Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Mecânica
  4. Aceleração da gravidade

Aceleração da gravidade

A gravidade é a aceleração produzida a partir de uma força de atração gravitacional. A gravidade de um astro, como a Terra ou o Sol, pode ser calculada com base na lei da gravitação universal. A aceleração gravitacional produzida por um corpo é proporcional à sua massa e à constante de gravitação universal e também inversamente proporcional ao quadrado da distância até o centro de massa desse corpo. Além disso, quando algum corpo cai em direção à Terra, exclusivamente por efeito da gravidade, dizemos que se trata de um movimento de queda livre.

O que é gravidade?

A gravidade do Sol mantém a Terra em sua órbita, de modo similar, a gravidade da Terra mantém a Lua girando em torno de nós. A gravidade da Terra também é a responsável por manter os gases atmosféricos e por manter todos os seres vivos presos a sua superfície. A intensidade dessa gravidade, medida ao nível do mar, é de aproximadamente 9,8 m/s², no entanto, esse valor pode variar de acordo com a altura.

Veja também: Astrofísica – ramo da astronomia que estuda o Universo por meio das leis da física

A gravidade da Terra é igual para todos os corpos que se encontram a mesma altura em sua superfície, ou seja, livres das forças de resistência do ar e de quaisquer outras forças dissipativas, todos os corpos que forem abandonados cairão em direção ao centro da Terra e chegarão ao chão exatamente ao mesmo tempo.

Quanto mais distantes estivermos do centro da Terra, menor será a gravidade a acelerar-nos.
Quanto mais distantes estivermos do centro da Terra, menor será a gravidade a acelerar-nos.

Para compreender o motivo de corpos de diferentes massas caírem em tempos iguais em direção à Terra, é necessário entendermos que a força peso que atua em cada um deles é diferente. Corpos de massas maiores apresentarão pesos maiores, mas, ao mesmo tempo, terão maior inércia, ou seja, apresentarão maior resistência à variação de velocidade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como calcular a aceleração da gravidade?

O cálculo da aceleração gravitacional é feio por meio da lei da gravitação universal, cunhada pelo físico inglês Isaac Newton. De acordo com essa lei, a força gravitacional surge entre corpos que apresentem massa é sempre atrativa e pode ser calculada com base na expressão matemática a seguir:


F – força de atração gravitacional ou força peso (N)

M e m – massas dos corpos (kg)

G – constante de gravitação universal (6,674.10-11 m3/kg.s²)

r – distância entre os corpos (m)

Quando uma força gravitacional, como essa mostrada na equação, atua sobre um corpo de massa m, uma aceleração será produzida na mesma direção e sentido dessa força. De acordo com a segunda lei de Newton, a força resultante sobre um corpo é igual a sua massa multiplicada por sua aceleração, confira:

De acordo com o cálculo mostrado, obtido com base na lei da gravitação universal, foi possível obter uma expressão para o cálculo da aceleração gravitacional (g):

Com essa última fórmula, utilizaremos a massa da Terra (M = 5,972.1024 kg) e o seu raio médio (r = 6371 km ou 6,371.106 m) para estimarmos a sua gravidade, confira:

Com base na fórmula usada para calcular a gravidade na superfície da Terra, podemos estimá-la para certas alturas em relação ao nível do mar, para tanto, basta somarmos um termo h ao raio da Terra relacionado à altura, confira:

Se fizermos um cálculo da aceleração de gravidade em alturas de 400 km em relação à superfície da Terra — bastante comuns para veículos orbitais, como estações espaciais e satélites —, iremos encontrar uma gravidade 10% menor do que a gravidade local. Você deve estar perguntando-se como os astronautas flutuam quando estão no interior dessas naves, e a resposta tem a ver com o conceito de imponderabilidade.

Veja também: Confira as fórmulas de física mais importantes para o Enem

Quando os veículos espaciais estão orbitando a Terra, eles caem em direção ao seu centro com a aceleração da gravidade, no entanto, sua grande velocidade tangencial faz com que a sua distância em relação à Terra não mude. Além disso, a aceleração gravitacional desempenha o papel de aceleração centrípeta, o que nos leva a uma situação curiosa. Acontece que, durante o movimento orbital, a aceleração gravitacional (centrípeta) e a velocidade do satélite (tangencial) formam entre si um ângulo de 90º.

De acordo com a definição, quando a força e o deslocamento são perpendiculares (90º) não haverá realização de trabalho, isso implica que o módulo da velocidade do satélite não muda, mas sim sua direção. Se um satélite orbita a Terra a altura de 400 km, estando sujeito a uma gravidade de aproximadamente 8 m/s², a sua velocidade orbital permanece constante, no entanto, a direção dessa velocidade em relação à Terra é alterada em uma taxa de 8 radianos por segundo

A figura seguinte, extraída da principal obra de Isaac Newton, Princípia, ilustra corpos em órbita da Terra. Se desprezarmos as forças dissipativas e lançarmos esses corpos na direção horizontal com velocidade suficientemente grande, eles descreverão uma órbita em torno da Terra. No entanto, se ultrapassarmos demasiadamente essa velocidade, chamada de velocidade orbital, a trajetória desses corpos seria mais aberta e tais poderiam até mesmo deixar a órbita terrestre.

Aceleração da gravidade em outros planetas

A aceleração da gravidade dos planetas depende de seu raio e também de sua massa, confira o valor da gravidade na superfície dos planetas e outros corpos celestes do Sistema Solar:

  • Mercúrio: 3,7 m/s²

  • Vênus: 8,87 m/s²

  • Terra: 9,80 m/s²

  • Lua: 1,6 m/s²

  • Marte: 3,711 m/s²

  • Júpiter: 24,79 m/s²

  • Saturno: 10,44 m/s²

  • Urano: 8,87 m/s²

  • Netuno: 11,15 m/s²

  • Plutão: 0,62 m/s²

Veja também: Curiosidades astronômicas

Origem da gravidade

De acordo com a teoria da relatividade geral de Albert Einstein, a gravidade surge devido à curvatura do espaço-tempo. As equações da relatividade sugerem que a geometria do espaço-tempo é alterada quando na presença de objetos muito massivos, como planetas, estrelas e buracos negros. Observe a figura, nela se mostra o efeito da massa dos corpos sobre a tecitura do espaço-tempo:

A figura ilustra a distorção do espaço-tempo, produzida por uma grande massa.
A figura ilustra a distorção do espaço-tempo, produzida por uma grande massa.

Exercícios resolvidos sobre aceleração da gravidade

Questão 1) Determine o módulo da aceleração da gravidade de Marte, sabendo que seu raio médio é de 3400 km (3,4.106 m) e que a sua massa é 6,4.1023 kg.

Dados: G = 6,7.10-11 Nm²/kg²

a) 5,20 m/s²

b) 3,71 m/s²

c) 9,8 m/s²

d) 4,15 m/s²

e) 12,7 m/s²

Gabarito: Letra B

Resolução:

Para calcularmos a gravidade de um planeta, precisamos de sua massa e raio, tendo em mãos esses dados, fazemos o seguinte cálculo:

De acordo com o cálculo anterior, a aceleração da gravidade nas proximidades da superfície de Marte é de 3,71 m/s².

Questão 2) Determine a qual distância um satélite precisa estar em relação à superfície da Terra, onde g = 10m/s², para que a gravidade que atue sobre ele seja igual a 5 m/s².

Dados:

Raio da Terra: 6,4.10³ km

Massa da Terra: 5,9.1024 kg

a) 9020 km

b) 2920 km

c) 13600 km

d) 1500 km

e) 600 km

Gabarito: Letra B

Resolução:

Usando a fórmula para calcular a gravidade, descobriremos a qual distância, em relação à superfície da Terra, o satélite precisa estar para que a gravidade que atua sobre ele seja igual a 5 m/s², confira:

Pelos cálculos, a gravidade da Terra terá módulo de 5,0 m/s² quando estivermos a uma distância de 2920 km de sua superfície.

Publicado por: Rafael Helerbrock
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Lista de Exercícios

Questão 1

(UFGRS) Considerando que o módulo da aceleração da gravidade na Terra é igual a 10 m/s2, é correto afirmar que, se existisse um planeta cuja massa e cujo raio fossem quatro vezes superiores aos da Terra, a aceleração da gravidade seria de:

a) 2,5 m/s2

b) 5 m/s2

c) 10 m/s2

d) 20 m/s2

e) 40 m/s2

Questão 2

(UFGRS) Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo.

  1. ( ) Um objeto colocado em uma altitude de 3 raios terrestres acima da superfície da Terra sofrerá uma força gravitacional 9 vezes menor do que se estivesse sobre a superfície.

  2. ( ) O módulo da força gravitacional exercida sobre um objeto pode sempre ser calculado por meio do produto da massa desse objeto e do módulo da aceleração da gravidade do local onde ele se encontra.

  3. ( ) Objetos em órbitas terrestres não sofrem a ação da força gravitacional.

  4. ( ) Se a massa e o raio terrestre forem duplicados, o módulo da aceleração da gravidade na superfície terrestre reduz-se à metade.

A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:

a) V – V – F – F

b) F – V – F – V

c) F – F – V – F

d) V – F – F – V

e) V – V – V – F

Mais Questões
Assuntos relacionados
Lançamento de um foguete
Velocidade de escape
A velocidade de escape do objeto pode ser determinada usando a lei da conservação de energia.
Vetor Unitário
Vetores unitários
Veja aqui como realizar matematicamente operações com vetores unitários e confira alguns exemplos.
Placa de trânsito representando duplo sentido na via, através do uso de dois vetores
Soma de vetores
Veja aqui o conceito de vetor e aprenda também diferentes formas de realizar a soma de dois vetores.
Imagem de satélite divulgada pela NASA com o perfil aparente da Terra
Afinal, a Terra é redonda mesmo?
Confira uma explicação simplificada para uma polêmica ainda atual: afinal, a Terra é redonda mesmo?
“Inteligência é a capacidade de se adaptar à mudança.” Stephen Hawking (1942-2018)*
Stephen Hawking
Conheça mais sobre a vida e produção científica de Stephen Hawking, um dos mais renomados físicos da atualidade.
O Termômetro de Galileu é um bonito instrumento usado para aferir a temperatura ambiente.
Termômetro de Galileu
Conheça o termômetro inventado pelo físico italiano Galileu Galilei. O dispositivo, também chamado de termoscópio de Galileu, é usado para medir a temperatura ambiente, e a sua leitura é bastante simples. Seu funcionamento baseia-se na força de empuxo, que varia com a temperatura. Saiba mais!
Visto de fora da atmosfera terrestre, o Sol apresenta cor branca. Sua cor aparentemente amarela ocorre em razão da absorção da luz pela atmosfera.
Cinco mitos da Física em que você sempre acreditou
Se você gosta de Física e é um entusiasta da área, provavelmente já se deparou com algumas dessas informações. Confira alguns mitos comuns da Física.
Energia potencial gravitacional
Acesse o texto e confira o que é a energia potencial gravitacional, a fórmula para calculá-la e exercícios resolvidos sobre o tema.
Transformação da energia eólica em energia elétrica
Potência de uma força
A potência de uma força representa a rapidez com que a energia é transformada em outras formas de energia.
Objeto se movendo com velocidade constante do ponto X até o ponto Y graças a uma força F aplicada
Trabalho e Energia Cinética
Veja aqui como o trabalho da força resultante que age em um corpo é sempre igual à variação da energia cinética.
A aceleração mede a mudança da velocidade em relação ao tempo.
Aceleração
Você sabe o que é aceleração? Confira os diferentes tipos de aceleração, as fórmulas de aceleração e exercícios resolvidos para facilitar a compreensão do tema.
A força peso corresponde à força feita sobre um objeto capaz de impedi-lo de cair livremente
Força peso
Clique aqui para conhecer a definição da força peso, resultado da interação gravitacional entre um objeto e o planeta.
Dirigir caminhões com cargas muito pesadas é perigoso: as cargas em movimento têm inércia muito grande e, portanto, tendem a continuar em movimento.
Primeira Lei de Newton
A primeira lei de Newton, também conhecida como lei da inércia, estabelece que os corpos têm uma tendência natural a permanecerem em repouso ou em movimento uniforme em linha reta. Confira alguns exemplos que podem facilitar o seu entendimento sobre essa importante lei do movimento. Entenda também o conceito de inércia.