Whatsapp icon Whatsapp

Frequência relativa

Frequência relativa demonstra a porcentagem de vezes que uma resposta apareceu em relação ao todo. Utilizamos a frequência relativa para comparar um dado em relação ao todo.
A frequência relativa é a porcentagem que um valor representa do conjunto.
A frequência relativa é a porcentagem que um valor representa do conjunto.

A frequência relativa é um dado estatístico que possui grande importância para compreender-se melhor um determinado conjunto de dados. A estatística é a área da matemática que auxilia na coleta, na organização e análise de dados.

A frequência relativa é uma forma de realizar essa análise dos dados por meio de uma comparação, pois a frequência relativa de um dado é a porcentagem que aquele dado representa em relação a todos os dados coletados. Para calcular a frequência relativa, precisamos encontrar a frequência absoluta, que é o número de vezes que um dado apareceu, e dividi-la pelo total de dados obtidos.

Leia também: Como se calcula a média harmônica?

O que é frequência relativa?

Conhecemos como frequência relativa a divisão entre a frequência absoluta e o número de dados coletados para um determinado conjunto. Como o nome sugere, a frequência relativa mostra a frequência que um determinado dado tem em relação ao todo, por isso, é bastante comum que ela seja representada como uma porcentagem.

Em uma pesquisa, por mais simples que ela seja, quando coletamos os dados, é fundamental que eles sejam organizados e analisados. A maneira mais comum de organizá-los é construindo uma tabela frequência.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplo:

Durante as eleições do conselho de uma fábrica, um trabalhador decidiu realizar uma pesquisa com os 250 funcionários, que responderam se votarão no candidato A, B ou C. Depois da coleta de dados, esse funcionário constatou que 70 pessoas votariam no candidato A, 92 pessoas, no candidato B, 53, no candidato C, e os demais disseram que não votariam em nenhum dos três candidatos.

Com base nesses dados, podemos calcular a frequência relativa de cada uma das respostas possíveis.

Para encontrar a quantidade de pessoas que não votariam em nenhum dos candidatados, temos que:

250 – 70 – 92 – 53 = 35

Então, as respostas obtidas foram:

Candidato A: 70 votos

Candidato B: 92 votos

Candidato C: 53 votos

Nenhum dos candidatos: 35 votos

Total de funcionários consultados: 250

Para encontrar a frequência relativa de cada uma das respostas obtidas, dividimos a quantidade de votos pelo total de funcionários consultados.

Candidato A: 70 ÷ 250 = 0,28 → 28%

Candidato B: 92 ÷ 250 = 0,368 → 36,8%

Candidato C: 53 ÷ 250 = 0,212 → 21,2%

Nenhum dos candidatos: 35 ÷ 250 = 0,14 → 14%

Podemos representar a frequência relativa por meio de uma tabela:
 

Candidato

Frequência relativa

Frequência relativa (%)

A

0,28

28%

B

0,368

36,8%

C

0,212

21,2%

Nenhum

0,14

14%

Total

1

100%


Com base na frequência relativa, é possível perceber que o candidato B será o mais votado nesse espaço amostral, com 36,8%.

Exemplo 2:

Com a intenção de compreender melhor o fluxo de correntes ao decorrer de uma semana, o número de clientes que uma empresa atendeu nesse período foi anotado na lista a seguir:

Segunda-feira: 10 clientes

Terça-feira: 11 clientes

Quarta-feira: 8 clientes

Quinta-feira: 16 clientes

Sexta-feira: 25 clientes

Sábado: 30 clientes

De acordo com as quantidades encontradas, construa a tabela frequência da quantidade de clientes atendidos por dia ao longo da semana.

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa

Frequência relativa (%)

Segunda-feira

16

16 : 150 = 0,11

11%

Terça-feira

15

15 : 150 = 0,10

10%

Quarta-feira

12

12 : 150 = 0,08

8%

Quinta-feira

20

20 : 150 = 0,13

13%

Sexta-feira

37

37 : 150 = 0,25

25%

Sábado

50

50 : 150 = 0,33

33%

Total

150

100 : 100 = 1

100%


Leia também: Medidas de dispersão: amplitude e desvio

Frequência relativa acumulada

A frequência relativa acumulada é o acumulo da frequência relativa. Para encontrar a frequência relativa acumulada, acrescentamos uma nova coluna à tabela. Copiamos a primeira frequência relativa na primeira linha, a segunda linha será a soma da frequência relativa da linha com a frequência acumulada da linha anterior, e assim sucessivamente. Veja um exemplo a seguir:

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa

Frequência relativa acumulada

Segunda-feira

16

0,11

0,11

Terça-feira

15

0,10

0,11 + 0,10 = 0,21

Quarta-feira

12

0,08

0,21 + 0,08 = 0,29

Quinta-feira

20

0,13

0,29 + 0,13 = 0,42

Sexta-feira

37

0,25

0,42 + 0,25 = 0,67

Sábado

50

0,33

0,67 + 0,33 = 1,00

Total

150

1

 


Realizando as somas, teremos a seguinte tabela:
 

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa

Frequência relativa acumulada

Segunda-feira

16

0,11

0,11

Terça-feira

15

0,10

0,21

Quarta-feira

12

0,08

0,29

Quinta-feira

20

0,13

0,42

Sexta-feira

37

0,25

0,67

Sábado

50

0,33

1,00

Total

150

1

 


Podemos fazer a frequência acumulada relativa em porcentagem também:
 

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa (%)

Frequência relativa acumulada(%)

*Segunda-feira

16

11%

11%

Terça-feira

15

10%

11% + 10% = 21%

Quarta-feira

12

8%

21% + 8% = 29%

Quinta-feira

20

13%

29% + 13% = 42%

Sexta-feira

37

25%

42% + 25% = 67 %

Sábado

50

33%

67% + 33% = 100%

Total

150

100%

 


Logo, a tabela será:
 

Dia da semana

Frequência absoluta

Frequência relativa (%)

Frequência relativa acumulada(%)

Segunda-feira

16

11%

11%

Terça-feira

15

10%

21%

Quarta-feira

12

8%

29%

Quinta-feira

20

13%

42%

Sexta-feira

37

25%

67%

Sábado

50

33%

100%

Total

150

100%

 

Diferença entre a frequência absoluta e a frequência relativa

Ao longo dos exemplos, podemos entender que a frequência absoluta é puramente o número de vezes que determinado evento se repetiu, logo, ela não diz muito sobre o conjunto, mas sim sobre um dado em específico, então, a frequência absoluta nada mais é que a frequência em que uma resposta se repetiu.

Já a frequência relativa é encontrada quando dividimos a frequência absoluta pelo total de dados coletados. Quando fazemos a divisão, é possível comparar a frequência daquele dado em relação ao todo. Utilizamos a frequência relativa para encontrar a porcentagem que aquele determinado dado representa em relação a todos os dados obtidos. Para saber mais sobre essa outra análise de dados, leia o texto: Frequência absoluta.

Exercícios resolvidos sobre frequência relativa

Questão 1 - Marque a alternativa que contém corretamente a definição de frequência relativa:

A) A frequência relativa é uma frequência utilizada na estatística que nos mostra o número de vezes que um mesmo valor de variável se repetiu em relação ao conjunto, e por isso ela é dada sempre em porcentagem ou número decimal.

B) A frequência relativa é o número de vezes que um mesmo valor de variável apareceu dentro do conjunto. Para encontrá-la, basta contar o número de vezes que essa mesma resposta apareceu.

C) A frequência relativa é o valor que possui maior probabilidade de ser sorteado dentro de um conjunto, pois ele é relativamente o valor mais frequente.

D) A frequência relativa é uma medida estatística que serve para a tomada de decisões. Encontramos a frequência relativa quando dividimos a quantidade de elementos em um conjunto pela frequência absoluta.

E) A frequência relativa é o valor que está no meio do conjunto, conhecido também como mediana. Utilizamos a frequência absoluta para encontrar o termo central e absoluto do conjunto.

Resolução

Alternativa A

A alternativa que define corretamente a frequência relativa é a A. Ela é encontrada quando dividimos a frequência absoluta pelo total de elementos do conjunto, e o seu resultado nos mostra a frequência daquele valor de variável em relação ao conjunto todo.

Questão 2 - Em uma sala de aula, o professor fez uma pesquisa sobre o nível de domínio de inglês dos seus alunos por autodeclaração deles. As respostas obtidas foram as seguintes:

Nulo – 4 alunos

Básico – 13 alunos

Intermediário – 5 alunos

Avançado – 3 alunos

Analisando os resultados a seguir, podemos afirmar que:

A) a quantidade de estudantes que se consideram com nível intermediário ou maior é de exatamente 35% deles.

B) os estudantes que não dominam inglês, ou seja, consideram-se com conhecimento nulo, correspondem a 4% deles.

C) o número de estudantes que se consideram avançados em inglês é igual a 12% do total deles.

D) 55% dos alunos se consideram com nível básico de inglês, e 65% se consideram com nível básico ou nulo.

Resolução

Alternativa C

Para responder a questão, verificaremos cada uma das alternativas.

Primeiro encontraremos o total de respostas obtidas:

4 + 13 + 5 + 3 = 25

Agora vamos verificar cada alternativa.

A) → falsa

Intermediário ou maior é o mesmo que intermediário e avançado, que é um total de 5 + 3 = 8 estudantes. Calculando a porcentagem, temos: 8 : 25 = 0,32 = 32%.

B) → falsa

Dividindo o total de estudantes que se declararam sem domínio algum de inglês pelo total de respostas, temos que: 4 : 25 = 0,16 = 16%.

C) → verdadeira

Há 3 estudantes que se consideram com domínio avançado, então, temos que:

3 : 12 = 0,24 = 24%

D) → falsa

O total de estudantes que se consideram com conhecimento básico é 13, então, temos que:

13 : 25 = 0,52 = 52%

Publicado por Raul Rodrigues de Oliveira

Artigos Relacionados

Coeficiente de variação
Clique aqui e aprenda a utilizar a fórmula para calcular o coeficiente de variação!
Conceitos iniciais de estatística
Aprenda os conceitos iniciais da estatística, a ciência por trás da análise de dados e dos modelos de previsão.
Cálculos Percentuais
Clique e confira aqui algumas resoluções de cálculos percentuais!
A frequência absoluta é uma das frequências estudadas na estatística.
Frequência absoluta
Entenda o que é a frequência absoluta de um conjunto e aprenda a calcular a frequência absoluta acumulada. Veja a diferença entre frequência absoluta e relativa.
Gráficos de Setores
Clique aqui e aprenda como um gráfico de setores é desenvolvido.
Amplitude e desvio são medidas que ajudam a analisar os dados de gráficos e tabelas
Medidas de dispersão: amplitude e desvio
Descubra o que são medidas de dispersão, entenda amplitude e desvio e saiba como esses cálculos podem ser usados no dia a dia.
Média Aritmética
Saiba o que é média aritmética. Aprenda sua fórmula e como calculá-la. Conheça as diferenças entre média aritmética e média geométrica.
Média Aritmética de Intervalos
Técnicas matemáticas para o cálculo da média de valores agrupados.
Média geométrica
Saiba como calcular a média geométrica e veja suas aplicações! Saiba também a diferença entre a média geométrica e média aritmética.
Média ponderada
Entenda qual a diferença entre a média ponderada e a média aritmética. Veja também como calcular e quando utilizar a média ponderada em uma situação-problema.
Média, moda e mediana
Clique aqui e entenda as diferenças entre média, moda e mediana. Saiba como calcular cada uma dessas com nossos exemplos!
Tipos de Gráficos
A importância dos gráficos na Estatística e seus diversos tipos.
Conheça os tipos de variáveis estatísticas existentes
Variáveis na Estatística
Definindo e classificando as variáveis estatísticas.
A variância e o desvio padrão verificam a dispersão em um conjunto de valores
Variância e desvio padrão
Aprenda a utilizar a variância e o desvio padrão, que são importantes medidas de dispersão!
video icon
Matemática
Determinante de Vandermonde
O músico e matemático francês do século XVIII, Alexandre Vandermonde, observou um caso especial para cálculo de determinante. Após sua defesa, esse método ficou conhecido como Determinante de Vandermonde ou Matriz de Vandermonde. Nessa aula veremos como é essa matriz.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas