Regência do verbo lembrar

Falando em regência... logo o que nos surge à mente é a relação que se estabelece com seu respectivo complemento, podendo esse  (o complemento) vir seguido ou não da preposição. Outro aspecto que também norteia tal ocorrência reside no fato de que um mesmo verbo pode perfeitamente obedecer a duas regências distintas - a depender do contexto em que se encontrar inserido. Pois bem, essa foi uma particularidade, ainda que existam outras, como é o que ocorre com o verbo que elegemos para estabelecer um pouco mais de familiaridade: o verbo lembrar.    

Falando nele, cabe ressaltar que o verbo lembrar, assim como o verbo esquecer, representa um ato involuntário, cujo sentido se refere à ação de vir à memória. Assim, por meio do enunciado que segue, continuemos:

Eu me lembrei de pegar as encomendas que chegaram.

Note que nesse caso, como o verbo se apresenta na sua forma pronominal, necessariamente o uso da preposição se torna um fato indiscutível – encontrada em meio ao complemento.

Da mesma forma ocorre quando o complemento é um verbo na forma infinitiva, como em:

Ele não se lembrou de estudar para a prova.    
Pronominal, por excelência.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Prosseguindo, analisemos outro enunciado:

Tudo aqui lembra você. (o sentido aqui expressa, pelo fato de trazer à memória, alguém)

Paulo lembra a prima mais velha. (ele se parece com a prima mais velha)

Em ambos os casos inferimos que o verbo em questão se classifica como transitivo direto, dada a ocorrência de o complemento não ser demarcado pelo uso da preposição.

Aproveitando esse aspecto da transitividade, cabe ressaltar acerca de dois pontos relevantes: um deles se refere ao fato de o verbo ser constituído de objeto direto de pessoa e indireto de assunto, ou seja, lembramos alguém (O. D.) de algo (O. I.).

Gostaria de lembrá-lo de suas obrigações.
                           (O.D)    (O.I.)

Como também pode ter objeto direto de assunto e indireto de pessoa, ou seja, lembramos algo a alguém.

Desejamos lembrar-lhes que as reuniões já foram marcadas.
                              (O. I.)           (O. D.)

Conhecer a regência do verbo lembrar: sinal de competência linguística
Conhecer a regência do verbo lembrar: sinal de competência linguística
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte
Assuntos relacionados
Regência Nominal
Você sabe o que é uma regência nominal? Clique aqui e aprenda!
Atribui-se uma singular importância a tal fato linguístico
A regência verbal constituída de pronomes relativos
Constate acerca de algumas elucidações pertinentes a esse caso!
<p>O verbo “induzir” tem origem no latim <em>inducere</em> e pode apresentar diferentes significados</p>
Regência do verbo “induzir”
Dúvidas verbais: Clique e confira uma explicação simples e eficiente sobre a regência do verbo “induzir”.
Na oração acima, o verbo responder pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “ser responsável”
Regência do verbo “responder”
Saiba como se constrói a regência do verbo responder, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na frase, o verbo “chamar” é transitivo indireto, tem o sentido de “recorrer” e, por isso, pede um objeto indireto
Regência do verbo chamar
Saiba como se constrói a regência do verbo chamar, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na oração acima, o verbo “interessar” pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “importar”
Regência do verbo “interessar”
Saiba como se constrói a regência do verbo “interessar”, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na oração acima, o verbo “visar” é transitivo indireto, possui o sentido de “ter por objetivo” e, por isso, pede um objeto indireto
Regência do verbo visar
Saiba como se constrói a regência do verbo “visar”, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa, tais como mirar, apontar, dar visto, ter em vista etc. Por esses diversos sentidos, ele pode ser classificado como um verbo transitivo direto ou um verbo transitivo indireto acompanhado da preposição “a”.
A regência é demarcada pelo sentido que representa
O verbo implicar – sentidos distintos implicam em diferentes regências
Norteie seu conhecimento acerca dessa ocorrência linguística!
No estudo da regência do verbo “insistir”, constatamos que ele se apresenta como transitivo indireto, bem como intransitivo
Regência do verbo insistir
Analisando a regência do verbo “insistir”, constatamos que ele pode ser transitivo indireto e intransitivo. Clique e confira!
A regência do verbo agradecer se demarca pelo fato de ele ser constituído de dois complementos: um objeto direto e outro indireto
Regência do verbo agradecer
Que tal conhecer a regência do verbo “agradecer”? Com certeza você não terá mais nenhuma dúvida em relação a esse fato linguístico, pois é só clicar!
A regência do verbo “falar” é demarcada pelo fato de ele se apresentar acompanhado de distintos complementos
Regência do verbo falar
A depender dos complementos inerentes ao verbo “falar”, este obedece a regências distintas. Certifique-se desse fato linguístico aqui!
Em se tratando das particularidades da regência, o verbo responder se classifica como transitivo indireto e bitransitivo.
Verbo Responder – particularidades da regência
Você responde a pergunta ou à pergunta? Antes de responder corretamente, clique e confira acerca das particularidades da regência desse verbo.