceito de Arrhenius, em solução aquosa os ácidos produzem como cátion somente o hidrogênio, as bases produzem como ânion somente a hidroxila e os sais geram íons diferentes destes.
Flor de Hibisco: indicador ácido-base
Características e nomenclatura das Bases
Bases, dissociação iônica, hidróxido de sódio, hidróxido de cálcio, hidróxido de alumínio, íons, cátion, ânion, hidróxido de ferro, hidróxido de cobre, sabor adstringente.
Discos de alumínio.
Alumínio
Elemento metálico mais abundante da crosta terrestre, aspecto metálico branco, condutor de calor, Resistência à corrosão, Baixa densidade, Condutor de corrente elétrica, baixo ponto de fusão.
Taças de vidro cristal.
Vidro
Material inorgânico, óxidos fundentes, silicato, estrutura atômica molecular não cristalina, Vidro natural, rocha vítrea, rochas vulcânicas, obsidiana, Vidro Sintético, sílica, vidro sódio-cálcico, vidro boro-silicato, cristal.
Vidro para Box: qual o seu diferencial?
Classificação dos vidros
Saiba mais sobre a obtenção e utilização dos vários tipos de vidros.
O óxido de zinco é um óxido anfótero conhecido como alvaiade, sendo usado na pintura do rosto dos palhaços de circo
Óxidos anfóteros
Conheça a classificação dos óxidos em óxidos anfóteros, veja exemplos e como eles se comportam.