Frequência relativa

Frequência relativa demonstra a porcentagem de vezes que uma resposta apareceu em relação ao todo. Utilizamos a frequência relativa para comparar um dado em relação ao todo.
A frequência relativa é a porcentagem que um valor representa do conjunto.
A frequência relativa é a porcentagem que um valor representa do conjunto.

A frequência relativa é um dado estatístico que possui grande importância para compreender-se melhor um determinado conjunto de dados. A estatística é a área da matemática que auxilia na coleta, na organização e análise de dados.

A frequência relativa é uma forma de realizar essa análise dos dados por meio de uma comparação, pois a frequência relativa de um dado é a porcentagem que aquele dado representa em relação a todos os dados coletados. Para calcular a frequência relativa, precisamos encontrar a frequência absoluta, que é o número de vezes que um dado apareceu, e dividi-la pelo total de dados obtidos.

Leia também: Como se calcula a média harmônica?

O que é frequência relativa?

Conhecemos como frequência relativa a divisão entre a frequência absoluta e o número de dados coletados para um determinado conjunto. Como o nome sugere, a frequência relativa mostra a frequência que um determinado dado tem em relação ao todo, por isso, é bastante comum que ela seja representada como uma porcentagem.

Em uma pesquisa, por mais simples que ela seja, quando coletamos os dados, é fundamental que eles sejam organizados e analisados. A maneira mais comum de organizá-los é construindo uma tabela frequência.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplo:

Durante as eleições do conselho de uma fábrica, um trabalhador decidiu realizar uma pesquisa com os 250 funcionários, que responderam se votarão no candidato A, B ou C. Depois da coleta de dados, esse funcionário constatou que 70 pessoas votariam no candidato A, 92 pessoas, no candidato B, 53, no candidato C, e os demais disseram que não votariam em nenhum dos três candidatos.

Com base nesses dados, podemos calcular a frequência relativa de cada uma das respostas possíveis.

Para encontrar a quantidade de pessoas que não votariam em nenhum dos candidatados, temos que:

250 – 70 – 92 – 53 = 35

Então, as respostas obtidas foram:

Candidato A: 70 votos

Candidato B: 92 votos

Candidato C: 53 votos

Nenhum dos candidatos: 35 votos

Total de funcionários consultados: 250

Para encontrar a frequência relativa de cada uma das respostas obtidas, dividimos a quantidade de votos pelo total de funcionários consultados.

Candidato A: 70 ÷ 250 = 0,28 → 28%

Candidato B: 92 ÷ 250 = 0,368 → 36,8%

Candidato C: 53 ÷ 250 = 0,212 → 21,2%

Nenhum dos candidatos: 35 ÷ 250 = 0,14 → 14%

Podemos representar a frequência relativa por meio de uma tabela:
 

Candidato

Frequência relativa

Frequência relativa (%)

A

0,28

28%

B

0,368

36,8%

C

0,212

21,2%

Nenhum

0,14

14%

Total

1

100%


Com base na frequência relativa, é possível perceber que o candidato B será o mais votado nesse espaço amostral, com 36,8%.

Exemplo 2:

Com a intenção de compreender melhor o fluxo de correntes ao decorrer de uma semana, o número de clientes que uma empresa atendeu nesse período foi anotado na lista a seguir:

Segunda-feira: 10 clientes

Terça-feira: 11 clientes

Quarta-feira: 8 clientes

Quinta-feira: 16 clientes

Sexta-feira: 25 clientes

Sábado: 30 clientes

De acordo com as quantidades encontradas, construa a tabela frequência da quantidade de clientes atendidos por dia ao longo da semana.

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa

Frequência relativa (%)

Segunda-feira

16

16 : 150 = 0,11

11%

Terça-feira

15

15 : 150 = 0,10

10%

Quarta-feira

12

12 : 150 = 0,08

8%

Quinta-feira

20

20 : 150 = 0,13

13%

Sexta-feira

37

37 : 150 = 0,25

25%

Sábado

50

50 : 150 = 0,33

33%

Total

150

100 : 100 = 1

100%


Leia também: Medidas de dispersão: amplitude e desvio

Frequência relativa acumulada

A frequência relativa acumulada é o acumulo da frequência relativa. Para encontrar a frequência relativa acumulada, acrescentamos uma nova coluna à tabela. Copiamos a primeira frequência relativa na primeira linha, a segunda linha será a soma da frequência relativa da linha com a frequência acumulada da linha anterior, e assim sucessivamente. Veja um exemplo a seguir:

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa

Frequência relativa acumulada

Segunda-feira

16

0,11

0,11

Terça-feira

15

0,10

0,11 + 0,10 = 0,21

Quarta-feira

12

0,08

0,21 + 0,08 = 0,29

Quinta-feira

20

0,13

0,29 + 0,13 = 0,42

Sexta-feira

37

0,25

0,42 + 0,25 = 0,67

Sábado

50

0,33

0,67 + 0,33 = 1,00

Total

150

1

 


Realizando as somas, teremos a seguinte tabela:
 

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa

Frequência relativa acumulada

Segunda-feira

16

0,11

0,11

Terça-feira

15

0,10

0,21

Quarta-feira

12

0,08

0,29

Quinta-feira

20

0,13

0,42

Sexta-feira

37

0,25

0,67

Sábado

50

0,33

1,00

Total

150

1

 


Podemos fazer a frequência acumulada relativa em porcentagem também:
 

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa (%)

Frequência relativa acumulada(%)

*Segunda-feira

16

11%

11%

Terça-feira

15

10%

11% + 10% = 21%

Quarta-feira

12

8%

21% + 8% = 29%

Quinta-feira

20

13%

29% + 13% = 42%

Sexta-feira

37

25%

42% + 25% = 67 %

Sábado

50

33%

67% + 33% = 100%

Total

150

100%

 


Logo, a tabela será:
 

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa (%)

Frequência relativa acumulada(%)

Segunda-feira

16

11%

11%

Terça-feira

15

10%

21%

Quarta-feira

12

8%

29%

Quinta-feira

20

13%

42%

Sexta-feira

37

25%

67%

Sábado

50

33%

100%

Total

150

100%

 

Diferença entre a frequência absoluta e a frequência relativa

Ao longo dos exemplos, podemos entender que a frequência absoluta é puramente o número de vezes que determinado evento se repetiu, logo, ela não diz muito sobre o conjunto, mas sim sobre um dado em específico, então, a frequência absoluta nada mais é que a frequência em que uma resposta se repetiu.

Já a frequência relativa é encontrada quando dividimos a frequência absoluta pelo total de dados coletados. Quando fazemos a divisão, é possível comparar a frequência daquele dado em relação ao todo. Utilizamos a frequência relativa para encontrar a porcentagem que aquele determinado dado representa em relação a todos os dados obtidos. Para saber mais sobre essa outra análise de dados, leia o texto: Frequência absoluta.

Exercícios resolvidos sobre frequência relativa

Questão 1 - Marque a alternativa que contém corretamente a definição de frequência relativa:

A) A frequência relativa é uma frequência utilizada na estatística que nos mostra o número de vezes que um mesmo valor de variável se repetiu em relação ao conjunto, e por isso ela é dada sempre em porcentagem ou número decimal.

B) A frequência relativa é o número de vezes que um mesmo valor de variável apareceu dentro do conjunto. Para encontrá-la, basta contar o número de vezes que essa mesma resposta apareceu.

C) A frequência relativa é o valor que possui maior probabilidade de ser sorteado dentro de um conjunto, pois ele é relativamente o valor mais frequente.

D) A frequência relativa é uma medida estatística que serve para a tomada de decisões. Encontramos a frequência relativa quando dividimos a quantidade de elementos em um conjunto pela frequência absoluta.

E) A frequência relativa é o valor que está no meio do conjunto, conhecido também como mediana. Utilizamos a frequência absoluta para encontrar o termo central e absoluto do conjunto.

Resolução

Alternativa A

A alternativa que define corretamente a frequência relativa é a A. Ela é encontrada quando dividimos a frequência absoluta pelo total de elementos do conjunto, e o seu resultado nos mostra a frequência daquele valor de variável em relação ao conjunto todo.

Questão 2 - Em uma sala de aula, o professor fez uma pesquisa sobre o nível de domínio de inglês dos seus alunos por autodeclaração deles. As respostas obtidas foram as seguintes:

Nulo – 4 alunos

Básico – 13 alunos

Intermediário – 5 alunos

Avançado – 3 alunos

Analisando os resultados a seguir, podemos afirmar que:

A) a quantidade de estudantes que se consideram com nível intermediário ou maior é de exatamente 35% deles.

B) os estudantes que não dominam inglês, ou seja, consideram-se com conhecimento nulo, correspondem a 4% deles.

C) o número de estudantes que se consideram avançados em inglês é igual a 12% do total deles.

D) 55% dos alunos se consideram com nível básico de inglês, e 65% se consideram com nível básico ou nulo.

Resolução

Alternativa C

Para responder a questão, verificaremos cada uma das alternativas.

Primeiro encontraremos o total de respostas obtidas:

4 + 13 + 5 + 3 = 25

Agora vamos verificar cada alternativa.

A) → falsa

Intermediário ou maior é o mesmo que intermediário e avançado, que é um total de 5 + 3 = 8 estudantes. Calculando a porcentagem, temos: 8 : 25 = 0,32 = 32%.

B) → falsa

Dividindo o total de estudantes que se declararam sem domínio algum de inglês pelo total de respostas, temos que: 4 : 25 = 0,16 = 16%.

C) → verdadeira

Há 3 estudantes que se consideram com domínio avançado, então, temos que:

3 : 12 = 0,24 = 24%

D) → falsa

O total de estudantes que se consideram com conhecimento básico é 13, então, temos que:

13 : 25 = 0,52 = 52%

Publicado por Raul Rodrigues de Oliveira

Artigos Relacionados

Coeficiente de variação
Clique aqui e aprenda a utilizar a fórmula para calcular o coeficiente de variação!
Conceitos iniciais de estatística
Aprenda os conceitos iniciais da estatística, a ciência por trás da análise de dados e dos modelos de previsão.
Cálculos Percentuais
Clique e confira aqui algumas resoluções de cálculos percentuais!
A frequência absoluta é uma das frequências estudadas na estatística.
Frequência absoluta
Entenda o que é a frequência absoluta de um conjunto e aprenda a calcular a frequência absoluta acumulada. Veja a diferença entre frequência absoluta e relativa.
Gráficos de Setores
Clique aqui e aprenda como um gráfico de setores é desenvolvido.
Amplitude e desvio são medidas que ajudam a analisar os dados de gráficos e tabelas
Medidas de dispersão: amplitude e desvio
Descubra o que são medidas de dispersão, entenda amplitude e desvio e saiba como esses cálculos podem ser usados no dia a dia.
Média Aritmética
Saiba o que é média aritmética. Aprenda sua fórmula e como calculá-la. Conheça as diferenças entre média aritmética e média geométrica.
Média Aritmética de Intervalos
Técnicas matemáticas para o cálculo da média de valores agrupados.
Média geométrica
Saiba como calcular a média geométrica e veja suas aplicações! Saiba também a diferença entre a média geométrica e média aritmética.
Média ponderada
Entenda qual a diferença entre a média ponderada e a média aritmética. Veja também como calcular e quando utilizar a média ponderada em uma situação-problema.
Média, moda e mediana
Clique aqui e entenda as diferenças entre média, moda e mediana. Saiba como calcular cada uma dessas com nossos exemplos!
Tipos de Gráficos
A importância dos gráficos na Estatística e seus diversos tipos.
Conheça os tipos de variáveis estatísticas existentes
Variáveis na Estatística
Definindo e classificando as variáveis estatísticas.
A variância e o desvio padrão verificam a dispersão em um conjunto de valores
Variância e desvio padrão
Aprenda a utilizar a variância e o desvio padrão, que são importantes medidas de dispersão!
video icon
Português
Operadores Argumentativos no Enem
Você sabe o que são operadores argumentativos e como os utilizar? Sabe que relações eles podem estabelecer no seu texto? Assista à aula do Profº. Guga para entender e aprender a usar esse importante recurso coesivo.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Guia de Profissões
Publicidade e Propaganda
Que tal conhecer um pouco mais sobre as funções de um publicitário?
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Português
Preposições
Vamos aprender mais sobre essa classe conectiva de termos?