Whatsapp icon Whatsapp

Texto literário

Texto literário é o texto que tem uma função estética e artística. Ele não é prático, como um manual de instruções ou uma receita, mas busca outros objetivos de expressão.
Ilustração de várias pessoas lendo como representação da noção de texto literário.
O texto literário é um texto focado na beleza estética e na arte.

O texto literário é uma criação linguística com função artística e estética, diferente da função prática de textos não literários, como receitas ou relatórios. Ele tem outros objetivos, como expressar/despertar emoções, entreter ou fazer humor e é a ficcionalização de alguma parte da existência humana.

As principais funções da linguagem utilizadas no texto literário são a poética e a emotiva. Ele sempre está sujeito à interpretação, que deve levar em conta o texto em si, seu contexto de produção e o de recepção.

Leia também: Quais são as características da linguagem literária?

Resumo sobre texto literário

  • O texto literário é uma criação linguística com função não necessariamente prática, mas artística e estética.

  • Tem outros objetivos, como expressar/despertar emoções, entreter ou fazer humor.

  • Sempre é do campo da ficcionalização, mesmo contando uma história real.

  • O texto literário requer interpretação, que considera diversos elementos.

  • É dividido em três gêneros: narrativo, lírico e dramático.

  • Difere-se do texto não literário por este ter uma função e pela linguagem.

O que é texto literário?

As definições dos conceitos de “texto literário” e “literatura” nunca foram simples, passando por diversas modificações e discussões ao longo dos séculos. O famoso crítico e escritor Antonio Candido, por exemplo, define a literatura dessa forma: “Chamarei de literatura, da maneira mais ampla possível, todas as criações de toque poético, ficcional ou dramático em todos os níveis de uma sociedade, em todos os tipos de cultura, desde o que chamamos de folclore, lenda, chiste, até as formas mais complexas e difíceis (...)”.|1|

Assim, de modo geral, o texto literário é uma criação linguística com função não necessariamente prática, ou seja, diferente de um manual de instruções ou uma receita. Portanto, um texto literário é o texto que manipula a linguagem de alguma forma diferente do usual e com outros objetivos, como expressar/despertar emoções, entreter ou fazer humor. É a ficcionalização de alguma parte da existência humana.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quais as características do texto literário?

O texto literário apresenta as seguintes características:

  • mistura de linguagem conotativa e denotativa;

  • ausência de função prática/utilitária;

  • mesmo que conte uma narrativa verídica, está no terreno da ficção;

  • sujeito à interpretação.

Em especial no que se refere à interpretação, qualquer texto literário deve ser interpretado levando em conta a produção em si, ou seja, o que podemos inferir e deduzir a partir do próprio texto, mas também levando em conta os momentos sócio-históricos em que foi produzido e em que está sendo lido.

O romance é um exemplo disso: ele é um gênero textual do tipo narrativo caracterizado, em grande parte, pelo acompanhamento da jornada do protagonista. Esse gênero foi adotado pela burguesia no século XVII (permanecendo até hoje) e surgiu pois essa classe social estava em ascensão e usou a literatura para expressar seus valores, como a individualidade. Além disso, cada grupo de leitores de épocas diferentes terá diferentes visões sobre esse gênero.

Qual a estrutura e os tipos de texto literário?

Há uma infinidade de textos literários possíveis. A forma mais antiga de dividi-los e caracterizá-los, pensada pelo filósofo grego Aristóteles, envolve três gêneros literários, o narrativo, o lírico e o dramático. Cada um desses gêneros possui incontáveis usos.

  • Gênero narrativo: conta um enredo, real ou fictício. Geralmente, em prosa. Costuma ter um narrador.

    • Estrutura geral dos textos literários do gênero narrativo: apresentação (personagens, local, tempo e foco da narrativa), conflito, clímax e desfecho.

    • Exemplos de textos literários narrativos: contos, crônicas, romances, fábulas etc.

  • Gênero lírico: foca nos sentimentos e emoções do eu lírico (quase como um narrador do tipo lírico). Geralmente, é um poema.

    • Estrutura geral dos textos literários do gênero lírico: normalmente, em verso. Pode conter rima e metrificação.

    • Exemplos de textos literários líricos: poema, haicai, ode, soneto etc.

  • Gênero dramático: foca nos diálogos e nas ações, que regem a trama. Pode ser em prosa ou poema. Costuma não ter narrador, já que o diálogo entre os atores guia o enredo.

    • Estrutura geral dos textos literários do gênero dramático: apresentação, (personagens, local, tempo e foco da narrativa), conflito, clímax e desfecho.

    • Exemplos de textos literários dramáticos: peças de teatro, como comédia e tragédia.

Exemplos de texto literário

Trecho do romance Quincas Borba, de Machado de Assis

Quincas Borba calou-se de exausto, e sentou-se ofegante. Rubião acudiu, levando-lhe água e pedindo que se deitasse para descansar; mas o enfermo, após alguns minutos, respondeu que não era nada. Perdera o costume de fazer discursos, é o que era. E, afastando com o gesto a pessoa de Rubião, a fim de poder encará-la sem esforço, empreendeu uma brilhante descrição do mundo e suas excelências.|2|

Trecho do poema José, de Carlos Drummond de Andrade

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,

está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?|3|

Trecho inicial da peça O noviço, de Martins Pena

PRIMEIRO ATO
CENA I

Sala ricamente adornada: mesa, consolos, mangas de vidro, jarras com flores, cortinas, etc.,
etc. No fundo, porta de saída, uma janela, etc., etc.

ABRÓSIO
(só de calça preta e chambre)
No mundo a fortuna é para quem sabe adquiri-la. Pintam-na cega... Que simplicidade! Cego é aquele que não tem inteligência para vê-la e a alcançar. Todo homem pode ser rico, se atinar com o verdadeiro caminho da fortuna. Vontade forte, perseverança e pertinácia são poderosos auxiliares. Qual o homem que, resolvido a empregar todos os meios, não consegue enriquecer-se? Em mim se vê o exemplo. Há oito anos, eu era pobre e miserável, e hoje sou rico, e mais ainda serei. E como não importa; no bom resultado está o mérito... Mas um dia pode tudo mudar. Oh, que temo eu? Se em algum tempo tiver que responder pelos meus atos, o ouro justificar-me-á e serei limpo de culpa. As leis criminais fizeram-se para os pobres…|4|

Veja também: Figuras de linguagem — recursos estilísticos muito utilizados nos textos literários

Texto literário x texto não literário

As duas grandes diferenças entre os textos literário e não literário são a linguagem e a função:

  • Texto literário: é estético e artístico, sendo caracterizado pelas funções poética e emotiva da linguagem. Para isso, usa a linguagem conotativa.

  • Texto não literário: é produzido visando a utilidades práticas, como instruir, passar informações, dar notícias, convencer etc. Para isso, usa a linguagem denotativa.

Notas

|1| CANDIDO, A. O DIREITO À LITERATURA. In: VÁRIOS ESCRITOS. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011.

|2| ASSIS, M. Quincas Borba. [s.l.] OBLIQPRESS, 2013.

|3| ANDRADE, C. D. Poesias. Rio de Janeiro: José Olympio, 1942.

|4| PENA, M. O Noviço. Domínio Público: MINISTÉRIO DA CULTURA - Fundação Biblioteca Nacional - Departamento Nacional do Livro, [s.d.].

Fontes

ALÓS, A. P. A. TEXTO LITERÁRIO, TEXTO CULTURAL, INTERTEXTUALIDADE. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – ReVEL, p. 1–25, 2006.

ANDRADE, C. D. Poesias. Rio de Janeiro: José Olympio, 1942.

ASSIS, M. DE. Quincas Borba. [s.l.] OBLIQPRESS, 2013.

CANDIDO, A. A literatura e a formação do homem. In: Textos de Intervenção. São Paulo: Duas Cidades/Editora 34, 2002. p. 81–89.

CANDIDO, A. O DIREITO À LITERATURA. In: VÁRIOS ESCRITOS. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011.

CARVALHO, L. Q. DIALOGISMO E LITERATURA: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Percursos Linguísticos, p. 77–90, 2018.

PENA, M. O Noviço. Domínio público: MINISTÉRIO DA CULTURA - Fundação Biblioteca Nacional - Departamento Nacional do Livro, [s.d.].

Publicado por Luiza Pezzotti Pugles

Artigos Relacionados

Aristóteles
Clique aqui e aprenda um pouco sobre Aristóteles, o grande filósofo grego que iniciou o Período Sistemático da Filosofia.
Denotação e Conotação
Você sabe o que é denotação e conotação? Não? Clique e confira!
Funções da linguagem
Clique aqui e descubra quais elementos compõem o processo de comunicação. Aprenda quais são as funções da linguagem e quais são as suas características.
Gêneros literários
Saiba quais são os gêneros literários e suas características, bem como conheça os seus subgêneros.
Linguagem literária
Saiba o que é a linguagem literária. Descubra quais são as suas características e veja quais são as diferenças entre linguagem literária e linguagem não literária.
Linguagem não literária
Linguagem e informação: Conheça os principais aspectos da linguagem não literária.
Sentido denotativo e conotativo no contexto linguístico
Saiba mais sobre os recursos da linguagem.
Textualidade
Você sabe o que é textualidade? Conheça esse conceito e os fatores e elementos que o compõem, além de descobrir a diferença entre textualidade, texto e discurso.
Tipos textuais
Estrutura e organização do discurso: Saiba mais sobre os tipos textuais e suas finalidades.
video icon
Texto"Matemática do Zero | Teorema de Tales" em fundo azul.
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Teorema de Tales
Nessa aula veremos o que é o Teorema de Tales e como resolver exercícios que envolvam esse teorema.