Whatsapp icon Whatsapp

Guerra Irã-Iraque

Guerra Irã-Iraque foi um conflito travado de 1980 a 1988, em que Irã e Iraque lutaram entre si. O conflito destruiu a economia dos dois países e causou 1,5 milhão de mortes.
O Aiatolá Khomeini era o governante do Irã durante a Guerra Irã-Iraque.
O Aiatolá Khomeini era o governante do Irã durante a Guerra Irã-Iraque.

A Guerra Irã-Iraque foi um conflito que se iniciou em 1980, em um contexto de escalada de tensão nas relações entre Irã e Iraque. O que esteve em disputa nesse conflito foram os interesses políticos das duas nações, além de questões territoriais. A guerra destruiu as duas economias e resultou na morte de cerca de 1,5 milhão de pessoas.

Acesse também: Guerra do Golfo e luta entre Estados Unidos e Iraque

Resumo sobre a Guerra Irã-Iraque

  • A Guerra Irã-Iraque foi um conflito travado por Irã e Iraque de 1980 a 1988.

  • Esse conflito foi resultado de acontecimentos do final da década de 1970: a ascensão de Saddam Hussein e a Revolução Islâmica de 1979.

  • Irã e Iraque tinham diferentes interesses geopolíticos e disputas de fronteira.

  • A guerra se iniciou, em setembro de 1980, com um ataque promovido pelo Iraque.

  • O encerramento do conflito aconteceu pela crise que afetava a economia das duas nações.

Contexto da Guerra Irã-Iraque

A Guerra Irã-Iraque foi um conflito que se estendeu de 1980 a 1988 e que foi disputado por Irã e Iraque, duas nações do Oriente Médio. Esse conflito foi responsável pela morte de cerca de 1,5 milhão de pessoas e ficou marcado por acabar sem vencedores, pois nenhuma das duas nações conseguiu impor-se militarmente.

Essa guerra só pode ser entendida se levarmos em consideração o contexto e as transformações que as duas nações passaram no final da década de 1970. De forma geral, ela se iniciou pelo choque de interesses entre as duas nações por questões políticas e religiosas. Além disso, havia uma disputa territorial em uma região de fronteira.

Nas questões políticas, pode ser destacado o fato de que o Irã era uma nação de população e governo xiitas, enquanto o Iraque era um país de população xiita, mas de governo sunita. Isso criava uma grande tensão entre as duas nações, e essa tensão se agravava pelo fato de que o Irã apoiava a revolta dos curdos, uma minoria étnica que habitava o sul do Iraque.

Por fim, na questão territorial, a disputa entre as duas nações se dava pelo Shatt al-Arab, um canal em que desaguavam os rios Tigre e Eufrates. Essa questão territorial tinha sido resolvida pelo Acordo de Argel (1975), que determinou que cada margem ficaria na posse de um país, sendo a margem oriental do Irã e a ocidental, do Iraque.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Revolução Islâmica de 1979

A relação de Irã e Iraque se agravou novamente como um desdobramento da Revolução Islâmica de 1979, um movimento popular que resultou na deposição da monarquia iraniana e na formação de uma república autoritária e extremamente conservadora. A agitação popular do Irã se deu em oposição ao Xá Reza Pahlavi, que mantinha um governo autoritário e corrupto.

O cenário no país fez com que Pahlavi fugisse do país para os Estados Unidos e o líder da oposição, Aiatolá Khomeini, se estabelecesse como autoridade no Irã. O governo formado pelo aiatolá foi entendido pelos historiadores como uma espécie de teocracia xiita. A agitação popular e o fortalecimento dos xiitas no Irã gerou uma série de consequências no Oriente Médio.

Uma delas foi o agravamento de tensões com o Iraque, país que passou a ser governado por Saddam Hussein, também em 1979. O ditador do Iraque mantinha um governo sunita e secular em um país majoritariamente xiita. Os acontecimentos do Irã tornavam-no uma grande ameaça para o Iraque, pois temia-se que a agitação social daquele chegasse a este e incentivasse um levante da população xiita.

Acesse também: O primeiro conflito entre árabes e israelenses no século XX

Início da Guerra Irã-Iraque

Imagem de Saddam Hussein em cédula de dinheiro.
Saddam Hussein buscava impedir o avanço da Revolução Islâmica e conquistar o Shatt al-Arab e o Cuzistão durante a guerra.

A guerra foi resultado da escalada da tensão na relação entre Irã e Iraque, sendo que este, governado por Saddam Hussein, foi utilizado por países como a Arábia Saudita e os Estados Unidos como ferramenta para conter o avanço da Revolução Islâmica que tinha acontecido no Irã. Ambos países viam no Irã uma grande ameaça para os seus interesses no Oriente Médio.

O ponto de partida para que a tensão entre as duas nações fosse retomada foi a ação do Irã de incentivar os xiitas do país a se rebelarem contra o governo de Saddam Hussein. Além disso, o Irã retomou o seu incentivo aos curdos, com o objetivo de fazer com que essa minoria também se rebelasse.

A intenção do Irã era colocar o Iraque no seu raio de influência, e essas ações foram enxergadas por Saddam Hussein como uma violação da soberania do país. Assim, ele exigiu a revogação do Acordo de Argel e passou a reivindicar o controle total sobre o Shatt al-Arab, exigindo que as duas margens ficassem sob controle iraquiano.

A tensão foi aumentando ao ponto de o rompimento diplomático entre as duas nações acontecer em 1980. Enquanto isso, o Iraque recebia armas e dinheiro para uma possível luta contra os iranianos. A guerra se iniciou em 22 de setembro de 1980, quando o Iraque atacou alvos iranianos e invadiu o território do país.

Acesse também: Talibã e a retomada do poder no Afeganistão

Principais acontecimentos da Guerra Irã-Iraque

Vista aérea de Teerã, capital do Irã.
Teerã, capital do Irã, foi bombardeada durante a Guerra Irã-Iraque.

Com a guerra iniciada, os interesses de cada país eram:

  • Iraque: conquistar o Shatt al-Arab e o Cuzistão (província iraniana rica em petróleo) e conter o avanço da Revolução Islâmica;

  • Irã: conquistar territórios no Iraque para formar uma grande república xiita.

A Guerra Irã-Iraque foi um dos conflitos mais violentos da segunda metade do século XX. Ficou marcada pela pouca movimentação de tropas, que se abrigavam em trincheiras. As batalhas da Guerra Irã-Iraque foram muito violentas e tiveram um índice de mortandade bastante elevado.

Nenhuma das duas nações realizou grandes conquistas na guerra, mas o conflito se deu em boa parte em solo iraquiano. Irã e Iraque alternaram períodos de predomínio durante a guerra, mas, como mencionado, os avanços territoriais não foram significativos. Houve o bombardeio da capital dos dois países: Teerã (Irã) e Bagdá (Iraque).

Durante o conflito, os curdos, apoiados pelo Irã, rebelaram-se contra o Iraque, e isso agravou a situação deste na guerra. Em represália aos curdos, Saddam Hussein autorizou um ataque com armas químicas contra o vilarejo de Halabja, em 1988. Esse acontecimento foi uma clara violação dos Direitos Humanos por parte do ditador iraquiano.

Em 1982, o Iraque tentou realizar um cessar-fogo, mas o Irã não aceitou o fim da guerra. A tentativa de negociação do Iraque se deu porque o país estava sofrendo uma série de reveses no conflito. Com a negativa iraniana, a guerra se estendeu por mais seis anos, e só se encerrou quando as duas nações aceitaram uma resolução do Conselho de Segurança da ONU pelo cessar-fogo.

Considera-se que a Guerra Irã-Iraque acabou em 15 de agosto de 1988, e os principais fatores que levaram ao fim do conflito foram o grande número de mortos — estimados em cerca de 1,5 milhão de pessoas — e a destruição da economia dos dois países depois de quase uma década de guerra.

Com o encerramento da guerra, não houve vencedores, uma vez que nenhuma das nações conseguiu se impor no conflito. Além disso, as fronteiras no Shatt al-Arab foram restauradas ao que havia sido decidido no Acordo de Argel.

Publicado por Daniel Neves Silva

Artigos Relacionados

O símbolo do Estado Islâmico aparece com frequência nas bandeiras que seus membros empunham e nos tanques de guerra por eles usados
Estado Islâmico
Conheça o Estado Islâmico, grupo que vem promovendo uma série de atrocidades na região em que atua, desde mutilação genital feminina até crucificações.
Destroços de um tanque soviético destruído durante a Guerra do Afeganistão
Guerra do Afeganistão de 1979
Clique neste link do Mundo Educação e tenha acesso a uma série de informações sobre a Guerra do Afeganistão de 1979. Entenda quais motivos levaram os soviéticos a invadir o país e veja as consequências desse conflito tanto para os soviéticos quanto para o mundo.
Guerra do Golfo
Clique aqui e saiba mais sobre a Guerra do Golfo, conflito que envolveu Kuwait, Iraque e Estados Unidos. Entenda as motivações e o desfecho dessa guerra.
Guerra do Iraque: acusações infundadas e interesses econômicos por de trás de um penoso conflito.
Guerra do Iraque
Guerra do Iraque, ONU, George W. Bush, Saddam Hussein, armas químicas, Conselho de Segurança, Eixo do Mal, invasão do Iraque, deposição de Saddam Hussein, Autoridade Provisória de Coalizão, eleições iraquianas, atentados terroristas, guerra civil, sunitas x xiitas.
Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep)
Leia sobre as origens e motivações de criação da Opep. Entenda também suas principais políticas de controle e o relacionamento do Brasil com a organização.
Saddam Hussein
Clique no link para ver detalhes sobre a vida de Saddam Hussein, ditador iraquiano. Veja quais foram as guerras que ele iniciou enquanto esteve no poder.
video icon
Biologia
Mamíferos
Os mamíferos têm seu lugar de destaque entre os vertebrados principalmente pelos humanos estarem inseridos nessa classe. Eles derivam de uma linhagem que se dividiu dando origem também aos répteis e aves atuais, o que explica as semelhanças entre esses grupos. Os mamíferos sempre são caracterizados pela presença de glândulas mamárias e pelos, mas existem várias outras características importantes no grupo.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
videoaula brasil escola
Química
Cinética química
Se ainda tem dúvidas quanto a velocidade das reações, essa videoaula é para você!
video icon
videoaula brasil escola
Português
Redação
Entenda como realizar argumento por causa e consequência com a nossa aula.
video icon
videoaula brasil escola
História
Crise de 1929
A quebra da bolsa de valores de Nova Iorque afetou não só os EUA, como o mundo. Entenda!