Whatsapp icon Whatsapp

Ísis

Ísis era uma das divindades mais importantes da religiosidade egípcia, considerada a mãe dos deuses e a mãe dos faraós.
Representação de Ísis, uma das divindades mais importantes da religiosidade egípcia.
Ísis era uma deusa com forte relação com a maternidade na religiosidade egípcia.

Ísis era uma deusa presente na religiosidade egípcia e muito relacionada com a maternidade e com a realeza, sendo considerada a mãe dos deuses e dos faraós. Foi uma das divindades mais populares da religiosidade dos egípcios na Antiguidade, sendo parte da Tríade de Abidos.

Ísis era casada com Osíris e mãe de Hórus. O culto a ela era tão importante no Egito que foi levado para a Grécia, tornando-se parte da religiosidade dos gregos também. Essa deusa se tornou bastante popular no primeiro milênio antes de Cristo e a importância de seu culto se enfraqueceu com o avanço do cristianismo.

Leia também: Quais eram os deuses do Egito Antigo?

Resumo sobre Ísis

  • Ísis era uma importante deusa da religiosidade egípcia.

  • Tinha uma grande relação com a maternidade, sendo considerada a mãe dos deuses.

  • Era chamada pelos egípcios de Eset.

  • Tinha uma forte relação com a realeza e era considerada a mãe dos faraós.

  • Era casada com Osíris e mãe de Hórus.

Quem foi a deusa Ísis na mitologia egípcia?

Ísis foi uma das divindades mais conhecidas da Antiguidade e originalmente estava vinculada com a religiosidade egípcia. Sua popularidade fez com que o seu culto chegasse também a outros povos, como os gregos e os romanos. Para os egípcios, Ísis era uma das deusas mais populares e cultuada em diversas partes.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Ísis era a esposa de Osíris, outro deus bastante popular da religiosidade egípcia, sendo considerada a responsável pelas cheias do Nilo. Os egípcios também a tinham, juntamente de Osíris, como quem ensinara a agricultura para a humanidade.

Ísis se relacionava com a realeza egípcia porque os egípcios acreditavam que ela era a mãe de todos os faraós, por isso muitas das suas representações apresentam-na usando um adorno em forma de trono. Além disso, era a responsável pela manutenção da vida e a protetora de marinheiros e de comerciantes.

Essa deusa era conhecida no Egito como Eset, termo traduzido como “assento”, sendo também chamada de Mut-Netjer ou “mãe dos deuses”, uma referência que evidenciava seu caráter materno. O nome Ísis, pelo qual conhecemos essa deusa, é uma atribuição dada pelos gregos.

Por fim, Ísis era parte da Tríade de Abidos, o conjunto de três deuses formado por Osíris, seu marido, e por Hórus, filho deles. Essas três divindades eram muito populares na religiosidade egípcia e conhecidas por terem legado importantes conhecimentos à humanidade.

Mito de Ísis e Osíris

Estátua de Ísis e de Osíris, duas importantes divindades da mitologia egípcia.
Estátua de Ísis (à sua direita) e de Osíris (à sua esquerda), duas importantes divindades da mitologia egípcia.

Na relação de Ísis com Osíris, o episódio em que ela realiza um ritual para ressuscitar o próprio marido é um dos mitos mais conhecidos da religiosidade egípcia. Ísis e Osíris governavam juntos o Egito, sendo Osíris reconhecidamente o primeiro faraó. Ele era considerado um bom e justo governante, sendo bastante popular.

A posição e o prestígio de Osíris incomodavam o seu irmão, Set, que nutria uma enorme inveja do que Osíris possuía. Depois que Set descobriu que sua esposa, Néftis, deitou-se com Osíris, a inveja inicial foi convertida em ódio. O mito conta que o adultério aconteceu porque Néftis disfarçou-se de Ísis, enganando Osíris a deitar-se com ela.

Set elaborou um plano para aprisionar e assassinar o próprio irmão. Ele montou uma armadilha que aprisionou o corpo de Osíris, lançando-o no Rio Nilo. O corpo foi levado até a Fenícia, sendo lá encontrado por Ísis. A deusa então transportou o marido de volta para o Egito, deixando-o sob os cuidados de Néftis, para que pudesse organizar o ritual de ressurreição.

Set descobriu o que estava acontecendo, sequestrou o corpo de Osíris, esquartejou-o e lançou as partes em diversos locais do Egito. As diferentes versões do mito afirmam que Osíris foi esquartejado em 14 ou 42 partes. Ísis deu início a uma nova busca para recuperar todas as partes de seu marido.

Ela encontrou todas, menos uma, o pênis dele. Mesmo assim, ela realizou a ressurreição, e, durante esse ritual, foi engravidada por seu marido. Osíris renasceu, mas não pôde permanecer no mundo dos vivos por faltar uma parte de seu corpo. Da relação entre Ísis e Osíris, nasceu Hórus.

Acesse também: Hórus — o deus dos céus na mitologia egípcia

Como a deusa Ísis era cultuada na religiosidade egípcia?

O culto a Ísis é bastante antigo e se estabeleceu durante o terceiro milênio antes de Cristo, provavelmente durante o Império Antigo (2686-2181 a.C.). É importante pontuar que levaram alguns séculos até que o culto a Ísis se estabelecesse de maneira popular, e ela tornou-se a deusa mais popular do Egito somente no primeiro milênio antes de Cristo.

Por ser uma deusa muito cultuada, Ísis espalhou-se por todo o Egito, e santuários e templos foram construídos para ela em diferentes partes. O santuário mais popular está localizado em Behbeit el-Hagar, é conhecido como Iseu e é considerado o primeiro templo dedicado a essa deusa.

 Templo de Ísis em Assuã, no Egito.
Templo de Ísis em Assuã, no Egito.

Havia sacerdotes e sacerdotisas que mantinham os cultos a Ísis e cuidavam dos templos. Esses locais eram abertos à população em geral, que comparecia para deixar oferendas. Contudo, os santuários mais sagrados de cada templo eram locais reservados unicamente aos sacerdotes e sacerdotisas.

O culto a Ísis no Egito tinha uma grande relação com a mortalidade, pois muitos egípcios acreditavam que ela poderia conceder uma boa vida após a morte. Seu culto conseguiu romper as fronteiras egípcias e foi levado à Grécia por meio das conquistas de Alexandre, o Grande. Na Grécia, seu culto foi muito relacionado à deusa Deméter, e começou a perder força com o crescimento do cristianismo.

Fontes

BULFINCH, Thomas. O livro de ouro da mitologia. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

HIRST, K. Kris. Osiris: Lord of the underworld in egyptian mythology. Disponível em: https://www.thoughtco.com/osiris-4767242.

MARK. Joshua J. Egyptian Gods – The complete list. Disponível em: https://www.worldhistory.org/article/885/egyptian-gods---the-complete-list/.

MARK, Joshua J. Isis. Disponível em: https://www.worldhistory.org/isis/.

MARK, Joshua J. Osiris. Disponível em: https://www.worldhistory.org/osiris/.

MARK, Joshua J.. The Lamentations of Isis and Nephtys. Disponível em: https://www.worldhistory.org/article/878/the-lamentations-of-isis-and-nephthys/.

Publicado por Daniel Neves Silva

Artigos Relacionados

A Religião do antigo Egito
A religião do antigo Egito foi sempre motivo de fundamental respeito e austeridade dessa antiga civilização.
A morte no Egito Antigo
Sabia como os antigos egípcios encaravam a morte.
Anúbis
Clique no link e conheça Anúbis, o primeiro deus egípcio representante dos mortos e da mumificação. Aprenda sobre o culto a essa divindade no Egito Antigo.
Egito Antigo
Clique aqui e conheça os principais elementos da história do Egito Antigo, uma das civilizações mais antigas do mundo.
Egito – Médio Império
A prosperidade e as disputas que marcaram esse período.
Formação do Império Egípcio
Os fatos e transformações históricas que marcaram o estabelecimento do Império Egípcio.
Hórus
Clique no link e conheça Hórus, deus dos céus e protetor da realeza para os egípcios na Antiguidade. Conheça alguns mitos que envolvem essa divindade.
Set
Clique no link e conheça Set, deus egípcio da guerra e do caos, associado com a desordem. Entenda por que ele matou o próprio irmão, Osíris.
video icon
Escrito"Educação e Cultura" sobre a imagem de um quadro-negro e livros.
Filosofia
Educação e Cultura
O que é educação? O que é cultura? Qual é a relação entre educação e cultura? Como a filosofia pensa a educação e a cultura? Assista a este vídeo e entenda!