Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Genética
  4. Variabilidade genética

Variabilidade genética

Variabilidade genética é uma expressão que diz respeito à variedade de alelos (diferentes versões de um mesmo gene) que uma espécie apresenta. Essa variedade apresenta como fonte primária o mecanismo de mutação, processo responsável por originar novos alelos de maneira totalmente aleatória. A variabilidade genética é responsável por promover o surgimento de diferenças morfológicas e fisiológicas dos indivíduos de uma espécie e, desse modo, é essencial para que a seleção natural possa atuar.

Leia também: Teorias evolucionistas – lamarckismo, darwinismo e neodarwinismo

O que é a variabilidade genética?

Quando falamos em variabilidade genética, referimo-nos à diversidade de alelos presentes em determinada população. É essa variabilidade a responsável por promover as características morfológicas e fisiológicas dos organismos, ou seja, é a responsável por garantir que, dentro de uma mesma espécie, existam variações entre as características de cada indivíduo.

Na espécie humana, por exemplo, podemos observar facilmente como a variabilidade genética provoca diferenças individuais, sendo possível distinguir diferentes tonalidades de pele, altura, cabelo, entre outras características.

A variabilidade genética diz respeito à variedade de alelos em uma espécie.
A variabilidade genética diz respeito à variedade de alelos em uma espécie.

Fatores que influenciam na variabilidade genética

A variabilidade genética é influenciada por diferentes fatores. A mutação é considerada a fonte primária da variabilidade genética, pois ela é responsável pelo surgimento de novos alelos. Além da mutação, temos a reprodução sexuada, a deriva genética e o fluxo gênico como fatores que influenciam na variedade de alelos de uma espécie.

  • Mutação: está relacionada diretamente com o aumento da variabilidade genética. É por meio da mutação que muitos alelos surgem nos indivíduos, entretanto, é importante destacar que esse surgimento ocorre totalmente ao acaso. Os novos alelos podem surgir de diferentes formas, como a inserção ou deleção de um nucleotídeo em uma sequência de DNA que codifica determinada proteína.

Alterações nessas sequências são responsáveis diretamente por mudanças nas proteínas que seriam sintetizadas, determinando, desse modo, o surgimento de novas características. Com o aumento de novos alelos, temos um aumento da variabilidade genética devido ao surgimento de novos genótipos.

É importante deixar claro, mais uma vez que a mutação é considerada um fenômeno não adaptativo, uma vez que acontece de maneira aleatória e não com a função de tornar um indivíduo mais adaptado ao meio em que vive.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Reprodução sexuada: é um tipo de reprodução que envolve gametas. Está relacionada com a variabilidade genética, pois promove a combinação de alelos proveniente dos pais. Ela é responsável, portanto, por “misturar os alelos”, promovendo diferentes genótipos. Além disso, não podemos esquecer-nos de que, durante a formação dos gametas, o fenômeno conhecido como crossing-over, que ocorre na meiose, e a segregação independente dos cromossomos, na formação dos gametas, também promovem a variabilidade.
  • Fluxo gênico: nada mais é do que a movimentação de alelos entre populações. Ocorre devido à movimentação de indivíduos férteis ou seus gametas, que acabam transferindo alelos de uma população para outra, podendo, por exemplo, introduzir um novo alelo em uma população, aumentando a variabilidade genética. Com o tempo, no entanto, o fluxo gênico tende a reduzir as diferenças genéticas entre as populações.
  • Deriva genética: diferentemente de outros fatores, está relacionada com a diminuição da variabilidade genética. A deriva genética pode ser definida como uma mudança na frequência alélica decorrente de eventos aleatórios, podendo, nesse processo, ocorrer a eliminação de determinados alelos ou sua fixação, independentemente se eles são vantajosos ou não. Vale salientar que a deriva genética é significante em populações pequenas.

Leia também: Efeito fundador – ocorre em virtude da migração de parte da população

Variabilidade genética e seleção natural

Mariposas de uma mesma espécie, porém com características distintas.
Mariposas de uma mesma espécie, porém com características distintas.

A variabilidade genética diz repeito à diversidade de alelos existentes em indivíduos de uma espécie. Como ela determina as características morfológicas e fisiológicas dos indivíduos, quanto maior ela for, mais diversificada será uma população. Sem essa diversidade, não seria possível a ocorrência da seleção natural.

Imagine, por exemplo, que, em uma região, temos a presença de mariposas de coloração clara e escura, como demonstrado na figura anterior. Essa variação de cores ocorre devido à presença de genes que determinam a coloração de cada indivíduo.

Na figura é possível perceber que as mariposas de coloração clara ficam camufladas no ambiente, o que evita a predação. As mais escuras, por sua vez, estão mais visíveis, sendo predadas com mais frequência. A coloração clara, nesse caso, é uma característica vantajosa, que possibilita a sobrevivência nesse ambiente, garantindo a reprodução e transmissão de características para a próxima geração. A ação da seleção natural, nesse caso, só foi possível devido à existência de diferenças entre os indivíduos.

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos
Assuntos relacionados
A pelagem de coelhos, um caso de polialelia.
Alelos Múltiplos
Quando para uma mesma característica, existem mais de dois genes alelos atuantes.
Charles Darwin
Biologia Evolutiva
Conheça o histórico e aspectos da evolução biológica.
Charles Darwin
Conheça um pouco mais sobre a vida e obra do naturalista Charles Darwin, um pesquisador que mudou completamente a forma como entendemos a evolução.
Entender os conceitos básicos de Genética ajuda-nos a resolver atividades relacionadas a essa área
Conceitos básicos de Genética
Conheça alguns conceitos básicos de Genética e descubra que esse conteúdo pode ser muito mais fácil do que você imagina.
Genótipo e fenótipo
Você sabe diferenciar genótipo e fenótipo? Esses dois conceitos são fundamentais para a compreensão da genética. Clique aqui e aprenda mais sobre o tema.
O embaralhamento dos “fatores” hereditários.
Permutação
Troca de segmentos correspondentes entre cromossomos homólogos.
Crossing-over: um evento responsável pela variabilidade genética de uma população.
Teoria sintética da evolução
Abordagem que alia evolução e genética para explicar a origem da diversidade.