Whatsapp icon Whatsapp

Tinham ou tinha?

A conjugação do verbo “ter” é assunto de muitas dúvidas, não propriamente do próprio verbo, mas de seus derivados. Vejamos algumas considerações:

O verbo “ter” quando no sentido de “existir” é impessoal e ficará na 3ª pessoa do singular.
Por esse motivo, é errado dizer: Tinham muitas coisas para fazer. O certo é: Tinha muitas pessoas no clube, Tinha possibilidades de você permanecer?

Se o verbo “ter” estiver auxiliando o verbo “haver” permanecerá na 3ª pessoa do singular: Tinha havido várias reuniões antes desta.

Alguns derivados do verbo “ter” são: manter, reter, deter, obter, conter, entreter, dentre outros.

As conjugações dos verbos derivados do “ter” são constantemente causas de equívocos na língua: Se o banco não manter o meu talão de cheque, mudo para outro. Se você reter líquido, poderá ter má circulação.

No presente do indicativo a conjugação fica: eu tenho, eu retenho, eu detenho, eu obtenho, eu contenho, eu entretenho.

A conjugação no futuro do subjuntivo é acompanhada de “quando” ou “se” e indica possibilidade: quando eu tiver, se o banco retiver, se ele detiver, se eu obtiver, quando isso contiver, quando ela entretiver.

Então, retomando as frases expostas em parágrafo acima, o certo será: Se o banco não mantiver o meu talão, mudo para outro. Se você retiver líquido, poderá ter má circulação.

Quando ficar em dúvidas, consulte a conjugação do verbo “ter”, pois os derivados deste seguem o mesmo padrão. Logo, se no futuro do presente o verbo “ter” apresenta a seguinte conjugação: eu terei, tu terás, ele/ela terá, nós teremos, vós tereis, eles/elas terão, então, o verbo “manter” seguirá o mesmo raciocínio: eu manterei, tu manterás, ele/ela manterá, nós manteremos, vós mantereis, eles/elas manterão.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
Publicado por Sabrina Vilarinho

Artigos Relacionados

Deferir ou diferir?
Saiba mais sobre os significados de diferir, deferir, deferido, indeferido!
Ficaram ou ficarão?
Descubra qual é o contexto adequado para usar o termo “ficaram” e o termo “ficarão”. Entenda a diferença entre esses usos e pratique mais com exercícios.
Haja vista deve ser sempre empregada de forma invariável
Haja vista ou haja visto?
Haja vista ou haja visto: embora representem expressões usuais, apenas a primeira considera-se como adequada.
O emprego das palavras "perca" e "perda" pode gerar algumas dúvidas
Perca ou perda? Qual usar?
Por que é errado quando dizemos “perca de tempo”?
Tivesse e estivesse: uma forma pertence ao verbo estar; e a outra, ao verbo ter
Tivesse e estivesse
“Tivesse” pertence ao verbo ter; e “estivesse”, ao verbo estar.
Trata-se de ou tratam-se de representam um dos muitos questionamentos linguísticos
Trata-se de ou tratam-se de?
Qual das duas formas é considerada correta: trata-se de ou tratam-se de? Dúvidas? Retire-as e ainda amplie sua competência linguística, clicando e conferindo!
video icon
Filosofia
Banalidade do mal | Hannah Arendt
Uma das maiores pensadoras do século XX, Hannah Arendt cunhou o conceito de banalidade do mal. Para a filósofa, havia um tipo de prática do mal (inerente, inclusive, ao regime nazista e a outros totalitarismos) que não era aquela por quem acreditava no mal, mas por alguém que cumpria ordens visando a uma ascensão na carreira militar. Para a pensadora, esse era o mal banal, muito mais perigoso que o mal praticado por quem tem a finalidade apenas no mal em si. Assista ao nosso vídeo para entender o assunto!

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Matemática
Área da esfera
Clique para aprender a calcular a área da esfera.
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Estrangeirismo
Nessa videoaula você entende sobre o estrangeirismo na música "Samba do Approach."
video icon
videoaula brasil escola
História
Crise de 1929
A quebra da bolsa de valores de Nova Iorque afetou não só os EUA, como o mundo. Entenda!