Toyotismo

O toyotismo é um sistema de produção industrial difundido a partir da década de 1970 e caracterizou-se por flexibilizar a fabricação de mercadorias.

O Toyotismo – também conhecido como acumulação flexível – é um modelo de produção industrial idealizado por Eiji Toyoda (1913-2013) e difundido pelo mundo a partir da década de 1970 após a sua aplicação pela fábrica da Toyota, empresa japonesa que se despontou como uma das maiores empresas do mundo na fabricação de veículos automotivos.

A característica principal desse modelo é a flexibilização da produção, ou seja, em oposição à premissa básica do sistema anterior — o fordismo, que defendia a máxima acumulação dos estoques —, o toyotismo preconiza a adequação da estocagem dos produtos conforme a demanda. Assim, quando a procura por uma determinada mercadoria é grande, a produção aumenta, mas quando essa procura é menor, a produção diminui proporcionalmente.

Podemos dizer que o Toyotismo surgiu no Japão em virtude das condições geográficas do país e das transformações históricas relacionadas ao término da Segunda Guerra Mundial. Assim, dispondo de um espaço geográfico reduzido e de um mercado consumidor menor do que o das potências ocidentais, o Japão não conseguia se adequar ao modelo fordista de produção em massa.

Ainda na década de 1950, Eiji Toyoda visitou algumas fábricas norte-americanas a fim de melhor conhecer os seus respectivos processos produtivos. Lá se deparou com empresas gigantescas que detinham grandes espaços para a estocagem de produtos industrializados. Ao fazer as suas constatações, Toyoda não tardou em perceber que o seu país, o Japão, vivendo um complicado período pós-guerra, não conseguiria se adequar àquele modelo industrial. Esse foi o início para que, mais tarde, ele viesse a idealizar um sistema em que a produção ocorresse de forma mais flexibilizada.

Mas além das condições geo-históricas, para o sistema toyotista existir também era necessário um avançado sistema tecnológico nos meios de transporte e comunicação, algo impensável nos tempos em que o fordismo havia sido idealizado. Isso porque a rapidez no deslocamento e no fluxo de mercadorias era uma das bases para que a produção flexibilizada fosse direcionada para o consumo sem atrasos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Assim, uma das técnicas mais utilizadas por esse modelo industrial foi o Just in time, que significa “em cima da hora”, em tradução livre. Esse modelo funciona na combinação entre os sistemas de fornecimento de matérias-primas, de produção e de venda. Assim, apenas a matéria-prima necessária para a fabricação de uma quantidade predeterminada de mercadorias é utilizada, que deve ser realizada em um prazo já estabelecido, geralmente muito curto.

Com a adoção do just in time, as fábricas passaram a economizar dinheiro e espaço na estocagem de matérias-primas e mercadorias, além de agilizar a produção e a circulação.

Outro ponto importante referente ao sistema toyotista é a diminuição da oferta de empregos, haja vista que o processo de trabalho também se flexibiliza e, ao longo do processo produtivo, um mesmo trabalhador realiza diversas funções, diferentemente do fordismo, em que o trabalho era mecânico e repetitivo. Isso serviu para ampliar o desemprego no setor secundário da economia (que é o setor das indústrias) e transferir a mão de obra para o setor terciário (o setor de serviços), onde os empregos se concentram mais na distribuição de mercadorias do que propriamente em sua produção.

O toyotismo, em linhas gerais, pode ser considerado como o sistema responsável pela terciarização da economia, algo que já ocorreu nos países desenvolvidos e que vem se acelerando também no mundo subdesenvolvido.

Na linha de produção toyotista, a quantidade de funcionários é reduzida
Na linha de produção toyotista, a quantidade de funcionários é reduzida
Publicado por: Rodolfo F. Alves Pena
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios

Questão 1

Com a implantação do toyotismo, houve uma sensível alteração nos sistemas produtivos industriais que:

a) abandonaram a produção massiva e adotaram a produção flexível.

b) trocaram a execução de serviços automatizados por trabalhos mecânicos.

c) intensificaram a dinamização para a ampliação dos sistemas de estocagem.

d) diminuíram os gastos com os meios de produção e investiram na formação dos trabalhadores.

Questão 2

 “A partir da mundialização do capital, o que veio a ser denominado de toyotismo assumiu a posição de objetivação universal da categoria da flexibilidade, tornando-se um valor universal para o capital em processo”.

(ALVES, G. Toyotismo como ideologia orgânica da produção capitalista. Revista Org & Demo. Vol. 01, nº 01, 2000. p.05.)

Uma das técnicas principais que assinalam a “categoria da flexibilidade” mencionada pelo trecho acima é:

a) o controle fiscal

b) o just in time

c) o sistema de gerenciamento

d) a reestruturação produtiva

Mais Questões
Assuntos relacionados
As indústrias atuam na transformação de matérias-primas em mercadorias
Industrialização do Mundo
O conceito de industrialização, suas etapas e o seu papel nas transformações no espaço geográfico.
O setor de serviços é o que mais cresce no mundo atual
Setor Terciário
Compreenda a importância e as características do setor terciário da economia, bem como o seu crescimento recente.
Os sistemas de produção de bens, serviços e mercadorias interferem na vida em sociedade
Sistemas de produção
Confira os aspectos dos principais sistemas de produção: taylorismo, fordismo e toyotismo, com as suas respectivas particularidades.
O setor terciário concentra um elevado número de atividades
Terciarização da economia
Atualmente, as sociedades vêm passando por um processo de terciarização da economia. Entenda o que é e o que representa esse termo!
Com a globalização, as relações de trabalho vêm se transformando
Trabalho na Globalização
Entenda como funcionam as relações de trabalho na Globalização e as transformações causadas pela internacionalização da economia.
Taylorismo
Você sabe o que é taylorismo? Veja como esse modo de organização do sistema produtivo, criado por Frederick Taylor, revolucionou a produção industrial no mundo.