Eletrólise

Uma pilha é um sistema eletroquímico espontâneo que gera energia elétrica a partir de energia química.

A eletrólise, porém, é exatamente o contrário da pilha, pois se trata de um processo não espontâneo que converte a energia elétrica em energia química.

Processo de transformação de energia elétrica em energia química e vice-versa

A eletrólise é muito utilizada na indústria, pois por meio dela é possível isolar algumas substâncias fundamentais para muitos processos de produção, como o alumínio, o cloro, o hidróxido de sódio, etc. Além disso, também é um processo que purifica e protege (revestimento) vários metais.

A eletrólise se dá apenas com fornecimento de energia por meio de um gerador, como uma pilha, por exemplo. Para entender como ela acontece, observe o esquema a seguir:

A eletrólise ocorre em uma cuba eletrolítica como essa, que é impulsionada por um gerador.

O gerador “puxa” os elétrons do polo positivo (ânodo) da cuba eletrolítica e os transfere para o polo negativo (cátodo). Isso é mostrado pelas semirreações:

1ª Semirreação: o gerador atrai os ânions A- para o polo positivo e os força a perder elétrons:

A-   A0 + elétron

2ª Semirreação: o gerador faz com que os cátions C+ recebam os elétrons:

C+ + elétron   C0

Existem dois tipos principais de eletrólise: a eletrólise ígnea e a eletrólise aquosa. Entenda a diferença entre elas a seguir:

  • Eletrólise Ígnea: ocorre quando a passagem de corrente elétrica se dá em uma substância iônica liquefeita, isto é, fundida. Daí a origem do nome “ígnea”, uma palavra que vem do latim, ígneus, que significa inflamado, ardente.

Esse tipo de reação é muito utilizado na indústria, principalmente para a produção de metais. Veja o exemplo de eletrólise do NaCl (cloreto de sódio – sal de cozinha), com produção do sódio metálico e do gás cloro:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Semirreação no cátodo: Na+ + e- → Na  . (2)
Semirreação no ânodo: 2 Cl- → Cl2 + 2e-____
Reação global: 2 Na+ + 2 Cl- → 2 Na + Cl2

  • Eletrólise Aquosa: nesse caso, fazem parte os íons da substância dissolvida (soluto) e da água. Na eletrólise do cloreto de sódio em meio aquoso são produzidos a soda cáustica (NaOH), o gás hidrogênio (H2) e o gás cloro (Cl2). Note como se dá:

Dissociação do NaCl: 2 NaCl- → 2 Na+ + 2 Cl-
Autoionização da água: 2 H2O → 2 H+ + 2 OH-
Semirreação no cátodo: 2 H+  + 2e- → H2
Semirreação no ânodo: 2 Cl- → Cl2 + 2e-____________________
Reação global: 2 NaCl- + 2 H2O → 2 Na++ 2 OH- + H2 + Cl2
                                                                     
                                                                  Solução    cátodo   ânodo

Observe que foram formados dois cátions (Na+ e H+) e dois ânions (Cl- e OH-). Porém, apenas um cátion (H+) e um ânion (Cl-) sofreram as descargas do eletrodo, os outros íons foram apenas espectadores nessa eletrólise.

Isso ocorre em todas as eletrólises em meio aquoso: apenas um dos cátions e um dos ânions são participantes. Para determinarmos quais serão os participantes e quais serão os espectadores, existe uma ordem de facilidade de descarga, conforme mostrado na lista abaixo:

Lista de facilidade de descarga dos íons em reações de eletrólise.

Desse modo, consultando a lista, vemos que o cátion H+ tem mais facilidade de descarga que o Na+ que é um metal alcalino. E, com respeito aos ânions, o Cl- é um ânion não oxigenado e mais reativo que OH-.

Eletrólise em meio aquoso
Eletrólise em meio aquoso
Publicado por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
As pilhas e baterias, sem as quais não conseguimos viver, são resultantes dos estudos da Eletroquímica
Eletroquímica
Introdução ao estudo da Eletroquímica — um ramo da Química que estuda os processos que ocorrem nas pilhas e na eletrólise.
Veículo cromado
Aplicação da Eletrólise
O uso da corrente elétrica para cromar objetos.
Na imagem, a eletrólise para produção de hidrogênio é feita em série com o uso de um só gerador
Eletrólise em Série
A eletrólise em série é feita ligando-se várias cubas eletrolíticas, sendo que todas são submetidas ao mesmo gerador.
Pilhas modernas
Pilhas ou Células Eletroquímicas
Entenda o que caracteriza uma pilha em Eletroquímica, como ocorre o seu funcionamento, o que é o cátodo, o ânodo, a ponte salina, entre outros conceitos.
A eletrólise se inicia por meio da passagem de corrente elétrica por um sistema líquido
Eletrólise ígnea
Conheça mais sobre a eletrólise ígnea, um processo que permitiu a obtenção de elementos e substâncias simples que não estão presentes na natureza.
Já imaginou que o sal de cozinha (cloreto de sódio) poderia originar o sódio metálico, que é tão reativo que chega a explodir em contato com a água?
Eletrólise do Cloreto de Sódio
Entenda como ocorre a eletrólise do cloreto de sódio (ígnea e em meio aquoso), quais são as reações envolvidas e os produtos obtidos.
Cuba eletrolítica realizando a eletrólise aquosa do NaCl
Descarga de cátions e ânions
Clique e aprenda a determinar o cátion ou o ânion que sofrerá descarga durante uma eletrólise em meio aquoso.
Não jogue pilhas usadas no lixo.
Por que as pilhas deixam de funcionar?
Como funcionam as pilhas, Por que as pilhas deixam de funcionar, como descartar pilhas, reação espontânea de oxirredução, corrente elétrica, diferença de potencial, fluxo de elétrons de um circuito fechado, aparelhos eletrônicos, lentas reações de oxirredução, invólucro de zinco, aparelhos eletrônicos.
O ágar-ágar é uma substância gelatinosa extraída de algas vermelhas e é utilizado nas extremidades do tubo da ponte salina
A Ponte Salina das Pilhas
Descubra por que é preciso que se use uma ponte salina ou uma parede porosa para o bom funcionamento de uma pilha.
O alumínio metálico produzido por eletrólise encontra-se no estado líquido
Produção de alumínio por eletrólise
O alumínio é atualmente um dos metais mais empregados em estruturas metálicas e na produção de objetos. Veja como ele é obtido industrialmente.