Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Crase
  4. O uso da crase e a regência verbal: uma autêntica parceria

O uso da crase e a regência verbal: uma autêntica parceria

Junção do artigo “a” + a preposição “a” = uso da crase.   Pois bem, permeados em meio aos pressupostos que norteiam os fatos linguísticos, não raras as vezes acontece de aprendê-los, mas quase nunca de apreendê-los na sua totalidade. Assim, como resultado de tal ocorrência, o que geralmente ocorre são os diversos tropeços que ocorrem por aí, sinalizando que uma regra ou outra foi infringida. Dessa forma, como aqui seria inviável citarmos todos os casos que tão bem ilustram essa ocorrência, pautemos somente no uso da crase, uma vez que ele se encontra intrinsecamente relacionado aos casos de regência verbal – ainda que para muitos usuários tal pressuposto ainda pareça obscuro.

Nesse sentido, conscientizar-se de que regras se estabelecem para o uso da crase, postulados se evidenciam para o uso facultativo e preceitos insistem em se afirmar para o não uso dela, torna-se absolutamente preponderante, mas não menos importante, o fato de sabermos o porquê do uso da preposição aplicado ao conjunto de conceitos. A título de comprovação, nada melhor que alguns exemplos, obviamente:

Iremos À praia.

Regra: antes de palavras femininas, bem como diante de um caso que pode ser substituído por “ao”:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Mas e aí, como se justifica o uso da preposição?

Justamente pelo fato de o verbo ir requisitar o uso dela, haja vista que quem vai, vai a algum lugar.

Isso também ocorre em:

Entregamos as notas ÀQUELAS alunas.

Regra: antes de palavras femininas, associado ao pronome demonstrativo “aquela”.

A preposição se demarca pelo fato de que o verbo entregar se caracteriza como transitivo direto e, sobretudo, indireto, haja vista que quem entrega, entrega algo A alguém.

O uso da crase se encontra intrinsecamente atrelado à regência verbal
O uso da crase se encontra intrinsecamente atrelado à regência verbal
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Lista de Exercícios

Questão 1

Leia os enunciados:

I) “A espera do rato.”;

II) “À espera do rato.”.

Marque a alternativa que traduz o efeito de sentido dos dois enunciados:

a) No enunciado II temos o sentido de que o rato está esperando.

b) Nos enunciados I e II temos o mesmo efeito de sentido, já que, nesses casos, o uso do acento grave é facultativo.

c) No enunciado I temos o sentido de que alguém está esperando pelo rato.

d) Na alternativa II temos o sentido de que alguém esteja esperando pelo rato.

e) Na alternativa I temos o sentido de que o rato está sendo esperado por alguém.

Questão 2

Marque a alternativa cujo uso da crase esteja adequado.

a) À cadeira quebrou de novo! Isso acontece às vezes.

b) Nem acredito que a noite vou encontrar à minha esposa.

c) As vezes eu ganho à batalha, as vezes, perco.

d) Estava à pensar: será que visto a amarela ou à rosa?

e) Todas as vezes que o levo à escola me sinto orgulhoso.

Mais Questões
Assuntos relacionados
Tal ocorrência encontra-se relacionada a pressupostos específicos
Devemos sempre utilizar a crase na indicação de horas?
Confira alguns pressupostos e descubra!
O acento indicador da crase é resultante da junção do artigo “a” + a preposição “a”, o que resulta em À
Características e conceito da crase
Uma seção reservada somente a você, usuário (a), que deseja ampliar ainda mais sua competência linguística sobre a crase. Por isso, não deixe de conferir, clicando, é claro!
Os casos especiais e facultativos do uso da crase relacionam-se a pressupostos específicos
Casos especiais e facultativos do uso da crase
Amplie ainda mais sua competência linguística, conhecendo os casos especiais e facultativos do uso da crase!