Whatsapp icon Whatsapp

Restinga

A restinga é um ecossistema bastante específico encontrado nas zonas litorâneas. Ela é caracterizada por formações vegetais dispostas em zonas arenosas de planícies costeiras.
Vista de área de restinga, à beira-mar.
A restinga possui um solo bastante arenoso.

A restinga é um ecossitema situado ao longo das planícies marítimas costeiras que é formado por diversas espécies de plantas adaptadas ao solo arenoso e à água salgada presente nas zonas litorâneas. Essa vegetação inclui espécies de plantas como cactos e gramíneas e é o habitat de diversos animais, como aves e crustáceos.

O solo da restinga é extremamente arenoso. O clima da restinga é caracterizado pela influência da maritimidade e da umidade. Esse ecossistema é bastante frágil, em razão das suas condições físicas, sendo muito transformado pelas atividades humanas. A especulação imobiliária, por exemplo, provoca grande destruição das vegetações de restinga.

No Brasil, as áreas de restinga distribuem-se ao longo de toda a costa do país, com destaque para os estados litorâneos das regiões Sudeste e Nordeste.

Leia também: Mangue — outro tipo de vegetação característico de regiões litorâneas

Resumo sobre restinga

  • A localização das restingas está estritamente ligada aos ecossistemas costeiros, onde predominam os processos de deposição de sedimentos.

  • No Brasil, por exemplo, as áreas de restinga distribuem-se ao longo do litoral do país, que é banhado pelo oceano Atlântico.

  • A vegetação de restinga sofre grande influência marinha, portanto é composta por espécies vegetais que estão adaptadas à influência do mar.

  • São exemplos de espécies de plantas encontradas na restinga: lantana, cactos, bromélia, clusia, sumaré, salsão-da-praia e samambaia.

  • São exemplos de espécies de animais encontradas na restinga: anu, jacu, calango, lagartixa e crustáceos.

  • Nesse ecossistema, predominam os solos com elevada porcentagem de areia na sua composição, geralmente oriundos de processos erosivos deposicionais.

  • A restinga é uma formação importante, pois é uma reserva biológica de diversas espécies de plantas e animais que necessitam de políticas de proteção específicas.

  • Esses ecossistemas, em razão da sua localização, são comumente explorados por atividades turísticas diversas, além de sofrerem com a especulação imobiliária.

  • As restingas são ecossistemas frágeis, portanto necessitam de preservação das suas características naturais.

Características da restinga

  • Localização da restinga

As restingas estão situadas ao longo da costa litorânea, ou seja, zonas geográficas banhadas pelo oceano. Assim, a sua localização está estritamente ligada aos ecossistemas costeiros, onde predominam os processos de deposição de sedimentos, especialmente atrelados às formações de planícies arenosas.

No caso do Brasil, por exemplo, as áreas de restinga distribuem-se ao longo do litoral do país, que é banhado pelo oceano Atlântico, ou seja, desde o norte do Amapá até o sul do Rio Grande do Sul, inclusive de forma mesclada com alguns biomas, como a Mata Atlântica e o Mangue.

  • Vegetação da restinga

A vegetação da restinga é bastante diversificada, sendo tipicamente classificada conforme a estatura das suas formações, desde pequenas gramíneas até árvores de médio porte. A vegetação de restinga sofre grande influência marinha, portanto é composta por espécies vegetais que estão adaptadas à influência do mar, assim como à constância de vento e à presença de sal. Essas formações são encontradas, por exemplo, em praias e dunas e ainda em zonas mais afastadas do litoral, onde formam as chamadas restingas arbóreas.

  • Flora da restinga

A flora da restinga é composta por espécies vegetais de porte diverso, desde gramíneas até árvores lenhosas, que estão altamente adaptadas ao solo arenoso e água salgada desse ecossistema. As restingas são caracterizadas pela presença especialmente de plantas espadas que se distribuem ao longo das faixas costeiras locais. São exemplos de espécies de plantas encontradas na restinga: lantana, cactos, bromélia, clusia, sumaré, salsão-da-praia e samambaia.

  • Fauna da restinga

A fauna da restinga é composta por espécies de animais relacionados ao ambiente marinho, assim como muitas espécies de aves, répteis e anfíbios. Essas espécies possuem facilidade de adaptação ao ambiente arenoso local e à presença de água salgada proveniente do mar. É comum o fenômeno da migração de espécies, com destaque para as aves. São exemplos de espécies de animais encontrados na restinga: anu, jacu, calango, lagartixa e crustáceos.

  • Clima da restinga

O clima da restinga é bastante variável, conforme a sua distribuição geográfica. Tradicionalmente, o tipo climático local, comumente encontrado no litoral brasileiro, é o tropical, assim como as suas variações, com destaque para o tropical úmido.

As áreas de restinga sofrem grande influência da umidade e da maritimidade e registram temperaturas relativamente elevadas e amplitudes térmicas consideradas pequenas. A ocorrência de chuvas é bastante comum, especialmente devido à atuação de frentes frias e outros fenômenos atmosféricos.

  • Solo da restinga

O solo da restinga é tipicamente arenoso. Portanto, nessa zona geográfica predominam os solos com elevada porcentagem de areia na sua composição, geralmente oriundos de processos erosivos deposicionais.

Em razão da sua localização próxima ao oceano, os solos da restinga possuem elevados níveis de sal, não sendo indicados para as atividades agropecuárias em razão da baixa fertilidade. A característica arenosa encontrada localmente, comumente encontrada em praias e dunas, é crucial para a definição das restingas.

 Vista aérea de solo arenoso, característico da restinga.
Os solos da restinga possuem alto teor de areia.
  • Hidrografia da restinga

A hidrografia da restinga é formada especialmente pelos corpos de água, como lagoas e canais, que deságuam no oceano, por meio de estruturas como a foz. Assim, a presença desses elementos ocorre de forma pontual nas restingas, tradicionalmente atrelada ao processo de entrada de água proveniente do continente para o oceano. Essas zonas são inclusive muito exploradas por diversas atividades turísticas e extrativistas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia também: Caatinga — o único bioma exclusivamente brasileiro

Formação da restinga

As restingas são formadas por meio do processo de deposição de sedimentos ao longo das planícies costeiras dos mares e oceanos. Esses sedimentos, especialmente a areia, que formam os solos calcários desse ecossistema foram depositados principalmente pela ação da água dos oceanos. Por meio da deposição desses sedimentos, originaram-se estreitas faixas de terra, de solos arenosos, nas quais adaptaram-se diversas espécies de plantas, formando paisagens comumente conhecidas como praias e dunas marítimas.

Por que a restinga é importante?

A restinga é uma formação importante, pois é uma reserva biológica de diversas espécies de plantas e animais, muitas delas inclusive ameaçadas de extinção, que necessitam de políticas de proteção específica. Ademais, a restinga é um ecossistema muito particular e, consequentemente, bastante vulnerável, que representa apenas uma pequena parte do território mundial, mas que possui destaque no equilíbrio ecológico local, na preservação das águas oceânicas, na contenção dos processos erosivos, na manutenção das espécies nativas, entre outros aspectos.

Restinga no Brasil

O Brasil possui diversas formações de restinga, em formações espaciais geográficas descontinuadas, ao longo do seu litoral. O país possui uma vasta costa, banhada pelo oceano Atlântico, portanto detém importantes formações de restinga, com destaque para zonas encontradas nas planícies costeiras dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, além da porção nordeste nacional.

As restingas encontradas no Brasil possuem muitas particularidades, conforme o clima e a vegetação local, sendo fundamental para a preservação de espécies nativas de plantas e animais e para a manutenção do equilíbrio ecológico dos ecossistemas.

A conservação ambiental e os impactos ambientais nas restingas

As restingas são ecossistemas frágeis, portanto necessitam de preservação das suas características, seja por meio de projetos ambientais específicos ou ainda legislações de cunho ambiental. No Brasil, por exemplo, as restingas são protegidas por lei, por meio da definição de áreas de preservação permanente.

Ademais, no país também é recorrente a criação de parques para a preservação dessas vegetações, como o Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba (Rio de Janeiro) e o Parque Estadual Restinga de Bertioga (São Paulo).

 Vista de vegetação da restinga no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, no Rio de Janeiro.[1]
 Vista de vegetação da restinga no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, no Rio de Janeiro.[1]

Essas ações possibilitam combater de forma ampla os impactos ambientais registrados nas restingas. Esses ecossistemas, em razão da sua localização, são comumente explorados por atividades turísticas diversas, além de sofrerem com a especulação imobiliária e com a poluição marítima. As restingas necessitam de condições adequadas em termos biológicos para manterem suas características naturais, portanto são necessárias ações que visem à manutenção do seu equilíbrio ecológico e da preservação da sua flora e fauna.

Leia também: Amazônia — tudo sobre a região de maior diversidade do planeta

Exercícios resolvidos sobre restingas

Questão 1

(Uece 2011) Aos cordões arenosos dispostos paralelamente à linha de costa e que têm formação geológica quaternária, dá-se a denominação de

a) falésia.

b) ria.

c) restinga.

d) baía.

Resolução:

Alternativa C

As restingas são ecossistemas encontrados ao longo da faixa marítima, tradicionalmente formadas por solos de origem quaternária, oriundos de processos de deposição de sedimentos diversos.

Questão 2

(Unicamp 2014) As restingas podem ser definidas como depósitos arenosos produzidos por processos de dinâmica costeira atual (fortes correntes de deriva litorânea, podendo interagir com correntes de maré e fluxos fluviais), formando feições alongadas, paralelas ou transversais à linha da costa. Podem apresentar retrabalhamentos locais associados a processos eólicos e fluviais. Quando estáveis, as restingas dão forma às “planícies de restinga”, com desenvolvimento de vegetação herbácea e arbustiva e até arbórea. As restingas são áreas sujeitas a processos erosivos desencadeados, entre outros fatores, pela dinâmica da circulação costeira, pela elevação do nível relativo do mar e pela urbanização.

Adaptado de Célia Regina G. Souza e outros, Restinga: conceitos e emprego do termo no Brasil e implicações na legislação ambiental. São Paulo: Instituto Geológico, 2008.

É correto afirmar que as restingas existentes ao longo da faixa litorânea brasileira são áreas

a) pouco sobrecarregadas dos ecossistemas costeiros, devido ao modo como ocorreu a ocupação humana, com o processo de urbanização.

b) onde a cobertura vegetal ocorre em mosaicos, encontrando-se em praias, cordões arenosos, dunas, depressões, serras e planaltos, sem apresentar diferenças fisionômicas importantes.

c) suscetíveis à erosão costeira causada, entre outros fatores, por amplas zonas de transporte de sedimentos, elevação do nível relativo do mar e urbanização acelerada.

d) onde o solo arenoso não apresenta dificuldade para a retenção de água e o acesso a nutrientes necessários ao desenvolvimento da cobertura vegetal herbácea em praias e dunas.

Resolução:

Alternativa C

As restingas, especialmente quando transformadas pela ação humana, são zonas geográficas suscetíveis aos processos erosivos, visto que são uma área de elevada fragilidade ambiental.

Créditos da imagem

[1] Halley Pacheco de Oliveira / Wikimedia Commons (reprodução)

Publicado por Mateus Campos
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Amazônia
Aprenda mais sobre a Amazônia. Veja suas principais características quanto à vegetação, fauna, flora, hidrografia e ao clima. Saiba a respeito do seu desmatamento.
Bioma
Entenda o que são biomas, quais as suas características e importância e por que devemos preservá-los. Conheça os principais biomas do Brasil e do mundo.
Biomas brasileiros
Clique aqui, saiba quais são os biomas brasileiros, conheça suas principais características e entenda a importância dessas unidades geográficas para o Brasil.
Caatinga
Conheça as principais características da Caatinga. Entenda mais sobre a sua vegetação, e veja quais são os principais impactos ambientais presentes nesse bioma.
Cerrado
Leia este texto e saiba mais sobre o Cerrado. Esse bioma abrange cerca de 22% do território brasileiro e é considerado a savana do Brasil. Aprenda mais a respeito das principais características dessa grande unidade ecológica, as quais perpassam sua fauna, flora, vegetação, hidrografia, solo e conservação.
Desmatamento no Brasil
Clique aqui e saiba quais são as principais causas e consequências do desmatamento no Brasil. Conheça alguns dados relacionados a isso.
Domínios morfoclimáticos do Brasil
Clique aqui e saiba quais são os domínios morfoclimáticos do Brasil. Conheça suas principais características.
Mata Atlântica
Saiba mais sobre a Mata Atlântica. Entenda a fauna e a flora desse bioma. Conheça os impactos ambientais causados na Mata Atlântica.
Pantanal
Clique e veja as características da região do Pantanal, como seu clima, relevo, vegetação e hidrografia. Confira também os impactos ambientais na região pantaneira.
video icon
"A importância da revisão textual" escrito sobre fundo azul e roxo com uma lupa sobre um texto
Português
A importância da revisão textual
Muita gente acha que a revisão textual é algo que só alguém da área de Letras pode fazer, mas isso é um baita engano! Todo mundo que escreve tem condição de revisar. É o que vamos discutir nesta aula.