Assíndeto

Assíndeto é a figura de linguagem na qual se omitem as conjunções coordenativas de um enunciado. O assíndeto, muitas vezes, gera efeito de extensão à enumeração em um texto. Por tratar-se de uma figura que afeta a construção do enunciado, é classificada como figura de sintaxe (ou figura de construção).

Leia também: Hipérbato – figura de construção que consiste na inversão da ordem oracional

O que é assíndeto?

Assíndeto é uma figura de linguagem caracterizada pela omissão de conjunções coordenativas, isto é, conjunções que ligam orações ou elementos independentes entre si em um enunciado. Veja:

Fui ao mercado para comprar frutas, verduras, legumes e carne.

Fui ao mercado para comprar frutas, verduras, legumes, carne.

No primeiro exemplo, a enumeração dos elementos coordenados é finalizada com a conjunção “e”, que indica adição. No segundo caso, a conjunção foi omitida, ocorrendo assíndeto. Note que o assíndeto criou um efeito de inacabamento no enunciado, como se mais coisas pudessem ter sido compradas no mercado.

Vejamos outro caso:

Ela é doce, mas perigosa; amada, mas estranha.

Ela é doce, perigosa, amada, estranha.

No primeiro exemplo, a conjunção coordenativa “mas” liga os elementos, dando sentido de oposição. No segundo exemplo, com a omissão da conjunção, cria-se o efeito de que o sujeito “ela” seja muitas coisas além das que são ditas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplos de assíndeto

“Ela comeu meu coração
Mascou, moeu, triturou, deglutiu”
(Caetano Veloso)

“Não nos movemos, as mãos é que se estenderam pouco a pouco, todas quatro, pegando-se, apertando-se, fundindo-se.”
(Machado de Assis)

“Tem que ser selado, registrado, carimbado, avaliado, rotulado, se quiser voar”
(Raul Seixas)

“O céu, a terra, o vento sossegado
As ondas, que se estendem pela areia
Os peixes, que no mar o sono enfreia
O noturno silêncio repousado”
(Luís de Camões)

Diferença entre assíndeto e polissíndeto

Assim como o assíndeto, o polissíndeto é outra figura de sintaxe relacionada às conjunções coordenativas. No entanto, o polissíndeto caracteriza-se pela repetição dessas conjunções. Veja a diferença:

    •  

Fui ao mercado para comprar frutas, verduras, legumes, carne.

Fui ao mercado para comprar frutas e verduras e legumes e carne.

Ela é doce, perigosa, amada, estranha.

Ela é doce, mas perigosa, mas amada, mas estranha.

Note que, nos casos em que houve assíndeto, há intensificação de sentido em relação à enumeração dos elementos, como se houvesse outros mais que não apareceram no enunciado. Por outro lado, nos casos de polissíndeto, a intensificação de sentido deu-se pela repetição da conjunção: se houve conjunção coordenativa aditiva, intensificou-se o sentido de adição (no caso, pela conjunção “e”); se houve conjunção coordenativa adversativa, intensificou-se o sentido de oposição (no caso, pela conjunção “mas”).

O assíndeto pode mudar o efeito de sentido de um texto.
O assíndeto pode mudar o efeito de sentido de um texto.

Curiosidades sobre assíndeto

Assíndeto é uma palavra de origem grega, formada pelo prefixo “a”, que indica negação, e pela palavra sýndeton, que significa “ligação”, ou seja, “sem ligação”.

Veja também: Ironia – figura de linguagem que consiste no uso de expressões que remetem ao oposto

Exercícios resolvidos

Questão 1 – (Funcepe - adaptado)

No primeiro período do texto, a progressão textual é feita por meio de:

A) assíndeto

B) polissíndeto

C) conjunção coordenativa adversativa

D) conjunção coordenativa aditiva

E) conjunção adverbial

Resolução

Alternativa A. As orações coordenadas não estão ligadas por conjunção, o que caracteriza o uso de assíndeto.

Questão 2 – Leia os períodos seguintes:

(i) Eu digo oi, você diz tchau, eu digo sim, você diz não.

(ii) Fomos e vivemos aquele sonho e rimos e nos abraçamos.

(iii) Avisei para não falar nada, ele falou mesmo assim, iniciou-se a discussão.

(iv) Vamos à praia amanhã?

(v) Ou fica ou vai ou esquece tudo isso de vez.

Ocorre assíndeto nos períodos:

A) (i) e (ii).

B) (i) e (iii).

C) (ii) e (v).

D) (i), (iii) e (iv).

E) (ii), (iv) e (v).

Resolução

Alternativa B. Há assíndeto nos períodos (i) e (iii), já que as conjunções coordenativas ligando as orações coordenadas foram omitidas.

Publicado por: Guilherme Viana
Assuntos relacionados
Anáfora
Conheça a anáfora e quais as suas características e funções, como repetição ou retomada, e veja exemplos dos diferentes tipos de aplicações dessa ferramenta.
Metáfora
Aprenda o que é metáfora e qual é o seu efeito no enunciado. Veja exemplos de uso dessa figura de linguagem e entenda por que é diferente da comparação.
Ironia
Aprenda mais sobre a ironia e os seus efeitos no discurso. Descubra quais são os tipos de ironia e veja exemplos de seu uso.
Paronomásia
Aprenda o que é a paronomásia e como palavras parônimas são utilizadas nessa figura de linguagem. Veja exemplos e pratique com exercícios!
Assonância
Aprenda mais sobre assonância e veja exemplos dessa figura de linguagem. Entenda a diferença entre assonância e aliteração. Resolva os exercícios sobre o tema.
Aliteração
Clique e veja tudo sobre aliteração. Entenda a utilidade dessa figura de linguagem na construção do texto e resolva os exercícios propostos sobre o tema.
Pleonasmo
Entenda o que é pleonasmo e conheça os tipos existentes dessa figura de linguagem. Saiba também a diferença entre pleonasmo e redundância.
Hipérbato
Clique e veja tudo sobre o hipérbato. Confira exemplos e entenda os valores semânticos dessa figura de linguagem.