Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Química Geral
  4. Hibridização do boro

Hibridização do boro

A hibridização do boro é a união de um orbital s com dois orbitais p da camada de valência após o recebimento de energia do meio externo.

A hibridização do boro, cuja sigla é B, é o fenômeno que permite que esse elemento químico consiga realizar suas três ligações para alcançar estabilidade.

A hibridização é um fenômeno que ocorre em átomos cujo número de ligações químicas está em desacordo com a quantidade de orbitais incompletos que ele apresenta em sua camada de valência.

O elemento carbono, por exemplo, apresenta dois orbitais incompletos em seu estado fundamental, mas é capaz de realizar quatro ligações covalentes.

Orbitais incompletos na camada de valência do carbono
Orbitais incompletos na camada de valência do carbono

Estado fundamental do Boro

O boro é um elemento que possui número atômico igual a 5 (possui 5 elétrons), logo, sua distribuição eletrônica fundamental é:


Distribuição eletrônica do átomo de boro

Podemos observar que o boro apresenta três elétrons de valência, estando dois no subnível s e um no subnível p.

Como o subnível s apresenta um orbital e o subnível p apresenta três orbitais, podemos afirmar que o subnível s está completo e o p possui um orbital incompleto, como na representação a seguir:

Estado excitado do boro

Quando um átomo de boro recebe energia do meio externo, os elétrons presentes na camada de valência absorvem essa energia, ficando excitados (movimentando-se demasiadamente).

Representação da chegada de energia em um átomo de boro
Representação da chegada de energia em um átomo de boro

Imediatamente após a excitação, um dos elétrons que estavam no orbital do subnível s passa a ocupar um dos orbitais vazios do subnível p.

Representação dos orbitais incompletos do boro no estado excitado
Representação dos orbitais incompletos do boro no estado excitado

Estado hibridizado do boro

Após a excitação, o orbital s incompleto une-se aos dois orbitais p incompletos, todos da camada de valência, formando, assim, três orbitais hibridizados (unidos). Com isso, o boro é capaz de realizar três ligações, pois apresenta três orbitais atômicos incompletos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Representação dos orbitais incompletos do boro no estado hibridizado
Representação dos orbitais incompletos do boro no estado hibridizado

Como em um átomo de boro temos a união de um orbital s com outros dois orbitais p, denominamos a sua hibridização de sp2. Assim, cada um dos orbitais incompletos do boro passa a ser chamado de sp2.

Hibridização do boro na forma de desenhos

Podemos ilustrar a hibridização do boro por meio das representações esquemáticas para os orbitais s (esfera) e p (dupla-hélice) envolvidos no processo.

Desenho utilizado para os orbitais dos subníveis s e p
Desenho utilizado para os orbitais dos subníveis s e p

a) Orbitais no estado fundamental

Abaixo temos a representação dos orbitais s e p do boro em seu estado fundamental, isto é, um orbital s completo e um orbital p incompleto. Os outros dois orbitais p do boro estão vazios, logo, não serão representados.

Orbitais do átomo de boro no estado fundamental
Orbitais do átomo de boro no estado fundamental

b) Orbitais no estado excitado

Abaixo temos a representação dos orbitais s e p do boro em seu estado excitado (após o recebimento de energia do meio externo):

Orbitais do átomo de boro no estado excitado
Orbitais do átomo de boro no estado excitado

Temos que um elétron do orbital s passa a ocupar um dos orbitais vazios, por isso, um novo orbital p foi desenhado.

c) Orbitais no estado hibridizado

Abaixo temos a representação dos orbitais s e p do boro em seu estado hibridizado:

Orbitais do átomo de boro no estado hibridizado
Orbitais do átomo de boro no estado hibridizado

O Boro é um elemento químico que se localiza no grupo XIII da Tabela Periódica
O Boro é um elemento químico que se localiza no grupo XIII da Tabela Periódica
Publicado por: Diogo Lopes Dias
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Representação dos orbitais sp3 na molécula do metano
Hibridização sp3 do carbono
Clique e conheça como ocorre a hibridização sp3 do carbono e em que tipo de moléculas ela está presente.
O dióxido de carbono é um exemplo de substância que apresenta moléculas apolares
Moléculas apolares
Clique e aprenda a identificar moléculas apolares a partir de duas formas práticas de analisar sua estrutura.
Composto estável: camada de valência completa.
Regra do Octeto
Como os átomos se ligam para atingir a estabilidade eletrônica?
Número de nuvens eletrônicas e a hibridização
Nuvens eletrônicas ao redor do átomo central.
O trihidreto de boro é uma exceção à regra do octeto, pois o boro possui apenas seis elétrons em sua camada de valência
Exceções à Regra do Octeto
Observe exemplos de compostos que são exceções à regra do octeto, tendo a capacidade de expandir ou contrair seu octeto.
O modelo de orbitais para o subnível p é representado nas três orientações espaciais possíveis
Modelo de orbitais e distribuição eletrônica
Aprenda o conceito de orbital, como representá-lo gráfica e espacialmente e como realizar a sua distribuição eletrônica de acordo com o modelo de Linus Pauling.
Podemos localizar um elemento químico utilizando a ferramenta da distribuição eletrônica e vice-versa
Distribuição eletrônica e a Tabela Periódica
Veja como indicar o subnível mais energético e o número de elétrons do átomo relacionando a distribuição eletrônica com a Tabela periódica.
Modelo de hibridização entre um orbital s e um orbital p
Hibridização do Berílio
Clique e aprenda como se processa a hibridização do Berílio e conheça ainda a forma como seus orbitais devem ser classificados e representados!