Ribossomos

Os ribossomos são estruturas presentes em todos os tipos celulares, estando, portanto, tanto em organismos procariontes quanto em organismos eucariontes.

Alguns autores classificam os ribossomos como organelas não membranosas, outros, no entanto, preferem não atribuir a denominação de organela a essas estruturas devido à sua ausência de membrana.

Responsáveis pela síntese de proteínas, os ribossomos são constituídos por RNA ribossomal e proteínas associadas. Podem ocorrer de maneira isolada no citosol ou então associados às membranas.

Leia mais: Proteínas – são encontradas na formação de células, hormônios e anticorpos

O que é um ribossomo?

O ribossomo é uma estrutura, com 20 nm a 30 nm, presente em todos os tipos celulares. É composto por duas subunidades, uma maior e uma menor, formadas por RNA ribossomal (RNAr) e proteínas.

Nos organismos eucariontes, o RNA ribossomal é produzido na região do nucléolo, e as proteínas, na região do citoplasma. Após formadas, as proteínas migram para o núcleo, entrando nessa região pelos poros, para associarem-se ao RNA ribossomal e darem origem às subunidades que formarão os ribossomos.

As duas subunidades são formadas no núcleo, porém não se unem nesse local, migrando em direção ao citosol de maneira independente. É no citosol que elas, ligadas a uma molécula de RNA mensageiro (RNAm), formarão um ribossomo funcional, ou seja, capaz de sintetizar proteínas.

Vale salientar que, tanto em organismos procariontes quanto em organismos eucariontes, as subunidades irão juntar-se apenas após a ligação da subunidade menor a uma molécula de RNA mensageiro.

O ribossomo é formado por duas subunidades, as quais se juntam apenas após a ligação com um RNA mensageiro.
O ribossomo é formado por duas subunidades, as quais se juntam apenas após a ligação com um RNA mensageiro.

Quando um ribossomo está formado com suas duas subunidades, é possível observar a presença de quatro sítios de ligação: o sítio para a ligação da molécula de RNA mensageiro, que está presente na unidade menor, e os sítios P, A e E, que estão presentes na subunidade maior e são sítios de ligação para o RNA transportador.

No sítio P, temos uma molécula de RNA transportador (RNAt) ligada à cadeia polipeptídica em formação. No sítio A, verifica-se a presença de uma molécula de RNA transportador portando o próximo aminoácido que será adicionado à cadeia em formação. Por fim, temos o sítio E, que é o local onde o RNA transportador, agora sem transportar um aminoácido, deixa o ribossomo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Diferença entre ribossomos de procariontes e de eucariontes

Os ribossomos de procariontes e os de eucariontes são responsáveis pela síntese de proteínas e apresentam-se bastante semelhantes. Entretanto, algumas diferenças podem ser observadas entre eles.

A primeira diferença diz respeito ao tamanho. Os ribossomos de eucariontes são maiores do que aqueles observados em organismos procariontes. A composição química dessas estruturas celulares também é diferente, apresentando, por exemplo, proteínas diferentes.

Essa diferença possui importância médica, uma vez que certos medicamentos são capazes de afetar os ribossomos de procariontes e de não afetarem os ribossomos das células eucariontes, sendo, portanto, importantes para o tratamento de doenças bacterianas.

  • Ribossomos livres e ligados

Os ribossomos podem ser encontrados em diferentes locais da célula e, dependendo de sua localização, podem receber a denominação de livres ou ligados.

Os ribossomos livres são aqueles que estão soltos no citosol da célula, os ligados, por sua vez, são aqueles que estão associados às membranas do retículo endoplasmático e do envelope nuclear.

Ribossomos livres produzem proteínas que, em sua maioria, funcionarão no próprio citoplasma. Os ligados, no entanto, produzem proteínas que atuarão dentro de organelas ou que serão excretadas para fora da célula. Em procariontes, observa-se a presença apenas de ribossomos livres, uma vez que esses organismos apresentam células sem núcleo definido e não possuem organelas membranosas.

Vale destacar ainda que, em células eucariontes, existem ribossomos encontrados no interior de cloroplastos e mitocôndrias. Eles são menores que os ribossomos que estão livres no citosol ou ligados nas membranas.

Leia mais: Antibióticos – conceito, descoberta e classificação

Função dos ribossomos

Os ribossomos atuam na síntese de proteínas, sendo, portanto, encontrados, em maior quantidade, em células com altas taxas de síntese proteica, como as células do pâncreas. Nas células com alta taxa de síntese, é comum a ocorrência de polirribossomos, que são grupos de ribossomos unidos por uma mesma molécula de RNA mensageiro. É o RNA mensageiro que contém o código para a sequência de aminoácidos que formará a cadeia polipeptídica que será sintetizada no ribossomo.

  • Como ocorre a síntese de proteínas?

A síntese de proteínas ocorre nos ribossomos e envolve três etapas: início, elongação e término. Veja, a seguir, um resumo de cada uma delas:

A síntese de proteínas ocorre em três etapas e envolve o ribossomo e diferentes tipos de RNA.
A síntese de proteínas ocorre em três etapas e envolve o ribossomo e diferentes tipos de RNA.
  • Início: na etapa de início, verifica-se a aproximação entre as subunidades do ribossomo, o RNA mensageiro e o RNA transportador. Esse último será responsável por levar o primeiro aminoácido que será colocado na cadeia polipeptídica.

  • Elongação: nessa etapa temos a adição dos aminoácidos que comporão a cadeia polipeptídica. O RNA transportador chega ao sítio A, e seu anticódon pareia-se, por complementaridade, com o códon do RNA mensageiro. O aminoácido por ele trazido liga-se, por meio de uma ligação peptídica, com a cadeia polipeptídica em formação que está no sítio P. O ribossomo então move o RNA transportador que está no sítio A para o sítio P, e aquele que estava no sítio P, para o sítio E, onde será liberado. Nesse processo, o RNA mensageiro também se move, deixando o códon que será traduzido exposto no sítio A.

  • Término: quando o ribossomo atinge o códon de termino (UAG, UAA e UGA) no RNA mensageiro, entra em ação o fator de liberação, uma proteína que promove a quebra da ligação entre o RNA transportador que está no sítio P e o último aminoácido da cadeia polipeptídica. Nesse momento, essa cadeia é liberada, e o complexo formado pelas subunidades ribossomais, o RNA mensageiro e o transportador, é desfeito.

Caso queira aprofundar-se mais nesse processo de tradução, leia nosso texto: Síntese proteica.

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios

Questão 1

Os ribossomos são organelas relacionadas com a:

a) síntese de lipídeos.

b) síntese de proteínas.

c) fotossíntese.

d) respiração celular.

e) digestão intracelular.

Questão 2

Analise as alternativas abaixo e marque aquela com o local da célula eucarionte onde é sintetizada a maior parte de RNA ribossomal.

a) membrana plasmática.

b) complexo golgiense.

c) nucléolo.

d) plasmídeo.

e) mitocôndrias.

Mais Questões
Assuntos relacionados
Microscópio de luz e Eletrônico
A diferença entre ambos e as características de cada um.
A célula eucarionte animal.
Células Eucariontes
Células eucariontes são células com núcleo individualizado e um rico sistema de membranas.
As organelas celulares estão localizadas no citoplasma da célula
Organelas celulares
Saiba mais sobre as organelas celulares, estruturas encontradas no interior da célula.
Todos os tipos de RNA são formados a partir de uma molécula de DNA
Síntese proteica
Entenda o processo de síntese proteica, os tipos de RNA necessários para que ela ocorra e conheça as fases de iniciação, alongamento e finalização.
O modelo do primeiro microscópio
O Primeiro Microscópio
Você sabe em qual século o primeiro microscópio foi construído? Confira aqui!
Observe a localização do retículo endoplasmático na célula
Retículo endoplasmático
Aprenda as principais características do retículo endoplasmático e entenda a diferença entre seus dois tipos.
Algumas etapas da respiração ocorrem nas mitocôndrias
Respiração aeróbica
Entenda as principais etapas da respiração aeróbica e suas diferenças quando comparada à respiração anaeróbica.
A composição membranosa de uma mitocôndria.
A Origem das Mitocôndrias
A hipótese simbiótica das mitocôndrias nas células eucariontes.
O Ciclo de krebs e a produção de energia para o trabalho celular.
Ciclo de Krebs
A produção de ATP, molécula que fornece energia para a célula.
Membrana plasmática
Que tal ampliar seus conhecimentos a respeito da membrana plasmática? Clique aqui e conheça as principais características dessa membrana e suas funções!