Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Matemática
  3. Logaritmo
  4. Equações polinomiais

Equações polinomiais

As equações polinomiais são comuns na matemática para encontrarmos valores desconhecidos. É polinomial qualquer equação que tenha um polinômio igual a zero. O grau desse tipo de equação depende do maior expoente dos termos do polinômio. Pelo teorema fundamental da álgebra (TFA), toda equação polinomial de grau n possui n soluções complexas. Essas soluções são conhecidas como raízes da equação, quanto maior o grau do polinômio, mais difícil será encontrarmos essas raízes.

Leia também: Quatro passos para resolver equações do primeiro grau

O que é uma equação polinomial?

Definimos como polinomial toda equação que possui um polinômio P(x) igualado a zero, ou seja, P(x) = 0.

Dado um polinômio P(x) = an xn + an-1 xn-1 + … + a2 x2 + a1 x1 + a0, conhecemos então como equação exponencial a igualdade:

an xn + an-1 xn-1 + … + a2 x2 + a1 x1 + a0 = 0

Em uma equação polinomial, é importante encontrarmos o grau dela para termos uma estratégia de resolução, e esse grau é definido pelo maior expoente dado à incógnita, assim como é feito nos polinômios.

Exemplos:

3x + 1 = 0 → equação polinomial do 1º grau

4x² + 3x – 3 = 0 → equação polinomial do 2º grau

-3y³ + 2y + 1 = 0 → equação polinomial do 3º grau

5a8 + 2a6 + a² + 2a = 0 → equação polinomial do 8º grau

As equações mais comuns em problemas, tanto na matemática quanto na física e química, são as de primeiro e segundo grau.

Como resolver uma equação polinomial?

O método de resolução de uma equação polinomial está diretamente ligado ao seu tipo. Existem dois tipos de equação polinomial mais comuns em exercícios e problemas, tanto na matemática quanto nas áreas afins, são eles:

  • Equação polinomial do primeiro grau
  • Equação polinomial do segundo grau

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Equação polinomial do primeiro grau

Conhecendo a equação do tipo ax + b = 0, em que a e b são números reais, para resolvê-la, sempre buscaremos isolar a incógnita x, realizando as operações inversas nos dois lados da igualdade.

Exemplo:

Resolva a equação 3x + 6 = 0.

Buscar o valor de x que faz com essa equação dê zero, muitas vezes, pode ser feito de forma intuitiva, mas quando a equação torna-se mais complexa, é essencial dominar o método de resolução.

1º passo: subtrair 6 dos dois lados, o que é conhecido também como passar o 6 para o outro lado da igualdade com o sinal trocado.

3x + 6 = 0

3x + 6 – 6 = -6 

3x = -6

2º passo: dividir por 3 nos dois lados, na prática, passar o 3 para o outro lado dividindo:

Encontrar x = -2 significa que -2 é a raiz da equação, ou seja, o valor que, quando substituído no lugar do x, faz com que essa equação seja verdadeira.

  • Equação do segundo grau completa

Para resolver uma equação do segundo grau completa, do tipo ax² + bx + c, recorremos ao cálculo do discriminante, conhecido também como delta, e à fórmula de Bhaskara. Existem outros métodos de resolução para equações polinomiais do segundo grau, como soma e produto.

Exemplo:

Encontre as raízes da equação x² – 3x + 2 = 0.

1º passo: encontrar a, b e c

a = 1

b = -3

c = 2

2º passo: calcular o valor do delta

3º passo: aplicar a fórmula de Bhaskara

As raízes da equação são {2,1}. Note que, ao substituirmos esses valores por x, isso faz com que a equação seja verdadeira.

Veja também: Discriminante de uma equação do segundo grau

  • Fatoração

Dada uma equação polinomial, é possível fatorar um polinômio se conhecermos as suas raízes. De modo geral, seja x1, x2, x3, … xn-1, xn as raízes da equação P(x) = 0, em que an é o coeficiente do termo de maior grau, então o polinômio pode ser reescrito por:

P(x) = an (x – x1) (x – x2) (x – x3) … (x – xn-1) (x – xn)

Exemplo:

Dado o polinômio P(x) 2x4 – 10x³ – 26x² + 106x + 120, e considerando que um polinômio do 4º grau possui as raízes iguais a -3, -1, 4 e 5, escreva-o na forma fatorada:

Dadas as raízes, nós definiremos x1 = -3, x2 = -1, x3 = 4 , x4 = 5. A ordem em que escolhemos as raízes não é importante, já que vamos escrevê-las como fatores de uma multiplicação, e na multiplicação a ordem dos fatores não altera o produto. Sabemos que an = 2, então:

P(x) = an(x – x1) (x – x2) (x – x3) (x – x4)

P(x) = 2(x – (-3) ) (x – (-1)) (x – 4) (x – 5)

P(x) = 2(x + 3) (x + 1) (x – 4) (x – 5)

Quando uma mesma raiz aparece duas vezes na fatoração, dizemos que ela tem multiplicidade 2, ou seja, que na fatoração ela aparecerá duas vezes. Por exemplo: no produto notável (x+3)², que é igual ao polinômio x² + 6x + 9, ao buscarmos as raízes desse polinômio, o 3 terá multiplicidade 2, pois, ao aplicarmos Bhaskara, x1 = x2 = 3.

Essa definição funciona para o caso geral, se uma mesma raiz aparece k vezes em uma fatoração, então podemos dizer que ela possui multiplicidade k.

Acesse também: Três passos para resolver uma equação do segundo grau

Teorema fundamental da álgebra

O teorema fundamental da álgebra teve contribuições de muitos matemáticos ao longo da história. Muito antes da formalização do conjunto dos números complexos, já havia algumas afirmações sobre ele.

A sua formalização é atribuída ao matemático Gauss, que fez a primeira demonstração do teorema. O teorema fundamental da álgebra diz que um polinômio P(x) com grau n, em que n é um número natural, possuirá n raízes complexas. Isso significa que o grau de um polinômio indica a quantidade de soluções que ele possui.

A fórmula de Bhaskara é útil para resolver equações polinomiais do segundo grau.
A fórmula de Bhaskara é útil para resolver equações polinomiais do segundo grau.

Exercícios resolvidos

Questão 1 - Qual será a forma fatorada do polinômio P(x), sabendo que ele possui grau 5, an = 1 e que as suas raízes são 2, com multiplicidade 3, 5 e -2?

a) (x + 2)³ (x + 5) (x – 2)

b) (x – 2)³ (x + 5 ) (x – 2)

c) (x – 5) (x – 6) (x + 2)

d) (x – 5) (x – 2)³ (x + 2)

e) (x – 2) (x – 5) (x – 3)²

Resolução

Alternativa D.

Sabemos que se trata de um polinômio do 5º grau, logo:

P(x) = an(x – x1) (x – x2) (x – x3) (x – x4) (x – x5

No entanto, o 2 possui multiplicidade 3, seja an = 1, x1 = 2, x2 = 5 e x3 = -2, então temos que:

P(x) = 1(x – 2)³ (x – 5) (x – (-2))

P(x) = 1(x – 2)³ (x – 5) (x + 2)

Como a ordem não é importante, podemos reordenar os fatores para que fique igual à alternativa correta.

P(x) = (x – 5) (x – 2)³ (x + 2)

Questão 2 - O polinômio P(x) = (x² +2x + 4) (x³ – 2x) possui quantas soluções complexas?

a) seis

b) cinco

c) quatro

d) três

e) zero

Resolução

Alternativa A.

Pelo teorema fundamental, o número de soluções é dado pelo grau do polinômio, nesse caso, o maior expoente possível do produto, ao aplicar-se a propriedade distributiva em (x² +2x + 4) (x³ – 2x), é x² · x³ =  x6, o que indica que P(x) possui grau 6, logo, ele possui seis soluções.

Publicado por: Raul Rodrigues de Oliveira
Assuntos relacionados
Soma e Produto das Raízes de uma Equação do 2º grau
Determinando a solução de uma equação do 2º grau de acordo com a soma e o produto das raízes.
As raízes de uma equação do segundo grau são os pontos do eixo x tocados pelo seu gráfico
Três passos para resolver uma equação do segundo grau
Confira três passos para resolver uma equação do segundo grau!
Resolva equações polinomiais que possuem raízes complexas
Raízes complexas de uma equação polinomial
Aprenda a encontrar as raízes reais e complexas em um polinômio que possui pelo menos uma raiz complexa.