Whatsapp icon Whatsapp

Placenta

A placenta é um órgão que estabelece a comunicação entre o indivíduo gestante e o embrião/feto, garantindo sua nutrição, oxigenação e eliminação de excretas.
Esquema ilustrativo mostra feto dentro de útero e as estruturas que possibilitam seu desenvolvimento, como a placenta.
A placenta é um órgão que estabelece a comunicação entre o feto e o indivíduo gestante.

 A placenta é um órgão presente nos mamíferos eutérios que possui funções essenciais para o desenvolvimento adequado do feto durante o período de gestação. A placenta é o local onde ocorre a troca de substâncias entre o feto e o indivíduo gestante, sendo ela responsável pelas funções de nutrição, excreção, respiração e síntese de hormônios.

Esse transporte de substâncias pela placenta é garantido a partir da sua interação com o cordão umbilical, o que permite a troca de gases (como oxigênio e gás carbônico), nutrientes (como água e vitaminas), hormônios, anticorpos e excretas, tanto na direção do indivíduo gestante para o feto como do feto para o indivíduo gestante. Além disso, a placenta é responsável pela síntese de hormônios essenciais durante a gestação.

Leia também: Como ocorre a fecundação humana?

Resumo sobre a placenta

  • A placenta é um órgão que se desenvolve durante a gestação e estabelece a comunicação entre o embrião/feto e o indivíduo gestante.

  • A placenta desempenha as funções de nutrição, excreção, respiração e secreção endócrina do feto durante seu desenvolvimento.

  • Em associação com o cordão umbilical, a placenta garante a troca de substâncias entre o feto e o indivíduo gestante.

  • A placenta possui um papel muito importante na síntese de hormônios durante a gestação.

O que é placenta?

A placenta é um órgão transitório presente nos mamíferos eutérios (também chamados de placentários) que se desenvolve durante a gestação e estabelece a ligação entre o organismo gestante e o embrião/feto. A placenta é essencial para garantir a nutrição e desenvolvimento do feto e desempenha diversas funções essenciais para a sobrevivência dele, como a respiração, a nutrição, a excreção e a síntese endócrina.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quais são as funções da placenta?

Placenta é o local onde ocorrem as trocas gasosas e de nutrientes entre o indivíduo gestante e o feto. Em conjunto com o cordão umbilical, a placenta atua no transporte de substâncias que passam do indivíduo gestante para o feto, como nutrientes e oxigênio, assim como o transporte de substâncias do feto para o indivíduo gestante, como o dióxido de carbono e as excretas, de onde serão eliminadas para o ambiente externo.

A placenta é uma estrutura temporária que desempenha função acessória ao desenvolvimento do embrião e, após o parto, é totalmente removida. Entre essas funções, estão:

  • Metabolismo placentário: principalmente na fase inicial da gravidez, a placenta é responsável pela síntese de glicogênio, colesterol e ácidos graxos, que são utilizados como fonte nutricional e de energia para o desenvolvimento do embrião.

  • Transporte de substâncias (transferência placentária): o transporte de substâncias se dá tanto do indivíduo gestante em direção ao feto como do feto em direção ao indivíduo gestante. As substâncias que são transportadas são gases (como o oxigênio e o gás carbônico), substâncias nutritivas (como água, glicose, aminoácidos e vitaminas), além de hormônios, anticorpos e excretas. O oxigênio, substâncias nutritivas, hormônios e anticorpos são transportados do indivíduo gestante em direção ao feto, enquanto o gás carbônico e produtos de excreção são transportados do feto em direção ao indivíduo gestante. Dessa forma, é garantido que o organismo receba as substâncias necessárias para o seu desenvolvimento, assim como libere as substâncias tóxicas que são geradas a partir do metabolismo celular.

  • Secreção endócrina: no terceiro mês de gestação a placenta assume a secreção dos seguintes hormônios: gonadotrofina coriônica humana (hormônio hCG), lactogênio placentário humano (hPL), estrógeno e progesterona. A secreção de hCG é responsável pela manutenção do corpo lúteo e, consequentemente, pela manutenção da gestação e a contínua secreção de estrógeno e progesterona. O hPL está envolvido com o desenvolvimento das mamas e também com a alteração do metabolismo do indivíduo gestante, diminuindo o uso de glicose por este e disponibilizando mais glicose para o feto. Já o estrógeno e a progesterona são sintetizados ao longo de toda a gestação, sendo o primeiro responsável pelo crescimento e desenvolvimento do útero, enquanto a progesterona inibe as contrações uterinas, garantindo a permanência do embrião dentro do útero.

Leia também: Gravidez molar — doença que pode comprometer a continuidade da gestação

Anatomia da placenta

A placenta é constituída por uma região fetal, denominada cório, e uma região formada pelo endométrio uterino, chamada decídua. A decídua, por sua vez, é dividida em três regiões: decídua basal, decídua capsular e decídua parietal.

A ligação que permite a troca de substâncias entre o feto e o indivíduo gestante se dá a partir da interconexão entre a placenta e o cordão umbilical, o qual é formado por duas artérias que transportam sangue fetal desoxigenado para a placenta e uma veia que transporta sangue oxigenado para o feto. As artérias e as veias do cordão umbilical se ramificam em capilares presentes nas vilosidades coriônicas situadas na região da decídua basal, a qual é irrigada pelo sangue do indivíduo gestante, sendo ali o local de troca de substâncias.

Esquema ilustrativo com os elementos que constituem a placenta.

Formação da placenta

Após a fecundação, o zigoto percorre um caminho entre a tuba e a cavidade uterina até ser implantado no endométrio, onde sofrerá diversas divisões celulares e passará a se chamar blastocisto, o qual continuará sofrendo divisões até que se torne um embrião.

As células presentes na camada externa do blastocisto, camada esta chamada de trofoblasto, darão origem à placenta. As células do trofoblasto iniciam um processo de diferenciação, originando duas camadas distintas, o citotrofoblasto e o sinciciotrofoblasto. As células do citotrofoblasto se aderem ao endométrio, formando uma região que contém vasos sanguíneos chamada de cório, a qual se funde com a região uterina para formar a placenta.

Importância da placenta

A placenta é uma estrutura temporária que desempenha funções essenciais para a manutenção e o desenvolvimento do feto dentro do útero, garantindo sua saúde e proteção. Ela fornece a nutrição, a remoção de resíduos, a proteção imunológica, além de desempenhar a síntese de hormônios essenciais durante a gestação.

De forma resumida, a principal função da placenta é garantir que o feto se desenvolva de forma saudável; sendo assim, após o nascimento, ela é expulsa do corpo do indivíduo gestante no momento em que o bebê nasce.

Esquema ilustrativo com estágios do parto vaginal e, por fim, a expulsão da placenta.
Após o nascimento, a placenta é expulsa do corpo.

Doenças da placenta

Além das funções acima estudadas, a placenta também desempenha a proteção fetal ao impedir a passagem de microrganismos e permitir a passagem de anticorpos do indivíduo gestante para o feto. Porém, alguns vírus, como da Aids, rubéola, sarampo, catapora, entre outros, podem atravessar essa barreira e se instalarem no feto em desenvolvimento.

Outras doenças diretamente relacionadas à placenta são o acretismo placentário e a placenta prévia. O acretismo placentário é uma das principais causas de morte da pessoa gestante, e pode ser evitada com exames pré-natais de qualidade. Nessa condição, a placenta está mais aderida ao útero do que em condições normais, o que gera uma grande hemorragia no momento do parto. A placenta prévia, por sua vez, se relaciona com a inserção baixa da placenta em um segmento inferior do útero, o que pode gerar complicações durante a gestação.

Fontes

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. Placenta e membranas fetais. Disponível em: <https://embrionhands.uff.br/2019/08/30/cap-6-placenta-e-membranas-fetais/>.

MIDIA ATP USP. Gestação, parto e lactação. Disponível em: <https://docs.google.com/document/d/1etkdVneA9BUySdY628hiLefooCSB7fhU/edit>.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Capítulo 11: Anexos embrionários. Disponível em: <https://antigo.uab.ufsc.br/biologia//files/2020/08/Capitulo_11.pdf>.

E-DISCIPLINAS USP. Placenta e membranas fetais. Disponível em: <https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5206360/mod_resource/content/1/placenta%20e%20membranas.pdf>.

IBB UNESP. Placenta e anexos embrionários. Disponível em: <https://www1.ibb.unesp.br/Home/Departamentos/Morfologia/placenta-e-membranas-fetais-med.pdf>.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Membranas fetais. Disponível em: <https://professor.ufrgs.br/simonemarcuzzo/files/membranas_fetais.pdf>.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS. Tipos de placenta - classificação anatômica. Disponível em: <https://dmv.ufla.br/pet/informativos/111-tipos-de-placenta>.

FACULDADE DE MEDICINA - UFMG. Conheça o acretismo placentário, uma das principais causas de morte materna. Disponível em: <https://www.medicina.ufmg.br/conheca-o-acretismo-placentario-uma-das-principais-causas-de-morte-materna/>.  

Publicado por Nicole Fernanda Sozza

Artigos Relacionados

Anexos embrionários
Aprenda um pouco mais sobre os anexos embrionários, estruturas formadas durante o desenvolvimento embrionário a partir dos folhetos germinativos.
Coração
Clique aqui e saiba mais sobre o coração. Neste texto falaremos sobre as camadas que formam sua parede, suas cavidades, suas válvulas e outras características.
Cordão umbilical
Saiba mais sobre o cordão umbilical, uma estrutura importante que garante nutrição e a chegada de oxigênio para o feto em desenvolvimento.
Eutérios
Você sabia que os animais eutérios, também chamados de placentários, pertencem ao maior grupo da classe dos mamíferos? Confira aqui!
Faringe
Clique aqui e descubra mais sobre a faringe. Neste texto conheceremos as características gerais e aprenderemos mais sobre a faringite. Saiba o que é faringite.
Hérnia de disco
Clique aqui e saiba o que é a hérnia de disco. Descubra quais são suas principais causas e sintomas. Conheça os tratamentos disponíveis atualmente.
Memória
A memória é a capacidade de armazenar informações de modo que estas possam ser recuperadas quando buscamos recordá-las. Confira!
Sistema Sensorial
Seção que aborda os mecanismos inerentes às sensações.
Sistema excretor
Aprenda um pouco mais sobre os componentes do sistema excretor e compreenda algumas de suas características básicas.
video icon
Texto"Matemática do Zero | Soma dos ângulos externos de um polígono convexo" em fundo azul.
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Soma dos ângulos externos de um polígono convexo
Nessa aula demonstrarei a fórmula da soma dos ângulos externos de um polígono convexo qualquer e como encontrar a medida de cada ângulo externo.