Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Eletricidade
  4. Regras de Kirchhoff

Regras de Kirchhoff

Como mostra a figura acima, existe uma corrente no ramo XY, e os resistores não estão nem em série e nem em paralelo, o que dificulta o cálculo da resistência equivalente e das intensidades de corrente. Nesses casos mais complexos, para calcular as intensidades de correntes recorremos a alguns procedimentos – definidos pelo físico alemão Gustav Robert Kirchhoff – que denominamos de Regras de Kirchhoff.

Nós – são pontos em um circuito elétrico nos quais as correntes se dividem ou se juntam.
Os nós são os pontos onde a corrente se divide
Os nós são os pontos onde a corrente se divide

Malhas – é um percurso fechado qualquer, em um circuito.
Malhas de um circuito
Malhas de um circuito

Primeira regra de Kirchhoff – Regra dos Nós

- Em um , a soma das correntes que chegam é igual à soma das correntes que saem.
Exemplo:
Nó B ⟶ i1 + i2 = i3
Nó E ⟶ i1 + i2 = i3
Segunda regra de Kirchhoff – Regra das Malhas

Fazendo-se um percurso fechado qualquer em um circuito, a soma algébrica das variações de potencial deve ser nula.
Em um percurso fechado, a energia recebida pelas cargas (nos geradores) é igual à energia perdida (nos resistores e nos receptores).

Analisando a figura abaixo, vamos calcular o valor da corrente elétrica utilizando a Regra de Kirchhoff. Para um circuito fechado, consideramos um sentido qualquer, podendo ser horário ou anti-horário.
Circuito elétrico
Circuito elétrico

Para o circuito acima vamos partir do ponto A, adotando o sentido horário. Devemos nos lembrar de algumas coisas quando percorrermos esse circuito. São elas:

- tanto no gerador como no receptor, o polo positivo tem maior potencial do que o polo negativo;
- num resistor as cargas perdem energia elétrica e, assim, a corrente vai do potencial maior para o potencial menor.


A seta na figura indica o sentido que adotamos (sentido horário). Partindo do ponto A, ao passarmos pela bateria E1, vamos do potencial menor ao potencial maior, portanto estamos ganhando potencial. Assim, temos: + 60V.

Indo do ponto B ao ponto C, encontramos uma resistência, assim passamos do potencial maior para o potencial menor, portanto estamos perdendo potencial: -3i

Quando passamos pela bateria E2, vamos do potencial maior para o potencial menor, portanto estamos perdendo potencial: - 40 V.
Quando passamos pela resistência R1, perdemos potencial, então vamos do potencial maior para o menor, assim temos: - 7i.

Como dito anteriormente, a soma de todas as variações deve ser nula, então:

+60 – 3i – 40 – 7i = 0
- 10i = -20
i = 2 A


Portanto, concluímos que a corrente elétrica que percorre o circuito acima é i = 2 A.

Por Domiciano Corrêa Marques da Silva
Graduado em Física
Representação de uma ponte não equilibrada
Representação de uma ponte não equilibrada
Publicado por: Domiciano Correa Marques da Silva
Assuntos relacionados
Para-raios
Você sabe o que são para-raios, para que servem, quais os seus tipos e quando eles devem ser usados? Acesse o artigo e confira essas e outras informações.
Durante uma tempestade, ficamos realmente protegidos dentro do carro?
Gaiola de Faraday
Um experimento que prova a blindagem eletrostática
Condutores e Isolantes Elétricos
Diferenças entres condutores e isolantes elétricos. Clique e confira!
Capacitor esférico ligado a uma bateria
Capacitor esférico
Descrição geral de um capacitor esférico usado em laboratório
Ilustração do dispositivo utilizado por Thomson na descoberta do elétron.
Descoberta do elétron
Veja aqui qual foi o aparato experimental construído por Thomson que resultou na descoberta do elétron.
Para funcionar corretamente, o galvanômetro no centro da ponte de Wheatstone deve indicar uma corrente elétrica nula.
Ponte de Wheatstone
Você sabe o que é e para que serve uma ponte de Wheatstone? Acesse o artigo e conheça mais detalhes sobre esse tipo de circuito.
A equação acima é reconhecida como sendo a 1ª Lei de Ohm, mas ela pode ser aplicada a elementos não ôhmicos
Primeira lei de Ohm
Clique aqui e entenda a Primeira lei de Ohm, que mostra a relação diretamente proporcional entre a corrente elétrica e a diferença de potencial (ddp).
Eletroscopia
Clique aqui e entenda como funciona o estudo dos fenômenos eletrostáticos, a eletroscopia!
Transformadores
Acesse e entenda o que são e como funcionam os transformadores. Aprenda também as fórmulas usadas para calcular a tensão e a corrente elétrica em transformadores.