Whatsapp icon Whatsapp

Literatura de cordel

A literatura de cordel chegou ao Brasil com os portugueses e tornou-se um meio de eternizar as narrativas cantadas pelos repentistas populares do Nordeste brasileiro
Cordéis expostos em Olinda, Pernambuco.
Cordéis expostos em Olinda, Pernambuco.

A literatura de cordel tornou-se uma tradicional forma de narrativa no Nordeste brasileiro, sendo, há algumas décadas, não apenas um elemento da cultura nordestina e nortista, mas um propagador das tradições dessas regiões. Sua origem vem dos trovadores medievais e da Renascença, que, com a possibilidade de imprimir em grande escala, criaram não só os cordéis, como deram início à imprensa.

Origem

O cordel foi originado em Portugal pelos trovadores medievais, que, nos séculos XII e XIII, cantavam poemas, espalhando histórias para a população a qual, em sua grande maioria, não era letrada. Com a criação de métodos de impressão em larga escala na Renascença, possibilitou-se a grande distribuição da palavra, que, até então, era apenas cantada. Assim o cordel nasceu, popularizando-se pelo povo por meio da exposição dos papéis pendurados em cordas — ou cordéis, como são chamadas em Portugal.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia também: Invenção da imprensa

Chegou ao Brasil por meio dos colonizadores, popularizando-se e auxiliando na criação e manutenção do imaginário popular e folclórico dos estados do Norte e do Nordeste brasileiros. Os cordéis até hoje são muito importantes para a preservação dos costumes regionalistas e pelo incentivo à leitura, ajudando na diminuição de analfabetismo nesses locais.

Com linguagem simples, os cordéis espalharam-se pelo Brasil por meio dos repentistas — violeiros que cantavam as histórias escritas pelos poetas de bancada, nome esse atribuído aos autores de cordéis que manufaturavam suas próprias publicações.

Aprenda mais sobre: Folclore brasileiro

Principais características

  • No geral, o cordel é escrito em métrica com rimas que fazem a musicalidade dos versos.

  • Torna-se uma forma de resistência para o folclore da região de onde surge, já que o gênero cordel trata dos costumes locais, fortalecendo as identidades regionais.

  • A literatura de cordel é muito conhecida por suas xilogravuras, as quais ilustram as páginas dos poemas. Essa técnica é muito usada na literatura de cordel porque, uma vez que a matriz do desenho é feita, é possível imprimir o desenho inúmeras vezes.

Principais autores

  • Leandro Gomes de Barros

Foi o primeiro brasileiro a escrever cordéis. Produziu 240 obras que ficaram muito conhecidas pelo imaginário popular do Nordeste brasileiro e também pelo Brasil todo. É o caso da peça “Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna, baseada nos cordéis de Barros.

Capa do livro "Auto da Compadecida" de Ariano Suassuna (EDITORA AGIR).

  • João Martins de Athayde

Ficou conhecido por utilizar imagens de artistas de Hollywood em seus cordéis. Após a morte de Leandro Gomes de Barros, Athayde adquiriu alguns dos direitos de publicação de seus cordéis, sendo descoberto, recentemente, que a verdadeira autoria deles, na verdade, é de Barros.

Exemplo de verso solto de cordel

Galopo pensando no tempo que passa,

Tão vertiginoso qual sopro do vento

Que varre caminhos e até pensamento,

Deixando pra trás, nevoeiro, fumaça…

O sopro é o que traz um alento e abraça

A vida que segue traçando caminho.

O tempo é o relógio no redemoinho

Dos dias, semanas, dos meses, dos anos

Passados, presentes, anelos e planos,

Que foram, por certo, gerados no ninho.

 

Seguindo o caminho de curva fechada,

Um forte arrepio na espinha dorsal;

Na beira da mata, um estranho arsenal

De tocos, garranchos e pedra lascada

Vedando o acesso, atrasam a jornada,

Cansaço medonho desse galopar

São léguas à frente e o tempo a rolar

No despenhadeiro do dia que morre

Nos braços da noite, um pranto escorre

Em gotas que banham a terra e o ar.

 

E quando amanhece, o sol ilumina

A estrada de pedra que resta a seguir.

Sem olhar para trás, à frente, há porvir,

Na noite cinzenta, ficou a neblina

No leito do rio de água cristalina,

O corpo tão frágil se banha sedento.

Erguendo o olhar ao azul firmamento,

Tentando alcançar a linha do horizonte

Que tece a beleza que nasce da fonte

E expressa a grandeza da força do vento.”

 

“Galopando no tempo e no vento”, de Creusa Meira.

Para saber mais sobre repentistas nordestinos: Patativa do Assaré

Resumo

A literatura de cordel aconteceu no Brasil graças às influências que Portugal trouxe consigo. Os cordéis medievais e trovadorescos aqui ganharam outros temas, fortalecendo a cultura regionalista (que hoje representa todo o Norte e Nordeste do Brasil) e tornando-se, no ano de 2018, patrimônio imaterial brasileiro.

O cordel é uma impressão de baixo custo feita com prensas, que facilitam sua grande produção e distribuição. Suas temáticas variam muito, mas os mais comuns contam casos e histórias tradicionais da região. Alguns contam com personagens folclóricos, o que fortalece mais ainda a cultura local. Os textos são rimados e metrificados por virem de histórias cantadas por repentistas — tradicionais violeiros do Nordeste brasileiro que cantam histórias improvisadas e rimadas.

Publicado por Fernando Marinho
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

22 de abril – Descobrimento do Brasil
Clique aqui para saber sobre o descobrimento do Brasil. Entenda como os portugueses chegaram aqui, e veja se esse dia é considerado feriado nacional.
Acróstico
Conheça o acróstico! Aprenda tudo sobre essa forma de versificação, quais são os diferentes modos de utilizá-lo e os diferentes efeitos estéticos que ele pode causar.
Ariano Suassuna
A arte como vocação, missão e festa: Conheça a vida e a obra do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna.
Gêneros literários
Saiba quais são os gêneros literários e suas características, bem como conheça os seus subgêneros.
Johann Gutenberg foi o responsável pela invenção da imprensa no século XV
Invenção da Imprensa
Saiba mais sobre a Invenção da Imprensa e que impacto essa invenção ocasionou na sociedade moderna.
Mangue Beat
Acesse este link para conhecer o Mangue Beat, movimento de contracultura que surgiu em Recife. Entenda o contexto de origem desse movimento.
No período renascentista, houve um grande desenvolvimento tecnológico, econômico e científico
Renascimento
Aprenda mais sobre o Renascimento, movimento que valorizava o ser humano e suas capacidades, retornando aos ideias da Antiguidade greco-latina.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas.