Whatsapp icon Whatsapp

Ultrarromantismo

O ultrarromantismo é um movimento literário marcado pelas temáticas do sofrimento amoroso e da morte. Álvares de Azevedo é o principal poeta ultrarromântico brasileiro.
Coração partido sobre livro, em alusão ao ultrarromantismo.
A principal temática do ultrarromantismo é o sofrimento amoroso.

Ultrarromantismo é como ficou conhecida a segunda fase do romantismo no Brasil e em Portugal. As obras ultrarromânticas manifestam o sofrimento amoroso, além da idealização do amor e da mulher. Também apresentam morbidez, melancolia e pessimismo. Dessa fase, são bastante famosos os escritores Álvares de Azevedo (no Brasil) e Camilo Castelo Branco (em Portugal).

Leia também: O que marcou a terceira fase do romantismo no Brasil?

Resumo sobre ultrarromantismo

  • O ultrarromantismo é a segunda fase do romantismo no Brasil e em Portugal.

  • Suas principais características são o exagero sentimental, a melancolia e o pessimismo.

  • As duas principais temáticas dessa fase romântica são o amor e a morte.

  • No Brasil, merecem destaque os poetas ultrarromânticos Álvares de Azevedo e Casimiro de Abreu.

  • Em Portugal, Camilo Castelo Branco e Soares de Passos são dois importantes autores desse movimento.

O que é ultrarromantismo?

Ultrarromantismo é um movimento literário referente à segunda fase do romantismo português e brasileiro.

Videoaula sobre a geração ultrarromântica

Contexto histórico do ultrarromantismo

Em Portugal, a segunda regência de Maria II (1819-1853) — iniciada em 1834, após uma guerra civil que durou dois anos — foi marcada por conflitos políticos na transição entre o absolutismo e o constitucionalismo. Com a morte da rainha, em 1853, assumiu o poder o rei Pedro V (1837-1861), que conseguiu certa harmonia política no país.

O ultrarromantismo chegou ao Brasil durante o Segundo Reinado, quando o país era governado por D. Pedro II (1825-1891). Seu governo foi marcado pela centralização política, pela economia agroexportadora e pela Guerra do Paraguai, um fator importante para a decadência da monarquia brasileira.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Diante da realidade política desses países, alguns autores românticos optaram pelo escapismo e pela alienação social. Abandonaram os anseios coletivos para se centrarem na dor individual. Eram escritores que valorizavam a inadaptação social inspirada pelo personagem Werther, de Goethe.

Veja também: Características e fases do romantismo em Portugal

Características do ultrarromantismo

  • Spleen ou melancolia

  • Expressão do tédio

  • Temática da morte

  • Amor impossível

  • Caráter sombrio

  • Extrema subjetividade

  • Individualismo

  • Fuga da realidade

  • Aspecto saudosista

  • Visão pessimista

  • Angústia existencial

  • Sofrimento amoroso

  • Exagero sentimental

  • Defesa do amor e da liberdade

  • Idealização do amor e da mulher amada

  • Descrição do locus horrendus ou lugar tempestuoso

Exemplo de poesia ultrarromântica

Leia o poema “Por que mentias?”, do livro Lira dos vinte anos, de Álvares de Azevedo:

Por que mentias, leviana e bela,
Se minha face pálida sentias
Queimada pela febre?... e minha vida
Tu vias desmaiar... por que mentias?

Acordei da ilusão! a sós morrendo
Sinto na mocidade as agonias.
Por tua causa desespero e morro...
Leviana sem dó, por que mentias?

Sabe Deus se te amei! sabem as noites|
Essa dor que alentei, que tu nutrias!
Sabe este pobre coração que treme
Que a esperança perdeu porque mentias!

Vê minha palidez: a febre lenta...
Este fogo das pálpebras sombrias...
Pousa a mão no meu peito... Eu morro! eu morro!
Leviana sem dó, por que mentias?

Toda aquela mulher tem a pureza
Que exala o jasmineiro no perfume,
Lampeja seu olhar nos olhos negros
Como, em noite d’escuro, um vaga-lume...

Que suave moreno o de seu rosto!
A alma parece que seu corpo inflama...
Simula até que sobre os lábios dela
Na cor vermelha tem errante chama...

E quem dirá, meu Deus! que a lira d’alma
Ali não tem um som — nem de falsete!
E, sob a imagem de aparente fogo,
É frio o coração como um sorvete!

No poema, a voz poética expressa seu amor por uma mulher e o sofrimento causado pela falsidade de sua amada. Nele, é possível apontar algumas características ultrarromânticas, tais como:

  • sofrimento amoroso: “Sinto na mocidade as agonias”, “Por tua causa desespero e morro...”;

  • individualismo: o eu lírico está centrado em sua própria dor;

  • exagero sentimental: “Pousa a mão no meu peito... Eu morro! eu morro!”;

  • idealização da mulher: “Toda aquela mulher tem a pureza/ Que exala o jasmineiro no perfume,/ Lampeja seu olhar nos olhos negros”, “Que suave moreno o de seu rosto!”.

No entanto, de forma atípica, o eu lírico realiza um desvio da idealização romântica, ao mostrar que a mulher, apesar de bela, é falsa e fria: “Simula até que sobre os lábios dela/ Na cor vermelha tem errante chama...”, “E, sob a imagem de aparente fogo,/ É frio o coração como um sorvete!”. E, assim, ele mostra a causa de seu sofrimento.

Ultrarromantismo no Brasil

Capa do livro Lira dos vinte anos, principal obra do ultrarromantismo brasileiro
Capa do livro Lira dos vinte anos, publicado pela editora L&PM, principal obra do ultrarromantismo brasileiro.[1]

Autores brasileiros do ultrarromantismo

Obras do ultrarromantismo no Brasil

  • Lira dos vinte anos (1853), de Álvares de Azevedo.

  • Inspirações do claustro (1855), de Junqueira Freire.

  • As primaveras (1859), de Casimiro de Abreu.

  • Cantos e fantasias (1865), de Fagundes Varela.

Principais autores do ultrarromantismo

Em Portugal, os principais autores ultrarromânticos são:

  • Camilo Castelo Branco (1825-1890);

  • Soares de Passos (1826-1860).

E, apesar de o Ultrarromantismo ser um movimento literário tipicamente português e brasileiro, o poeta inglês Lord Byron (1788-1824) foi o grande inspirador da segunda geração romântica no Brasil. Já o autor alemão Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832) legou aos ultrarromânticos a ideia de spleen (melancolia).

Principais obras do ultrarromantismo

  • Os sofrimentos do jovem Werther (1774), de Johann Wolfgang von Goethe.

  • Poemas (1816), de Lord Byron.

  • Poesias (1856), de Soares de Passos.

  • Amor de perdição (1862), de Camilo Castelo Branco.

Saiba mais: O que é a poesia condoreira?

Exercícios resolvidos sobre ultrarromantismo

Questão 01 (Enem)

Soneto

Já da morte o palor me cobre o rosto,
Nos lábios meus o alento desfalece,
Surda agonia o coração fenece,
E devora meu ser mortal desgosto!

Do leito embalde no macio encosto
Tento o sono reter!... já esmorece
O corpo exausto que o repouso esquece...
Eis o estado em que a mágoa me tem posto!

O adeus, o teu adeus, minha saudade,
Fazem que insano do viver me prive
E tenha os olhos meus na escuridade.

Dá-me a esperança com que o ser mantive!
Volve ao amante os olhos por piedade,
Olhos por quem viveu quem já não vive!

AZEVEDO, A. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000.

O núcleo temático do soneto citado é típico da segunda geração romântica, porém configura um lirismo que o projeta para além desse momento específico. O fundamento desse lirismo é

A) a angústia alimentada pela constatação da irreversibilidade da morte.

B) a melancolia que frustra a possibilidade de reação diante da perda.

C) o descontrole das emoções provocado pela autopiedade.

D) o desejo de morrer como alívio para a desilusão amorosa.

E) o gosto pela escuridão como solução para o sofrimento.

Resolução:

Alternativa B.

A morte de que trata o poema é metafórica, já que se refere ao sofrimento amoroso. Tal sofrimento gera a melancolia do eu lírico, o que o impede de reagir diante da perda da pessoa amada.

Questão 02

Leia o seguinte trecho do poema Meus oito anos, de Casimiro de Abreu:

[...]
Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d’amor!

Que auroras, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d’estrelas,
A terra de aromas cheia,
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!

Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã!
[...]

Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo,
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!
[...]

ABREU, Casimiro de. As primaveras. 2. ed. São Paulo: Martin Claret, 2014.

No poema de Casimiro de Abreu, um dos principais autores ultrarromânticos brasileiros, sobressai:

A) o saudosismo.

B) a sensação de tédio.

C) o aspecto sombrio.

D) o pessimismo.

E) a ironia.

Resolução:

Alternativa A.

No poema, o eu lírico relembra, com saudade, a sua infância, que é por ele idealizada.

Créditos da imagem

[1] L&PM Editores (reprodução)

Fontes

ABAURRE, Maria Luiza M.; PONTARA, Marcela. Literatura: tempos, leitores e leituras. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2015.

AZEVEDO, Álvares de. Lira dos vinte anos. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

COSTA, Edson Tavares. Licenciatura em Letras/ Português: literatura portuguesa. Campina Grande: EDUEPB, 2011.

INFOPÉDIA. D. Maria II. Infopédia, Porto Editora. Disponível em: https://www.infopedia.pt/apoio/artigos/$d.-maria-ii

INFOPÉDIA. D. Pedro V. Infopédia, Porto Editora. Disponível em: https://www.infopedia.pt/apoio/artigos/$d.-pedro-v

HIGA, Carlos César. Segundo reinado. Mundo Educação. Disponível em: https://mundoeducacao.uol.com.br/historiadobrasil/segundo-reinado.htm

SILVA, Tallyson Tamberg Cavalcante Oliveira da. Das reminiscências trovadorescas na poesia de Álvares de Azevedo: um estudo do aspecto amoroso na “Lira dos vinte anos”. 2021. Dissertação (Mestrado em Letras) – Centro de Ciências, Educação e Linguagens, Universidade Federal do Maranhão, Bacabal, 2021.  

Publicado por Warley Souza

Artigos Relacionados

Casimiro de Abreu
Conheça o poeta Casimiro de Abreu: sua vida, sua obra, e características que marcam sua literatura. Leia alguns de seus principais poemas.
Goethe
Clique aqui, descubra quem é o autor alemão Johann Wolfgang von Goethe e saiba quais são as principais características de suas obras.
Lord Byron
Saiba quem foi o poeta inglês Lord Byron. Conheça as características de suas principais obras literárias. E leia algumas frases desse autor.
Primeira geração do Romantismo brasileiro
O Romantismo no Brasil: Clique e conheça os principais traços que definem a primeira geração do Romantismo brasileiro.
Romantismo
Acesse para descobrir o que foi o Romantismo. Leia suas principais características e conheça seu contexto histórico, os principais autores e obras do movimento.
Romantismo no Brasil
Entenda as características do Romantismo brasileiro. Saiba mais sobre as gerações românticas e seus principais autores.
Álvares de Azevedo
Saiba quem foi Álvares de Azevedo e conheça as características de suas obras. Leia poemas e frases desse poeta a fim de compreender melhor sua literatura.
video icon
Planeta Terra em fundo azul
Geografia
Planeta Terra
Assista à videoaula e conheça as características mais relevantes sobre nosso planeta. Saiba quais são os elementos geográficos mais marcantes do planeta Terra.