Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Astrofísica
  4. História da Astronomia

História da Astronomia

A Astronomia é uma grande área da ciência responsável por muitos avanços científicos e sua história está repleta de grandes nomes como Copérnico, Galileu, Kepler e Newton.

O que é Astronomia?

A Astronomia é uma ciência natural que se ocupa basicamente em estudar os fenômenos que ocorrem fora da atmosfera terrestre e a estrutura dos corpos celestes, como os planetas, as estrelas e outras estruturas cosmológicas (cometas, galáxias e nebulosas, por exemplo), e o próprio espaço em si. A palavra Astronomia vem do grego Astron, que significa astro, e Nomos, que significa lei.

História da Astronomia

Muitas civilizações antigas tratavam os astros como divindades. O estudo dos movimentos dos planetas e estrelas permitia aos povos antigos a distinção entre épocas de plantio e colheita, por exemplo. Algumas culturas antigas, como os maias, os chineses, os egípcios e os babilônios, foram capazes de elaborar complexos calendários baseados no movimento do Sol e outros astros.

Os gregos antigos também contribuíram muito para o avanço da Astronomia. Muitos filósofos gregos elaboraram modelos com o intuito de explicar o formato da Terra, as estações do ano, bem como os movimentos do Sol, da Lua e dos outros planetas visíveis a olho nu.

Um desses filósofos foi Tales de Mileto (624-546 a.C.), que considerava a Terra um disco plano preenchido por água. Pitágoras de Samos (572-479 a.C.), por sua vez, acreditava que a Terra apresentava formato esférico. Já Aristóteles de Estagira (384-322 a.C.) explicou que as fases da Lua dependiam da iluminação solar, ao observar a formação de sombras durante os eclipses, e também defendia a hipótese de que o Universo fosse finito e esférico e que, juntamente aos astros, fosse imutável: sempre existira e sempre existiria.

A visão de Aristóteles do sistema solar era qualitativa, pois usava de poucos recursos matemáticos para justificar seu modelo. Sua interpretação logo tornou-se aceita, acolhida e difundida por séculos, contribuindo para a propagação de conceitos físicos e astronômicos equivocados. Entre esses equívocos, podemos ressaltar o éter: a substância proposta por Aristóteles que comporia os corpos celestes, cuja existência foi investigada até meados do século XIX.

Aristarco de Samos (310-230 a.C.) foi o primeiro filósofo a propor que a Terra se movia em torno do Sol, quase 2 mil anos antes de Copérnico, e também conseguiu medir o tamanho do Sol e da Lua em relação à Terra. Eratóstenes de Cirênia (276-194 a.C.) calculou, com boa precisão, o diâmetro da Terra.

As primeiras tentativas de descrição do sistema solar colocavam no centro do Universo o Sol, a Lua e os demais astros, que girariam ao redor da Terra. Esse modelo de sistema solar centrado na Terra ficou conhecido como geocêntrico.

O ápice do sistema geocêntrico foi o complexo modelo Ptolemaico, proposto pelo cientista grego Cláudio Ptolomeu (85-165 d.C.). Esse modelo apresentava diversas órbitas circulares, que descreviam com relativa precisão o movimento dos planetas conhecidos, mas não era capaz de explicar o movimento retrógrado de alguns planetas, quando observados da Terra. O modelo foi usado até a época do Renascimento Científico, no século XVI.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em 1608, Galileu Galilei (1564-1642) enfrentou as ideias geocentristas da época, bem como a visão de imutabilidade dos astros proposta por Aristóteles, aperfeiçoou o telescópio e utilizou-o para observar as crateras da Lua, as fases de Vênus e descobriu os satélites naturais de Júpiter: Io, Ganimedes, Calixto e Europa.

O primeiro modelo matemático capaz de predizer as órbitas planetárias com precisão, porém com grande complexidade, foi atribuído ao astrônomo francês Nicolau Copérnico (1473-1543). Copérnico abandonou a visão geocêntrica, atribuindo, em seu modelo, ao Sol o centro do Sistema Solar, no qual a Terra orbitaria o astro-rei em uma trajetória circular, completando uma volta a cada ano. Nessa representação, a inclinação do eixo de rotação da Terra seria a responsável pela divisão das estações do ano, e o movimento retrógrado de alguns planetas, como Marte, e a mudança de luminosidade eram explicados com o uso de diversas órbitas.

O modelo planetário de Copérnico foi posteriormente corrigido pelas precisas observações astronômicas do dinamarquês Tycho Brahe (1546-1601). Em 1599, o brilhante astrônomo e matemático alemão Johannes Kepler (1571-1630) tornou-se assistente de Tycho e teve em suas mãos uma enorme quantidade de dados astronômicos de grande precisão. Kepler revolucionou a mecânica celeste quando enunciou três leis que regem as órbitas planetárias, descrevendo-as como elipses, e não como círculos, como até então se acreditava, e estabeleceu uma relação Matemática entre o período e o raio orbital dos planetas.

Anos mais tarde, munido das grandes contribuições de Copérnico, Galileu e Kepler, Isaac Newton (1642-1727) elaborou sua Lei de Gravitação Universal, explicando o fenômeno da gravidade e a dinâmica planetária de forma inédita.

Áreas da Astronomia

A Astronomia é uma área do conhecimento bastante ampla e com várias subdivisões. Entre elas, podemos destacar:

  • Astrobiologia: evolução de sistemas biológicos no universo;

  • Astrofísica: estudo das propriedades físicas dos corpos celestes, como sua densidade, temperatura, luminosidade, entre outros;

  • Astronomia planetária: estudo dos sistemas planetários, com ênfase no sistema solar, que reúne física nuclear, geologia, meteorologia etc.

Dia Mundial da Astronomia

No Brasil, no dia 8 de abril é comemorado o Dia Mundial da Astronomia, diferentemente do Dia Internacional da Astronomia, que é celebrado anualmente em datas diferentes de acordo com a fase da Lua. A data tem como intuito estreitar os laços entre entusiastas e pesquisadores da área, bem como promover a divulgação da Ciência para o público em geral. Em 2009, 400 anos após as primeiras observações telescópicas de Galileu Galilei, comemorou-se o Ano Internacional da Astronomia.

A Astronomia proporcionou grandes avanços científicos
A Astronomia proporcionou grandes avanços científicos
Publicado por: Rafael Helerbrock
Assuntos relacionados
Energia cinética
Acesse o texto para conhecer a definição de energia cinética. Aprenda a aplicação da dessa grandeza física. Teste seus conhecimentos com os exercícios resolvidos.
Gato em queda livre (1ª imagem – suposição de queda do primeiro andar de um edifício; 2ª imagem – suposição de queda do terceiro andar de um edifício)
Quanto mais alto, maior o tombo?
Analisando a queda de um gato.
As unidades astronômicas são utilizadas para as medidas de distâncias feitas no Universo
Unidades astronômicas
Entenda o que são as unidades astronômicas de medida e como o universo é medido!
A grande quantidade de meteoros que passam no céu em determinadas épocas do ano é chamada de chuva de meteoros
Estrelas cadentes
Clique aqui e descubra o que são as estrelas cadentes que iluminam o céu noturno da Terra!
Kepler enunciou três leis que determinaram o movimento dos planetas ao redor do Sol
Terceira lei de Kepler
Clique aqui e conheça a terceira lei de Kepler, denominada de lei dos períodos e que relaciona o tempo de translação com o raio médio da órbita dos planetas.
Os planetas considerados anões não possuem massa suficiente para serem considerados planetas
Planetas anões
Clique aqui e veja as características dos cinco planetas anões conhecidos em nosso Sistema Solar.
Os Planetas Rochosos do Sistema Solar são os menores, com as temperaturas mais altas e os mais próximos do Sol
Planetas rochosos do Sistema Solar
Clique aqui e saiba mais sobre os planetas rochosos do Sistema Solar, isto é, Mercúrio, Vênus, Terra e Marte.
Os planetas gasosos são os maiores do Sistema Solar
Planetas gasosos do Sistema Solar
Clique aqui e saiba mais sobre os planetas gasosos do Sistema Solar, isto é, as principais características de Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.
Carl Sagan foi um dos maiores divulgadores da Astronomia no século XX *
Carl Sagan
Clique aqui e conheça a vida de Carl Sagan, astrônomo estadunidense do século XX que participou da missão Apollo para mandar o homem à Lua.
Asteroides são corpos celestes de tamanhos diversos que orbitam o Sol
Asteroides
Clique aqui e saiba mais sobre os asteroides, corpos celestes que orbitam o Sol e que possuem chances de chocarem-se com a Terra.
O telescópio espacial James Webb substituirá o telescópio Hubble a partir de 2021
Telescópio espacial James Webb
Clique aqui para saber mais sobre o supertelescópio espacial James Webb, cerca de 100 vezes mais potente que o Hubble.
Radiotelescópios do Observatório Nacional do México
Radiotelescópios
Saiba mais sobre o funcionamento dos radiotelescópios: a sua função, potencialidades e características principais.
Na figura acima, podemos ter uma ideia das diferenças entre asteroides, cometas, meteoros e meteoritos.
Diferença entre cometa, asteroide e meteoro
Acesse o artigo e aprenda a diferenciar cometas, asteroides e meteoros. É comum confundirmos esses três tipos de formações, no entanto, existem algumas diferenças básicas entre elas. Confira quais são as características mais importantes de cada uma dessas interessantes estruturas.
As estrelas são grandes esferas de plasma que são alimentadas pela fusão nuclear.
Estrelas
Que tal saber mais sobre as estrelas? Confira o que são, do que são feitas e como é a evolução das estrelas, do seu nascimento ao seu fim.
A Via Láctea é uma galáxia de formato espiral, seu diâmetro é da ordem de 100 mil anos-luz.
Fatos curiosos sobre o Universo
Curioso sobre o Universo? Clique aqui e descubra cinco fatos curiosos sobre a Via Láctea, o Sistema Solar e os planetas que se encontram nele, como a Terra!
Tomás de Aquino foi um padre e professor católico medieval, representante do período escolástico da Filosofia.
Escolástica
Clique aqui e aprenda sobre a Escolástica e os pensadores desse período filosófico. Veja suas fases e saiba de seu principal representante, Tomás de Aquino.
Tales de Mileto
Acesse este link para saber quem foi Tales, quais foram suas contribuições para a filosofia, suas obras e sua biografia.
O simples ato de caminhar só é possível por causa da força de atrito
Força de Atrito
Clique aqui e veja a definição de força de atrito, conheça seus tipos e saiba como ela é calculada.
A superfície do líquido em repouso, contido em um vaso comunicante, mantém-se na mesma horizontal
Consequências da lei de Stevin
Veja aqui a definição da lei de Stevin e veja também algumas consequências dessa lei aplicada nos vasos comunicantes.