Vetores

Vetores são segmentos de retas usados para representar alguma grandeza vetorial.

Vetor é um segmento de reta orientado que apresenta módulo (tamanho), direção e sentido. Os vetores são usados para expressar grandezas físicas vetoriais, ou seja, aquelas que só podem ser completamente definidas se conhecemos o seu valor numérico, a direção em que atuam (horizontal e vertical), bem como o seu o sentido (para cima, para baixo).

Posição, velocidade, aceleração, força e quantidade de movimento são bons exemplos de grandezas vetoriais. Por exemplo, se quisermos saber a posição de algum local, é necessário que se aponte para uma direção. Nesse caso, o sentido do movimento é dado pela ponta do dedo.


Figura mostra um vetor de módulo (tamanho) a.

Para desenharmos vetores, é necessário perceber que sua representação deve levar em conta o seu tamanho. Ou seja, um vetor que represente uma grandeza de valor numérico igual a 10 deve ser desenhado com a metade do tamanho de um vetor que tenha tamanho 20.


O tamanho em que desenhamos um vetor representa o seu módulo.

As direções de um vetor podem ser definidas com base no sistema de coordenadas escolhido, por exemplo. Usando-se o sistema cartesiano, as direções do espaço seriam x e y e um vetor poderia ser escrito como V = (x, y). O sentido, por sua vez, diz respeito à seta na ponta do vetor, que o indica, podendo ser tanto positivo como negativo.

Quando escrevemos que um vetor é definido por suas coordenadas x e y, dizemos que x e y são as suas componentes horizontal e vertical, respectivamente. Quando um vetor encontra-se inclinado, sem coincidir com qualquer um dos eixos do sistema de coordenadas, é possível determinar o tamanho das suas componentes. Para tanto, basta conhecermos o ângulo θ, formado entre o vetor e a direção horizontal, e o módulo do vetor a:

Para calcularmos essas componentes, é necessário fazer o seguinte cálculo:

Com base nas componentes ax e ay de um vetor, é possível calcular o seu módulo (tamanho). Para isso, basta aplicarmos o teorema de Pitágoras, uma vez que essas componentes são perpendiculares entre si:

Vetor resultante

Vetor resultante é o nome dado ao vetor que se obtém após realizar-se uma soma vetorial. Na soma vetorial, devemos considerar o módulo, a direção e o sentido dos vetores para encontrarmos o vetor resultante. Vejamos, a seguir, alguns casos de operações com vetores.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Operações com vetores

Soma de vetores

Vetores paralelos são aqueles que se encontram na mesma direção e no mesmo sentido. O ângulo formado entre esses vetores é sempre nulo. Observe a figura abaixo:

Caso esses vetores tenham também o mesmo módulo, dizemos que se trata de vetores iguais. Para encontrarmos a resultante desses vetores, basta somarmos o módulo de cada um, além disso, o vetor resultante estará na mesma direção e sentido dos vetores paralelos, e seu tamanho deverá ser o tamanho dos dois vetores originários:

Para calcularmos o módulo do vetor R, podemos utilizar a seguinte fórmula:

Subtração de vetores

Vetores opostos fazem um ângulo de 180º entre si, encontram-se na mesma direção, porém com sentidos contrários, como mostra a figura:

O vetor resultante de dois vetores opostos é dado pela diferença no módulo desses, como é possível ver na figura seguinte:

Nesse caso, o vetor resultante terá sua direção e sentido determinados pelo vetor de maior módulo e poderá ser calculado por meio da seguinte fórmula:

 

Vetores perpendiculares: Teorema de Pitágoras

Vetores perpendiculares formam um ângulo de 90º entre si. Para encontrarmos o vetor resultante de dois vetores perpendiculares, devemos ligar o início de um dos vetores à ponta do outro. O vetor resultante, nesse caso, formará a hipotenusa de um triângulo retângulo, observe:

O módulo desse vetor resultante pode ser calculado usando o teorema de Pitágoras:

oblíquos: regra do paralelogramo Vetores

Vetores que não se encaixem em nenhum dos casos anteriores podem ser determinados geometricamente pela regra do paralelogramo, como na próxima figura:

Sendo θ o ângulo formado entre os dois vetores de base (azul e vermelho), o módulo do vetor resultante poderá ser obtido por meio da próxima fórmula:

Resultante de vários vetores

Quando temos diversos vetores e queremos encontrar o vetor resultante, devemos conectá-los uns aos outros. Nesse processo, que independe da ordem escolhida, devemos ligar a ponta de um vetor ao início do próximo. No fim, o vetor resultante será aquele que liga o início do primeiro vetor com a ponta do último:

Para encontrarmos o módulo desse vetor, somamos as componentes x e y de cada um dos vetores a, b, c, e d, e, no fim, aplicamos o Teorema de Pitágoras.

Exercícios resolvidos

1) Assinale a alternativa que apresenta corretamente o módulo da resultante de dois vetores, A e B, cujas componentes são dadas por A = (12,5) e B = (-9,-1).

a) 12

b) 4

c) 6

d) 5

e) 3

Gabarito: Letra D

Resolução:

Para determinarmos o vetor resultante dos vetores A e B, precisamos somar suas componentes x e y, para tanto, faremos o seguinte cálculo:

De acordo com o resultado encontrado, o vetor resultante é dado VR = (3,4) e seu módulo vale 5.

2) Dois vetores, de módulos iguais a 3 e 2, formam entre si um ângulo de 60º. Determine o módulo da resultante desses vetores.

a) 6

b) √6

c) 5

d) √19

e) 5

Gabarito: Letra E

Resolução:

Para calcularmos o módulo do vetor resultante entre esses dois vetores oblíquos, é necessário utilizarmos a lei dos cossenos, considerando que o ângulo entre esses vetores é 60º. Dessa forma, teremos que fazer o seguinte cálculo:

3) Um vetor A, de módulo 5, encontra-se inclinado com ângulo de 30º em relação ao eixo horizontal. Determine o módulo das componentes horizontal e vertical, Ax e Ay, desses vetores.

a) √3 e √2

b) 5√3/2 e 5/2

c) 5/2 e 5

d) 3/4 e 5/2

e) 25 e √2

Gabarito: Letra B

Resolução:

Para determinarmos quais são as componentes do vetor A, devemos utilizar as relações do seu módulo com o seno e o cosseno do ângulo de 30º, que esse vetor forma com a direção x. Para tanto, devemos fazer o seguinte cálculo:

Apesar de ambas ações precisarem de força, puxar e empurrar são coisas distintas, uma vez que a força é representada por vetores.
Apesar de ambas ações precisarem de força, puxar e empurrar são coisas distintas, uma vez que a força é representada por vetores.
Publicado por: Rafael Helerbrock
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Conservação da energia mecânica
Descubra o que é conservação da energia mecânica. Aprenda as fórmulas usadas para calcular a energia mecânica, confira também exemplos e exercícios resolvidos.
Pêndulo Balístico
Você sabe o que é pêndulo balístico? Clique aqui e descubra!
Satélites em Órbitas Circulares
Velocidade de Translação.
A placa de sinalização de velocidade da figura indica que os carros podem deslocar-se, no máximo, a 80 km a cada hora naquele trecho
Conceitos fundamentais da Cinemática Escalar
Que tal saber mais sobre a Cinemática Escalar? Com essa grande área da Mecânica, você será capaz de descrever o movimento das coisas ao seu redor.
Carro de fórmula Indy
Carro em uma pista inclinada
Estudo das trajetórias curvas de um carro em uma pista inclinada.
Transformação da energia eólica em energia elétrica
Potência de uma força
A potência de uma força representa a rapidez com que a energia é transformada em outras formas de energia.
Força centrípeta
Entenda o que é força centrípeta, conheça as fórmulas usadas para calculá-la, e confira alguns exemplos em que ela atua bem como exercícios resolvidos.
Leis de Newton
Acesse o artigo e confira uma introdução às leis de Newton, entenda os conceitos de força e aceleração, descubra aplicações, e confira exercícios resolvidos.
Torque ou momento de uma força
Você sabe o que é torque? Aprenda a calcular o torque, entenda a sua definição e conheça a segunda lei de Newton para as rotações. Confira exercícios resolvidos!
Chute x Impulso
Chute nada mais é que impulso