Mata Atlântica

A Mata Atlântica é um dos biomas brasileiros mais ricos em biodiversidade, junto à Floresta Amazônica. Ambas são muito parecidas devido à localização geográfica em baixas e médias latitudes. Esses biomas são conhecidos por florestas tropicais e equatoriais, respectivamente. Essa localização permite alta insolação e rico desenvolvimento de fauna e flora, o que pode ser um prato cheio para a exploração humana.

Sua rica biodiversidade transformou a Mata Atlântica em um grande alvo de desmatamento e exploração humana, tornando-a o segundo bioma mais ameaçado do planeta, segundo a Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi).

Leia mais: Créditos de carbono – mercado de créditos que visa à diminuição da poluição

Características gerais da Mata Atlântica

  • Localização da Mata Atlântica

A Mata Atlântica é o bioma brasileiro presente em quase todos os estados do país, seja de forma parcial, seja de forma integral. São 17 estados que têm em seu território áreas cobertas pela mata, espalhadas por mais de três mil municípios.

A presença marcante da mata está no litoral brasileiro, em grande parte do Sudeste, do Sul e de alguns estados do Centro-Oeste e Nordeste. Estima-se que, quando os europeus aqui chegaram, em 1500, essa floresta ocupava 15% to território brasileiro, com uma área de 1.306.421 km². Com o passar dos anos e o intenso desmatamento causado pelas ações antrópicas, esse número é drasticamente menor, com pouco mais de 100 mil km² da vegetação original.

Sua localização litorânea e de baixas e médias latitudes dá-lhe o caráter de uma floresta úmida, quente e com fauna e flora bastante desenvolvidas. Como a ocupação brasileira ocorreu, de forma inicial, na parte leste do país, a mata foi o primeiro bioma a ser desmatado, o que explica sua baixa área.

Localizada no litoral brasileiro, a Mata Atlântica foi o primeiro bioma desmatado do Brasil.
Localizada no litoral brasileiro, a Mata Atlântica foi o primeiro bioma desmatado do Brasil.
  • Subdivisões da Mata Atlântica

A Mata Atlântica tem algumas características bem semelhantes às da Floresta Amazônica. Essas características são referentes ao porte das árvores e ao desenvolvimento da fauna: ambos os biomas possuem árvores altas que podem chegar a mais de 30 metros de altura, com pequenas vegetações arbustivas que surgem à sombra delas.

Segundo a Apremavi, podemos dividir a Mata Atlântica em duas florestas: primária e secundária. Esta última possui três estágios, variando de acordo com regeneração da vegetação.

  • Floresta primária: pode ser conhecida como mata virgem, pois se refere à floresta intocada pelos humanos ou em que a ação humana não levou desequilíbrio para a relação entre os seres vivos. Nessa floresta encontramos as árvores mais altas e grossas da Mata Atlântica, além de orquídeas e cactos nas copas das árvores.

  • Floresta secundária: refere-se a áreas em que houve atividade humana, como agricultura e extrativismo vegetal. Após essas atividades, algumas áreas são abandonadas e a floresta mostra sua capacidade de regeneração biológica, que faz ressurgir espécies. Essa regeneração acontece em três estágios

Estágio inicial: pode durar até 10 anos, dependendo do grau de devastação do solo e da flora e da quantidade de sementes no chão. Nesse estágio as árvores não passam de quatro metros de altura, prevalecendo samambaias no chão.

Estágio médio: as samambaias diminuem e as árvores podem atingir até 12 metros de altura, aparecendo árvores nativas, como as aroeiras e ingás.

Estágio avançado: após o estágio médio, a floresta pode demorar até 200 anos para atingir o patamar da floresta primária. Nesse estágio, as samambaias desaparecem e a biodiversidade aumenta gradativamente. Espécies nativas começam a ressurgir, como os cedros e as sapucaias.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Vegetação e flora da Mata Atlântica

A Mata Atlântica possui uma rica biodiversidade em todos os sentidos. Algumas espécies de sua vegetação são endêmicas, ou seja, só ocorrem nela. Sua diversidade ecológica permite-lhe regenerações espontâneas, mas elas são atrapalhadas pelas ações humanas, como o desmatamento, o comércio ilegal, as pastagens, entre outros.

Por conta dessa biodiversidade, não há estudos conclusivos da quantidade de espécies na região. Estima-se que haja na Mata Atlântica 20 mil espécies de árvores, o que significa 35% do total existente no Brasil.

A Mata Atlântica é estratificada, com grandes árvores. Elas compõem o dossel da floresta e absorvem a maior parte dos raios solares. Toda matéria orgânica (folhas, frutos) é absorvida pelo solo da floresta, tornando-o fértil para as vegetações. Abaixo do dossel, crescem pequenas vegetações arbustivas nas sombras das árvores mais altas.

Veja algumas árvores e frutas nativas da Mata Atlântica:

  • Jabuticabeira

  • Goiaba

  • Araçá

  • Pitanga

  • Caju

  • Cambuci

  • Erva-mate

  • Pau-brasil

  • Juçara

  • Bromélias

  • Orquídeas

  • Pinheiro-do-paraná

  • Jatobá

  • Gabiroba

  • Palmiteiro

Por tratar-se de um bioma rico em biodiversidade e relativamente extenso em extensão territorial, a Mata Atlântica é subdividida em alguns ecossistemas. Essa subdivisão foi elaborada, em 1990, pela Fundação SOS Mata Atlântica, em um encontro de pesquisadores, e reconhecida legalmente, em 1992, pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente, o Conama.

  • Floresta ombrófila densa: é marcada pelas árvores de copas altas, formando coberturas vegetais fechadas. É mais comum no litoral brasileiro, do Rio Grande do Sul ao Ceará, com precipitações regulares durante o ano.
  • Floresta ombrófila mista: é comum de áreas frias, como a região Sul do Brasil e os planaltos do Sudeste. Uma árvore típica dessa localidade é a Araucária.
  • Floresta ombrófila aberta: é comum em áreas mais secas e com altas temperaturas, sem a presença de árvores com copas altas fechadas. É encontrada em Minas Gerais, Espírito Santo e Alagoas.
Área de Mata Atlântica em Minas Gerais.
Área de Mata Atlântica em Minas Gerais.
  • Floresta estacional semidecidual: é também conhecida como floresta tropical subcaducifólia, algumas de suas árvores podem perder as folhas durante o outono e inverno.
  • Floresta estacional decidual: ocorre em locais com duas estações definidas, uma seca e outra úmida. Em geral, suas árvores perdem as folhas no inverno seco e frio.

  • Campos de altitude: como o nome diz, essa subdivisão ocorre em áreas altas da mata, prevalecendo a existência de gramíneas nos altos picos.

  • Brejos interioranos: ocorrem em áreas de transição da Caatinga para a Mata Atlântica, sendo fundamentais para a agricultura nordestina devido ao armazenamento hídrico.

  • Manguezais: são vegetações que ocorrem nas áreas de contato das águas doces (rios) com as águas salgadas (mares e oceanos) presentes em todo litoral brasileiro. Possuem uma rica fauna, como moluscos e caranguejos, sendo importantes para conter a força das marés altas.

  • Restinga: é a área de depósitos de areia (arenosos) em toda a costa brasileira, com uma vegetação que depende de fatores abióticos, como a água, o vento, a radiação solar, entre outros.

  • Vegetação fixadora de dunas: é a vegetação que fixa a areia das praias no litoral, impedindo-a de espalhar-se pela orla, além de servir de repouso para aves de pequeno e médio porte.

Veja também: Problemas ambientais brasileiros: veja quais são

  • Clima da Mata Atlântica

A maior da parte da mata tem como condição climática a influência do clima Tropical. Esse clima apresenta verões chuvosos e invernos secos. Na parte litorânea do Brasil, temos a presença da massa de ar Tropical Atlântica, quente e úmida, favorecendo a Mata com bastante índices pluviométricos regulares durante o ano.

Essa consequência alimenta a rica biodiversidade na Mata Atlântica. No entanto, nas serras da região Sudeste, há o clima Tropical de Altitude, com intensas chuvas nas áreas mais altas, chegando-se a 4000 mm de precipitação durante o ano, principalmente na Serra do Mar, no estado de São Paulo.

  • Fauna da Mata Atlântica

Assim como a variedade na flora, a fauna da Mata Atlântica é bem diversificada. Há espécies que podem ser encontradas também em outros biomas, como a onça-pintada e a anta. São várias espécies diferentes, incluindo-se mais de 270 mamíferos, 1000 aves, 370 anfíbios, 200 répteis e 350 peixes. Os números são aproximados devido à vasta distribuição de todos esses animais.

Entretanto, essa riqueza chama a atenção dos exploradores ilegais da natureza. De acordo com um levantamento do Ibama, no final da década de 1980, das 202 espécies ameaçadas de extinção no Brasil, 171 eram nativas da Mata Atlântica. No início dos anos 2000, essa lista de ameaçados de extinção subiu para 633, sendo mais de 60% de animais da Mata Atlântica.

Beija-flor típico da Mata Atlântica.
Beija-flor típico da Mata Atlântica.

A rica biodiversidade da mata atrai os praticantes de tráfico de animais, o que prejudica o ecossistema local. Quando se retira um animal do seu hábitat natural, sua presa pode proliferar-se rapidamente, e seu predador pode não encontrar outro alimento, ocorrendo um grave desequilíbrio na cadeia alimentar daquela localidade. É importante a conscientização ambiental nesse sentido, pois um pequeno gesto, como o tráfico de um animal, pode impactar de forma grandiosa na vida de todo um ecossistema.

Veja alguns dos animais mais comuns na Mata Atlântica:

  • Tatu

  • Quero-quero

  • Jararaca

  • Murucututu-de-barriga-amarela

  • Gato-do-mato

  • Jacu

  • Capivara

  • Beija-flor-verde

  • Lagartixa-da-areia

  • Tartaruga-de-couro

  • Mico-leão-da-cara-preta

  • Mico-leão-dourado

  • Cutia

Acesse também: Principais desastres ambientais causados pelo homem no Brasil

  • População da Mata Atlântica

De acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, estima-se que, aproximadamente, 120 milhões de brasileiros vivam sob o domínio da Mata Atlântica, mais de 70% de toda população do país.

Esse alto contingente populacional é explicado pela colonização brasileira. Foi no litoral que se desenvolveram os primeiros aglomerados urbanos e, posteriormente, os primeiros centros industriais. Tudo na região da Mata Atlântica.

A devastação da Mata é preocupante do ponto de vista social, pois grande parte da sociedade brasileira depende dela para a preservação de nascentes, como a do rio São Francisco, que nasce em Minas Gerais. Ademais, povos indígenas, como os Guarani ou os Caiçara, vivem na mata e necessitam dela preservada para sua sobrevivência: caça, pesca, agricultura, extrativismo.

Importância da Mata Atlântica

Considerada patrimônio nacional pela Constituição Federal de 1988, a Mata Atlântica é essencial para a manutenção da vida no litoral brasileiro e em algumas áreas interioranas de sua ocorrência.

A princípio, é na Mata Atlântica que está localizada a árvore que deu nome ao nosso país: o pau-brasil. Além disso, nesse bioma estão importantes bacias que servem desde a navegação fluvial, como o rio Tietê, até rios que geram grandes quantidades de energia, como o rio Paraná. Há outros rios, como o Paraíba do Sul, o Paranapanema, o São Francisco e Rio Doce.

Isso mostra a importância das águas da mata, tanto para o consumo humano quanto para atividades industriais e agrícolas, sendo fundamentais no desenvolvimento das grandes cidades brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. De acordo com a Apremavi, são mais de 100 milhões de brasileiros que se beneficiam delas.

A riqueza da Mata Atlântica, com as quaresmeiras e embaúbas, típicas das florestas ombrófilas densas.
A riqueza da Mata Atlântica, com as quaresmeiras e embaúbas, típicas das florestas ombrófilas densas.

Devido a sua grande importância para o povo brasileiro, em dezembro de 2006, foi sancionada a Lei da Mata Atlântica, de número 11.428, que rege políticas públicas relacionadas à proteção e conservação da mata, além de regulamentar a exploração apenas quando tal ação não prejudique a vegetação, conforme consta no artigo 20:

“O corte e a supressão da vegetação primária do Bioma Mata Atlântica somente serão autorizados em caráter excepcional, quando necessários à realização de obras, projetos ou atividades de utilidade pública, pesquisas científicas e práticas preservacionistas.”

Entretanto, o estrago feito na Mata Atlântica durante os mais de 500 anos de história brasileira ainda é maior do que os mecanismos jurídicos, cabendo à sociedade educação e conscientização ambiental para proteger um dos maiores patrimônios do país.

Degradação da Mata Atlântica

A lei promulgada em 2006 que protege a Mata Atlântica é fruto de ações ambientalistas ainda na década de 1980, quando a Constituição Federal determinou que esse bioma se tornasse patrimônio nacional.

A degradação da mata iniciou-se já em 1500, quando os portugueses aqui chegaram e retiraram grandes quantidades de pau-brasil, exportando-o para a Europa. A cor avermelhada dessa árvore chamava a atenção dos europeus, que usavam a madeira para construção de móveis e sua cor para tingir tecidos.

Com o passar dos anos, o desenvolvimento no litoral brasileiro fez com que grande parte da mata fosse desmatada para inúmeros fins: agricultura, abertura de ferrovias e rodovias, construção e expansão de cidades, implantação de indústrias etc. Isso tornou a Mata Atlântica o primeiro bioma brasileiro a sofrer um grave desmatamento.

Além do desmatamento, há o comércio ilegal de espécies da fauna ou da flora. O tráfico de animais é recorrente na região, principalmente com micos, araras e corujas, ou com as orquídeas, bromélias e pinheiros. A retirada de animais e/ou plantas do ecossistema afeta toda a comunidade biológica, sem contar que ocorre de forma bruta, sem critérios e nenhuma garantia de sustentabilidade ou renovação para o bioma.

Leia também: Por que devemos preocupar-nos com as mudanças climáticas?

O que resta da Mata Atlântica?

Com pouco mais de 100 mil km², hoje a Mata Atlântica possui apenas 7,84% de sua vegetação original. O desmatamento e as ocupações irregulares reduziram drasticamente as áreas ocupadas pela mata. Ademais, essa porcentagem está distribuída de forma irregular no país, com alguns estados com menos de 1% do que havia em 1500. Um exemplo é o estado do Piauí, no Nordeste do Brasil. Esse estado possui apenas 0,1% da Mata Atlântica original.

Toda essa devastação fez com que a ONG Conservação Internacional incluísse a Mata Atlântica na lista dos hotspots. Esse conceito é associado a biomas que possuam grande biodiversidade e com muitas espécies endêmicas, restritas àquela localidade e mais suscetíveis de serem extintas. Além disso, para um bioma ser considerado um hotspot, é necessário que 75% (ou mais) de sua área original esteja desmatada, destruída.

Além da Mata Atlântica, o Cerrado brasileiro também se enquadra nesses quesitos.

Exercícios resolvidos

Questão 1 – (PUCCAMP/2017) Um grande poeta brasileiro foi João Cabral de Melo Neto, conhecido por poemas marcantes e muito bem trabalhados. Em “Morte e vida severina”, o trecho abaixo refere-se à chegada do protagonista em uma nova fitofisionomia, depois de atravessar a Caatinga:

Bem me diziam que a terra
se faz mais branda e macia
quando mais do litoral
a viagem se aproxima.

Agora afinal cheguei
nesta terra que diziam.
Como ela é uma terra doce
para os pés e para a vista.
Os rios que correm aqui
têm água vitalícia.

Essa descrição corresponde

a) ao Agreste, região de matas de galeria entre a Caatinga e o Cerrado.

b) ao Sertão, região de Cerrado com matas perenes ou semidecíduas.

c) ao Cerradão, uma região de florestas resistentes à seca.

d) à Mata Ripária, uma faixa contínua ao longo do litoral leste do Brasil.

e) à Zona da Mata, originalmente coberta por Mata Atlântica.

Resolução

Alternativa E. No enunciado, tem-se a informação de que o personagem saiu da Caatinga e está indo para o litoral. Essa informação já nos remete à Mata Atlântica, além do fato mencionado sobre as águas que nascem nesse bioma.

Questão 2 - (UFRR/2016) A Mata Atlântica originalmente cobria uma área de 1 milhão de km2, estendendo-se ao longo do litoral, desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul. Ela é o ecossistema brasileiro que mais sofreu os impactos ambientais dos ciclos econômicos da história do Brasil, reduzindo-se a cerca de 7% de sua área original. Analise as afirmações a seguir.

I. O desmatamento da Mata Atlântica teve início com a chegada dos colonizadores ao Brasil, quando os portugueses extraíam o pau-brasil, uma árvore de coloração avermelhada da qual retiravam um corante muito apreciado na Europa.

II. Apesar da perda de uma vasta área, a Mata Atlântica não sofre com problemas de extinção, uma vez que as espécies endêmicas da região encontram-se protegidas por unidades de conservação.

III. A expansão da agricultura, principalmente ligada à produção de cana-de-açúcar no Nordeste e do café no Sudeste, foi um dos fatores que levaram à supressão de vastas áreas da Mata Atlântica.

Após a leitura, marque a opção com a(s) assertiva(s) corretas.

a) III

b) I

c) I e II

d) I e III

e) Todas as afirmativas são incorretas.

Resolução

Alternativa D. A Mata Atlântica ainda sofre com problemas de extinção de suas espécies, mesmo com áreas de conservação ambiental e leis nacionais que a protegem.

Publicado por: Átila Matias
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Vegetação caducifólia da Caatinga, que perde as suas folhas no período da seca
Principais biomas brasileiros
Clique e conheça as características dos principais biomas brasileiros.
Os hotspots representam as áreas que mais necessitam de conservação do planeta
Hotspots mundiais
Descubra o que são os hotspots, por que esse termo foi criado e quais são os 34 hotspots mundiais, incluindo os dois brasileiros.
O bioma Amazônia é o maior do Brasil e considerado a área de maior biodiversidade do planeta.
Amazônia
Aprenda mais sobre a Amazônia. Veja suas principais características quanto à vegetação, fauna, flora, hidrografia e ao clima. Saiba a respeito do seu desmatamento.
Pantanal
Clique e veja as características da região do Pantanal, como seu clima, relevo, vegetação e hidrografia. Confira também os impactos ambientais na região pantaneira.
O desmatamento é um processo de elevado impacto ambiental
Desmatamento
O desmatamento é um problema que atinge várias áreas naturais do planeta. Compreenda melhor essa ocorrência e os seus efeitos sobre o meio ambiente.
Artesanatos feitos com a fibra do babaçu.
Mata dos cocais
Mata dos cocais, O que é mata dos cocais, Onde desenvolve a mata dos cocais, A importância social da mata dos cocais, Os principais tipos de vegetais da mata dos cocais.
Aparentemente a floresta Amazônica é homogênea.
Floresta Amazônica
Floresta Amazônica, O que é a floresta Amazônica, Onde está localizada a floresta Amazônica na América do Sul, As características climáticas da floresta Amazônica, As classificações da floresta Amazônica.
Paisagem composta por araucária.
Mata de Araucária
Mata de Araucária, O que é mata de Araucária, Onde está localizada a mata de Araucária, O clima predominante da mata de Araucária, A característica da vegetação da mata de Araucária, Os riscos de extinção da mata de Araucária.
Desmatamento no Brasil
Desenvolvimento econômico praticado de forma insustentável.
O mico-leão-dourado e o muriqui-do-norte são exemplos de primatas da Mata Atlântica.*
Primatas da Mata Atlântica
Veja quais são os primatas que ocorrem na Mata Atlântica.
As matas ciliares são importantes composições naturais
Mata ciliar
O conceito de mata ciliar, a diferença com a mata de galeria e a importância desses domínios naturais para os ambientes fluviais.
Área de floresta tropical na Costa Rica
Floresta Tropical
Confira alguns aspectos básicos da floresta tropical e conheça melhor esse bioma que se faz presente no Brasil e em outras várias partes do mundo!
Mapa dos domínios naturais do Brasil
Domínios naturais do Brasil
Domínios naturais do Brasil, O que são Domínios naturais do Brasil, Onde localizam os Domínios naturais do Brasil, Quantos domínios naturais existem no Brasil.
O planeta Terra apresenta uma grande variedade de biomas
Biomas
Clique aqui e conheça os biomas aquáticos e terrestres do planeta Terra!
O aspecto seco do ecossistema Caatinga.
Caatinga
Um bioma brasileiro castigado pelo regime climático.
O xiquexique e a paisagem da Caatinga
Caatinga
Conheça os aspectos climáticos, geográficos e biológicos da Caatinga, o único domínio morfoclimático 100% brasileiro.
Área de campo no Rio Grande do Sul.
Campos
Os campos são um tipo de vegetação que ocorre em pequenas áreas do Brasil. Confira!