Whatsapp icon Whatsapp

Ciclo de Carnot

O ciclo de Carnot descreve o funcionamento de uma máquina térmica com base em transformações isotérmicas e adiabáticas dos gases.
Formação de um tornado, um exemplo natural do ciclo de Carnot.
Formação de um tornado, um exemplo natural do ciclo de Carnot.

O ciclo de Carnot é o processo teorizado por Sadi Carnot que idealiza o funcionamento do motor mais próximo ao do ideal. Ele opera em quatro etapas: a primeira consiste em uma expansão isotérmica (absorção de energia à temperatura constante); a segunda, em uma expansão adiabática (variação de pressão, temperatura e volume do gás sem trocas de calor); a terceira, em uma compressão isotérmica (a energia diminui, e a temperatura se mantém); e a quarta, em uma compressão adiabática (conservação da energia, mas queda da temperatura).

Esse processo surgiu em resposta a uma pergunta feita no início do século XIX, que questionava o que deveria ser feito para melhorar a eficiência de uma máquina térmica, já que, de acordo com a segunda lei da Termodinâmica, não existe máquina perfeita. Logo, Sadi Carnot, assessor científico de Napoleão Bonaparte, determinou que a eficiência máxima de uma máquina térmica poderia ser obtida utilizando uma fonte fria e outra quente, fazendo assim um processo reversível de transformações gasosas.

Leia também: O que a Termodinâmica estuda?

Resumo sobre o ciclo de Carnot

  • O ciclo de Carnot opera com transformações gasosas em quatro etapas: uma expansão isotérmica, uma expansão adiabática, uma compressão isotérmica e uma compressão adiabática.

  • A transformação gasosa isotérmica é aquela em que a temperatura é constante.

  • A transformação gasosa adiabática é aquela em que não ocorrem trocas de calor com o ambiente.

  • Carnot elaborou uma teoria que faz com que uma máquina opere entre duas temperaturas. Com isso, obtém-se a maior eficiência possível de uma máquina térmica.

  • As trocas de calor no ciclo de Carnot ocorrem na primeira etapa, em que é absorvido calor da fonte quente, e na terceira etapa, em que o calor que não foi convertido em trabalho é transmitido para a fonte fria.

  • O rendimento do ciclo de Carnot sempre será inferior a 100%, já que para isso ocorrer todo o calor absorvido pela fonte quente deveria ser convertido em trabalho.

Videoaula sobre o ciclo de Carnot e as máquinas térmicas

Etapas do ciclo de Carnot

O ciclo de Carnot, criado por Nicolas Léonard Sadi Carnot, idealiza uma máquina térmica em que se pode obter a máxima eficiência possível. Ela opera alternando entre dois tipos de transformações gasosas nas quatro etapas citadas a seguir.

  • Primeira — expansão isotérmica: o gás absorve calor de uma fonte quente, com isso ele dilata e empurra as paredes do recipiente onde se encontra, realizando um trabalho, porém sua temperatura permanece constante.

  • Segunda — expansão adiabática: o gás para de receber calor da fonte quente, com isso sua energia total é conservada, porém sua pressão, temperatura e volume são alterados — o volume continua se expandindo, porém a pressão e a temperatura são reduzidas.

  • Terceira — compressão isotérmica: o gás é colocado em contato com o reservatório da fonte fria, porém sua temperatura é mantida e sua energia interna é reduzida, logo seu volume é reduzido, porém sua pressão aumenta levemente.

  • Quarta — compressão adiabática: nessa última etapa, o gás é afastado da fonte fria e não há troca de calor, com isso a temperatura aumenta e consequentemente o volume também, mas como a pressão é reduzida, a energia interna é conservada.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Após a quarta etapa, o gás é novamente aproximado da fonte quente, e o ciclo recomeça. A imagem a seguir contém o gráfico da pressão em função do volume que representa o ciclo de Carnot, junto a ilustrações de um recipiente que contém um gás.

Gráfico e máquina térmica que representam o ciclo de Carnot.
Gráfico e máquina térmica que representam o ciclo de Carnot.

Teoria de Carnot

A teoria de Nicolas Léonard Sadi Carnot foi elaborada para responder a um questionamento feito no início do século XIX: qual é a forma de tornar uma máquina térmica o mais eficiente possível? De acordo com Carnot, o valor máximo do rendimento de uma máquina será sempre inferior a 100%. Isso ocorre porque a quantidade de trabalho que ela consegue realizar é limitada e inferior à quantidade de calor que ela recebe.

O modelo teórico do motor de Carnot é ideal, porém para sua construção e aplicação prática, é inviável por causa dos dois fatores a seguir:

  • O tempo para que a troca de calor ocorra de forma adequada teria que ser infinito, logo, em termos de potência, que é a razão entre energia e tempo, ela seria nula.

\(P=\frac{E}t\)

            Quanto maior o valor do tempo t, menor é a potência.

  • Para que o gás volte à condição inicial, é necessária uma quantidade de energia além daquela descrita pelo modelo de Carnot. Dessa forma, a eficiência do motor já se torna reduzida, e como a máquina deve ser utilizada continuamente, esse déficit de energia se torna maior a cada ciclo.

A condição para que uma máquina térmica tenha um rendimento de 100% é que a fonte fria deve ter a temperatura de 0 K (zero absoluto ou -273 °C), o que é impossível, já que essa é uma condição teórica em que a entropia é nula, ou seja, os átomos não se movem.

Leia também: Qual é a diferença entre calor e temperatura?

Como ocorre a troca de calor na máquina de Carnot?

No ciclo de Carnot, a troca de calor ocorre em duas das etapas. Na primeira, que é a expansão isotérmica, o gás recebe calor da fonte quente, ou seja, que apresenta uma temperatura maior que a do gás. Quando o gás recebe essa energia térmica, ele tem seu volume aumentado, e isso faz com ele empurre as paredes do recipiente e realize um trabalho. O aumento do volume, redução de pressão e realização do trabalho equivalem ao calor recebido, logo a temperatura permanece a mesma.

A segunda troca de calor ocorre na terceira etapa, na compressão isotérmica. Nessa etapa, o gás é colocado em contato com a fonte fria, que apresenta uma temperatura inferior àquela do gás em repouso. Quando o contato ocorre com o gás, a fonte fria absorve a energia recebida da fonte quente que não realizou o trabalho, que ainda estava contida no gás. Com isso, sua energia interna diminui, voltando ao valor original antes do contato com a fonte quente. Por ter seu volume reduzido e um pequeno aumento da sua pressão, a temperatura se mantém constante novamente.

Fórmula do rendimento da máquina de Carnot

O ciclo de Carnot estabelece uma relação entre:

  • o calor provido pela fonte quente QQ (medido em joule J);

  • o calor cedido para a fonte fria Qf (medido em joule J);

  • a temperatura TQ (medida em kelvin K) da fonte quente;

  • a temperatura TF (medida em kelvin K) da fonte fria.

A relação entre eles é dada pela equação a seguir.

\(\frac{Q_Q}{Q_F} =\frac{T_Q}{T_F} \)

O rendimento, em porcentagem, equivale à razão entre a diferença entre as quantidades de calor pela quantidade de calor da fonte quente.

\(η=(\frac{Q_Q-Q_F)}{Q_Q})\cdot100\%=(1-\frac{Q_F}{Q_Q})\cdot100\%\)

Como a razão entre as quantidades de calor fornecido e absorvido é igual à razão entre as suas respectivas temperaturas, o rendimento pode ser reescrito em função das temperaturas das fontes.

\(η=(1-\frac{T_F}{T_Q})\cdot100\%\)

Exemplos:

  1. Calcule o rendimento de uma máquina térmica fictícia que funciona de acordo com o ciclo de Carnot, em que a quantidade de calor fornecida pela fonte quente para o gás é de 2000 J e o calor absorvido pela fonte fria é de 1600 J.

Extraindo os dados do problema:

  • QQ = 2000 J

  • QF = 1600 J

  • η = ?

\(η=(1-\frac{Q_F}{Q_Q} )\cdot100\%=(1-\frac{1600}{2000})\cdot100\%=(1-0,8)\cdot100\%\)

\(η=0,2\cdot100\%=20\%\)

  1. Em uma máquina térmica, operando pelo ciclo de Carnot ou não, o calor recebido é parte convertido em trabalho e parte absorvido pela fonte fria. Considere que o gás absorveu 4000 J e a fonte fria absorveu 3600 J. Qual foi o trabalho realizado pelo gás?

Extraindo os dados do problema:

  • QQ = 4000 J

  • QF = 3600 J

O trabalho será representado por W (work, no idioma inglês). O trabalho equivale à diferença entre o calor fornecido pela fonte quente e o calor absorvido pela fonte fria.

\(W=Q_Q-Q_F=4000-3600=400\ J\)

Leia também: Quais são as transformações termodinâmicas?

Exercícios resolvidos sobre o ciclo de Carnot

Questão 1

O rendimento de uma máquina térmica fictícia que opera obedecendo ao ciclo de Carnot é de 25%. Considerando que a temperatura da fonte quente é 800 K, qual é a temperatura da fonte fria?

a) 900 K

b) 200 K

c) 600 K

d) 450 K

e) 300 K

Resposta

Letra C

Extraindo os dados do problema

  • η = 25%

  • TQ = 800 K

  • TF = ?

\(η=(1-\frac{T_F}{T_Q})\cdot100\%\)

\(25\%=(1-\frac{T_F}{800})\cdot100\%\)

\(\frac{25\%}{100\%}=(1-\frac{T_F}{800})\)

\(0,25=1-\frac{T_F}{800}\)

Invertendo ambos os lados da equação.

\(1-\frac{T_F}{800}=0,25\)

\(-\frac{T_F}{800}=0,25-1\)

\(-\frac{T_F}{800}=-0,75\)

Multiplicando ambos os lados por -1, para deixar a incógnita positiva.

\(\frac{T_F}{800}=0,75\)

\(T_F=0,75\cdot800=600\ K\)

Questão 2

Em relação ao ciclo de Carnot e máquinas térmicas, marque a alternativa incorreta.

a) O ciclo de Carnot é composto por dois tipos de transformações gasosas: isotérmica e adiabática.

b) Na segunda etapa do ciclo de Carnot, como o gás não recebe calor da fonte quente, a sua temperatura permanece constante.

c) A máquina térmica ideal seria aquela em que a fonte fria pudesse atingir o zero absoluto, porém é uma situação hipotética, já que se trata de uma temperatura totalmente teórica.

d) O ciclo de Carnot é impossível de ser realizado na prática porque as trocas de calor entre as fontes e o gás levariam um tempo demasiadamente grande, fazendo com que a potência da máquina térmica tendesse a zero.

e) No ciclo de Carnot, quanto menor a diferença entre as temperaturas das fontes, menor é o rendimento da máquina térmica.

Resposta

Letra B

a) Correta. Embora o ciclo seja composto por quatro etapas, há apenas dois tipos de transformações gasosas: isotérmica e adiabática.

b) Incorreta. Na segunda etapa, ocorre a expansão adiabática, em que realmente não ocorrem trocas de calor. Porém, como ocorre variação na pressão e volume do gás e realização de trabalho, ocorre variação na temperatura do gás.

c) Correta. Quanto menor a temperatura da fonte fria, mais eficiente é a máquina. Como o zero absoluto é totalmente teórico, a máquina térmica ideal não é possível.

d) Correta. A fórmula da potência diz que ela é igual à razão entre a energia consumida ou o trabalho realizado pelo tempo \((P=\frac{W}t)\), logo se o tempo for muito grande, a potência será nula, já que são inversamente proporcionais.

e) Correta. De acordo com fórmula, o rendimento de uma máquina térmica equivale à diferença entre 1 e a razão entre a temperatura da fonte fria com a temperatura da fonte quente.

\(η=(1-\frac{T_F}{T_Q})\cdot100\%\)

Se as temperaturas forem muito próximas, a razão terá um valor elevado. Consequentemente, ao serem subtraídas de um, o valor será mais baixo, logo o rendimento será baixo.

Publicado por Gustavo Campos
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Aplicações da termodinâmica
A termodinâmica tem muitas aplicações, conseguindo descrever situações complicadas. Conheça algumas delas aqui!
As transformações termodinâmicas
Durante uma transformação termodinâmica o gás troca energia com o meio externo sob duas formas: calor e trabalho.
Máquinas térmicas
Você sabe o que são máquinas térmicas? Conheça mais por meio de uma introdução sobre o tema, entenda o que são os ciclos termodinâmicos e confira exercícios resolvidos.
Segundo Princípio da Termodinâmica
Saiba o que diz esse princípio.
Termodinâmica
Acesse e descubra os conceitos da termodinâmica, conheça quais são as leis da termodinâmica e teste seu aprendizado com os exercícios resolvidos sobre o assunto.
Trabalho Termodinâmico
Aproveitando a energia cinética das partículas para realização de trabalho mecânico.
Transformação adiabática
Que tal conhecer mais detalhes sobre as transformações adiabáticas? Confira o que são essas transformações, aprenda a reconhecer suas curvas nos gráficos de pressão por volume e conheça as fórmulas usadas nos processos adiabáticos. Além disso, conferira exemplos resolvidos sobre esse tipo de transformação termodinâmica.
Transformações Gasosas
Conheça as transformações gasosas (isotérmica, isobárica e isocórica), as leis que as explicam, suas expressões matemáticas e seus gráficos.
Zero absoluto
O que é o zero absoluto? Entenda a definição desse conceito e qual é a sua relação com o princípio da incerteza. Veja também se o zero absoluto já foi ultrapassado.
video icon
"Palavras do Quimbundo" escrito sobre a bandeira da Angola com diversos símbolos: um pandeiro, tambor, uma mulher negra segurando um bebê
Português
Palavras do Quimbundo
Samba, cafuné, caçula, moleque, quitanda... são muitas as palavras do quimbundo que fazem parte do nosso dia a dia e reforçam a definição do português enquanto língua multicultural. Assista ao vídeo e conheça mais desse idioma.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
videoaula brasil escola
Biologia
Transgênicos
Você sabe o que são alimentos transgênicos? Não se engane, eles estão mais presentes do que você imagina!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Química
Alotropia
Não deixe de assistir nossa aula para fixar tudo o que você estudou sobre alotropia!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Filosofia
Batman
Que tal assistir ao vídeo para uma análise ética sobre o herói?