Whatsapp icon Whatsapp

Revolução Federalista

A Revolução Federalista foi um conflito ocorrido na Região Sul do Brasil, entre os anos de 1893 e 1895, que expôs a divisão entre os republicanos, isto é, entre os que defendiam maiores poderes para o presidente da República e os que apoiavam a descentralização do poder, com maior participação dos estados.

Além disso, militares do Exército e da Marinha disputavam mais espaço no governo republicano. O conflito foi marcado pela violência e crueldade. A revolução foi derrotada pelas tropas fiéis a Floriano Peixoto, que se tornou o “Marechal de Ferro”, consolidando a República no Brasil de forma enérgica e violenta.

Leia também: Proclamação da República – marco final da monarquia no Brasil

Contexto histórico da Revolução Federalista

A República da Espada corresponde aos dois primeiros governos republicanos no Brasil. Os marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto presidiram a República de forma autoritária, provocando a ruptura entre seus aliados. Os dois presidentes queriam mais poderes do que os que foram concedidos pela Constituição de 1891, para que o novo regime implantado no Brasil, em 1889, se consolidasse, evitando qualquer reação de monarquistas. Porém, uma ala republicana defendia o contrário: a descentralização do poder e a maior participação dos estados.

Deodoro renunciou à presidência em 1891, sendo sucedido pelo seu vice, Floriano. De acordo com as regras constitucionais, como o presidente renunciante não cumpriu a primeira metade do seu mandato, deveria haver novas eleições presidenciais. Porém, Floriano não se mostrou disposto a convocar um novo pleito e isso provocou insatisfação entre os republicanos. A Armada, como era chamada a Marinha naquela época, também se mostrou insatisfeita com os rumos do governo republicano e decidiu se rebelar. A Revolta da Armada começou no Rio de Janeiro, mas foi derrotada pelas tropas governistas. Porém, seus participantes se deslocaram para o Sul, a fim de participar da Revolução Federalista

Causas da Revolução Federalista

Participantes da Revolução Federalista, em 1893.
Participantes da Revolução Federalista, em 1893.

As divergências entre os republicanos culminaram na Revolução Federalista. Dois grupos opostos se formaram:

  • um foi liderado por Júlio de Castilhos, aliado do presidente Floriano Peixoto e que defendia um governo federal forte, com poder centralizado;
  • o outro grupo, liderado por Gaspar Silveira Martins, defendia a descentralização do poder e o parlamentarismo, ou seja, poder limitado ao presidente da República.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Aqueles liderados por Gaspar Silveira ficaram conhecidos como maragatos, e os comandados por Júlio de Castilhos como pica-paus. As origens desses termos são:

- maragatos: termo pejorativo usado pelos republicanos e que significava povo mercenário.

- pica-paus: a cor do uniforme usado por esse grupo durante a revolução era a mesma do pássaro da região.

Líderes da Revolução Federalista

    

Júlio de Castilhos e Gaspar Silveira Martins foram líderes dos grupos que participaram da Revolução Federalista. 

Os líderes da Revolução Federalista foram aqueles que lideraram os grupos que participaram do confronto. Júlio de Castilhos era aliado do presidente Floriano Peixoto e defendia maiores poderes ao presidente. Já Gaspar Silveira Martins defendia a descentralização do poder e a instalação do parlamentarismo no Brasil.

Como foi a Revolução Federalista?

Júlio de Castilhos foi eleito presidente do estado do Rio Grande do Sul, em 1893. Os federalistas não aceitaram sua eleição e se rebelaram. Os maragatos dominaram a fronteira com o Uruguai e exigiram a deposição de Castilhos do poder gaúcho. O presidente Floriano Peixoto enviou tropas federais para apoiar seu aliado. Apesar de o governo gaúcho receber apoio das tropas federais e da polícia estadual, os maragatos venceram os primeiros confrontos.

A Marinha, que já havia se revoltado contra Floriano, juntou-se aos maragatos para participar da guerra. Esse apoio contribuiu para reforçar a presença federalista no norte do Rio Grande do Sul, no Paraná e em Santa Catarina. Com a derrota em outras frentes, os maragatos concentraram seus esforços em terras gaúchas.

Durante os dois anos de conflito, a Revolução Federalista foi marcada pela violência e crueldade de ambos os lados. Os vencedores não tiveram piedade dos vencidos, chegando ao extremo de degolarem aqueles que já tinham morrido no campo de batalha.

Leia também: Revolta da Chibata – resultado da insatisfação dos marinheiros com os castigos físicos

Consequências da Revolução Federalista

Ao encerrar a Revolução Federalista, Floriano Peixoto firmou-se como consolidador da República, impedindo reações contrárias que pudessem desestabilizar o regime republicano ou de grupos monárquicos que desejavam a restauração do regime derrotado em 1889. Floriano ficou marcado também como o “Marechal de Ferro”, em virtude da forma violenta como reagiu aos ataques armados de seus adversários.

A saída de Floriano da presidência não significou o fim da participação dos militares na política. Os militares, ao longo das décadas seguintes, mantiveram-se próximos ao poder, pressionando o presidente civil ou organizando revoltas.

Algumas armas de fogo utilizadas durante a Revolução Federalista. [1]
Algumas armas de fogo utilizadas durante a Revolução Federalista. [1]

Revolução Federalista e Revolta da Armada

As revoltas ocorridas no governo Floriano Peixoto — a Revolução Federalista e a Revolta da Armada — estão conectadas entre si. As duas aconteceram no mesmo período e ambas eram contrárias ao governo central.

Após serem derrotadas pelas tropas governistas, os marinheiros que participaram da Revolta da Armada partiram para o Sul e se juntaram às fileiras dos maragatos, para derrotar as tropas dos pica-paus, que tinham o apoio do governo Floriano. Porém, ambas as revoltas tiveram o mesmo fim: a derrota para o governo central.

Resumo sobre a Revolução Federalista

  • A Revolução Federalista aconteceu no Sul do país, entre os anos de 1893 e 1895. Envolveu os maragatos, ou federalistas, e os pica-paus, ou republicanos.
  • A revolução demonstrou a divisão entre os republicanos, pois um grupo defendia a descentralização do poder, e o outro, o fortalecimento do presidente da República.
  • As causas da Revolução Federalista foram as divergências entre os republicanos, em razão dos rumos adotados pelo governo Floriano Peixoto, bem como a eleição de Júlio de Castilhos como presidente do Rio Grande do Sul.
  • Os marinheiros que participaram da Revolta da Armada ajudaram os federalistas no combate no Sul do país.
  • Floriano conseguiu derrotar seus inimigos e consolidou a República, tornando-se o “Marechal de Ferro”.

Veja também: Revolta da Vacina – levante popular contra a vacinação compulsória

Exercícios resolvidos

Questão 1 - A Revolução Federalista foi um conflito envolvendo dois grupos: os republicanos, também chamados de pica-paus, e os federalistas, conhecidos como maragatos. Leia as afirmações abaixo e assinale a que corretamente mostra uma causa dessa revolução ocorrida no Sul do Brasil, entre 1893 e 1895.

A) Júlio de Castilhos era um monarquista convicto e assumiu o poder no Rio Grande do Sul para depor Floriano Peixoto da presidência.

B) Os pica-paus eram aqueles que defendiam o retorno de Dom Pedro II ao poder, em razão do fracasso dos dois governos republicanos.

C) Floriano Peixoto se mostrou omisso quanto à Revolução Federalista, não intervindo no conflito e alegando a autonomia dos estados.

D) Os pica-paus, ou republicanos, queriam a centralização do poder na presidência da República, enquanto os maragatos, ou federalistas, defendiam a descentralização do poder.

Resolução

Alternativa D. A Revolução Federalista ocorreu no Sul do Brasil e teve como causa o confronto entre dois grupos. Um defendia maior poder para o presidente da República, que eram os pica-paus, e o outro queria a descentralização do poder, que eram os maragatos.

Questão 2 - Sobre a Revolução Federalista, é correto afirmar que a sua consequência foi:

A) o fortalecimento de Floriano Peixoto, que conseguiu derrotar seus inimigos e consolidou a República no Brasil.

B) o retorno da monarquia ao Brasil, em virtude do descontentamento da população com os rumos adotados pelos governos republicanos.

C) os militares voltaram para os quartéis e assinaram um termo de compromisso de não mais participar das decisões políticas do Brasil.

D) os gastos com a Revolução Federalista fizeram com que a economia brasileira entrasse em colapso, provocando a renúncia de Floriano Peixoto.

Resolução

Alternativa A. Floriano Peixoto entrou para a história como sendo o “Marechal de Ferro”, ou seja, aquele que consolidou a República mediante a força contra seus inimigos.

Crédito da imagem

[1] Deyvid Setti e Eloy Olindo Setti / Commons

Publicado por Carlos César Higa
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Constituição de 1891
Acesse o site e veja como a Constituição de 1891 foi elaborada. Conheça mais sobre as principais características dessa Carta e o momento histórico em que ela foi escrita.
Governo Floriano Peixoto
Acesse o link e veja como o Floriano Peixoto conseguiu consolidar a república no Brasil. Acompanhe o desenrolar das revoltas ocorridas no seu governo.
Proclamação da República
Acesse o site e veja as causas da Proclamação da República em 1889. Conheça também os principais líderes que colaboraram para a derrubada do Segundo Reinado.
Revolta da Armada
Acesse o site e veja quais foram as causas da Revolta da Armada. Acompanhe o desenvolvimento dessa revolta e as consequências para quem participou do levante.
video icon
Português
Fatores de textualidade: situacionalidade
O fator textual situacionalidade tem a ver com situação, como sugere o nome, não obstante, especificamente, qual a relação do termo com o texto? Entenda como se dá esse fator textual na aula do profº. Guga Valente.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Sociologia
Democracia racial
Você sabe o que significa democracia racial? Clique e nós te ensinamos!
video icon
Tigres Asiáticos
Geografia
Tigres Asiáticos
Assista à nossa videoaula sobre os Tigres Asiáticos, e conheça as razões do desenvolvimento rápido desses territórios.