Cnidários

Os cnidários, animais pertencentes ao Filo Cnidaria, são animais aquáticos, encontrados, principalmente, no ambiente marinho. Apresentam um corpo relativamente simples, com uma parede formada por duas camadas de células separadas por uma camada de consistência gelatinosa. Sua estrutura corpórea lembra uma sacola, com apenas uma entrada, por onde o alimento entra e os resíduos saem, e uma grande cavidade central chamada de cavidade gastrovascular. Os cnidários surgiram há aproximadamente 680 milhões de anos, e hoje é conhecida uma grande variedade de espécies deles. Água-viva, hidra e anêmona-do-mar são exemplos de cnidários.

Saiba mais: Peixes – principais características, reprodução, sistema digestório, respiração

Características gerais dos cnidários

Os cnidários ou celenterados são animais aquáticos encontrados em água doce e salgada, sendo a maioria das espécies marinha. Diferentemente das esponjas, esses animais destacam-se por apresentarem tecidos verdadeiros. Tecidos contráteis e células nervosas são observados neles.

Os cnidários são animais diblásticos, sendo seu corpo formado por dois folhetos embrionários: a ectoderme e a endoderme. A ectoderme é responsável por formar a epiderme, a camada de células mais externa do animal, enquanto a endoderme é responsável por formar a camada de células mais interna, chamada de gastroderme. Esses animais exibem uma simetria radial, o que significa que partes semelhantes do seu corpo estão repetidas ao redor de um eixo central.

Leia também: Turritopsis dohrniio cnidário imortal, pois tem a capacidade de voltar a ser jovem

Estrutura corporal de um cnidário

Os cnidários apresentam um corpo que lembra um saco, possuindo uma abertura que se conecta a uma grande cavidade. A cavidade central do corpo é denominada cavidade gastrovascular e é onde ocorre parte do processo de digestão, uma vez que esses animais possuem digestão extracelular e intracelular. A cavidade gastrovascular funciona ainda como um esqueleto hidrostático. A abertura que comunica o meio externo com essa cavidade é chamada de boca e é por onde o alimento entra no corpo do animal e seus resíduos saem.

As medusas apresentam forma de movimentação ativa, diferentemente dos pólipos.
As medusas apresentam forma de movimentação ativa, diferentemente dos pólipos.

A região onde a boca está localizada recebe o nome de superfície oral, enquanto a região oposta é chamada de aboral. Na superfície oral observamos, além da boca, vários tentáculos. Esses tentáculos estão dispostos de maneira circular ao redor da boca e são especializados na captura de alimento e na sua manipulação.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A parede do corpo dos cnidários é formada por duas camadas celulares: a epiderme e a gastroderme. A epiderme é a camada mais externa, enquanto a gastroderme está localizada mais internamente e reveste a cavidade gastrovascular. Entre a gastroderme e a epiderme, encontra-se uma camada gelatinosa que, geralmente, não apresenta células e recebe o nome de mesogleia.

Principais estruturas do corpo dos cnidários. As partes do cnidócito: 1- filamento, 2-espinhos, 3- cnidocílio, 4- núcleo e 5- cápsula do nematocisto.
Principais estruturas do corpo dos cnidários. As partes do cnidócito: 1- filamento, 2-espinhos, 3- cnidocílio, 4- núcleo e 5- cápsula do nematocisto.

Por todo o corpo do animal, observa-se células especializadas chamadas de cnidócitos, que atuam na proteção do organismo e na captura das presas. Essas células são arredondadas e apresentam uma organela em formato de cápsula chamada cnida. Os nematocistos são um tipo de cnida caracterizado por ser uma cápsula que contém um filamento enrolado.

Em algumas espécies, há uma espécie de gatilho denominado cnidocílio, que, quando ativado, libera o filamento. Esse filamento, quando disparado por substâncias químicas ou contato, perfura a presa e injeta a substância urticante produzida pelo cnidário. Essa substância pode ter diversas ações, causando, por exemplo, paralisia ou morte da presa.

Vale destacar que os acidentes com cnidários são relativamente comuns em todo o mundo. O contato humano com esses animais pode causar diferentes reações. Algumas espécies podem provocar queimaduras dolorosas e irritações. Outras podem ser mais agressivas, como a vespa-do-mar, que possui um veneno bastante letal, capaz de provocar parada cardíaca e a morte.

Leia também: Superpopulação de cnidários – causas e consequências

  • Pólipo e medusa

O plano corporal dos cnidários apresenta duas variações: o pólipo e a medusa. Os pólipos são formas cilíndricas ou colunares que se mantêm fixas aos substratos por sua superfície aboral. A região oral fica voltada para cima, assim como seus tentáculos. Apesar de serem considerados formas sésseis, alguns pólipos podem mover-se de maneira lenta utilizando músculos na sua região aboral ou ainda contrair seu corpo de modo a realizar uma espécie de natação. Anêmonas-do-mar e corais são representantes dos pólipos.

As anêmonas-do-mar são pólipos.
As anêmonas-do-mar são pólipos.

As medusas, diferentemente dos pólipos, apresentam uma movimentação mais ativa. Elas são capazes de mover-se contraindo seu corpo ou ainda sendo levadas pelas correntezas. Aqui temos uma organização corporal que lembra um guarda-chuvas. A boca fica voltada para baixo, assim como seus tentáculos.

Alguns cnidários passam todo seu ciclo de vida como pólipo ou como medusas, outros, no entanto, apresentam estágios polipoides e estágios medusoides. Nesses últimos, temos, no ciclo de vida, a chamada alternância de gerações ou metagênese.

Alimentação dos cnidários

Os cnidários são animais basicamente carnívoros. Eles não apresentam sistema digestório, sendo a digestão iniciada no interior da cavidade gastrovascular e completada nas células que revestem essa cavidade (células gastrodérmicas). Temos nesses animais, portanto, uma digestão extracelular e intracelular. Os resíduos do alimento que não foi aproveitado pelo cnidário são eliminados pela boca.

Respiração nos cnidários

Os cnidários não possuem sistema respiratório. Nesses animais, as trocas gasosas ocorrem na superfície corporal por meio do processo de difusão.

Excreção nos cnidários

A eliminação do produto do metabolismo celular dos cnidários não ocorre por meio de um sistema excretor. Assim como as trocas gasosas, a excreção ocorre por difusão via superfície corporal.

Saiba mais: Fisiologia da excreção dos animais invertebrados

Percepção de estímulos nos cnidários

Os cnidários apresentam um sistema nervoso difuso. Isso significa que células nervosas estão espalhadas pelo corpo do animal, não sendo observado, por exemplo, um encéfalo, como nos vertebrados. Esses animais detectam e respondem estímulos de diferentes direções. As medusas do grupo dos cubozoários apresentam olhos complexos, formados por uma lente e células sensoriais em um arranjo retiniforme. Estatocistos também estão presentes em medusas, sendo estruturas relacionadas com o equilíbrio do animal.

Classificação dos cnidários

Os cnidários são classificados em quatro classes: Hydrozoa, Scyphozoa, Cubozoa e Anthozoa. Veja o quadro com algumas das principais características dessas classes:

Classes dos Cnidários

 

Hydrozoa

Scyphozoa

Cubozoa

Anthozoa

Características gerais

Nos hidrozoários o estágio de vida polipoide é mais facilmente notado do que nas  medusas. Na maioria dos animais desse grupo, observa-se a alternância de gerações.

Os cifozoários vivem a maior parte do seu ciclo de vida na forma de medusa. Em algumas espécies, observa-se a alternância de gerações, mas em muitas o estágio polipoide é ausente.

Os cubozoários passam a maior parte do seus ciclos de vida como medusas. No estágio medusoide, eles apresentam um formato de cubo.

Nos antozoários temos organismos ocorrendo apenas como pólipos.

Representantes

Hidra

Aurelia sp

Vespa-do-mar

Anêmonas-do-mar e corais

Reprodução dos cnidários

Os cnidários são animais que podem reproduzir-se de maneira sexuada e assexuada. Em algumas espécies, é possível observar a alternância de gerações ou metagênese, na qual, em uma fase do ciclo, um organismo comporta-se como pólipo assexuado, e, em outra, como medusa sexuada. Vejamos mais sobre a reprodução desses animais:

  • Reprodução assexuada: o brotamento é o tipo mais comum de reprodução assexuada observada em cnidários. Nas hidras, por exemplo, verifica-se a formação de um broto que posteriormente se desprende do corpo da hidra-mãe e dá origem a um novo ser.
O brotamento é uma forma de reprodução assexuada que pode ser vista na hidra.
O brotamento é uma forma de reprodução assexuada que pode ser vista na hidra.
  • Reprodução sexuada: é o tipo de reprodução que envolve a formação de gametas. Nas hidras isso também é observado, sendo o espermatozoide formado em um indivíduo, e o ovo, em outro. O espermatozoide é liberado na água, então pode encontrar uma hidra fêmea e fecundar o ovo formado no ovário desse animal. A partir da fecundação, forma-se o zigoto, revestido por uma espécie de cápsula. Esse embrião encapsulado permanece no ambiente até que a cápsula amolece e uma hidra jovem surge.
  • Alternância de gerações: observa-se uma fase de pólipo assexuada e uma de medusa sexuada. Em alguns hidrozoários, por exemplo, pode-se observar pólipos dando origem a medusas por um processo assexuado. Essas medusas liberam gametas na água, que, ao  fecundarem-se, dão origem a larvas plânulas que são natantes. Essas podem nadar e fixar-se no substrato, dando origem a um novo pólipo. Vale salientar que pode haver variação nesse ciclo, a depender da espécie estudada.
Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios

Questão 1

As águas-vivas são exemplos de representantes do filo Cnidaria que frequentemente causam acidentes nas praias. São comuns relatos de pessoas que apresentaram queimaduras por esses animais. Esses seres apresentam como forma de defesa uma célula capaz de liberar um líquido urticante, que em humanos pode ocasionar queimaduras. O nome dessa célula é:

a) coanócitos.

b) amebócitos.

c) cnidoblastos.

d) quelícera.

e) pinacócitos.

Questão 2

Grande parte dos cnidários passa por dois estágios na vida: o de pólipo e de medusa. A respeito do ciclo de vida desses animais, marque a alternativa incorreta.

a) Os pólipos, na maioria das vezes, são sésseis, ou seja, ficam presos ao substrato.

b) As medusas geralmente são natantes.

c) Pólipos e medusas apresentam boca, porém não possuem ânus.

d) Apenas as medusas apresentam tentáculos.

e) Algumas espécies de pólipos são capazes de se mover pelo substrato.

Mais Questões
Assuntos relacionados
Representantes dos anelídeos portadores de cerdas.
Anelídeos
Filo Annelida, Reino Animal, Animais invertebrados, Triblásticos, Celomados, Corpo cilíndrico, Simetria bilateral, Metamerização, Anéis corporais, Sistema Circulatório fechado, Metanefrídeos, Respiração cutânea, Cordões nervosos ventrais, Fecundação cruzada, Classe Oligochaeta, Cerdas, Clitelo, Classe Polychaeta, Parapódios, Classe Hirudínea, Hermafroditas.
Aglomerados de lombrigas: Ascaris lumbricoides.
Nematelmintos
Filo Nematoda, Invertebrados, Dimorfismo sexual, Bilateralidade corporal, Triblásticos, Pseudocelomados, Protostômios, Nematódeos, Renete, Ascaridíase, Lombriga, Oxiurose, Enterobiose, Higiene pessoal, Endoparasitas.
O filo dos cordados é bastante diversificado.
Filo Chordata
Grupo de animais cuja maioria possui endoesqueleto e sistema circulatófico com coração ventral.
Você sabia que existe uma espécie de cnidário imortal?
O cnidário imortal
Você sabia que existe uma espécie de cnidário imortal? Clique aqui e saiba mais sobre a Turritopsis dohrnii!
Os mamíferos têm capacidade de inteligência, memória e aprendizado maior que a dos outros vertebrados
Mamíferos
Clique aqui e veja quais são as principais características dos mamíferos.
Lampreia: um vertebrado que não possui vértebra
Agnatos
Sobre estes vertebrados que não possuem vértebras (nem mandíbula) e são dotados de endoesqueleto cartilaginoso, que preenche seus corpos cilíndricos. Habitam ambientes aquáticos.
Cavalo-marinho: um peixe ósseo actinoperígeo.
Peixes ósseos (osteíctes)
Grupo que abriga a maior quantidade de espécies de peixes.
Dentição das serpentes peçonhentas
Conheça mais sobre a dentição das serpentes peçonhentas e como elas conseguem inocular o veneno que produzem.
Todos os soros antipeçonhentos são produzidos pelo mesmo processo
Soro antipeçonhento
Saiba como ocorre a produção de soro antipeçonhento, tratamento utilizado em vítimas de acidentes com animais peçonhentos.
Esquema da circulação dupla e completa nas aves
Sistema circulatório das aves
As aves são animais que apresentam circulação dupla e completa, veja aqui como ocorre o sistema circulatório das aves.
Poríferos são encontrados em quase todos os ambientes aquáticos
Curiosidades sobre as esponjas
Curiosidades sobre as esponjas (poríferos), animais que não possuem tecidos diferenciados e são encontrados em quase todos os ambientes aquáticos, desempenhando diversas relações com outros organismos.
Poríferos
Amplie seus conhecimentos sobre poríferos descobrindo mais sobre a estrutura dos seus corpos bem como sobre seu tipo de reprodução e importância ecológica.
Estrela-do-mar e Ouriço-do-mar.
Equinodermos
Animais unicamente marinhos cujo corpo geralmente apresenta espinhos.
Fisiologia da respiração dos animais invertebrados
As simples adaptações do sistema respiratório e as trocas gasosas dos invertebrados.
Para viver no ambiente aquático, os peixes contam com várias importantes adaptações
Adaptações dos peixes à vida aquática
Conheça as principais adaptações dos peixes à vida aquática e entenda por que esses animais sobrevivem tão bem nesse ambiente.