Regência do verbo “induzir”

A regência do verbo “induzir” pode sofrer modificações de acordo com o seu significado em uma oração.

Afinal, qual é a forma correta: induzir em ou induzir a? Se você também tem dúvidas sobre a regência do verbo “induzir”, fique atento à explicação que o Mundo Educação traz agora para você. Mas antes de partirmos para uma análise mais detalhada sobre o assunto, é importante conferir no dicionário o significado do verbo em questão.

De acordo com o dicionário Michaelis da língua portuguesa, o verbo induzir vem do latim inducere e pode apresentar os seguintes significados:

1. Persuadir à prática de alguma coisa; aconselhar, instigar;

2. Causar, incutir, inspirar;

3. Arrastar, fazer cair em erro;

4. Inferir, concluir.

Por apresentar diferentes acepções, o verbo induzir pode ser empregado em diferentes contextos e, por esse motivo, é preciso ter cautela para que a regência verbal seja feita de maneira adequada. Vamos aos exemplos? Observe:

Quando “induzir” apresentar sentido de persuadir à prática de alguma coisa; aconselhar, instigar, será transitivo direto e indireto, ou seja, virá acompanhado de um objeto direto e indireto. Exemplos:

O vício em drogas induziu o réu a cometer o crime.

Os jurados foram induzidos a condenar o réu.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quando “induzir” apresentar o sentido de causar, incutir, inspirar, provocar, ele será transitivo e a construção deverá será feita com objeto direto, ou seja, dispensará o uso de uma preposição ligando o termo regente ao termo regido. Veja o exemplo:

O assalto sofrido por um morador do bairro induziu insegurança na população.

O professor sabia como induzir respeito.

Quando “induzir” apresentar o sentido de arrastar, fazer cair em erro, ele será um verbo transitivo indireto, portanto, deverá ser acompanhado por um objeto indireto regido pela preposição em. Observe:

As vítimas foram induzidas em erro pelo estelionatário.

Algumas questões do vestibular foram elaboradas para induzir em erro os candidatos.

Quando “induzir” apresentar o sentido de inferir, concluir, ele será transitivo direto, isto é, não exigirá preposição para o estabelecimento da relação de regência. Exemplos:

Os alunos induzirão a regra depois da observação dos exemplos.

Induziu apenas uma explicação possível.

Viu só como é preciso ficar atento à regência dos verbos que apresentam diferentes significados? Em caso de dúvida, consulte-nos! Bons estudos!

O verbo “induzir” tem origem no latim inducere e pode apresentar diferentes significados

O verbo “induzir” tem origem no latim inducere e pode apresentar diferentes significados

Publicado por: Luana Castro Alves Perez
Assuntos relacionados
Na oração acima, o verbo responder pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “ser responsável”
Regência do verbo “responder”
Saiba como se constrói a regência do verbo responder, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na frase, o verbo “chamar” é transitivo indireto, tem o sentido de “recorrer” e, por isso, pede um objeto indireto
Regência do verbo chamar
Saiba como se constrói a regência do verbo chamar, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na oração acima, o verbo “interessar” pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “importar”
Regência do verbo “interessar”
Saiba como se constrói a regência do verbo “interessar”, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na oração acima, o verbo “visar” é transitivo indireto, possui o sentido de “ter por objetivo” e, por isso, pede um objeto indireto
Regência do verbo visar
Saiba como se constrói a regência do verbo “visar”, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa, tais como mirar, apontar, dar visto, ter em vista etc. Por esses diversos sentidos, ele pode ser classificado como um verbo transitivo direto ou um verbo transitivo indireto acompanhado da preposição “a”.
Tal verbo, dependendo do contexto, pode assumir distintas posições
Reclamamos algo ou de algo?
Em apenas um clique constate acerca de tal questionamento!
Convidar para e convidar a integram os muitos casos relacionados à regência verbal
Convidar para ou convidar a?
Convidar para e convidar a representam um caso de regência verbal em que o uso da preposição está relacionado ao sentido do verbo.
A regência do verbo acusar está relacionada aos sentidos que ele apresenta
Regência do verbo acusar
A regência do verbo acusar é determinada por meio dos sentidos por ele apresentados.
No estudo da regência do verbo “insistir”, constatamos que ele se apresenta como transitivo indireto, bem como intransitivo
Regência do verbo insistir
Analisando a regência do verbo “insistir”, constatamos que ele pode ser transitivo indireto e intransitivo. Clique e confira!
A regência do verbo agradecer se demarca pelo fato de ele ser constituído de dois complementos: um objeto direto e outro indireto
Regência do verbo agradecer
Que tal conhecer a regência do verbo “agradecer”? Com certeza você não terá mais nenhuma dúvida em relação a esse fato linguístico, pois é só clicar!
A regência do verbo “falar” é demarcada pelo fato de ele se apresentar acompanhado de distintos complementos
Regência do verbo falar
A depender dos complementos inerentes ao verbo “falar”, este obedece a regências distintas. Certifique-se desse fato linguístico aqui!
Conhecer a regência do verbo lembrar: sinal de competência linguística
Regência do verbo lembrar
Amplie sua competência linguística, conhecendo aqui a regência do verbo lembrar!
Por ser transitivo indireto, o verbo “permitir” exige um objeto indireto como complemento
Regência do verbo “permitir”
Dúvidas verbais: Saiba como fazer a correta regência do verbo “permitir”!