Formação do operariado brasileiro

A Constituição Federal de 1891 se preocupava muito pouco com os problemas sociais. As relações de trabalho mantidas entre empregadores e empregados nas indústrias e nas cidades eram estabelecidas pela burguesia (mercantil, industrial, e financeira). O movimento operário ainda era muito incipiente, não tinha articulação política, apenas queria melhorar suas condições de vida.

A formação do operariado brasileiro se efetivou prioritariamente por brasileiros oriundos de regiões pobres e pela grande maioria de imigrantes estrangeiros (italianos, alemães, japoneses, poloneses, entre outros). Suas primeiras articulações aconteceram a partir do surgimento de ligas operárias e sociedades de resistência.

As principais reivindicações dos operários giravam em torno da melhoria das condições de trabalho (menor jornada de trabalho, assistência ao trabalhador doente e acidentado) e pela melhoria das condições de vida (moradia, educação, alimentação e saúde). Outra luta travada pelos trabalhadores foi pela normatização e regulamentação dos direitos trabalhistas feminino e infantil.

A articulação política do operariado brasileiro teve início com a vinda de teorias sociais advindas da Europa (por meio dos imigrantes europeus). Suas principais teorias eram o socialismo científico (Marx e Engels) e o anarquismo (Godwin e Bakunin). Os primeiros sindicatos foram formados e, concomitantemente, os trabalhadores foram desenvolvendo uma conscientização política e de classe, organizando greves e manifestações de caráter principalmente reivindicatório.

O socialismo exerceu importante papel na articulação dos operários. Em 1906, fundou-se o Partido Socialista Brasileiro, de tradição marxista, que mostrou aos trabalhadores que o antagonismo de classe move a história. O anarquismo teve maior importância na organização do movimento operário brasileiro no início do século XX. Sua principal preocupação seria a abolição da propriedade privada (burguesa liberal), pois havia a seguinte ideia: ‘os recursos naturais da terra pertencem a toda a sociedade, sua apropriação para fins privados é furto’.

As principais greves operárias ocorridas durante a Primeira República foram articuladas pelos anarquistas. Outro fato bastante presente era a grande circulação de jornais anarquistas: A Lanterna, La Battaglia, o Semanário Avanti, entre outros. Os anarquistas utilizavam a imprensa para propagar com maior eficácia as ideias sociais de contestação da ordem social vigente e tornar os operários conscientes politicamente.     
                                            
Com a industrialização no Brasil, principalmente nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, houve uma rápida urbanização, na qual as cidades aumentaram sem nenhum planejamento, trazendo sérios problemas: falta de tratamento de água e esgoto, principalmente nos arredores onde se localizavam os bairros operários e os cortiços, agravando a falta de higiene e proliferação de doenças. Geralmente os operários viviam precariamente e miseravelmente com suas famílias nos cortiços ou habitações sublocadas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
Formação do operariado brasileiro: bairros operários e família de imigrantes.
Formação do operariado brasileiro: bairros operários e família de imigrantes.
Publicado por: Leandro Carvalho
Assuntos relacionados
O governo de Epitácio Pessoa enfrentou diversas insurreições contrárias aos ditames da ordem oligárquica.
Governo Epitácio Pessoa
As revoltas e movimentos de um governo que sinalizou a crise das oligarquias.
A alternância de mineiros e paulistas na presidência só foi possível com a “política dos governadores”.
Política dos governadores
O jogo político que conservava o poder nas mãos dos oligarcas.
Greve geral operária. Jornal A Batalha. nº1.139.
Greves operárias na Primeira República
As greves operárias na Primeira República ocorreram em virtude da ascensão das ideias socialistas e anarquistas disseminadas pelos imigrantes estrangeiros que vieram para o Brasil no século XX. Veja mais aqui!
Ricardo Kirk, patrono da aviação brasileira. Na Guerra do Contestado, pela primeira vez no Brasil, foram utilizados aviões em combate
Guerra do Contestado e messianismo
Conheça a Guerra do Contestado, um dos movimentos sociais messiânicos do início do século XX no Brasil.
Capa da primeira edição da obra “Raízes do Brasil” (José Olympio, 1936), de Sérgio Buarque de Holanda
O Homem Cordial na Formação do Brasil
Entenda a importância do conceito de “O Homem Cordial” na formação do Brasil, tal como propôs o historiador Sérgio Buarque de Holanda.
A Revolta da Chibata sofreu uma repressão violenta por parte do governo do presidente Hermes da Fonseca*
Revolta da Chibata
Neste link você terá acesso a informações que abordam especificamente a revolta dos marujos brasileiros: a Revolta da Chibata.
Governo Campos Sales: acordos políticos em favor dos interesses das oligarquias.
Governo Campos Sales
Governo Campos Sales, República Oligárquica, Política dos Governadores, funding loan, inflação, moratória, empréstimos internacionais, agroexportação, desenvolvimento industrial, centros urbanos, problemas sociais, exclusão política.
Imitar a Europa ou valorizar o Brasil? – um dos grandes dilemas que marcaram a Semana de Arte Moderna de 1922.
Semana de Arte Moderna de 1922
O movimento que “revirou” os padrões estéticos e intelectuais do Brasil.